Edital do Concurso Corpo de Bombeiro Militar do Distrito Federal - DF (CBMDF/DF) 2007

Visualizaçao do Edital do Concurso

EDITAL Nº 09, DE 23 DE NOVEMBRO DE 2006
Concurso Público de provas e títulos de candidatos voluntários para provimento de cargos
efetivos dos quadros de Oficiais Bombeiros Militares de Saúde (QOBM/S),
Complementares (QOBM/Com0070l.) e Capelães (QOBM/Cpl.) do Corpo de Bombeiros
Militar do Distrito Federal. O DIRETOR DE PESSOAL DO CORPO DE BOMBEIROS
MILITAR DO DISTRITO FEDERAL CBMDF, no uso da competência que lhe confere o
artigo 14 da Lei Federal nº 8.255, de 20 de novembro de 1991 (Lei de Organização Básica
do CBMDF), combinado com os incisos V e XI do artigo 19 e inciso XII do art. 49 do
Regulamento de Organização Básica, aprovado pelo Decreto nº 16.036, de 4 de novembro
de 1994, TORNA PÚBLICA, de acordo com os artigos 10, 11 e 12 do Estatuto dos
Bombeiros Militares do CBMDF, aprovado pela Lei Federal nº 7.479, de 2 de junho de
1986, alterado pelo artigo 19 da Lei Federal nº 11.134, de 15 de julho de 2005, a
abertura das inscrições do concurso público de provas e títulos de candidatos voluntários
para provimento de cargos efetivos dos Quadros de Oficiais Bombeiros Militares de Saúde
(QOBM/ S), Complementares (QOBM/Compl.) e Capelães (QOBM/Cpl.) do CBMDF,
mediante as condições estabelecidas neste edital.
1 DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES
1.1 O presente concurso público ocorrerá no Distrito Federal, e será executado pelo
CBMDF e pelo Centro de Seleção e de Promoção de Eventos da Universidade de Brasília
(CESPE/UnB).
1.2 O concurso visa o provimento de 32 (trinta e duas) vagas dos cargos efetivos do
QOBM/S, 19 (dezenove) vagas para QOBM/Compl. e 2 (duas) vagas para o QOBM/Cpl.,
sendo mantido cadastro de reserva.
1.3 A seleção de que trata este edital será constituída de 6 (seis) etapas:
a) primeira etapa: provas de conhecimentos, de caráter eliminatório e classificatório,
mediante aplicação de provas objetivas, a ser realizada pelo CESPE/UnB;
b) segunda etapa: exames de aptidão física, de caráter eliminatório, a ser realizada pelo
CESPE/UnB;
c) terceira etapa: avaliação psicológica, de caráter eliminatório, a ser realizada pelo
CESPE/UnB;
d) quarta etapa: exames médicos, biométricos, testes toxicológicos e exames
complementares, de caráter eliminatório, a ser realizada pelo CESPE/UnB e pela Junta de
Inspeção de Saúde Especial (JISE) do CBMDF ou por instituições por ela indicadas;
e) quinta etapa: investigação social e funcional, de caráter eliminatório, a ser realizada
pelo CBMDF;
f) sexta etapa: avaliação de títulos, de caráter classificatório, a ser realizada pelo
CESPE/UnB.
1.4 O concurso terá validade de 2 (dois) anos, podendo ser renovado por igual período, a
contar da data de homologação do resultado final.
1.5 O candidato que vier a ser aprovado e classificado no número de vagas destinadas ao
concurso, de acordo com a sua especialidade, será nomeado no posto de 1.º Tenente
(Estagiário), para os quadros de Saúde e de Capelão, e no posto de 2.º Tenente (Estagiário),
para o quadro complementar, e serão regidos pelo Estatuto dos Bombeiros Militares do
CBMDF, aprovado pela Lei Federal n.º 7.479, de 2 de junho de 1986, e demais atos
normativos que regem os militares integrantes do CBMDF.
1.6 DAS ATRIBUIÇÕES DOS QUADROS
1.6.1 QOBM/S.: são as relacionadas com a área de Medicina ou Odontologia,
compreendendo os atendimentos e procedimentos eletivos e emergenciais, além de realizar
perícias médicas ou odontológicas, programação e planejamento das ações e da organização
do processo de trabalho compatíveis com a natureza do cargo, em conjunto com os demais
profissionais, serviços internos, externos, atividades operacionais e outros encargos de
interesse da Corporação;
1.6.2 QOBM/Compl.: são as relacionadas com as qualificações objeto do concurso,
auxiliando ou assessorando a Administração BM nas atividades de caráter administrativo,
operacional, programação e planejamento das ações e da organização do processo de
trabalho compatíveis com a natureza do cargo, em conjunto com os demais profissionais,
serviços internos, externos, atividades operacionais e outros encargos de interesse da
Corporação;
1.6.3 QOBM/Cpl.: são as relacionadas com os ofícios religiosos aos militares da ativa,
inativos, seus familiares e funcionários lotados no CBMDF e a comunidade em geral,
podendo receber incumbência de administração, de ensino e inerentes ao serviço de
assistência religiosa, programação e planejamento das ações e da organização do processo
de trabalho compatíveis com a natureza do cargo, sem intromissão nas atribuições
específicas ou técnicas dos demais quadros.
1.7 DA REMUNERAÇÃO
1.7.1 A remuneração mensal bruta para os quadros de Saúde e de Capelão, para o mês de
janeiro de 2007, será de, aproximadamente, R$ 6.840,00 (seis mil e oitocentos e quarenta
reais), e do quadro Complementar será de, aproximadamente, R$ 6.426,00 (seis mil e
quatrocentos e vinte e seis reais), já acrescidas as gratificações integrais do posto, após a
conclusão dos Cursos de Habilitações.
2 DA DISTRIBUIÇÃO DAS VAGAS
2.1 Para o provimento imediato são oferecidas as vagas, conforme discriminação a seguir:
2.1.1 QOBM/S, 32 (trinta e duas) vagas:
OPÇÃO 1 : Especialidade: Médico Anestesiologista 1 (uma) vaga; OPÇÃO 2:
Especialidade: Médico Cardiologista 3 (três) vagas; OPÇÃO 3: Especialidade: Médico
Cirurgião-Geral 1 (uma) vaga; OPÇÃO 4: Especialidade: Médico Cirurgião Pediátrico 1
(uma) vaga; OPÇÃO 5: Especialidade: Médico Clínico-Geral 3 (três) vagas; OPÇÃO 6:
Especialidade: Médico Dermatologista 1 (uma); OPÇÃO 7: Especialidade: Médico
Ginecologista 2(duas) vagas; OPÇÃO
8: Especialidade: Médico Oftalmologista 2 (duas) vagas; OPÇÃO 9: Especialidade:
Médico Ortopedista 2 (duas) vagas; OPÇÃO 10: Especialidade: Médico
Otorrinolaringologista 1(uma) vaga; OPÇÃO 11: Especialidade: Médico Pediatra 2
(duas) vagas; OPÇÃO 12: Especialidade: Médico Psiquiatra 2 (duas); OPÇÃO 13:
Especialidade: Médico Radiologista 1(uma) vaga;
OPÇÃO 14: Especialidade: Médico Urologista 1 (uma) vaga; OPÇÃO 15: Especialidade:
Cirurgião-Dentista Bucomaxilofacial 1 (uma) vaga; OPÇÃO 16: Especialidade: Cirurgião
Dentista Clínico-Geral 3 (três) vagas; OPÇÃO 17: Especialidade: Cirurgião Dentista
Endodontista 2 (duas) vagas; OPÇÃO 18: Especialidade: Cirurgião Dentista
Odontopediatra 1 (uma) vaga; OPÇÃO 19: Especialidade: Cirurgião Dentista
Ortodontista 1 (uma) vaga; OPÇÃO 20: Especialidade: Cirurgião Dentista Protesista 1
(uma) vaga.
2.1.2 QOBM/Compl, 19 (dezenove) vagas:
OPÇÃO 21: Especialidade: Bacharel em Direito 4 (quatro) vagas; OPÇÃO 22:
Especialidade: Engenheiro Civil 3 (três) vagas; OPÇÃO 23: Especialidade: Bacharel em
Ciências Contábeis - PÁGINA 63 Nº 228, quarta-feira, 29 de novembro de 2006 Diário
Oficial do Distrito Federal
3 (três) vagas; OPÇÃO 24: Especialidade: Arquiteto 2 (duas) vagas; OPÇÃO 25:
Engenheiro Mecatrônico 1 (uma) vaga; OPÇÃO 26: Especialidade: Analista de Sistemas,
com especialização em banco de dados 1 (uma) vaga; OPÇÃO 27: Especialidade:
Analista de Sistema, com Especialização em Desenvolvimento WEB 1 (uma) vaga;
OPÇÃO 28: Especialidade: Engenheiro de Redes de Comunicação 1 (uma) vaga;
OPÇÃO 29: Especialidade: Enfermeiro 1 (uma) vaga; OPÇÃO 30: Especialidade:
Fisioterapia 1 (uma) vaga; OPÇÃO 31: Especialidade: Farmacêutico- bioquímico
1(uma) vaga.
2.1.3 QOBM/Cpl, 02 (duas) vagas:
OPÇÃO 32: Especialidade: Padre Católico Apostólico Romano 1 (uma) vaga;
OPÇÃO 33: Especialidade: Pastor Evangélico 1 (uma) vaga.
2.2 O concurso terá a composição de um cadastro de reserva, que será constituído pelos
candidatos que, aprovados e classificados, obedecidos os critérios de ordem decrescente de
pontos e de desempate, estejam fora do limite de vagas disponíveis para provimento
imediato, na área objeto do concurso a que se referir a inscrição.
2.3 Quando da convocação, sendo o caso, o candidato do cadastro de reserva deve
satisfazer em sua plenitude as condições estabelecidas neste edital, exigidas para a
nomeação e matrícula nos respectivos cursos de habilitação para oficiais.
3 DOS REQUISITOS PARA NOMEAÇÃO
3.1 O candidato à inscrição ao concurso para os quadros de Saúde e Complementar será de
ambos os sexos e para o quadro de Capelão somente do sexo masculino, devendo ainda
satisfazer os seguintes requisitos a serem comprovados até a data da nomeação:
3.1.1 ser brasileiro;
3.1.2 ser voluntário;
3.1.3 para o Quadro de Oficiais Saúde (QOBM/S.) e para o Quadro de Oficiais
Complementar (QOBM/Compl.), ter concluído, em estabelecimento de ensino oficial ou
reconhecido, o curso de graduação na área objeto do concurso que o habilite ao exercício
profissional, na forma da legislação em vigor;
3.1.4 para o Quadro de Oficiais Capelães (QOBM/Cpl):
a) possuir o curso de formação teológica, regular, de nível universitário, reconhecido pela
autoridade eclesiástica de sua religião;
b) ter sido ordenado sacerdote católico apostólico romano ou consagrado pastor evangélico;
3.1.5 ter idade mínima de 18 (dezoito) anos e não vir a completar, até a data de nomeação,
36 (trinta e seis) anos de idade, de acordo com o inciso I do art. 37, § 1.º do art. 42, e o §
3.º, inciso X, do art. 142 da Constituição Federal, combinado com os arts. 10, 11 e 12 do
Estatuto Bombeiro Militar, aprovado pela Lei Federal n.º 7.479/1986, alterado pelo art. 19
da Lei Federal n.º 11.134/2005;
3.1.6 se militar da ativa; possuir parecer favorável à inscrição por seu comandante, chefe ou
diretor de Organização Militar (OM); além disso, no caso de praça, estar classificado, no
mínimo, no comportamento “BOM”;
3.1.7 se reservista, ter sido licenciado ou excluído da última OM em que serviu, estando
classificado, no mínimo, no comportamento “BOM”;
3.1.8 não ter sido considerado isento do Serviço Militar, seja por licenciamento ou exclusão
de OM a bem da disciplina, seja por incapacidade física ou mental definitiva, condição esta
a ser comprovada pelo certificado militar que recebeu;
3.1.9 não ter sido julgado, em inspeção de saúde, incapaz definitivamente para o serviço do
Exército, da Marinha, da Aeronáutica, de Corpo de Bombeiros Militar ou de Polícia
Militar;
3.1.10 se ex-aluno de estabelecimento de ensino de formação de oficiais ou de praças do
Exército, da Marinha, da Aeronáutica, de Corpo de Bombeiros Militar ou de Polícia
Militar, não ter sido desligado por motivo disciplinar, tendo sido classificado, no mínimo,
no comportamento “BOM”, por ocasião do seu desligamento;
3.1.11 estar em dia com suas obrigações perante o Serviço Militar (para candidatos do sexo
masculino) e a Justiça Eleitoral;
3.1.12 ter pago a taxa de inscrição;
3.1.13 não ter sido condenado nem estar respondendo a processo (sub judice) perante a
justiça criminal, comum ou militar, seja na esfera federal ou estadual;
3.1.14 ter, no mínimo, com os pés nus e cabeça descoberta, 1,65 m (um metro e sessenta e
cinco centímetros) de altura, para ambos os sexos;
3.1.15 possuir aptidão psicológica, física e idoneidade moral que o recomendem ao
ingresso na carreira de Oficial do CBMDF;
3.1.16 se do sexo feminino, não se encontrar grávida para a realização do exame de aptidão
física, a ser aplicado no certame, devido à incompatibilidade deste estado com os exercícios
físicos exigidos naquela etapa do concurso, bem como para a realização do curso de
habilitação;
3.1.17 não ser portador das condições incapacitantes;
3.1.18 possuir Carteira Nacional de Habilitação, no mínimo, categoria “B”.
4 DA INSCRIÇÃO NO CONCURSO PÚBLICO
4.1 TAXAS: QOBM/S R$ 100,00 (cem reais);
QOBM/Compl. R$ 80,00 (oitenta reais);
QOBM/Cpl. R$ 80,00 (oitenta reais).
4.2 Será admitida a inscrição exclusivamente via Internet, no endereço eletrônico http://
www.cespe.unb.br/concursos/bombeiros2006, solicitada no período entre 9 horas do dia 4
de dezembro de 2006 e 23 horas e cinqüenta e nove minutos do dia 17 de dezembro de
2006, observado o horário oficial de Brasília/DF.
4.3 O CESPE/UnB não se responsabilizará por solicitação de inscrição não recebida por
motivos de ordem técnica dos computadores, falhas de comunicação, congestionamento das
linhas de comunicação, bem como outros fatores que impossibilitem a transferência de
dados.
4.4 O candidato poderá efetuar o pagamento da taxa de inscrição em qualquer agência
bancária por meio da Guia de Recolhimento da União (GRU COBRANÇA).
4.4.1 A GRU estará disponível no endereço eletrônico
http://www.cespe.unb.br/concursos/bombeiros2006 e deverá ser impressa para o pagamento
da taxa de inscrição imediatamente após a conclusão do preenchimento da ficha de
solicitação de inscrição online.
4.5 O pagamento da taxa de inscrição deverá ser efetuado até o dia 19 de dezembro de
2006.
4.6 As inscrições somente serão acatadas após a comprovação de pagamento da taxa de
inscrição.
4.7 O comprovante de inscrição do candidato estará disponível no endereço eletrônico
http:// www.cespe.unb.br/concursos/bombeiros2006, após o acatamento da inscrição, sendo
de responsabilidade exclusiva do candidato a obtenção desse documento.
4.8 Informações complementares acerca da inscrição estarão disponíveis no endereço
eletrônico http://www.cespe.unb.br/concursos/bombeiros2006.
4.9 Para os candidatos que não conseguirem acesso à Internet, o CESPE/UnB
disponibilizará posto de inscrição com computadores, localizado na Universidade de
Brasília (UnB), Campus Universitário Darcy Ribeiro, Instituto Central de Ciências (ICC),
ala norte, mezanino Asa Norte, Brasília/DF, no período de 4 a 15 de dezembro de 2006
(exceto sábados, domingos e feriados), das 8 horas às 18 horas.
4.9.1 Haverá, no posto de inscrição, equipe composta de operadores de computador para
auxiliar os candidatos.
4.10 DAS DISPOSIÇÕES GERAIS SOBRE A INSCRIÇÃO NO CONCURSO
PÚBLICO
4.10.1 Antes de efetuar a inscrição, o candidato deverá conhecer o edital e certificar-se de
que preenche todos os requisitos exigidos. Uma vez efetivada a inscrição, não será
permitida, em hipótese alguma, a sua alteração no que se refere à OPÇÃO de especialidade.
4.10.2 É vedada a inscrição condicional, a extemporânea, a via postal, a via fax ou a via
correio eletrônico.
4.10.3 É vedada a transferência do valor pago a título de taxa para terceiros ou para outros
concursos.
4.10.4 Para efetuar a inscrição, é imprescindível o número de Cadastro de Pessoa Física
(CPF).
4.10.5 As informações prestadas na solicitação de inscrição serão de inteira
responsabilidade do candidato, dispondo o CESPE/UnB do direito de excluir do concurso
aquele que não preencher o formulário de forma completa e correta.
4.10.6 O valor referente ao pagamento da taxa de inscrição não será devolvido em hipótese
alguma, salvo em caso de cancelamento do certame por conveniência da Administração
Pública.
4.10.6.1 No caso de o pagamento da taxa de inscrição ser efetuado com cheque bancário
que, porventura, venha a ser devolvido, por qualquer motivo, o CESPE/UnB reserva-se o
direito de tomar as medidas legais cabíveis.
4.10.7 Não haverá isenção total ou parcial da taxa de inscrição, à exceção do candidato
amparado pela Lei n.º 1.321, de 26 de dezembro de 1996, que deverá dirigir-se ao posto de
inscrição, no período e no horário citados no subitem 4.9 deste edital. Nessa ocasião, o
candidato deverá entregar certificados que o qualifiquem como doador de sangue,
outorgados pela Fundação Hemocentro ou instituições oficiais de saúde, e que comprovem
pelo menos três doações de sangue realizadas no período de um ano antes da data final das
inscrições para o concurso.
4.10.7.1 Poderá, ainda, solicitar a isenção de pagamento da taxa de inscrição neste concurso
público o candidato amparado pela Lei Distrital n.º 463, de 22 de junho de 1993, alterada
pela Lei n.º 1.752, de 4 de novembro de 1997. 4.10.7.2 O interessado que preencher os
requisitos da lei citada no subitem anterior e desejar a isenção de pagamento da taxa de
inscrição neste concurso deverá dirigir-se ao posto de inscrição, no período e no horário
citados no subitem 4.9 deste edital, para preencher o requerimento de isenção ali
disponível, instruindo-o com uma cópia autenticada do seguinte documento: cópia do
Diário Oficial do Distrito Federal constando a aprovação do candidato em concurso
anterior, do
CBMDF, na mesma área em que desejar concorrer no presente concurso ou documento
fornecido pela referida Corporação que ateste a referida aprovação.
4.10.7.3 As informações prestadas no formulário, bem como a documentação apresentada,
serão de inteira responsabilidade do candidato, respondendo este por qualquer falsidade.
4.10.7.4 Não será concedida isenção de pagamento de taxa de inscrição ao candidato que:
a) omitir informações e/ou torná-las inverídicas;
b) fraudar e/ou falsificar documentação;
c) pleitear a isenção, sem apresentar cópia dos documentos previstos no subitem 4.10.7 e
4.10.7.2;
d) não observar o prazo e os horários estabelecidos no subitem 4.9.
4.10.7.3 Não será permitida, após a entrega do requerimento de isenção e dos documentos
comprobatórios, a complementação da documentação bem como revisão e/ou recurso.
4.10.7.4 Não será aceita solicitação de isenção de pagamento de valor de inscrição via
postal, via fax ou via correio eletrônico.
4.10.7.5 Cada pedido de isenção será analisado e julgado pelo CESPE/UnB.
4.10.7.6 O interessado que não tiver seu pedido de isenção deferido e que não efetuar a
inscrição na forma e no prazo estabelecidos estará automaticamente excluído do concurso.
4.10.8 O comprovante de inscrição deverá ser mantido em poder do candidato e
apresentado nos locais de realização das provas.
4.10.9 O candidato que necessitar de atendimento especial para a realização das provas
deverá Diário Oficial do Distrito Federal PÁGINA 64 Nº 228, quarta-feira, 29 de
novembro de 2006 indicar, na solicitação de inscrição via Internet, os recursos especiais
necessários e, ainda, enviar, até o dia 19 de dezembro de 2006, impreterivelmente, via
SEDEX, para a Central de Atendimento do CESPE/UnB Concurso Bombeiros 2006
(laudo médico), Campus Universitário Darcy Ribeiro, Instituto Central de Ciências (ICC),
mezanino, ala norte Asa Norte, Brasília/DF, Caixa Postal 4488, CEP 70904-970, laudo
médico (original ou cópia simples) que justifique o atendimento especial solicitado. Após
esse período, a solicitação será indeferida, salvo nos casos de força maior e nos que forem
de interesse da Administração Pública. A solicitação de condições especiais será atendida
segundo os critérios de viabilidade e de razoabilidade.
4.10.9.1 O laudo médico (original ou cópia simples) referido no subitem 4.10.9 poderá,
ainda, ser entregue, até o dia 19 de dezembro de 2006, das 8 horas às 19 horas (exceto
sábado, domingo e feriado), pessoalmente ou por terceiro, na Central de Atendimento do
CESPE/UnB, localizada no Campus Universitário Darcy Ribeiro, Instituto Central de
Ciências (ICC), ala norte, mezanino Asa Norte, Brasília/DF.
4.10.9.2 O laudo médico (original ou cópia simples) valerá somente para este concurso, não
será devolvido e não serão fornecidas cópias desse laudo.
4.10.9.3 A relação dos candidatos que tiveram o seu atendimento especial deferido será
publicada no Diário Oficial do Distrito Federal e divulgada na Internet, no endereço
eletrônico http://www.cespe.unb.br/concursos/bombeiros2006, no edital de locais e
horários de realização das provas.
4.10.9.3.1 O candidato disporá de 24 horas a partir da divulgação da relação citada no
subitem anterior para contestar as razões do indeferimento, pessoalmente ou por meio de
fax, email ou via sedex, citados no subitem 13.4 deste edital. Após esse período, não serão
aceitos pedidos de revisão.
4.10.10 O candidato deverá declarar, na solicitação de inscrição, que tem ciência e aceita
que, caso aprovado, deverá entregar os documentos comprobatórios dos requisitos exigidos
para o quadro/ especialidade por ocasião da nomeação.
5 DAS ETAPAS DO CONCURSO
5.1 DA PRIMEIRA ETAPA Provas de conhecimentos
5.1.1 Serão aplicadas provas objetivas, abrangendo os objetos de avaliação constantes deste
edital, de acordo com as informações a seguir:
PROVA/TIPO: (P1) Objetiva; ÁREA DE CONHECIMENTO: Conhecimentos Básicos
NÚ- MERO DE ITENS: 50; CARÁTER: Eliminatório e Classificatório.
PROVA/TIPO: (P2) Objetiva; ÁREA DE CONHECIMENTO: Conhecimentos Específicos
NÚMERO DE ITENS: 70; CARÁTER: Eliminatório e Classificatório.
5.1.2 As provas objetivas terão a duração de 3 horas e 30 minutos e serão aplicadas no dia
21 de janeiro de 2007, no turno da tarde.
5.1.3 Os locais e o horário de realização das provas objetivas serão publicados no Diário
Oficial do Distrito Federal e divulgados na Internet, no endereço eletrônico
http://www.cespe.unb.br/ concursos/bombeiros2006, nas datas prováveis de 10 ou 11 de
janeiro de 2007. São de responsabilidade exclusiva do candidato a identificação correta de
seu local de realização das provas e o comparecimento no horário determinado.
5.1.3.1 O CESPE/UnB poderá enviar, como complemento às informações citadas no
subitem anterior, comunicação pessoal dirigida ao candidato, por e-mail, sendo de sua
exclusiva responsabilidade a manutenção/atualização de seu correio eletrônico, o que não o
desobriga do dever de observar o edital a ser publicado, consoante o que dispõe o subitem
5.1.3 deste edital.
5.1.4 DAS PROVAS OBJETIVAS
5.1.4.1 Cada prova objetiva será constituída de itens para julgamento, agrupados por
comandos que deverão ser respeitados. O julgamento de cada item será CERTO ou
ERRADO, de acordo com o(s) comando(s) a que se refere o item. Haverá, na folha de
respostas, para cada item, dois campos de marcação: o campo designado com o código C,
que deverá ser preenchido pelo candidato caso julgue o item CERTO, e o campo designado
com o código E, que deverá ser preenchido pelo candidato caso julgue o item ERRADO.
5.1.4.2 Para obter pontuação no item, o candidato deverá marcar um, e somente um, dos
dois campos da folha de respostas.
5.1.4.3 O candidato deverá transcrever as respostas das provas objetivas para a folha de
respostas, que será o único documento válido para a correção das provas. O preenchimento
da folha de respostas será de inteira responsabilidade do candidato, que deverá proceder em
conformidade com as instruções específicas contidas neste edital e na folha de respostas.
Em hipótese alguma haverá substituição da folha de respostas por erro do candidato.
5.1.4.4 Serão de inteira responsabilidade do candidato os prejuízos advindos do
preenchimento indevido da folha de respostas. Serão consideradas marcações indevidas as
que estiverem em desacordo com este edital e/ou com as instruções contidas na folha de
respostas, tais como marcação rasurada ou emendada ou campo de marcação não-
preenchido integralmente.
5.1.4.5 O candidato não deverá amassar, molhar, dobrar, rasgar, manchar ou, de qualquer
modo, danificar a sua folha de respostas, sob pena de arcar com os prejuízos advindos da
impossibilidade de realização da leitura óptica.
5.1.4.6 O candidato é responsável pela conferência de seus dados pessoais, em especial seu
nome, seu número de inscrição e o número de seu documento de identidade.
5.1.4.7 Não será permitido que as marcações na folha de respostas sejam feitas por outras
pessoas, salvo em caso de candidato que tenha solicitado atendimento especial para esse
fim. Nesse caso, se necessário, o candidato será acompanhado por agente do CESPE/UnB
devidamente treinado.
5.1.4.8 O CESPE/UnB divulgará a imagem da folha de respostas dos candidatos que
realizaram as provas objetivas, no endereço eletrônico
http://www.cespe.unb.br/concursos/bombeiros2006,
na data de divulgação do resultado final das provas objetivas. A referida imagem ficará
disponível até quinze dias corridos da data de publicação do resultado final do concurso.
5.1.4.8.1 Após o prazo determinado no subitem anterior, não serão aceitos pedidos de
disponibilização da imagem da folha de respostas.
5.2 DA SEGUNDA ETAPA Exame de Aptidão Física (EAF)
5.2.1 O EAF, de caráter eliminatório, visa avaliar a capacidade do candidato para
desempenhar as tarefas típicas do quadro do CBMDF.
5.2.2 O candidato será considerado apto ou inapto no EAF.
5.2.3 O candidato deverá comparecer em data, local e horário a serem oportunamente
divulgados em edital específico, com roupa apropriada para prática de educação física
camiseta, calção ou bermuda, tênis, traje para banho (natação), munido de atestado médico
original ou cópia autenticada em cartório, específico para tal fim, emitido nos últimos trinta
dias da realização dos testes.
5.2.4 O atestado médico deverá constar, expressamente, que o candidato está apto a realizar
EAF.
5.2.5 O candidato que deixar de apresentar o atestado médico será impedido de realizar os
testes, sendo conseqüentemente eliminado do concurso.
5.2.6 O atestado médico deverá ser entregue no momento da identificação do candidato
para a realização da prova de capacitação física. Não será aceita a entrega de atestado
médico em outro momento ou em que não conste a autorização expressa nos termos do
subitem 5.2.4 deste edital.
5.2.7 Na execução dos exercícios, o candidato deverá alcançar os índices mínimos para
lograr êxito nesta etapa.
5.2.8 O EAF consistirá em submeter o candidato aos seguintes testes: BARRA, FLEXÃO,
CORRIDA DE DOZE MINUTOS e NATAÇÃO, conforme as regras a seguir:
a) flexão e extensão de cotovelos na barra fixa a barra deve ser instalada a uma altura
horizontal suficiente para que o avaliado, mantendo-se em suspensão com os cotovelos em
extensão, não tenha contato entre seus pés e o solo. A pegada deve ser feita em pronação,
com a distância de separação entre as mãos semelhante à distância biacromial. Após
assumir essa posição, o avaliado deverá elevar seu corpo por meio da flexão de seus
cotovelos, até que o queixo ultrapasse o nível da barra, retornando em seguida à posição
inicial. Tal movimento deverá ser repetido o maior número de vezes possível, sendo
computados tão somente aqueles executados corretamente. Os cotovelos devem estar em
extensão total para que seja dado início ao movimento de flexão. O teste é dinâmico, não
sendo, portanto, permitido abandonar-se o implemento entre as repetições a título de
repouso. Não devem ocorrer oscilações do corpo durante a execução do teste, sendo que as
movimentações que configurarem auxílio à execução, de acordo com o parecer do
avaliador responsável, tornará inválido o exercício executado. Somente serão computados
os movimentos realizados conforme a descrição acima;
b) flexão e extensão de cotovelos com apoio de frente sobre o solo apoiando os joelhos
sobre banco de 30 (trinta) cm de altura a avaliada se posiciona sobre o solo, em decúbito
ventral, com o corpo ereto, mãos espalmadas apoiadas no solo, indicadores paralelos
voltados para a frente, braços estendidos com abertura entre as mãos um pouco maior que a
largura biacromial, pernas estendidas e unidas e joelhos apoiados sobre um banco de 30
(trinta) cm de altura, dentro de uma faixa de 10 (dez) cm medidos a partir da borda do
banco mais próxima do tronco da avaliada. À voz de comando “Iniciar o teste”, a avaliada
flexionará os cotovelos, levando o tórax a aproximadamente cinco centímetros do solo, não
devendo haver nenhum contato do corpo com o solo, exceto as palmas das mãos, devendo
em seguida estender os cotovelos totalmente, novamente, ocasião em que completa um
movimento, podendo dar início a nova repetição. O corpo deve permanecer ereto durante o
teste, sendo que no caso de haver contato de outra parte do corpo, exceto as palmas das
mãos, com o solo, durante sua execução, ou ainda a elevação ou abaixamento dos quadris
com o intuito de descansar, a contagem será imediatamente interrompida, sendo
consideradas tão somente as repetições corretas executadas até aquele momento. O objetivo
do teste é verificar o número de repetições corretas que a avaliada é capaz de executar
continuamente. Durante eventuais interrupções do ritmo de execução, a avaliada deverá
permanecer na posição inicial, com braços estendidos. A maior ou menor proximidade
entre os cotovelos e o tronco durante a fase de flexão de cotovelos fica a critério da
avaliada;
c) flexão abdominal o avaliado se coloca em decúbito dorsal sobre o solo, com o corpo
inteiramente estendido, bem como os braços, no prolongamento do corpo, acima da cabeça,
tocando o solo. Por meio de contração da musculatura abdominal, o avaliado adotará a
posição sentada, flexionando simultaneamente os joelhos. É requisito para a execução
correta do movimento que os braços sejam levados à frente estendidos e paralelos ao solo, e
ainda que a linha dos cotovelos ultrapasse a linha dos joelhos durante a flexão. Em seguida,
o avaliado retorna à posição inicial até que toque o solo com as mãos, completando um
movimento, quando então poderá dar início à execução de novo movimento. O teste é
iniciado com as palavras “Atenção... Já!” e terminado com a palavra “Pare!”. O número de
movimentos executados corretamente em 60 (sessenta) segundos será o resultado obtido. O
cronômetro deverá ser acionado ao ser pronunciada a palavra “Já” e travado na pronúncia
de “Pare!”. É permitido o repouso entre os movimentos, sem interrupção da cronometragem
do tempo previsto;
d) corrida em 12 minutos o avaliado deve percorrer, em uma pista de atletismo, ou em
uma área demarcada, a maior distância possível, em 12 (doze) minutos, sendo permitido
andar durante o teste. O teste terá início através da voz de comando “Atenção...Já!” e será
encerrado por meio de dois silvos longos de apito no 12º minuto. Aos dez minutos de
corrida será emitido um silvo longo de apito para fins de orientação aos avaliados. O
número de avaliados por bateria deverá ser PÁGINA 65 Nº 228, quarta-feira, 29 de
novembro de 2006 Diário Oficial do Distrito Federal estabelecido de forma a não causar
prejuízo ao desempenho dos mesmos e não dificultar a contagem de voltas dadas.
e) natação para ser aprovado, o candidato deverá nadar 50 (cinqüenta) metros, utilizando
o estilo livre, o avaliado poderá dar início ao teste estando fora ou dentro da piscina,
podendo, neste caso, ser utilizada a parede da piscina para impulso inicial, sendo que o
acionamento do cronômetro será feito simultaneamente com o término da voz de comando
“Atenção... Já!”. O avaliado não poderá, durante o teste, apoiar-se na borda, ou na corda da
raia, ou tocar no fundo da piscina, nem receber auxílio ou utilizar qualquer acessório,
exceto touca e/ou óculos de natação, fatos que, em ocorrendo, implicarão na reprovação do
avaliado naquela tentativa. A chegada estará configurada no momento em que o avaliado
tocar, com qualquer parte do corpo, a borda ou linha de chegada, momento em que é
travado o cronômetro. Os homens deverão trajar sunga de banho e as mulheres, maiô (peça
única) para a realização deste teste. O avaliado terá apenas uma única tentativa para obter
aprovação no presente teste. A piscina utilizada para o teste terá, pelo menos, 25 (vinte e
cinco) metros de comprimento;
Sexo masculino: índices mínimos Número de flexões e extensões de cotovelos na barra fixa
- 03 repetições; Número de flexões abdominais: 28 repetições; Corrida de 12 minutos -
2.000 metros; Natação estilo livre 1 minuto e 25 segundos.
Sexo feminino: índices mínimos Número de flexões e extensões de cotovelos com apoio de
frente sobre o solo -18 repetições; Número de flexões abdominais - 24 repetições; Corrida
de 12 minutos - 1.600 metros; Natação estilo livre - 1 minuto e 30 segundos.
5.2.9 O candidato que não atingir a performance mínima em quaisquer dos testes do EAF
ou que não comparecer para a sua realização será considerado inapto e, conseqüentemente,
eliminado do concurso, não tendo classificação alguma no certame.
5.2.9.1 O candidato que for considerado inapto em qualquer teste não poderá prosseguir nos
demais testes.
5.2.10 Os casos de alteração psicológica e/ou fisiológica temporários (estados menstruais,
indisposições, cãibras, contusões, luxações, fraturas etc.) que impossibilitem a realização
dos testes ou diminuam a capacidade física dos candidatos não serão levados em
consideração, não sendo concedido qualquer tratamento privilegiado.
5.2.11 Demais informações a respeito do EAF constarão de edital específico de convocação
para essa fase.
5.3 DA TERCEIRA ETAPA Avaliação Psicológica
5.3.1 A avaliação psicológica, de caráter eliminatório, será realizada em data a ser
determinada no edital de convocação para essa fase.
5.3.2 Na avaliação psicológica, o candidato será considerado recomendado ou não-
recomendado.
5.3.3 A avaliação psicológica consistirá na aplicação e na avaliação de técnicas
psicológicas, visando analisar a adequação do candidato ao perfil profissiográfico do
Oficial BM, identificando os tipos de raciocínio, as habilidades específicas e as
características de personalidade adequadas.
5.3.4 O candidato considerado não-recomendado ou que não comparecer à avaliação
psicológica será eliminado do certame.
5.3.5 Demais informações a respeito da avaliação psicológica constarão de edital específico
de convocação para essa fase.
5.4 DA QUARTA ETAPA Inspeção de Saúde exames médicos, biométricos,
complementares e testes toxicológicos
5.4.1 A quarta etapa será realizada pela CESPE/UnB e pela JISE do CBMDF, conforme
especificações a seguir.
5.4.1.1 Na quarta etapa, de caráter eliminatório, serão observadas as exigências estipuladas
na Lei Federal n.º 11.134, de 15 de julho de 2005, no Decreto Distrital n.º 24.559, de 28 de
abril de 2004,
e nas Portarias CBMDF, n.º 79, de 12 de dezembro de 1996; n.º 29, de 11 de agosto de
2004, e n.º 21, de 1º de junho de 2004:
a) exames médicos condições incapacitantes:
1) cabeça e pescoço
Deformações, perdas externas de substâncias; cicatrizes extensas, deformantes, aderentes
ou antiestéticas, contrações musculares anormais, cisto braquial, higroma cístico de
pescoço e fístulas;
2) ouvidos, audição, nariz, laringe e faringe
Deformidade ou agenesia do pavilhão auricular, anormalidades do conduto auditivo e
tímpano. Infecções crônicas recidivantes, otite média crônica, labirintopatias e tumores.
Anormalidades estruturais congênitas ou não; sinusites, desvio acentuado do septo nasal,
mutilações, tumores, artresias e retrações; seqüelas de agentes nocivos: fistulas congênitas
ou adquiridas; infecções crônicas ou recidivantes; deficiências na respiração, fonação ou
deglutição; doenças alérgicas do trato respiratório com repercussão clínica. No teste
audiométrico serão toleradas perdas de acuidade auditiva até 30 (trinta) decibéis na
freqüência da voz falada, ou seja de 500 (quinhentos) a 2.000 (dois mil) hertz;
3) cavidade oral
Estado de saúde oral deficiente (cáries generalizadas, gengivite, tártaro ou raiz residual);
prótese mal adaptada ou insatisfatória; menos de 20 (vinte) dentes rígidos ou devidamente
restaurados;
4) olho e visão
Infecções e processos inflamatórios, excetuando conjuntivites agudas e hordéolos,
ulcerações e tumores de pálpebras; opacificações, seqüelas de traumatismo e queimadura de
córnea e conjuntiva; uveites; glaucomas; doenças congênitas ou adquiridas, incluindo
desvio dos eixos oculares (estrabismo) superior a 10 (dez) dioptrias prismáticas; doenças e
lesões retinianas; doenças neurológicas que afetem os olhos; discromatopsia de grau
acentuado; pacientes portadores de catarata ou operados de catarata com ou sem lente intra-
ocular, ceratocone; pacientes submetidos a ceratocomia radia (cirurgia de miopia e
astigmatismo). Acuidade visual, com correção, abaixo de 20/40.
5) pele e tecido celular subcutâneo
Infecções bacterianas e micóticas crônicas ou recidivantes; micoses extensas; parasitoses
cutâneas extensas: eczemas alérgicos cronificados ou infectados; expressões cutâneas das
doenças autoimunes; manifestações das doenças alérgicas de difícil resolução; ulcerações e
edemas; cicatrizes deformantes comprometendo a estética ou função; tatuagens: se obcenas
ou ofensivas; cicatrizes inestéticas decorrente de excisão de tatuagens e “nevus” vasculares.
6) pulmões e paredes torácicas Deformidade relevante congênita ou adquirida, da caixa
torácica, função respiratória prejudicada; doenças imuno-alérgicas do trato respiratório
inferior; fístulas e fibroses pulmonar difusa; tumores malígnos e benígnos dos pulmões e
pleura.
7) sistema cardio-vascular
Anormalidades congênitas ou adquiridas; infecções e inflamações; arritmias; doenças do
pericárdio, endocárdio e da circulação intríseca do coração: anormalidade de condução e
outras detectadas no eletrocardiograma com repercussão clínica; doenças oro-valvulares;
hipertensão arterial com sintomas; hipertensão arterial com taquiesfigmia; doenças venosas
arteriais e linfáticas. O prolapso mitral sem regurgitação através da válvula mitral e sem
repercussão hemodinâmica, não é incapacitante.
8) abdome e trato intestinal Anormalidade da parede (ex: hérnia, fistulas) à inspeção ou
palpação; visceromegalias; micose profunda, história de cirurgia significativa ou ressecções
importantes; doenças hepáticas e pancreáticas; distúrbios funcionais desde que
significativos; tumores benígnos e malígnos.
9) aparelho gênito urinário Anormalidades congênitas ou adquiridas da genitária, rins e vias
urinárias; tumores; infecções e outras lesões demonstráveis no exame de urina:
criptorquidia; o testículo único não é incapacitante desde que não resulte de criptorquidia
do outro testículo; varicocele volumosas e/ou dolorosa. A hipospadia balânica não é
incapacitante. Doença sexualmente transmissível em atividade.
10) aparelho ósteo-mio-articular Doenças e anormalidades dos ossos e articulações
congênitas ou adquiridas, inflamatórias, infecciosas, neoplásticas e traumática; desvio ou
curvaturas anormais e significativas da coluna vertebral; deformidades ou qualquer
alteração na estrutura normal das mãos e pés; prótese cirúrgicas e seqüelas de cirurgia; pé
plano espástico.
11) doenças metabólicas e endócrinas Diabetes, tumores hipotalâmicos e hipofisários;
disfunção hipofisária, disfunção tiroideana sintomática; tumores da tiróide exceto cistos
insignificantes e desprovidos de potencialidade mórbida; tumores de supra-renal e sua
disfunção congênitas ou adquiridas: hipogonadismo primário ou secundário; distúrbios do
metabolismo do cálcio e fósforo, de origem endócrina; erros inatos do metabolismo,
crescimento e desenvolvimento anormais, em desacordo com a idade cronológica.
12) sangue e órgãos hematopoiéticos Alterações significativas do sangue e órgãos
hematopoiéticos. Doenças hemorrágicas.
13) doenças neuropsiquiátricas distúrbios neuromusculares; afecções neurológicas;
anormalidades congênitas ou adquiridas;
ataxias; incoordenações; tremores; paresias e paralisias; atrofias e fraquezas musculares.
Histórias de sídrome convulsiva, distúrbios da consciência, distúrbios comportamentais e
da personalidade.
14) tumores e neoplasias Qualquer tumor malígno; tumores benígnos, dependendo da
localização, repercussão funcional, potencial evolutivo ou comprometimento estético
importante. Se o perito julgar insignificante pequenos tumores benígnos (ex: cisto sebáceo,
lipoma), deverá justificar a sua conclusão.
15) condições ginecológicas
Neoplasias malígnas; cistos ovarianos não funcionais; lesões uterinas e outras
anormalidades adquiridas, exceto se insignificantes e desprovidas de potencialidade
mórbida; anormalidades congênitas; mastites específicas, tumor malígno da mama;
endometriose comprovada;
b) exames biométricos:
1) Altura 1,65m (um metro e sessenta e cinco centímetros), para homens e mulheres;
2) causas de Inabilitação
2.1) face posterior do corpo
2.1.2) rotação lateral cervical
2.1.3) Inclinação lateral cervical
2.1.4) dismetria de membros inferiores
2.1.5) escápula alada
2.1.6) escoliose acentuada
2.1.7) pé varo acentuado
2.1.8) geno varo acentuado
2.1.9) pé valgo acentuado
2.1.10) pé aduto acentuado
2.1.11) pé abduto acentuado
2.1.12) seqüela de trauma
2.2) face anterior do corpo Diário Oficial do Distrito Federal PÁGINA 66 Nº 228, quarta-
feira, 29 de novembro de 2006
2.2.1) deformidade torácica importante
2.2.2) cicatriz de cirurgia abdominal ou torácica extensa
2.2.3) seqüelas de traumas
2.2.4) lesões do globo ocular significativas
2.3) perfil do Corpo
2.3.1) hiperlordose cervical
2.3.2) cifose importante
2.3.3) tórax em barril
2.3.4) hiperlordose lombar
2.3.5) geno flexo
2.3.6) geno recurvado acentuado
2.3.7) pé plano espástico
2.3.8) pé cavo acentuado
2.4) outras restrições
2.4.1) acromegalia
2.4.2) varizes de membros inferiores de grau moderado a acentuado
2.4.3) lesões vasculares à ectoscopia, significativas
2.4.4) seqüelas neurológicas
2.4.5) amputações nos membros superiores
2.4.6) amputações nos membros inferiores
2.4.7) deformidade e rigidez articular
2.4.8) calosidade importante em pés
2.4.9) cicatrizes cirúrgicas ortopédicas recentes em membros
Obs.: O candidato deve apresentar-se para o exame biométrico com calção de banho, para
homens e biquini (maiô de duas peças) para mulheres;
c) exames complementares:
1) o candidato terá de apresentar, obrigatoriamente, os laudos dos exames médicos
complementares abaixo relacionados, com os respectivos resultados, cuja a realização e
ônus dos mesmos serão às suas custas. Serão aceitos os exames datados de, no máximo, 2
(dois) meses antes da data de realização desta etapa:
1.1) radiografia dos campos pleuro-pulmonares;
1.2) sorologia para Lues e HIV;
1.3) reação de Machado-Guerreiro;
1.4) hemograma completo, tipagem sangüínea e fator RH, e coagulograma;
1.5) parasitologia de fezes;
1.6) sumário de urina;
1.7) eletrocardiograma em repouso;
1.8) eletroencefalograma;
1.9) radiografia panorâmica das arcadas dentárias;
1.10) audiometria e impedanciometria;
1.11) sorologia para hepatite B (contendo, no mínimo, HBsAg e Anti-HBc) e hepatite C;
1.12) exame oftalmológico;
1.13) glicemia em jejum;
1.14) uréia e creatinina;
1.15) bilirrubinas;
1.16) transaminases (TGO e TGP);
1.17) raio-X de tórax (PA e perfil);
1.18) ecografia pélvica, (para homens e mulheres);
1.19) colpocitopatologia oncótica, (para candidatos do sexo feminino);
1.20) teste de gravidez BHCG sangüíneo (para candidatos do sexo feminino);
Obs.: os exames não especificados para os candidatos do sexo feminino deverão ser
realizados pelos inspecionados de ambos os sexos.
d) os testes toxicológicos (de caráter confidencial), a exemplo dos exames complementares
serão realizados às custas do candidato e, ainda, observadas as orientações a seguir
descritas:
1) deverão ser do tipo de “larga janela de detecção”, que acusam uso de substâncias
entorpecentes ilícitas causadoras de dependência química ou psíquica de qualquer natureza
e deverão apresentar resultados negativos para um período mínimo de 60 (sessenta) dias;
2) deverão ser realizados em laboratório especializado, sob supervisão da JISE do CBMDF,
a partir de amostras de materiais biológicos (cabelos ou pêlos) doados pelo candidato,
conforme procedimentos padronizados de coleta, encaminhamento do material,
recebimento dos resultados e estabelecimento de contra-prova;
3) em caso de resultado positivo para uma ou mais substâncias entorpecentes ilícitas, o
candidato será considerado inapto;
4) o resultado do exame para a detecção do uso de drogas ilícitas ficará restrito à JISE do
CBMDF, que obedecerá o que prescreve a norma referente à salvaguarda de documentos
classificados, sob pena de responsabilidade, conforme legislação vigente;
5.4.2 Nos exames complementares e nos testes toxicológicos deverão constar,
obrigatoriamente, o nome completo e o número do documento de identidade do candidato
(cadeia de custódia). A omissão dos dados implicará a não-aceitação dos respectivos
exames;
5.4.3 Quando da realização desta etapa o candidato deverá preencher uma ficha com
informações relevantes sobre seu histórico médico (de caráter confidencial), fazendo
constar as doenças préexistentes, conforme formulário que lhe será fornecido pela JISE do
CBMDF;
5.4.4 O candidato será considerado “apto” ou “inapto”;
5.4.5 O resultado desta etapa e a convocação para a quinta etapa, serão divulgados no
DODF e também pela Internet, no endereço eletrônico
http:www.cespe.unb.br/concursos/bombeiros2006.
5.5 DA QUINTA ETAPA Investigação Social e funcional
5.5.1 A Segunda Seção do Estado-Maior Geral do CBMDF (2.ª Seção do EMG/CBMDF)
verificará a idoneidade e conduta ilibada do candidato, utilizando-se de metodologia
aplicada à investigação social e funcional, de caráter eliminatório, nos termos do
regulamento próprio do CBMDF e os critérios deste edital.
5.5.2 Serão analisados os seguintes aspectos:
a) descumprimento dos deveres de assiduidade, pontualidade, discrição e urbanidade;
b) prática de ato de deslealdade às instituições legalmente constituídas;
c) descumprir obrigações legítimas;
d) prática de ato tipificado como ilícito penal ou qualquer prática atentatória à moral e aos
bons costumes;
e) práticas, no caso de servidor público ou militar, de transgressões disciplinares;
f) manifestação de desapreço às autoridades e a atos da administração pública;
g) relacionamento ou exibição em público com pessoas de notórios e desabonadores
antecedentes criminais ou morais;
h) freqüência a locais incompatíveis com o decoro da função de bombeiro militar;
i) prática de ato que possa importar em repercussão social de caráter negativo ou
comprometer a função de bombeiro militar;
j) vínculo com entidade ou organização legalmente proibida;
5.5.3 O candidato preencherá um Formulário de Investigação Social e Funcional, que será
solicitado pelo serviço de investigação do CBMDF e apresentará os documentos, por cópia,
conforme relacionados:
a) comprovante de residência;
b) cédula de identidade;
c) CPF ou CIC;
d) certidão de nascimento ou casamento;
c) comprovante de conclusão do ensino superior ou equivalente;
d) título de eleitor e comprovante de votação do último pleito ou certidão da justiça
eleitoral;
e) se do sexo masculino, prova de quitação com o Serviço Militar (Certificado de
Reservista, Certificado de Dispensa de Incorporação ou documento equivalente).
5.5.4 O candidato deverá apresentar, ainda, na mesma oportunidade, os seguintes
documentos:
a) duas fotos tamanho 5x7 recentes e coloridas;
b) certidão negativa de Débitos do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), expedida pela
entidade
competente nas Comarcas onde tenha residido nos últimos 5 (cinco) anos;
c) certidão judicial dos cartórios civil, criminal, juizado especial (civil e criminal) e
protestos de títulos das comarcas onde tenha residido nos últimos 5 (cinco) anos;
d) certidão da Justiça Federal (civil, criminal e juizados especiais) da jurisdição onde tenha
residido nos últimos 5 (cinco) anos;
e) certidão relativa aos assentamentos funcionais, expedida pelo órgão próprio, no caso de
servidor público ou militar;
f) certidão negativa de Débitos para com a Fazenda Pública Federal, Distrital, Estadual e
Municipal, do domicílio do candidato.
5.5.5 Caso se constate qualquer registro ou detecção de fatos em desfavor do candidato,
fica reservado ao CBMDF, por meio de manifestação da 2ª Seção do EMG/CBMDF, a sua
contraindicação.
5.5.6 Caso constatado algum registro relacionado aos fatores de contra-indicação ainda que
na fase dos Cursos de Habilitação para os respectivos quadros, dar-se-ão a contra-
indicação.
5.5.7 O resultado e a convocação para a sexta etapa, serão divulgados no DODF e também
pela Internet, no endereço eletrônico http:www.cespe.unb.br/concursos/bombeiros2006.
5.6 SEXTA ETAPA Avaliação de Títulos
5.6.1 A avaliação de títulos, de caráter classificatório, valerá 10,00 pontos, ainda que a
soma dos valores dos títulos apresentados seja superior a esse valor.
5.6.2 Somente serão aceitos os títulos abaixo relacionados, expedidos até a data da entrega,
observados os limites de pontos dos quadros a seguir.
5.6.2.1 QOBM/S
ATRIBUIÇÃO DE PONTOS PARA A AVALIAÇÃO DE TÍTULOS:
ALÍNEA: A; TÍTULOS: Diploma, devidamente registrado, de conclusão de doutorado ou
certificado/ declaração de conclusão de doutorado, acompanhado do histórico do curso, na
especialidade pretendida pelo candidato; VALOR DE CADA TÍTULO: 2,00; VALOR
MÁXIMO DOS TÍTULOS:2,00. ALINEA: B; TÍTULOS: Diploma, devidamente
registrado, de conclusão de doutorado ou certificado/declaração de conclusão de doutorado,
acompanhado do histórico do curso, em outra área da Medicina ou de Odontologia.
VALOR DE CADA TÍTULO: 1,75; VALOR MÁXIMO DOS TÍTULOS: 1,75; ALÍNEA:
C; TÍTULO: Diploma, devidamente registrado,
de conclusão de mestrado ou certificado/declaração de conclusão de mestrado,
acompanhado do histórico do curso, na especialidade pretendida pelo candidato; VALOR
DE CADA TÍTULO: 1,50; VALOR MÁXIMO DOS TÍTULOS: 1,50; ALINEA: D;
TÍTULO: Diploma, devidamente registrado, de conclusão de mestrado ou
certificado/declaração de conclusão de mestrado, acompanhado do histórico do curso, em
outra área da Medicina ou de Odontologia; VALOR DE CADA TÍTULO: 0,75; VALOR
MÁXIMO DOS TÍTULOS: 0,75; ALINEA: E; TÍTULO: PÁGINA 67 Nº 228, quarta-feira,
29 de novembro de 2006 Diário Oficial do Distrito Federal Certificado de conclusão de
curso de pós-graduação, em nível de especialização, ou declaração de
conclusão de curso acompanhada de histórico escolar, na área específica a que concorre,
com carga horária mínima de 360 horas; VALOR DE CADA TÍTULO: 0,50; VALOR
MÁXIMO DOS TÍTULOS: 1,00; ALINEA: F; TITULOS: Certificado de conclusão de
curso de pós-graduação, em nível de especialização, ou declaração de conclusão de curso
acompanhada de histórico escolar, em Auditoria Hospitalar, Perícia Médica ou
Administração Hospitalar, com carga horária mínima de 360 horas; VALOR DE CADA
TITULO: 0,25; VALOR MÁXIMO DOS TÍTULOS:
0,50; ALINEA: G; TÍTULO: Docência na especialidade pretendida, não inferior a 2 (dois)
semestres ou 01 (um) ano letivo, comprovada mediante apresentação de documento da
instituição de ensino ou outro idôneo, que o ateste; VALOR DE CADA TÍTULO:0,50 por
ano completo; VALOR MÁXIMO DOS TÍTULOS: 2,00; ALINEA: H; TÍTULOS:
Trabalhos alusivos à especialidade pretendida: livros, monografias, dissertações e teses
acadêmicas defendidas, comprovados pela cópia da capa ou folha de rosto ou outra, que
especifique a autoria, o título da obra ou trabalho acadêmico; ou documento da instituição
de ensino onde o trabalho foi defendido; VALOR DE CADA TÍTULO: 0,15; VALOR
MÁXIMO DOS TÍTULOS: 0,30; ALINEA: I; TÍTULOS: Aprovação em concurso para
cargo privativo da especialidade pretendida; VALOR DE CADA TÍTULO: 0,10; VALOR
MÁXIMO DOS TÍTULOS: 0,20. TOTAL: MÁXIMO DE PONTOS: 10,00.
5.6.2.2 QOBM/Compl.
ATRIBUIÇÃO DE PONTOS PARA A AVALIAÇÃO DE TÍTULOS:
ALINEA: A; TÍTULOS: Diploma, devidamente registrado, de conclusão de doutorado ou
certificado/ declaração de conclusão de doutorado, acompanhado do histórico do curso, em
qualquer área; VALOR DE CADA TÍTULO: 2,00; VALOR MÁXIMO DOS TÍTULOS:
2,00; ALINEA:
B; TITULOS: Diploma, devidamente registrado, de conclusão de doutorado ou
certificado/declaração de conclusão de doutorado, acompanhado do histórico do curso, em
qualquer área; VALOR DE CADA TÍTULO: 1,75; VALOR MÁXIMO DOS TÍTULOS:
1,75; ALINEA: C; TÍTULOS: Certificado de conclusão de curso de pós-graduação, em
nível de especialização, ou declaração de
conclusão de curso acompanhada de histórico escolar, com carga horária mínima de 360
horas, em qualquer área; VALOR DE CADA TÍTULO: 1,50; VALOR MÁXIMO DOS
TÍTULOS: 1,50; ALINEA: D; TÍTUTOS: Diploma, devidamente registrado, de conclusão
de mestrado ou certificado/ declaração de conclusão de mestrado, acompanhado do
histórico do curso, em outra área; VALOR DE CADA TÍTULO: 0,75; VALOR MÁXIMO
DOS TÍTULOS: 0,75; ALINEA: E; TÍTULOS: Certificado de conclusão de curso de pós-
graduação, em nível de especialização, ou declaração de conclusão de curso acompanhada
de histórico escolar, na área específica a que concorre, com carga horária mínima de 360
horas; VALOR DE CADA TÍTULO: 0,50; VALOR MÁXIMO DOS TÍTULOS: 1,00;
ALINEA: F; TÍTULOS: Certificado de conclusão de curso de pós-graduação, em nível de
especialização, ou declaração de conclusão de curso acompanhada de
histórico escolar, em outra área, com carga horária mínima de 360 horas; VALOR DE
CADA TÍTULO: 0,25; VALOR MÁXIMO DOS TÍTULOS: 0,50; ALINEA: G;
TÍTULOS: Docência na especialidade pretendida, não inferior a 2 (dois) semestres ou 01
(um) ano letivo, comprovada mediante apresentação de documento da instituição de ensino
ou outro idôneo, que o ateste; VALOR DE CADA TÍTULO: 0,50 por ano completo;
VALOR MÁXIMO DOS TÍTULOS: 2,00; ALINEA: H, TÍTULOS: Trabalhos alusivos à
especialidade pretendida: livros, monografias, dissertações e teses acadêmicas defendidas,
comprovados pela cópia da capa ou folha de rosto ou outra, que especifique a autoria, o
título da obra ou trabalho acadêmico; ou documento
da instituição de ensino onde o trabalho foi defendido; VALOR DE CADA TÍTULOS:
0,15; VALOR MÁXIMO DOS TÍTULOS: 0,30; ALINEA: I, TÍTULOS: Aprovação em
concurso para cargo privativo da especialidade pretendida; VALOR DE CADA TÍTULO:
0,10; VALOR MÁXIMO DOS TÍTULOS: 0,20. TOTAL: MÁXIMO DE PONTOS: 10,00
5.6.2.3 QOBM/Cpl. ATRIBUIÇÃO DE PONTOS PARA A AVALIAÇÃO DE TÍTULOS
ALINEA: A: TÍTULOS: Diploma, devidamente registrado, de conclusão de doutorado ou
certificado/ declaração de conclusão de doutorado, acompanhado do histórico do curso, em
qualquer área; VALOR DE CADA TÍTULO: 2,25; VALOR MÁXIMO DOS TÍTULOS:
2,25; ALINEA: B; TÍTULOS: Diploma, devidamente registrado, de conclusão de mestrado
ou certificado/declaração de conclusão de mestrado, acompanhado do histórico do curso,
em qualquer área; VALOR DE CADA TÍTULO: 1,75; VALOR MÁXIMO DOS
TÍTULOS: 1,75; ALINEA: C; TÍTULOS: Certificado de conclusão de curso de pós-
graduação, em nível de especialização, ou declaração de conclusão de curso acompanhada
de histórico escolar, com carga horária mínima de 360 horas, em
qualquer área; VALOR DE CADA TÍTULO: 1,50; VALOR MÁXIMO DOS TÍTULOS:
1,50; ALINEA: D; TÍTULOS: Diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de
graduação de bacharelado em Psicologia, Sociologia, Assistência Social ou Filosofia;
VALOR DE CADA TÍTULO: 0,75; VALOR MÁXIMO DOS TITULOS: 1,50; ALINEA:
E; TÌTULOS: Diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação de
bacharelado em outra área; VALOR DE CADA TÍTULO: 0,50; VALOR MÁXIMO DOS
TÍTULOS: 1,00; ALINEA: F; TÍTULOS: Exercício de atividades eclesiásticas (mínimo de
dois anos); VALOR DE CADA TÍTULO: 0,30 por ano completo; VALOR MÁXIMO
DOS TÍTULOS: 1,50; ALINEA: G; TÍTULOS: Trabalhos alusivos à atividade eclesiástica
pretendida: livros, monografias, dissertações e teses acadêmicas defendidas, comprovados
pela cópia da capa ou folha de rosto ou outra, que especifique a autoria, o título da obra ou
trabalho acadêmico; ou documento da instituição de ensino onde o trabalho foi defendido;
VALOR DE CADA TÍTULO: 0,25; VALOR MÁXIMO DOS TÍTULOS: 0,50. TOTAL:
MÁXIMO DE PONTOS: 10,00.
5.6.3 Receberá nota zero o candidato que não entregar os títulos na forma, no prazo e no
local estipulados no edital de convocação para a avaliação de títulos.
5.6.3.1 Não serão aceitos títulos encaminhados via postal, via fax e/ou via correio
eletrônico.
5.6.4 No ato de entrega de títulos, o candidato deverá preencher e assinar o formulário a ser
fornecido pelo CESPE/UnB, no qual indicará a quantidade de títulos apresentados.
Juntamente com esse formulário deve ser apresentada uma cópia, autenticada em cartório,
de cada título declarado. As cópias apresentadas não serão devolvidas em hipótese alguma.
5.6.4.1 Não serão recebidos documentos originais.
5.6.5 Não serão consideradas, para efeito de pontuação, as cópias não-autenticadas em
cartório.
5.6.6 Na impossibilidade de comparecimento do candidato, serão aceitos os títulos
entregues por procurador, mediante apresentação de documento de identidade original do
procurador e de procuração simples do interessado, acompanhada de cópia legível de
documento de identidade do candidato.
5.6.6.1 Serão de inteira responsabilidade do candidato as informações prestadas por seu
procurador no ato de entrega dos títulos, bem como a entrega dos títulos na data prevista
neste edital, arcando o candidato com as conseqüências de eventuais erros de seu
representante.
5.6.7 DOS DOCUMENTOS NECESSÁRIOS À COMPROVAÇÃO DO TÍTULO
5.6.7.1 Para comprovação de conclusão de curso de pós-graduação em nível de mestrado ou
doutorado será aceito o diploma, devidamente registrado, expedido por instituição
reconhecida pelo MEC, ou certificado de conclusão de curso, expedido por instituição
reconhecida pelo MEC, acompanhado do histórico escolar do candidato, no qual conste o
número de créditos obtidos, as disciplinas em que foi aprovado e as respectivas menções, o
resultado dos exames e do julgamento da dissertação ou tese.
5.6.7.1.1 Para curso de doutorado ou mestrado concluído no exterior, será aceito apenas o
diploma, desde que revalidados por instituição de ensino superior no Brasil.
5.6.7.1.2 Outros comprovantes de conclusão de curso ou disciplina não serão aceitos como
os títulos relacionados nas alíneas A, B, C e D dos quadros dos subitens 5.6.2.1 e 5.6.2.2 e
nas alíneas A e B do quadro de títulos do subitem 5.6.2.3.
5.6.7.1.3 Para receber a pontuação relativa ao título relacionado nas alíneas E e F dos
quadros dos subitens 5.6.2.1 e 5.6.2.2 e na alínea C do quadro de títulos do subitem 5.6.2.3,
o candidato deverá comprovar, por meio de certificado, que o curso de especialização foi
realizado de acordo com as normas do Conselho Nacional de Educação (Resolução
CNE/CES n.º 1, de 3 de abril de 2001). 5.6.7.1.3.1 Caso o certificado não comprove que o
curso de especialização foi realizado de acordo com o solicitado no subitem anterior,
deverá ser anexada declaração da instituição, atestando que o curso atende às normas do
CNE.
5.6.7.1.3.2 Não receberá pontuação nas alíneas E e F dos quadros dos subitens 5.6.2.1 e
5.6.2.2 e na alínea C do quadro de títulos do subitem 5.6.2.3 o candidato que apresentar
certificado que não comprove que o curso foi realizado de acordo com as normas do CNE
sem a declaração da instituição referida no subitem5.6.7.2.3.1.
5.6.7.1.3.3 Para receber a pontuação relativa ao título relacionado nas alíneas E e F dos
quadros
dos subitens 5.6.2.1 e 5.6.2.2 e na alínea C do quadro de títulos do subitem 5.6.2.3, serão
aceitos
somente os certificados/declarações em que constem a carga horária.
5.6.7.2 Para receber a pontuação relativa ao título relacionado nas alíneas D e E do quadro
de
títulos do subitem 5.6.2.3, o candidato deverá entregar diploma, devidamente registrado no
MEC, excetuando-se o diploma exigido como requisito.
5.6.7.3 Para receber a pontuação relativa aos títulos relacionados na alínea G dos quadros
dos subitens 5.6.2.1 e 5.6.2.2, o candidato deverá atender a uma das seguintes opções:
a) cópia da Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS), parte que identifica o
candidato e o contrato de trabalho, acrescida de declaração que informe o período (com
início e fim, se for o
caso) e a espécie do serviço realizado, com a descrição das atividades desenvolvidas, se
realizado
na área privada, acompanhada do diploma de graduação na especialidade pretendida;
b) certidão que informe o período (com início e fim, se for o caso) e a espécie do serviço
realizado, com a descrição das atividades desenvolvidas, se realizado na área pública,
acompanhada do diploma de graduação na especialidade pretendida;
c) contrato de prestação de serviços ou recibo de pagamento de autônomo (RPA) acrescido
de declaração que informe o período (com início e fim, se for o caso) e a espécie do serviço
realizado, no caso de serviço prestado como autônomo, acompanhada do diploma de
graduação na especialidade pretendida.
5.6.7.3.1 A declaração e a certidão mencionadas na OPÇÃO “b” do subitem anterior
deverão ser emitidas por órgão de pessoal ou de recursos humanos. Não havendo órgão de
pessoal ou de recursos humanos, a autoridade responsável pela emissão do documento
deverá declarar/certificar também essa inexistência.
5.6.7.3.2 A declaração mencionada na OPÇÃO “c” do subitem 5.6.7.3 deste edital deverá
ser emitida pelo contratante.
5.6.7.4 Para receber a pontuação relativa ao título relacionado na alínea F do quadro de
títulos do subitem 5.6.2.3, o candidato deverá apresentar declaração da autoridade
eclesiástica competente, em que conste o período de início e com fim, se for o caso, da
atividade realizada
5.6.7.5 Para efeito de pontuação da alínea G dos quadros dos subitens 5.6.2.1 e 5.6.2.2 e na
alínea F do quadro de títulos do subitem 5.6.2.3, não será considerada fração de ano nem
sobreposição de tempo.
5.6.7.6 Não será computado, como experiência profissional, o tempo de estágio, de
monitoria ou de bolsa de estudo. Diário Oficial do Distrito Federal PÁGINA 68 Nº 228,
quarta-feira, 29 de novembro de 2006
5.6.7.7 Para efeito de pontuação da alínea G dos quadros dos subitens 5.6.2.1 e 5.6.2.2 e na
alínea F do quadro de títulos do subitem 5.6.2.3, somente será considerada a experiência
após a conclusão do curso de nível superior.
5.6.7.8 Para efeito de pontuação da alínea H dos quadros dos subitens 5.6.2.1 e 5.6.2.2 e na
alínea G do quadro de títulos do subitem 5.6.2.3, o candidato poderá entregar original ou
cópia legível da publicação e do livro, com autenticação nas páginas em que conste a
autoria, como também comprovar registro no ISBN.
5.6.7.8.1 Obras publicadas sem o nome do candidato deverão ser acompanhadas de
declaração do editor, emitida por seu dirigente, que informe a sua autoria.
5.6.7.9 A comprovação de aprovação em concurso público deverá ser feita por meio de
apresentação de certidão expedida por setor de pessoal do órgão, ou certificado do órgão
executor do certame, em que constem as seguintes informações:
a) cargo concorrido;
b) requisito do cargo, especialmente a escolaridade;
c) aprovação e/ou classificação.
5.6.7.9.1 Para comprovar a aprovação em concurso público, o candidato poderá, ainda,
apresentar cópia da publicação de resultado final de concurso, em Diário Oficial, constando
o cargo, o requisito do cargo, a escolaridade exigida e a aprovação e/ou a classificação, com
identificação clara do candidato.
5.6.7.9.2 Não será considerado concurso público a seleção constituída apenas de prova de
títulos e/ou de análise de currículos e/ou de provas práticas e/ou testes psicotécnicos e/ou
entrevistas.
5.6.7.10 Todo documento expedido em língua estrangeira somente será considerado se
apresentado com tradução para a Língua Portuguesa por tradutor juramentado.
5.6.8 Cada título será considerado uma única vez.
5.6.9 Os pontos que excederem o valor máximo em cada alínea dos Quadros de Atribuição
de Pontos para a Avaliação de Títulos, bem como os que excederem os limites de pontos
estipulados no subitem 5.6.1 serão desconsiderados.
6 DOS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO
6.1 PROVAS OBJETIVAS
6.1.1 Todos os candidatos terão suas provas objetivas corrigidas por meio de
processamento eletrônico.
6.1.2 A nota em cada item das provas objetivas, feita com base nas marcações da folha de
respostas, será igual a: 1,00 ponto, caso a resposta do candidato esteja em concordância
com o gabarito oficial definitivo da prova; 1,00 ponto, caso a resposta do candidato esteja
em discordância com o gabarito oficial definitivo da prova; 0,00, caso não haja marcação
ou caso haja marcação dupla (C e E).
6.1.3 O cálculo da pontuação em cada prova objetiva, comum a todos os candidatos, será
igual à soma algébrica das notas obtidas em todos os itens que a compõem.
6.1.4 Será reprovado nas provas objetivas e automaticamente eliminado do concurso o
candidato que se enquadrar em pelo menos um dos itens a seguir:
a) obtiver nota menor que 10,00 pontos na prova objetiva de Conhecimentos Básicos (P1);
b) obtiver nota menor que 21,00 pontos na prova objetiva de Conhecimentos Específicos
(P2);
c) obtiver nota menor que 36,00 pontos na soma algébrica de todas as provas objetivas.
6.1.5 O candidato eliminado na forma do subitem 6.5.4 deste edital não terá classificação
alguma no concurso.
6.1.5.1 Os candidatos não eliminados na forma do subitem 6.5.5 serão ordenados por
quadro/ especialidade, de acordo com os valores decrescentes da nota final nas provas
objetivas (NFPO), que será igual à soma algébrica das notas obtidas em todas as provas
objetivas.
6.2 Com base na lista organizada na forma do subitem anterior e respeitados os empates,
serão convocados para a segunda etapa EAF os candidatos aprovados nas provas
objetivas, conforme discriminação a seguir:
I QOBM/S:
a) naquelas especialidades em que o número de vaga é igual a 1 (um), serão convocados 8
(oito) candidatos;
b) naquelas especialidades em que o número de vagas é igual a 2 (duas), serão convocados
16 (dezesseis) candidatos;
c) naquelas especialidades em que o número de vagas é igual a 3 (três), serão convocados
24 (vinte e quatro) candidatos;
II QOBM/Compl. e QOBM/Cpl:
a) naquelas especialidades em que o número de vaga é igual a 1 (um), serão convocados 5
(cinco) candidatos;
b) naquelas especialidades em que o número de vagas é igual ou maior que 2 (duas), serão
convocados o triplo do número de vagas;
6.2.1 Os candidatos não convocados para a segunda etapa EAF na forma do subitem
anterior, que não comparecerem ao EAF ou forem considerados inaptos serão eliminados e
não terão classificação alguma no concurso.
6.3 Serão convocados para a terceira etapa avaliação psicológica os candidatos
considerados aptos na segunda etapa EAF.
6.3.1 Os candidatos não convocados para a terceira etapa avaliação psicológica, que não
comparecerem à avaliação ou forem considerados não-recomendados serão eliminados e
não terão classificação alguma no concurso.
6.4 Serão convocados para a quarta etapa inspeção médica os candidatos considerados
recomendados na terceira etapa avaliação psicológica.
6.4.1 Os candidatos não convocados para a quarta etapa inspeção médica, que não
comparecerem à inspeção ou forem considerados inaptos serão eliminados e não terão
classificação alguma no concurso.
6.5 Serão convocados para a quinta etapa investigação social e funcional os candidatos
considerados aptos na quarta etapa inspeção médica.
6.5.1 Os candidatos não convocados para a quinta etapa investigação social e funcional
ou que forem considerados contra-indicados serão eliminados e não terão classificação
alguma no concurso.
6.6 Serão convocados para a sexta etapa avaliação de títulos os candidatos considerados
indicados na quinta etapa investigação social e funcional.
6.6.1 Os candidatos não convocados para a sexta etapa avaliação de títulos serão
eliminados e não terão classificação alguma no concurso.
7 DA NOTA FINAL NO CONCURSO
7.1 A nota final no concurso será a soma das notas finais obtidas na prova objetiva e da
pontuação obtida na avaliação de títulos.
7.2 Os candidatos serão ordenados por quadro/especialidade de acordo com os valores
decrescentes das notas finais no concurso.
8 DOS CRITÉRIOS DE DESEMPATE
8.1 Em caso de empate na nota final no concurso, terá preferência o candidato que, na
seguinte ordem:
a) for mais velho;
b) obtiver maior nota na prova objetiva de Conhecimentos Específicos (P2);
c) obtiver o maior número de acertos na prova objetiva de Conhecimentos Específicos (P2);
d) obtiver o maior número de acertos na prova objetiva de Conhecimentos Básicos (P1);
e) obtiver maior pontuação na avaliação de títulos.
9 DOS RECURSOS
9.1 Os gabaritos oficiais preliminares das provas objetivas serão divulgados na Internet, no
endereço eletrônico http://www.cespe.unb.br/concursos/bombeiros2006, em data a ser
determinada no caderno de provas.
9.2 O candidato que desejar interpor recursos contra os gabaritos oficiais preliminares das
provas objetivas disporá de cinco dias úteis para fazê-lo, a contar do dia subseqüente ao da
divulgação desses gabaritos, no horário das 9 horas do primeiro dia às 18 horas do último
dia, ininterruptamente, conforme datas determinadas nos gabaritos oficiais preliminares.
9.3 Para recorrer contra os gabaritos oficiais preliminares das provas objetivas, o candidato
deverá utilizar o Sistema Eletrônico de Interposição de Recurso, no endereço eletrônico
http:// www.cespe.unb.br/concursos/bombeiros2006, e seguir as instruções ali contidas.
9.4 O candidato deverá ser claro, consistente e objetivo em seu pleito. Recurso
inconsistente ou intempestivo será preliminarmente indeferido.
9.5 O recurso não poderá conter, em outro local que não o apropriado, qualquer palavra ou
marca que o identifique, sob pena de ser preliminarmente indeferido.
9.6 Se do exame de recursos resultar anulação de item integrante de prova, a pontuação
correspondente a esse item será atribuída a todos os candidatos, independentemente de
terem recorrido.
9.7 Se houver alteração, por força de impugnações, de gabarito oficial preliminar de item
integrante de prova, essa alteração valerá para todos os candidatos, independentemente de
terem recorrido.
9.8 Todos os recursos serão analisados e as justificativas das alterações de gabarito serão
divulgadas no endereço eletrônico http://www.cespe.unb.br/concursos/bombeiros2006
quando da divulgação do gabarito definitivo. Não serão encaminhadas respostas individuais
aos candidatos.
9.9 Não será aceito recurso via postal, via fax, via correio eletrônico ou, ainda, fora do
prazo.
9.10 Em nenhuma hipótese serão aceitos pedidos de revisão de recursos ou recurso de
gabarito oficial definitivo, bem como contra o resultado final nas demais etapas.
9.11 Recursos cujo teor desrespeite a banca serão preliminarmente indeferidos.
9.12 A forma e o prazo para a interposição de recursos contra os resultados provisórios da
segunda, terceira, quarta e sexta etapas serão disciplinados nos respectivos editais de
resultado provisório.
9.13 Os recursos interpostos contra o resultado provisório da quinta etapa deverão ser
entregues na Diretoria de Pessoal do CBMDF, via Protocolo-Geral, localizada no Setor de
Administrações Municipais (SAM), lote D, módulo E, Quartel do Comando Geral - Palácio
Imperador D. Pedro II, Brasília/DF.
9.13.1 A forma e o prazo para a interposição de recursos de que trata o subitem anterior
será de acordo com o anexo “A”, deste edital.
10 DO RESULTADO FINAL
10.1 A listagem de classificação final dos candidatos aprovados no concurso será publicada
no DODF e estará disponível na Internet, no endereço eletrônico
http/www.cespe.unb.gov.br/concursos/ bombeiros2006.
10.2 O resultado final do certame será homologado pelo Comandante-Geral do CBMDF e
publicado no DODF após o julgamento dos recursos na forma do item 9 deste edital.
10.3 A investidura ou nomeação obedecerá a rigorosa ordem de classificação. O
remanescente do provimento imediato constituirá o cadastro de reserva.
10.4 Especificamente para o QOBM/Cpl., serão obedecidos os critérios a seguir:
a) no caso de vacância da função de atividade eclesiástica ocupado por Padre Católico
Apostólico Romano, convocar-se-á o remanescente desta atividade, cumprido o disposto no
subitem 10.3;
b) no caso de vacância da função de atividade eclesiástica ocupado por Pastor Evangélico,
convoPÁGINA 69 Nº 228, quarta-feira, 29 de novembro de 2006 Diário Oficial do
Distrito Federal car-se-á o remanescente desta atividade, cumprido o disposto no subitem
10.3.
11 DAS EXIGÊNCIAS PARA O PROVIMENTO NOMEAÇÃO NOS CARGOS
EFETIVOS DOS QUADROS
11.1 Na data prevista de convocação para o provimento-nomeação no CBMDF, o candidato
aprovado no concurso e classificado dentro do número de vagas ofertadas no seu respectivo
quadro deverá apresentar e entregar os seguintes documentos:
I cópias autenticadas dos diplomas de graduação, títulos de especialização, certificados ou
declarações de conclusão de cursos de especialização, em estabelecimento de ensino oficial
ou reconhecido, na área objeto do concurso a que se referir a inscrição;
II cópia autenticada do registro no conselho de classe respectivo (órgão regulamentador
do exercício profissional), salvo para a área jurídica;
III cópia autenticada da cédula de identidade civil;
IV cópia autenticada do cartão do cadastro de pessoa física (CPF);
V cópia autenticada do título de eleitor, com o respectivo comprovante de votação ou
justificativa de falta, referente à última eleição que anteceder a data de nomeação realizada
dentro de sua Zona Eleitoral, fornecido pela Justiça Eleitoral. O comprovante poderá ser
substituído por uma declaração da Justiça Eleitoral, confirmando que o candidato está em
dia com as suas obrigações eleitorais;
VI se candidato do sexo masculino: apresentar comprovante original de quitação com o
Serviço Militar;
VII certidões negativas da Justiça Criminal do Tribunal Regional Federal, do Tribunal de
Justiça do Estado, da Auditoria da Justiça Militar da União e da Auditoria da Justiça Militar
Estadual;
VIII se militar da ativa:
a) para praças: apresentar as folhas de alterações ou certidão de assentamentos militares
relativas ao período de serviço militar, onde deverá constar, obrigatoriamente, a
classificação do seu comportamento por ocasião do seu licenciamento; ou declaração da
última OM a que serviu informando que, ao ser licenciado estava classificado, no mínimo,
no comportamento “BOM”;
b) para oficiais: apresentar parecer favorável do seu último Comandante;
IX declaração de “nada consta” do respectivo Conselho Regional (órgão controlador do
exercício profissional);
X duas fotografias 3x4, coloridas, com fundo claro, recentes, devendo o candidato estar
de frente, sem cobertura e sem óculos;
XI cópia autenticada de certidão de nascimento ou casamento;
XII cópia autenticada da Carteira Nacional de Habilitação, no mínimo, categoria “B”;
XIII declaração de bens, firmada pelo candidato;
XIV declaração de não-acumulação de cargo público ou emprego, firmada pelo
candidato;
XV exigências particulares:
a) área médica diploma de residência, na área objeto do concurso a que se referir a
inscrição;
b) área de direito comprovantes que atestem o exercício de, no mínimo, 2 (dois) anos de
atividade jurídica, assim entendida aquela exercida com exclusividade por bacharel em
Direito, bem como o exercício de cargos, empregos ou funções, inclusive de magistério
superior, que exijam a utilização preponderante de conhecimento jurídico, vedada a
contagem do estágio acadêmico ou qualquer outra atividade anterior à colação de grau,
sendo considerados documentos idôneos para a aludida comprovação:
1) para o exercício da advocacia, sem contar o estágio, não bastando a mera inscrição na
Ordem dos Advogados do Brasil, certidões expedidas por cartórios ou secretarias judiciais,
mencionando a participação anual mínima em 5 (cinco) feitos ou atos privativos de
advogado; ou por órgão público em que fora exercida a função privativa do seu ofício,
indicando os atos praticados;
2) para os cargos públicos ocupados privativamente por bacharéis em direito, certidão do
setor competente que comprove essa qualidade;
3) para os cargos, empregos ou funções não privativos do bacharel em Direito, certidão
circunstanciada, expedida pelo órgão competente, indicando as respectivas atribuições
exercidas e a prática reiterada de atos que exijam a utilização preponderante de
conhecimento jurídico;
c) área eclesiástica comprovação de no mínimo 2 (dois) anos de atividade eclesiástica
como padre ou pastor, comprovada por documento expedido por autoridade eclesiástica.
Diploma de graduação em teologia e receber conceito favorável atestado por dois Capelães
militares, Oficiais Superiores das forças armadas, de Corpos de Bombeiros Militares ou de
Polícia Militar.
11.2 Não será aceito o ingresso do candidato que:
I possuir certificado de isenção do Serviço Militar por incapacidade física ou moral;
II não atender a qualquer um dos requisitos estabelecidos neste edital ou deixar de
apresentar qualquer um dos documentos exigidos;
III a inexatidão de afirmativa ou irregularidade de documentação, ainda que verificada
posteriormente, desqualificará o candidato;
IV perderá o direito à nomeação o candidato que não se apresentar na Diretoria de
Pessoal, na data de convocação para a entrega dos documentos e demais procedimentos,
ocasião em que o Diretor de Pessoal providenciará sua substituição pelo remanescente
(cadastro de reserva), obedecendo- se rigorosamente a ordem de classificação.
12 DO INGRESSO E DA MATRÍCULA NO CURSO DE HABILITAÇÃO PARA
OFICIAIS BOMBEIROS MILITARES DOS QUADROS
12.1 O candidato voluntário que satisfizer as condições estabelecidas neste edital terá
ingresso no CBMDF e será matriculado no respectivo curso de habilitação.
12.2 O ingresso será conferido mediante ato do Governador do Distrito Federal, com a
nomeação do concursado no Posto:
I de 1.º Tenente (Estagiário), para o Quadro de Oficiais Bombeiros Militares de Saúde
(QOBM/ S) e para o Quadro de Oficiais Bombeiros Militares Capelães (QOBM/Cpl.),
conforme as especialidades estabelecidas no concurso;
II de 2.º Tenente (Estagiário), para o Quadro de Oficiais Bombeiros Militares
Complementares (QOBM/Compl.), conforme as especialidades estabelecidas no concurso;
12.3 Os cursos de habilitação terão a duração de 6 (seis) meses, divididos em períodos de
adaptação administrativa e operacional, com regime, conteúdo e carga horária definidos
pela Diretoria de Ensino e Instrução da Corporação, devendo, o Oficial-Estagiário sujeitar-
se ao regime escolar e as demais exigências previstas nos currículos.
12.4 O Estagiário que não se adequar às normas do curso de habilitação e solicitar a sua
exclusão ou não obtiver aproveitamento satisfatório será desligado e, conseqüentemente,
demitido da Corporação.
12.5 Ao término do curso, o estagiário que obtiver aproveitamento (aprovação) será,
mediante portaria do Comandante-Geral do CBMDF, efetivado no Posto do respectivo
quadro, deixando, então, a condição de estagiário.
13 DAS DISPOSIÇÕES FINAIS
13.1 A inscrição do candidato implicará a aceitação das normas para o concurso contidas
nos comunicados, neste edital e em outros a serem publicados.
13.2 É de inteira responsabilidade do candidato acompanhar a publicação de todos os atos,
editais e comunicados referentes a este concurso no Diário Oficial do Distrito Federal e
divulgados na Internet, no endereço eletrônico
http://www.cespe.unb.br/concursos/bombeiros2006.
13.3 O candidato poderá obter informações ao concurso na Central de Atendimento do
CESPE/ UnB, localizada no Campus Universitário Darcy Ribeiro, Instituto Central de
Ciências (ICC), ala norte, mezanino Asa Norte, Brasília/DF, por meio do telefone (61)
3448 0100, ou via Internet, no endereço eletrônico
http://www.cespe.unb.br/concursos/bombeiros2006, ressalvado o disposto no subitem 13.5
deste edital.
13.4 O candidato que desejar relatar ao CESPE/UnB fatos ocorridos durante a realização do
concurso deverá fazê-lo à Central de Atendimento do CESPE/UnB, postar correspondência
para a Caixa Postal 4488, CEP 70904-970; encaminhar mensagem pelo fax de número (61)
3448 0110; ou enviá-la para o endereço eletrônico sac@cespe.unb.br.
13.5 Não serão dadas, por telefone, informações a respeito de datas, locais e horários de
realização das provas. O candidato deverá observar rigorosamente os editais e os
comunicados a serem publicados.
13.6 O candidato deverá comparecer ao local designado para a realização das provas com
antecedência mínima de uma hora do horário fixado para o seu início, munido de caneta
esferográfica de tinta preta, fabricada em material transparente, do comprovante de
inscrição e do documento de identidade original. Não será permitido o uso de lápis,
lapiseira e/ou borracha durante a realização das provas.
13.7 Serão considerados documentos de identificação: carteiras expedidas pelos Comandos
Militares (Marinha do Brasil, Exército Brasileiro e Força Aérea Brasileira), pelos Institutos
de Identificação das Secretarias de Segurança Pública, Corpos de Bombeiros Militares,
Policias Militares, carteiras expedidas pelos órgãos fiscalizadores de exercício profissional
(ordens, conselhos etc.); passaporte brasileiro; certificado de reservista; carteiras funcionais
do Ministério Público; carteiras funcionais expedidas por órgão público que, por lei federal,
valham como identidade; carteira de trabalho; carteira nacional de habilitação (somente o
modelo aprovado pelo artigo 159 da Lei n.º 9.503, de 23 de setembro de 1997).
13.7.1 Não serão aceitos como documentos de identificação: certidões de nascimento, CPF,
títulos eleitorais, carteiras de motorista (modelo antigo), carteiras de estudante, carteiras
funcionais sem valor de identidade, nem documentos ilegíveis, não-identificáveis e/ou
danificados.
13.7.2 Não será aceita cópia do documento de identidade, ainda que autenticada, nem
protocolo do documento.
13.7.3 Por ocasião da realização das provas, o candidato que não apresentar documento de
identificação original, na forma definida no subitem 13.7 deste edital, não poderá fazer as
provas e será automaticamente eliminado do concurso.
13.7.4 Caso o candidato esteja impossibilitado de apresentar, no dia de realização das
provas, documento de identidade original, por motivo de perda, roubo ou furto, deverá ser
apresentado documento que ateste o registro da ocorrência em órgão policial, expedido há,
no máximo, noventa dias, ocasião em que será submetido à identificação especial,
compreendendo coleta de dados, de assinaturas e de impressão digital em formulário
próprio.
13.8 A identificação especial será exigida, também, ao candidato cujo documento de
identificação apresente dúvidas relativas à fisionomia ou à assinatura do portador.
13.9 Para a segurança dos candidatos e a garantia da lisura do certame, o CESPE/UnB
poderá proceder, como forma de identificação, à coleta da impressão digital de todos os
candidatos no dia de realização das provas.
13.10 Não serão aplicadas provas em local, data ou horário diferentes dos predeterminados
em edital ou em comunicado.
13.11 Não será admitido ingresso de candidato no local de realização das provas após o
horário fixado para o seu início.
13.12 O candidato deverá permanecer obrigatoriamente no local de realização das provas
por, no mínimo, uma hora após o início das provas.
13.12.1 A inobservância do subitem anterior acarretará a não-correção das provas e,
conseqüen Diário Oficial do Distrito Federal PÁGINA 70 Nº 228, quarta-feira, 29 de
novembro de 2006 temente, a eliminação do candidato no concurso.
13.13 O CESPE/UnB manterá um marcador de tempo em cada sala de provas para fins de
acompanhamento pelos candidatos.
13.14 O candidato que se retirar do ambiente de provas não poderá retornar em hipótese
alguma.
13.15 O candidato somente poderá retirar-se do local de realização das provas levando o
caderno de provas no decurso dos últimos quinze minutos anteriores ao horário
determinado para o término das provas.
13.16 Não haverá, por qualquer motivo, prorrogação do tempo previsto para a aplicação das
provas em razão do afastamento de candidato da sala de provas.
13.17 Não haverá segunda chamada para a realização das provas. O não-comparecimento a
estas implicará a eliminação automática do candidato.
13.18 Não será permitida, durante a realização das provas, a comunicação entre os
candidatos nem a utilização de máquinas calculadoras ou similares, livros, anotações,
réguas de cálculo, impressos ou qualquer outro material de consulta, inclusive códigos ou
legislação.
13.19 Será eliminado do concurso o candidato que, durante a realização das provas, for
surpreendido portando aparelhos eletrônicos, tais como bip, telefone celular, walkman,
agenda eletrônica, notebook, palmtop, receptor, gravador, máquina de calcular, máquina
fotográfica, controle de alarme de carro etc., bem como relógio de qualquer espécie, óculos
escuros ou quaisquer acessórios de chapelaria, tais como chapéu, boné, gorro etc. e, ainda,
lápis, lapiseira ou borracha.
13.19.1 O CESPE/UnB recomenda que o candidato não leve nenhum dos objetos citados no
subitem anterior, no dia de realização das provas.
13.19.2 O CESPE/UnB não ficará responsável pela guarda de quaisquer dos objetos
supracitados.
13.19.3 O CESPE/UnB não se responsabilizará por perdas ou extravios de objetos ou de
equipamentos eletrônicos ocorridos durante a realização das provas, nem por danos neles
causados.
13.19.4 Não será permitida a entrada de candidatos no ambiente de provas portando armas.
O candidato que estiver armado será encaminhado à Coordenação.
13.20 Terá suas provas anuladas e será automaticamente eliminado do concurso o
candidato que, durante a sua realização:
a) for surpreendido dando ou recebendo auxílio para a execução das provas;
b) utilizar-se de livros, máquinas de calcular ou equipamento similar, dicionário, notas ou
impressos que não forem expressamente permitidos ou que se comunicar com outro
candidato;
c) for surpreendido portando aparelhos eletrônicos, tais como bip, telefone celular,
walkman, agenda eletrônica, notebook, palmtop, receptor, gravador, máquina de calcular,
máquina fotográfica, controle de alarme de carro etc., bem como relógio de qualquer
espécie, óculos escuros oub quaisquer acessórios de chapelaria, tais como chapéu, boné,
gorro etc. e, ainda, lápis, lapiseira ou borracha;
d) faltar com o devido respeito para com qualquer membro da equipe de aplicação das
provas, com as autoridades presentes ou com os demais candidatos;
e) fizer anotação de informações relativas às suas respostas no comprovante de inscrição ou
em qualquer outro meio, que não os permitidos;
f) recusar-se a entregar o material das provas ao término do tempo destinado para a sua
realização;
g) afastar-se da sala, a qualquer tempo, sem o acompanhamento de fiscal;
h) ausentar-se da sala, a qualquer tempo, portando a folha de respostas;
i) descumprir as instruções contidas no caderno de provas ou na folha de respostas;
j) perturbar, de qualquer modo, a ordem dos trabalhos, incorrendo em comportamento
indevido;
k) utilizar ou tentar utilizar meios fraudulentos ou ilegais para obter aprovação própria ou
de terceiros, em qualquer etapa do concurso;
13.21 No dia de realização das provas, não serão fornecidas, por qualquer membro da
equipe de aplicação destas ou pelas autoridades presentes, informações referentes ao seu
conteúdo ou aos critérios de avaliação e de classificação.
13.22 Se, a qualquer tempo, for constatado, por meio eletrônico, estatístico, visual,
grafológico ou por investigação policial, ter o candidato se utilizado de processo ilícito,
suas provas serão anuladas e ele será automaticamente eliminado do concurso.
13.23 O descumprimento de quaisquer das instruções supracitadas implicará a eliminação
do candidato, constituindo tentativa de fraude.
13.24 O Diretor de Pessoal do CBMDF poderá efetuar alterações, atualizações ou
acréscimos neste edital, de acordo com a legislação vigente.
13.25 O CESPE/UnB e o CBMDF não oferecerão alojamento, alimentação e transporte aos
candidatos e, não aplicarão provas em datas, locais ou em horários diferentes dos pré-
estabelecidos neste edital.
13.26 Em caso de eventual cancelamento do concurso por conveniência ou interesse da
Administração Pública o valor correspondente à taxa de inscrição será devolvido ao
candidato, mediante
apresentação do comprovante de pagamento, conforme Decreto Distrital n.º 21.688, de 7 de
novembro de 2000;
13.27 Os casos omissos serão solucionados pelo Diretor de Pessoal, ouvindo o
CESPE/UnB.
14 DOS OBJETOS DE AVALIAÇÃO (HABILIDADES E CONHECIMENTOS)
14.1 HABILIDADES
14.1.1 Os itens das provas objetivas poderão avaliar habilidades que vão além de mero
conhecimento memorizado, abrangendo compreensão, aplicação, análise, síntese e
avaliação, valorizando a capacidade de raciocínio.
14.1.2 Cada item das provas objetivas poderá contemplar mais de uma habilidade e
conhecimentos relativos a mais de uma área de conhecimento.
14.2 CONHECIMENTOS
14.2.1 Nas provas objetivas, serão avaliados, além das habilidades, conhecimentos,
conforme especificação a seguir.
14.2.1.1 CONHECIMENTOS BÁSICOS
LÍNGUA PORTUGUESA: 1 Compreensão e interpretação de textos. 2 Tipologia textual. 3
Ortografia oficial. 4 Acentuação gráfica. 5 Emprego das classes de palavras. 6 Emprego do
sinal indicativo de crase. 7 Sintaxe da oração e do período. 8 Pontuação. 9 Concordância
nominal e verbal. 10 Regência nominal e verbal. 11 Significação das palavras. 12 Redação
de correspondências oficiais.
NOÇÕES DE DIREITO: 1 Dos princípios fundamentais. 2 Dos direitos e garantias
fundamentais (direitos e deveres individuais e coletivos, nacionalidade). 3 Da organização
do Estado (organização político-administrativa, União, Estados Federados, Municípios,
Distrito Federal Territórios, militares dos Estados, Distrito Federal e Territórios). 4 Da
defesa do Estado e das Instituições Democráticas (estado de defesa e estado de sítio, Forças
Armadas, segurança pública).
5 Da administração pública.
ATUALIDADES: Domínio de tópicos atuais e relevantes de diversas áreas, tais como
política, economia, sociedade, educação, tecnologia, energia, relações internacionais,
desenvolvimento sustentável, segurança, artes e literatura, e suas vinculações históricas.
14.2.1.2 CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS
MÉDICO (PARTE COMUM PARA TODAS AS ESPECIALIDADES MÉDICAS): 1
Anatomia humana. 2 Parasitologia médica. 3 Fisiologia humana. 4 Imunologia e
imunopatologia. 5 Patologia em clínica médica. 6 Emergências clínicas. 7 Considerações
fundamentais em cirurgia geral: pré e pós-operatório; respostas endócrinas e metabólicas
aos traumas; reposição nutricional e hidroeletrolítica do paciente cirúrgico. 8 Noções
importantes para o exercício da cirurgia geral sobre oncologia; anestesia; cirurgias
pediátrica, vascular periférica e urológica; ginecologia e
obstetrícia. 9 Antibioticoterapia profilática e terapêutica; infecção hospitalar. 10
Crescimento e desenvolvimento humano: problemas do crescimento e desenvolvimento do
recém-nascido à puberdade (adolescência); imunizações (vacinação); alimentação da
criança. 11 Medicina em saúde pública.
OPÇÃO 1 MÉDICO ANESTESIOLOGISTA: I PARTE COMUM. II PARTE
ESPECÍFICA.
1 Ética médica e bioética: responsabilidade profissional do anestesiologista. 2 Organização
da
SBA. Risco profissional do anestesiologista. 3 Preparo anestésico. 4 Sistema
cardiocirculatório. 5 Sistema respiratório. 6 Sistema nervoso. 7 Farmacologia geral. 8
Farmacologia dos anestésicos locais. 9 Farmacologia dos anestésicos venosos. 10
Farmacologia dos anestésicos inalatórios. 11 Farmacologia do sistema respiratório. 12
Farmacologia do sistema cardiovascular. 13 Farmacologia do sistema nervoso.
14 Transmissão e bloqueio neuromuscular. 15 Anestesia venosa. 16 Física e anestesia. 17
Anestesia inalatória. 18 Bloqueio subaracnóideo e peridural. 19 Bloqueios periféricos. 20
Recuperação pós-anestésica. 21 Monitorização. 22 Parada cardíaca e reanimação. 23
Sistema urinário. 24 Sistema digestivo. 25 Sistema endócrino. 26 Autocóides derivados dos
lipídios. 27 Metabolismo. 28 Reposição volêmica e transfusão. 29 Metodologia científica.
30 Anestesia para cirurgia abdominal. 31 Anestesia em urologia. 32 Anestesia em
ortopedia. 33 Anestesia e sistema endócrino. 34 Anestesia em obstetrícia. 35 Anestesia em
urgências e no trauma. 36 Anestesia para oftalmo e otorrino. 37 Anestesia para cirurgia
plástica e buço-maxilo-facial. 38 Anestesia em geriatria. 39 Anestesia para cirurgia
torácica. 40 Anestesia e sistema cardiovascular. 41 Anestesia em pediatria.
42 Anestesia para neurocirurgia. 43 Anestesia ambulatorial. 44 Anestesia para
procedimentos fora do centro cirúrgico. 45 Complicações da anestesia. 46 Choque. 47
Terapia intensiva. 48 Suporte ventilatório. 49 Dor. 50 Hipotermia e hipotensão arterial
induzida. 51 Anestesia para transplantes. 52 Anestesia no trauma e emergência.
OPÇÃO 2 MÉDICO CARDIOLOGISTA: I PARTE COMUM. II PARTE ESPECÍFICA.
Conceito, classificação, etiopatogenia, fisiopatologia; quadro clínico; exames
complementares, diagnóstico, prognóstico, conduta terapêutica e profilaxia das seguintes
doenças: 1 Cardiopatias isquêmicas (angina instável, IAM ñQ e infarto agudo do
miocárdio). 2 Aneurisma de aorta. 3 Dissecção aguda de aorta. 4 Insuficiência cardíaca. 5
Valvopatias (aórtica, mitral, tricúspide e pulmonar). 6 Hipertensão arterial sistêmica. 7
Miocardiopatias. 8 Endocardite bacteriana. 9 Cor pulmonale agudo e crônico. 10 Doença
reumática. 11 Pericardiopatias. 12 Arritmias cardíacas. 13
Cardiopatias congênitas (cianóticas e acianóticas). 14 Choque cardiogênico. 15 Avaliação
hemodinâmica invasiva e não invasiva: métodos e interpretação.
OPÇÃO 3 MÉDICO CIRURGIÃO-GERAL: I PARTE COMUM. II PARTE
ESPECÍFICA.
1 Princípios da cirurgia. Propedêutica e avaliação do paciente cirúrgico. Transfusão.
Controle hidroeletrolítico e nutricional do paciente cirúrgico. 2 Antimicrobianos em
cirurgia geral. Anestésicos locais. Anestesia loco regional. Fios de sutura: aspectos práticos
do seu uso. Curativos: técnica e princípios básicos. 3 Pré e pós-operatório em cirurgias
eletivas e de urgência/emergência. 4 Complicações cirúrgicas trans e pós-operatórias. 5
Imunologia e transplantes. 6 Mecanismos de rejeição. 7 Parede abdominal. Omento.
Mesentério e Retroperitôneo. Hérnias da parede abdominal. 8 Choque. Traumatismo
Abdominal. Síndrome compartimental do abdome. 9 Traumatismo torácico. 10
Traumatismo do pescoço. 11 Urgência: abdome agudo. Doenças que simulam abdome
agudo. Apendicite aguda. Úlcera péptica perfurada. Pancreatite aguda. Isquemia
mesentérica. Obstrução intestinal. Doença diverticular dos cólons.
Diverticulite. Coleciste. Litiase biliar. Retocolite ulcerativa. Doença de Crohn. 12
Atendimento ao politraumatizado. Traumatismo crânio-encefálico e raqui-medular. 13
Videolaparoscopia diagnóstica e cirúrgica. 14 Hipertensão porta e cirrose. 15 Queimaduras.
16 Urgências card iPÁGINA 71 Nº 228, quarta-feira, 29 de novembro de 2006 Diário
Oficial do Distrito Federal
orrespiratórias. 17 Sistema de atendimento pré-hospitalar. 18 Resposta metabólica ao
trauma.
19 Hemorragia digestiva. 20 Doenças da via biliar.
OPÇÃO 4 MÉDICO CIRURGIÃO PEDIATRICO: I PARTE COMUM. II PARTE
ESPECÍ-
FICA. 1 Cuidados pré, trans e pós-operatórios da criança. 2 Metabolismo cirúrgico em
pediatria.
3 Anomalias congênitas da face. 4 Anomalias congênitas do pescoço. 5 Cirurgia da tiróide
na
criança. 6 Torcicolo. 7 Afecções cirúrgicas da parede torácica da criança. 8 Hérnias do
diafragma.
9 Anomalias cirúrgicas do esôfago na criança. 10 Malformações congênitas e problemas
perinatais
do trato respiratório. 11 Doenças infecciosas cirúrgicas da criança. 12 Anomalias da região
inguinal
na criança. 13 Anomalias da parede abdominal na criança. 14 Trauma abdominal na
criança. 15
Anomalias congênitas do trato biliar. 16 Cirurgia do pâncreas na criança. 17 Cirurgia do
baço e
sistema porta na criança.
18 Anomalias congênitas do estômago e duodeno. 19Anomalias congênit as do intestino
delgado.
20 Duplicações do trato digestivo. 21 Invaginação intestinal na criança. 22 Apendicite. 23
Enterite
necrosante. 24 Doença de Hirschsprung. Constipação intestinal. 25 Anomalias anorretais.
26
Infecção urinária na criança. 27 Anomalias congênitas do trato urinário superior. 28
Anomalias
congênitas do trato urinário inferior. 29 Extrofia vesical. 30 Hipospádia. 31 Intersexo. 32
Anomalias
congênitas neurológicas e seu tratamento cirúrgico. 33 Oncologia pediátrica. 34 Biologia
molecular aplicada à cirurgia pediátrica. 35 Hemangiomas.
OPÇÃO 5 MÉDICO CLINICO-GERAL: I PARTE COMUM. II PARTE ESPECÍFICA.
1
Cuidados gerais com o paciente em medicina interna. 2 Doenças cardiovasculares:
hipertensão
arterial; cardiopatia isquêmica; insuficiência cardíaca; miocardiopatias e valvulopatias;
arritmias
cardíacas. 3 Doenças pulmonares: asma brônquica e doença pulmonar obstrutiva crônica;
embolia
pulmonar; pneumonias e abscessos pulmonares; doença pulmonar intersticial; hipertensão
pulmonar.
4 Doenças gastrointestinais e hepáticas: úlcera péptica; doenças intestinais inflamatórias
e parasitárias; diarréia; colelitíase e colecistite; pancreatite; hepatites virais e hepatopatias
tóxicas;
insuficiência hepática crônica. 5 Doenças renais: insuficiência renal aguda e crônica;
glomerulonefrites;
síndrome nefrótica; litíase renal. 6 Doenças endócrinas: diabetes mellitus; hipotireoidismo
e hipertireoidismo; tireoidite e nódulos tireoidianos; distúrbios das glândulas supra-renais;
distúrbios das glândulas paratireóides. 7 Doenças reumáticas: artrite reumatóide;
espondiloartropatias;
colagenoses; gota. 8 Doenças infecciosas e terapia antibiótica. 9 Distúrbios
hidroeletrolíticos
e acidobásicos. 10 Exames complementares invasivos e não-invasivos de uso corriqueiro na
prática clínica diária. 11 Emergências clínicas. 12 Ética e legislação profissional. 13
Psicologia
médica. 14 Farmacologia. 15 Controle de infecções hospitalares. 16 Medicina baseada em
evidências.
17 Intoxicações exógenas. 18 Doenças sexualmente transmissíveis. 19 Doenças
neurológicas,
AVC, polirradiculoneurites, polineurites, doença periféricas. 20 Doenças degenerativas e
infecciosas do SNC. 21 Emergências psiquiátricas.
OPÇÃO 6 MÉDICO DERMATOLOGISTA: I PARTE COMUM. II PARTE
ESPECÍFICA.
1 Pele normal. 1.1 Anatomia e fisiologia da pele. 2 Patologia cutânea. 2.1 Fisiopatologia e
imunologia
cutânea. 3 Alterações morfológicas cutâneas epidermo-dérmicas. 3.1 Erupções
eczematozas.
3.2 Erupções eritemato-escamosas. 3.3 Erupções pápulo-nodulares. 3.4 Erupções
purpúricas.
3.5 Erupções urticadas. 3.6 Erupções pápulos-pruriginosas. 3.7 Erupções vésico-bolhosas.
3.8 Erupções pustulosas. 3.9 Afecções atrófico-escleróticas. 3.10 Afecções ulcerosas. 3.12
Afecções
queratolíticas. 4 Afecções dos anexos cutâneos. 4.1 Foliculares. 4.2 Hidroses. 4.3 Tricoses.
4.4 Onicoses. 5 Alterações do colágeno. 5.1 Afecções do conectivo. 5.2 Afecções da
hipoderme.
5.3 Afecções da cartilagem e dos vasos. 6 Infecções e infestações. 6.1 Dermatoses por
vírus. 6.2
Dermatoses por Riquétsias. 6.3 Piodermites e outras dermatoses por bactérias. 6.4
Tuberculoses
e micobaterioses atípicas. 6.5 Hanseníase. 6.6 Sífilis e outras doenças sexualmente
transmissíveis.
6.7 Micoses superficiais. 6.8 Micoses profundas. 6.9 Prototecoses. 6.10 Leishmanioses e
outras dermatoses parasitárias. 6.11 Dermatozoonoses. 7 Dermatoses por noxas químicas,
físicas
e mecânicas. 7.1 Erupções por drogas. 7.2 Reações aos agentes mecânicos, calor e frio. 7.3
Otodermatoses. 7.4 Radiodermites. 8 Inflamações e granulomas não infecciosos. 8.1
Inflamações
não infecciosas. 8.2 Granulomas não infecciosos. 9 Dermatoses metabólicas. 9.1
Avitaminoses e
dermatoses nutricionais. 9.2 Amiloidose. 9.3 Hialinoses. 9.4 Afecções por alterações do
metabolismo
dos aminoácidos e purinas. 9.5 Dislipidoses. 9.6 Porfirias. 9.7 Mucopolissacaridoses. 9.8
Alterações do metabolismo do cálcio, ferro, zinco e cobre. 9.9 Alterações cutâneas no
diabetes. 10
Afecções psicogênicas, psicossomáticas e neurogênicas. 11 Dermatoses por
imunodeficiência.
11.1 Dermatoses por imunodeficiências primárias. 11.2 Síndrome da imunodeficiência
adquirida
(AIDS). 11.3 Dermatoses por imunodeficiência iatrogênica nos transplantados. 12 Afecções
congênitas e hereditárias. 12.1 Síndromes familiares com tumores cutâneos múltiplos. 12.2
Afecções
hereditárias da queratinização. 12.3 Doenças bolhosas hereditárias. 12.4 Doenças
poiquilodérmicas
e displasias ectodérmicas. 12.5 Alterações hereditárias mesenquimais, pigmentares e
malformações. 13 Cistos e neoplasias. 13.1 Cistos. 13.2 Nevos organóides. 13.3 Tumores
epiteliais
benignos. 13.4 Afecções epiteliais pré-malignas e tumores intra-epidérmicos. 13.5 Tumores
epiteliais malignos.
13.6 Tumores mesenquimias e neurais. 13.7 Nevos pigmentares e melanomas. 13.8
Leucemias,
linfomas, pseudolinfomas. 13.9 Mastocitoses. 13.10 Histiocitoses. 13.11 Manifestações
cutâneas
paraneoplásicas e metástases cutâneas. 14 Terapêutica. 14.1 Terapêutica tópica. 14.2
Terapêutica
sistêmica: principais medicamentos de uso sistêmico em dermatologia. 14.3 Cirurgia
dermatológica. 14.4 Eletrocirurgia, eletrocoagulação, eletrólise e iontoforese. 14.5
Quimiocirurgia.
14.6 Actinoterapia, laserterapia, radioterapia.
OPÇÃO 7 MÉDICO GINECOLOGISTA: I PARTE COMUM. II PARTE ESPECÍFICA.
1
Anatomia da parede abdominal antero-lateral de laparotomias. 2 Anatomia do períneo. 3
Ureter
pélvico. 4 Tecido conjuntivo pélvico sub-peritoneal (ligamentos). 5 Anatomia do oco
axilar. 6
Neuroendocrinologia do ciclo menstrual. 7 Mecanismo local da menstruação. 8
Complicações
cirúrgicas da cirurgia ginecológica (intestinais e urológicas).
9 Pré e pós operatórios em cirurgia ginecológica. 10 Histerectomias abdominais
(Richardson e
variáveis). 11 Prolápso genital e tratamento (HTV, colpocleise). 12 Incontinência urinária
(I.U.E.
e inc. de Urgência). 13 Ca de colo uterino/patologia cervical/lesões básicas em colposcopia.
14 Ca
de endométrio. 15 A paciente ginecológica. 16 Oncogênese. 17 Mastectomia (indicações
técnicas/
tipos de incisões), história do Ca de mama, câncer e estadiamento. 18 Quadrantectomias
(linfonodo
sentinela). 19 Endometriose. 20 Esterilidade conjugal. 21 Indução da ovulação/Reprodução
assistida. 22 Esteroidogênese.
23 Determinismo e diferenciação sexual/inter-sexo. 24 Amenorréia primária. 25
Amenorréia secundária.
26 Genética aplicada à ginecologia. 27 DST/DIP. 28 HIV na mulher. 29 Métodos de
imagem em ginecologia (HSG, USG bi e tridimensional, mamografia). 30 Dor pélvica. 31
Climatério.
32 Puberdade normal e patológica. 33 Ca de ovário. 34 Medicina alternativa. 35
Ginecologia
psicossomática. 36 Síndrome pré-menstrual. 37 Cosmetologia em ginecologia. 38
Sexologia clínica.
39 Vídeo-endoscopia em ginecologia. 40 Abdome agudo em ginecologia. 41 Miomatose
uterina
(tratamentos). 42 Anticoncepção. 43 Síndromes hiperandrogênicas. 44 Hemorragia uterina
disfuncional.
OPÇÃO 8 MÉDICO OFTALMOLOGISTA: I PARTE COMUM. II PARTE
ESPECÍFICA.
1 Embriologia ocular. 2 Anatomia e histologia ocular: órbita conteúdo e relações
anatômicas. 2.1
Pálpebras e conjuntiva. 2.2 Globo ocular e túnicas fibrosas, vascular e nervosa. 2.3 Meios
dióptricos. 2.5 Músculos extrínsecos. 2.6 Aparelho lacrimal. 3 Fisiologia da visão. 4
Refração:
noções de óptica oftálmica. 4.1 Vícios de refração. 4.2 Prescrição de óculos e lentes de
contato. 5
Patologia, diagnóstico e tratamento das doenças do(a): órbita, conjuntiva, esclera, úvea,
retina,
vítreo, cristalino e aparelho lacrimal e pálpebra. 6 Glaucoma: classificação. 6.1 Quadro
clínico. 6.2
Diagnóstico. 6.3 Tratamento clínico e cirúrgico. 7 Estrabismo: classificação. 7.1 Quadro
clínico.
7.2 Diagnóstico. 7.3 Tratamento clínico e cirúrgico. 8 Repercussões oculares de patologias
sistêmicas.
9 Urgências em oftalmologia: clínicas e cirúrgicas. 10 Visão sub-normal: diagnóstico e
tratamento cirúrgico. 11 Transplante de córnea. 12 Campo visual manual e
computadorizado. 13
Retina: diagnóstico, exames e tratamento clínico e cirúrgico. 14 Oftalmologia pediátrica. 15
Pré e
pós-operatório em oftalmologia. 16 US ocular. 17 Vitrectomia e vítreo. 18 Laser e suas
aplicações
em oftalmologia. 19 Órtese e prótese ocular.
OPÇÃO 9 MÉDICO ORTOPEDISTA: I PARTE COMUM. II PARTE ESPECÍFICA. 1
Sistema músculo esquelético: estrutura do tecido ósseo; crescimento e desenvolvimento;
calcificação,
ossificação e remodelagem; estrutura do tecido cartilaginoso; organização, crescimento e
transplante; tecido muscular: organização, fisiologia e alteração inflamatória; tecido
nervoso:
estrutura, organização, fisiologia, alteração degenerativa, inflamatória e tratamento. 2
Deformidades
congênitas e adquiridas: etiologia e diagnóstico; pé torto congênito; displasia do
desenvolvimento
do quadril; luxação congênita do joelho; pseudoartrose congênita tibial; talus vertical;
aplasia congênita/displasia dos ossos longos; polidactilia e sindactilia; escoliose. 3
Infecções e
alterações inflamatórias osteoarticulares: etiologia, diagnóstico e tratamento; artrite
piogênica,
osteomielite aguda e crônica; tuberculose óssea; infecção da coluna vertebral; sinovites;
artrite
reumatóide. 4 Tumores ósseos e lesões pseudotumorais: propriedades biológicas;
classificação;
diagnóstico, estagiamento e tratamento. 5 Osteocondroses: etiologia, diagnóstico e
tratamento;
membro superior, inferior e quadril. 6 Alterações degenerativas osteoarticulares: etiologia,
diagnóstico
e tratamento; artrose do membro superior, inferior e quadril. 7 Doenças osteometabólicas
na prática ortopédica: etiologia, diagnóstico e tratamento. 8 Princípios do tratamento do
paciente
politraumatizado. 9 Fraturas e luxações da articulação do quadril e da coluna
cervicotóracolombar:
etiologia, diagnóstico e tratamento. 10 Fraturas, luxações, lesões capsulo-ligamentares e
epifisárias do membro superior e inferior em adultos e crianças: etiologia, diagnóstico e
métodos
de tratamento. 11 Critérios de seleção de doadores para tecido músculo-esqueléticos
(TME). 12
Conhecimentos básicos sobre protocolos de banco de tecidos. 13 Transmissão de doenças
em
transplante de TME. 14 Conhecimento básico sobre formas de processamento (liofilização,
criopreservação, desmineralização, ultracongelamento), técnicas de armazenamento de
tecidos,
conhecimentos básicos sobre forma de esterilização de tecidos (química e
radioesterilização). 15
Propriedades biomecânicas dos tecidos submetidos a diversas formas de esterilização. 16
Conhecimentos
básicos sobre as propriedades e biologia das proteínas morfogenéticas ósseas.
17 Noções sobre utilização de tecido músculo-esqueléticos. 18 Conceitos de osteoindução,
osteocondução
e osteogênese. 19 Técnicas de desengorduramento ósseo. 20 Noções sobre sala limpa.
21 Controle de qualidade em banco de tecidos. 22 Conhecimento da legislação que envolve
operação de banco de tecidos e transplantes no Brasil.
OPÇÃO 10 MÉDICO OTORRINOLARINGOLOGISTA: I PARTE COMUM. II PARTE
ESPECÍFICA. 1 Fisiopatologia do anel linfático Do Waldeyer. 2 Classificação clínica e
etiológica
das amigdalites agudas e crônicas. 3 Tumores da cavidade bucal. 4 Parotidites. 5 Tumores
benignos
e malignos das glândulas salivares. 6 Sinusites. 7 Quadro clínico. 8 Sintomatologia. 9
Diagnóstico
e tratamento; rinites.
10 Tumores benignos dos seios paranasais. 11 Tumores malignos dos seios paranasais. 12
Tumores benignos da laringe. 13 Estudo radiológico e endoscópio. 14 Procedimentos
cirúrgicos.
15 Propedêutica instrumentada. 16 Laringites agudas e crônicas. 17 Avaliação da audição
através
dos métodos subjetivos e objetivos. 18 Otites externas: otites médicas agudas e crônicas. 19
Surdez. 20 Otoneurologia. 21 Noções de alergia. 22 Noções de oncologia. 23 Noções de
foniatria.
OPÇÃO 11 MÉDICO PEDIATRA: I PARTE COMUM. II PARTE ESPECÍFICA. 1
MortaDiário
Oficial do Distrito Federal PÁGINA 72 Nº 228, quarta-feira, 29 de novembro de 2006
lidade na infância. 2 Nutrição e seus desvios. 3 Crescimento e desenvolvimento. 4
Imunizações.
5 Acidentes na infância: prevenção e tratamento. 6 Diarréias. 7 Distúrbios hidroeletrolíticos
e
acidobásicos. 8 Distúrbios metabólicos. 9 Doenças infecciosas e parasitárias. 10 Doenças
respiratórias
na infância; doenças alérgicas na infância. 11 Cardiopatias congênitas. 12 Doenças
reumáticas.
13 Insuficiência cardíaca. 14 Choque. 15 Ressuscitação cardipulmonar. 16 Cetoacitose
diabética. 17 Anemias. 18 Púrpuras e micoses colagenoses. 19 Convulsão. 20 Afecções do
aparelho
genito-urinário. 21 Emergências cirúrgicas na infância. 22 Abordagem da criança
politraumatizada.
23 Síndrome de maus-tratos.
OPÇÃO 12 MÉDICO PSIQUIATRA: I PARTE COMUM. II PARTE ESPECÍFICA. 1
Neurotransmissores: sono. 2 Neuroimagem. 3 Genética. 4 Avaliação clínica. 5 Diagnóstico
e
aspectos neuropsiquiátricos da epilepsia das doenças infecciosas endócrinas e traumáticas.
6
Percepção e cognição. 7 Sociologia e psiquiatria. 8 Epidemiologia. 9 Psicanálise. 10
Teorias da
personalidade e psicopatologia. 11 Exame do paciente psiquiátrico. 12 Manifestações
clínicas de
transtornos psiquiátricos. 13 Classificações dos transtornos mentais. 14 Transtornos
mentais
devidos a uma condição médica geral. 15 Transtornos relacionados a substâncias
dependência
química. 16 Esquizofrenia. 17 Outros transtornos psicóticos. 18 Transtornos do humor. 19
Transtornos de ansiedade. 20 Transtornos psicossomáticos; psiquiatria e outras
especialidades;
emergências psiquiátricas; psicoterapias; terapias biológicas; psiquiatria infantil; retardo
mental;
transtornos da aprendizagem e comunicação; psiquiatria geriátrica; psiquiatria hospitalar e
comunitária;
psiquiatria forense; psicofarmacologia; aspectos do modelo da assistência psiquiátrica.
OPÇÃO 13 MÉDICO RADIOLOGISTA: I PARTE COMUM. II PARTE ESPECÍFICA.
1
Física das radiações. Efeitos biológicos das radiações. Técnicas radiológicas. Formação de
imagem
radiográfica; controle de qualidade. Proteção radiológica. Fundamentos da tomografia
computadorizada
e da ressonância magnética. Contrastes radiológicos. 2 Imagenologia do tórax: doenças
pleuro-pulmonares. Massas Torácicas. Tórax nas emergências. Tórax em pediatria.
Alterações
intersticiais; alveolares e mistas. 3 Imagenologia do aparelho digestivo: métodos e
patologias mais
comuns. Abdome agudo. Estudo contrastado. Aparelho digestivo em pediatria. 4 Aparelho
urinário:
imagenologia do aparelho urinário. Método. Massas renais. Trauma renal. Estudo
contrastado.
Aparelho urinário em pediatria. 5 Sistema músculo-esquelético: imagenologia das lesões
osteomuscular articulares. Doenças inflamatórias. Massas tumoriais. Coluna vertebral.
Crânio e
face (órbita - seios da face). 6 Primeiros socorros. Choque anafilático. 7 Imagenologia do
S.N.C /
T.C.E. / A.V.C. / S.N.C. em pediatria. 8 Mamografia: técnicas de posicionamento. Tumores
benignos. Tumores malignos. 9 Radiologia intervencionista (noções básicas; indicações e
análises).
Densitometria óssea (noções básicas; indicações e análises). 10 Sistema cardiovascular. 11
Bases físicas da ultra-sonografia. 12 Ultrassonografia do abdome total; do tórax; do
pescoço;
obstétrica e de partes moles. 13 Doppler - noções básicas. Ultrassonografia
intervencionista.
OPÇÃO 14 MÉDICO UROLOGISTA: I PARTE COMUM. II PARTE ESPECÍFICA. 1
Anatomia; embriologia e anomalias do sistema geniturinário. 2 Propedêutico urológico. 3
Litíase
e infecções do trato geniturinário. 4 Traumatismo do sistema geniturinário. 5 Neoplasias
benignas
e malignas do sistema geniturinário. 6 Prevenção e diagnóstico precoce dos tumores do
aparelho
genital masculino. 7 Bexiga neurogênica. 8 Doenças vasculares do aparelho geniturinário. 9
Tuberculose
do aparelho geniturinário. 10 Doenças específicas dos testículos. 11 Urgências do aparelho
geniturinário. 12 Doenças sexualmente transmissíveis. 13 Disfunção erétil. 14 Infertilidade.
15
Cirurgias do aparelho geniturinário - cirurgias vídeo laparoscópicas. 16 Transplante renal.
CIRURGIÃO-DENTISTA (PARTE COMUM PARA TODAS AS ESPECIALIDADES): 1
Diagnóstico, prevenção e tratamento da doença cárie. 2 Anestesia em odontologia. 3
Cariologia. 4
Princípios dos preparos cavitários. 5 Materiais dentários aplicados à dentística amálgama,
resina composta, ionômero de vidro, protetores pulpares e adesivos dentinários.
6 Proteção do complexo dentina-polpa. 7 Radiologia em odontologia. 8 Restaurações em
amálgama.
9 Restaurações em resina composta. 10 Facetas estéticas. 11 Restaurações indiretas. 12
Tratamento restaurador em dentes desvitalizados. 13 Fraturas dentais. 14 Clareamento
dental. 15
Farmacologia em odontologia. 16 Urgências em odontologia. 17 Emergências médicas em
odontologia.
18 Inter-relação dentística / periodontia. 19 Odontologia em saúde pública.
OPÇÃO 15 CIRURGIÃO-DENTISTA BUCOMAXILOFACIAL: I PARTE COMUM. II
PARTE ESPECÍFICA. 1 Patologia bucomaxilofacial. 2 Radiologia bucomaxilofacial. 3
Anatomia
da cabeça e pescoço. 4 Farmacologia em odontologia. 5 Anestesiologia em odontologia. 8
Emergências
médicas em odontologia. 7 Urgências odontológicas. 8 Bases da técnica cirúrgica. 9
Técnicas cirúrgicas das exodontias. 10 Cirurgias dos dentes inclusos ou impactados. 11
Cirurgias
bucais com finalidade ortodôntica. 12 Cirurgias parendodônticas. 13 Cirurgia pré-protética.
14
Tratamento das infecções dos espaços fasciais. 15 Traumatologia bucomaxilofacial. 16
Cirurgias
ortognáticas.
OPÇÃO 16 CIRURGIÃO-DENTISTA CLÍNICO-GERAL: I PARTE COMUM. II
PARTE
ESPECÍFICA. 1 Diagnóstico, prevenção e tratamento da doença cárie. 2 Anestesia em
odontologia.
3 Cariologia. 4 Princípios dos preparos cavitários. 5 Materiais dentários aplicados à
dentística
amálgama, resina composta, ionômero de vidro, protetores pulpares e adesivos
dentinários.
6 Proteção do complexo dentina-polpa. 7 Radiologia em odontologia. 8 Restaurações em
amálgama.
9 Restaurações em resina composta. 10 Facetas estéticas. 11 Restaurações indiretas. 12
Tratamento restaurador em dentes desvitalizados. 13 Fraturas dentais. 14 Clareamento
dental. 15
Farmacologia em odontologia. 16 Urgências em odontologia. 17 Emergências médicas em
odontologia.
18 Inter-relação dentística / periodontia. 19 Odontologia em saúde pública.
OPÇÃO 17 CIRURGIÃO-DENTISTA ENDODONTISTA: I PARTE COMUM. II
PARTE
ESPECÍFICA. 1 Diagnóstico das alterações patológicas pulpares e periapicais. 2
Aparelhos,
instrumental e material endodônticos. 3 Anatomia interna dos dentes. 4 Abertura coronária.
5
Preparo biomecânico dos canais radiculares meios químicos, físicos e mecânicos. 6
Radiologia
aplicada à endodontia. 7 Instrumentação convencional e não-convencional (ativação ultra-
sônica,
sistemas oscilatórios e rotatórios). 8 Localizadores eletrônicos foraminais. 9 Medicação
intracanal.
10 Obturação dos canais radiculares. 11 Tratamento endodôntico de dentes permanentes
com
rizogênese incompleta. 12 Retratamento endodôntico. 13 Cirurgia parendodôntica. 14
Terapêutica
sistêmica coadjuvante ao tratamento endodôntico. 15 Urgências odontológicas. 16
Traumatismo
dental.
OPÇÃO 18 CIRURGIÃO-DENTISTA ODONTOPEDIATRA: I PARTE COMUM. II
PARTE
ESPECÍFICA. 1 Crescimento e desenvolvimento. 2 Patologia bucal na infância e
adolescência.
3 Ortodontia preventiva e interceptativa. 4 Patogênese e prevenção da doença cárie e
doença
periodontal. 5 Adaptação comportamental manejo da criança. 6 Odontologia restauradora
tratamento das lesões de cárie. 7 Terapia pulpar em odontopediatria. 8 Traumatismos na
dentição
decídua. 9 Cirurgia bucal pediátrica. 10 Desenvolvimento da oclusão no bebê e na infância.
11
Odontologia para bebês. 12 Radiologia aplicada à primeira infância. 13 Urgências
odontológicas
na clínica geral odontológica.
OPÇÃO 19 CIRURGIÃO-DENTISTA ORTODONTISTA: I PARTE COMUM. II
PARTE
ESPECÍFICA. 1 Princípios biofísicos e biomecânicos do movimento dentário ortodôntico.
2
Crescimento e desenvolvimento craniofacial. 3 Cefalometria teoria ortodôntica corretiva.
4
Ortopedia funcional dos maxilares. 5 Técnica ortodôntica. 6 Mecânica ortodôntica do arco
contínuo.
7 Documentação, diagnóstico e planificação do tratamento ortodôntico. 8 Terapêutica
ortodôntico/ ortopédica corretiva. 9 Ortodontia preventiva e interceptora. 10 Oclusão
funcional
na prática ortodôntica. 11 Técnica e interpretação radiográfica. 12 Materiais dentários
aplicados
à ortodontia. 13 Patologia aplicada à ortodontia.
OPÇÃO 20 CIRURGIÃO-DENTISTA PROTESISTA: I PARTE COMUM. II PARTE
ESPECÍFICA.
1 Exame do paciente. 2 Fundamentos da oclusão. 3 Sistema estomatognático
componentes e funções. 4 Distúrbios oclusais e desordens têmporo-mandiblares. 5 Ajuste
oclusal
princípios regras e técnicas. 6 preparo de dentes com finalidade protética 7 Registros
oclusais e montagens em articuladores semi-ajustáveis. 8 Moldagem. 9 Modelo de trabalho
e
troqueis. 10 Núcleos intra-radiculares. 11 Restaurações e coroas provisórias. 12 Padrões de
cêra.
13 Inclusão. 14 Fundição e soldagem. 15 Registro e remontagem. 16 Ajuste funcional e
estético.
17 Acabamento e cimentação (provisória e definitiva). 18 Inter-relação entre prótese e
periodontia.
19 Restaurações metálicas fundidas. 20 Cerâmicas e metalocerâmicas.
21 Próteses parciais fixas adesivas. 22 Pônticos e rebordos edêntulos. 23 Conexões rígidas
e
semi-rígidas. 24 Materiais odontológicos em prótese. 25 Proservação em reabilitação oral.
26
Prótese total e parcial removível conceito, indicações e contra-indicações. 27
Classificação dos
diferentes tipos de próteses parciais removíveis e de desdentados parciais. 28 Elementos
constituintes
da PPR. 29 Preparo da boca para receber prótese parcial removível. 30 Estética e relações
intermaxilares em prótese total. 31 Próteses totais imediatas e convencionais. 32
Odontologia em
saúde pública. 33 Farmacologia em odontologia.
OPÇÃO 21 BACHAREL EM DIREITO: I DIREITO CONSTITUCIONAL E
ADMINISTRATIVO.
1 Fundamentos constitucionais dos direitos e deveres fundamentais: direitos e deveres
individuais e coletivos; direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade;
direitos sociais; nacionalidade; cidadania e direitos políticos; partidos políticos; garantias
constitucionais
individuais; garantias dos direitos coletivos, sociais e políticos; remédios do Direito
Constitucional. 2 Defesa do Estado e das instituições democráticas: segurança pública;
organização
da segurança pública. 3 Ordem social: base e objetivos da ordem social; seguridade social;
educação, cultura e desporto; ciência e tecnologia; comunicação social; meio ambiente;
família,
criança, adolescente e idoso. 4 Bases constitucionais da administração pública. 5 Princípios
e
normas referentes à administração direta e indireta. 6 Administração direta e indireta.
Poderes da
administração; poder hierárquico; poder disciplinar; poder regulamentar; poder de polícia. 7
Ato
administrativo. Conceito, classificação, requisitos, revogação. 8 Vícios do ato
administrativo.
Invalidade. Anulação. 9 Responsabilidade civil do Estado. Fundamentos; responsabilidade
sem
culpa; responsabilidade por ato do funcionário. 10 Licitações e contratos administrativos
Lei n.º
8.666/1993 e suas alterações. 11 Desapropriação. Generalidades. 12 Estatuto dos
Bombeiros
Militares do Distrito Federal, aprovado pela Lei Federal n. 7.479, de 2 de junho de 1986. 13
Lei
Federal n.° 9.784/1999 Regula Processo Administrativo. 14 Lei n.° 8.987/1995 Dispõe
sobre
o regime de concessões e permissões da prestação de Serviços Públicos. 15 Lei n.°
10.520/2002
Pregão. 16 Lei n.° 8.429/1992 Lei de Improbidade Administrativa. 17 Lei n.°
4.717/1965
Regula a ação popular. II DIREITO CIVIL. 1 Conceito. 2 Negócio jurídico: espécies;
manifestação
da vontade; vícios da vontade; defeitos do negócio jurídico; invalidade do negócio jurídico.
3
Teoria da imprevisão. 4 Ato jurídico: fato e ato jurídico; modalidades e formas do ato
jurídico. 5
Efeitos do ato jurídico: nulidade; atos ilícitos; abuso de direito; fraude à lei. 6 Prescrição e
decadência. 7 Obrigações: conceito; obrigação de dar, de fazer e não fazer; obrigações
alternativas,
divisíveis, indivisíveis, solidárias; cláusula penal. 8 Extinção das obrigações: pagamento
objeto
e prova, lugar e tempo de pagamento; mora; compensação, novação, transação; direito de
retenção.
9 Contratos: disposições gerais; extinção; espécies. 10 Responsabilidade civil. III DIREITO
PROCESSUAL CIVIL. 1 Jurisdição e competência: formas e limites da jurisdição civil;
modificações
da competência. 2 Ação: conceito; ação e pretensão; condições da ação. 3 Processo:
processo
e procedimento; formação, extinção e suspensão do processo; pressupostos processuais. 4
Sujeitos
da relação processual: partes; litisconsórcio; capacidade de ser parte e de estar em juízo. 5
Pedido: petição inicial: requisitos e vícios; pedido determinado, genérico e alternativo;
cumulação
PÁGINA 73 Nº 228, quarta-feira, 29 de novembro de 2006 Diário Oficial do Distrito
Federal
de pedidos; interpretação e alteração do pedido. 6 Resposta do réu: contestação, exceção e
objeção; carência de ação; litispendência, conexão e continência de causa; exceções
processuais:
incompetência, reconvenção; revelia. 7 Execução: regras gerais; provisória e definitiva;
embargos
do devedor. 8 Sentença e coisa julgada: requisitos da sentença; julgamento extra, ultra e
citra
petitum; conceitos e limites da coisa julgada; preclusão, coisa julgada e eficácia preclusiva.
9
Recurso em geral: conceito, pressupostos, efeitos. IV DIREITO PREVIDENCIÁRIO. 1
Seguridade
social: origem e evolução legislativa no Brasil; conceito; organização e princípios
constitucionais.
2 Regime Geral da Previdência Social: beneficiário, benefícios e custeio. 3 Salário-
decontribuição:
conceito, parcelas integrantes e excluídas, limites mínimo e máximo; salário-base,
enquadramento, proporcionalidade e reajustamento. 4 Planos de benefícios da previdência
social:
espécies de benefícios e prestações, disposições gerais e específicas, períodos de carência,
salário-
de-benefício, renda mensal do benefício, reajustamento do valor do benefício. 5
PIS/PASEP. 6
Entidades de previdência privada: conceito e finalidades, constituição, organização,
funcionamento
e fiscalização. 7 Entidades abertas: regulamentos, requisitos essenciais, vinculação ao
Sistema Nacional de Seguros Privados (órgãos normativo e executivo); operações;
disposições
especiais. 8 Entidades fechadas: posição em relação à seguridade social oficial; entes
patrocinadores
e supervisão das atividades das entidades fechadas; Ministério da Previdência e Assistência
Social: competência em relação às entidades fechadas; operações; entidades fechadas de
previdência
privada e suas patrocinadoras no âmbito da administração pública federal. 9 Previdência
privada versus previdência pública. 10 Fundos de pensão. 11 Legislação acidentária. 11.1
Regulamento
do seguro de acidentes do trabalho (urbano e rural). 11.2 Moléstia profissional. V
NOÇÕES DE DIREITO PENAL E DIREITO PENAL MILITAR. 1 A lei penal no tempo.
2
A lei penal no espaço. 3 Infração penal: elementos, espécies. 4 Sujeito ativo e sujeito
passivo
da infração penal. 5 Tipicidade, ilicitude, culpabilidade, punibilidade. 6 Excludentes de
ilicitude
e de culpabilidade. 7 Erro de tipo; erro de proibição. 8 Imputabilidade penal. 9 Concurso de
pessoas. 10 Crimes contra a pessoa. 11 Crimes contra o patrimônio. 12 Crimes contra a
Administração Pública. 13 Abuso de autoridade (Lei n.º 4.898/65). 14 Tráfico ilícito e uso
indevido de substâncias entorpecentes (Lei n.º 6.368/76). 15 Crimes contra a ordem
tributária (Lei n.º 8.137/90). 16 Crimes hediondos (Lei n.º 8.072/90). VI NOÇÕES DE
DIREITO PROCESSUAL PENAL E DIREITO PROCESSUAL PENAL MILITAR. 1
Inquérito policial; notitia criminis. 2 Ação penal; espécies. 3 Jurisdição; competência. 4
Prova (artigos 158 a 184 do CPP). 5 Prisão em flagrante. 6 Prisão preventiva. 7 Prisão
temporária (Lei n.º 7.960/89). 8 Processos dos crimes de responsabilidade dos funcionários
públicos. 9 Habeas corpus. 10 Inquérito policial militar. 11 Sentença.
OPÇÃO 22 ENGENHEIRO CIVIL: 1 Programação de obras. 1.1 Engenharia de custos,
orçamento e composição de custos unitários, parciais e totais: levantamento de quantidades.
1.2 Planejamento e cronograma físico-financeiro. 2 Projeto e execução de obras civis. 2.1
topografia e terraplenagem; locação de obra; sondagens; instalações provisórias. 2.2
Canteiro de obras; proteção e segurança, depósito e armazenamento de materiais,
equipamentos e ferramentas. 2.3
Fundações. 2.4 Escavações. 2.5 Escoramentos. 2.6 Estruturas metálicas, de madeira e de
concreto; formas; armação; alvenaria estrutural; estruturas pré-fabricadas. 2.7 Controle
tecnológico. 2.8 Argamassas. 2.9 Instalações prediais. 2.10 Alvenarias e revestimentos.
2.11 Esquadrias. 2.12 Coberturas. 2.13 Pisos. 2.14 Impermeabilização. 2.15 Segurança e
higiene do trabalho. 2.16 Ensaios de recebimento da obra. 2.17 Desenho técnico. 3
Materiais de construção civil. 3.1
Aglomerantes - gesso, cal, cimento portland. 3.2 Agregados 3.3 Argamassa. 3.4 Concreto:
dosagem;
tecnologia do concreto. 3.5 Aço. 3.6 Madeira. 3.7 Materiais cerâmicos. 3.8 Vidros. 3.9
Tintas e vernizes. 4 Resistência dos materiais. 4.1 Deformações. 4.2 Teoria da elasticidade.
4.3
Análise de tensões. 4.4 Tensões principais. 4.5 Flexão simples; flexão composta; torção;
cisalhamento
e flambagem. 5 Análise estrutural. 5.1 Esforços em uma seção: esforço normal, esforço
cortante, torção e momento fletor. 5.2 Relação entre esforços. 5.3 Apoio e vínculos. 5.4
Diagrama
de esforços. 5.5 Estudos das estruturas isostáticas (vigas simples, vigas gerber, quadros,
arcos e
treliças); deformações e deslocamentos em estruturas isostáticas; linhas de influência em
estruturas
isostáticas; esforços sob ação de carregamento, variação de temperatura e movimentos nos
apoios. 5.6 Estudos das estruturas hiperestáticas; métodos dos esforços; método dos
deslocamentos;
processo de Cross e linhas de influência em estruturas hiperestáticas. 6 Dimensionamento
do concreto armado. 6.1 Características mecânicas e geológicas do concreto. 6.2 Tipos
de aço para concreto armado; fabricação do aço; características mecânicas do aço; estados
limites; aderência; ancoragem e emendas em barras de armação. 6.3 dimensionamento de
seções
retangulares sob flexão. 6.4 Dimensionamento de seções T. 6.5 Cisalhamento. 6.6
Dimensionamento
de peças de concreto armado submetidas a torção. 6.7 Dimensionamento de pilares. 6.8
Detalhamento de armação em concreto armado. 7 Instalações prediais. 7.1 Instalações
elétricas.
7.2 Instalações hidráulicas. 7.3 Instalações de esgoto. 7.4 Instalações de telefone e
instalações
especiais (proteção e vigilância, gás, ar comprimido, vácuo e água quente). 8 Fiscalização.
8.1
Acompanhamento da aplicação de recursos (medições, emissão de fatura, etc.). 8.2
Controle de
materiais (cimento, agregados aditivos, concreto usinado, aço, madeira, materiais
cerâmicos,
vidro etc.). 8.3 Controle de execução de obras e serviços. 8.4 Documentação da obra:
diários e
documentos de legalização. 9 Patologia das obras de engenharia civil (causa, prevenção e
recuperação).
9.1 Patologia das fundações. 9.2 Patologia do concreto armado. 9.3 Patologia das
alvenarias. 9.4 Patologia das pinturas. 9.5 Patologia da umidade. 10 Engenharia de
avaliações:
legislação e normas, metodologia, níveis de rigor, laudos de avaliação. 11 Licitações e
contratos da
Administração Pública (Lei n.º 8.666/93).
OPÇÃO 23 BACHAREL EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS: 1 Contabilidade Pública. 1.1
Conceito,
objeto e regime. 1.2 Campo de aplicação. 1.3 Legislação básica (Lei n.º 4.320/64). 1.4
Receita e despesa pública: conceito, classificação econômica e estágios. 1.5 Receitas e
Despesas
orçamentárias e extra-orçamentárias: interferências e mutações. 1.6 Plano de contas da
Administração
Federal: conceito, estrutura e contas do ativo, passivo, despesa, receita, resultado e
compensação.
1.7 Tabela de Eventos: conceito, estrutura e fundamentos lógicos. 1.8 Sistema Integrado
de Administração Financeira para estados e municípios SIAFEM: conceito, objetivos,
principais documentos. 1.9 Balanços financeiro, patrimonial, orçamentário e demonstrativo
das
variações, de acordo com a Lei n.º 4.320/64. 2 Contabilidade Geral. 2.1 Princípios
Contábeis
Fundamentais (aprovados pelo Conselho Federal de Contabilidade pela Resolução CFC n.º
750/
93, publicada no DOU de 31/12/93, Seção I, pág. 21.582). 2.2 Patrimônio: Componentes
Patrimoniais:
Ativo, Passivo e Situação Líquida (ou Patrimônio Líquido). 2.3 Diferenciação entre
Capital e Patrimônio. 2.4 Equação Fundamental do Patrimônio. 2.5 Representação Gráfica
dos
Estados Patrimoniais. 2.6 Fatos Contábeis e Respectivas Variações Patrimoniais. 2.7 Conta:
Conceito. Débito, Crédito e Saldo. Teorias, Função e Estrutura das Contas. Contas
Patrimoniais
e de Resultado. 2.8 Apuração de Resultados. Controle de Estoques e do custo das vendas.
2.9
Sistema de Contas; Plano de Contas. 2.10 Provisões em Geral. 2.11 Escrituração: Conceito
e
Métodos; Lançamento Contábil: Rotina e Fórmulas; Processo de Escrituração; Escrituração
de
Operações Financeiras; Escrituração de operações típicas. 2.12 Livros de Escrituração:
Obrigatoriedade,
Funções, Formas de Escrituração. Erros de Escrituração e suas Correções. 2.13 Sistema
de Partidas Dobradas. 2.14 Balancete de Verificação. 2.15 Balanço Patrimonial:
Obrigatoriedade
e Apresentação; Conteúdo dos Grupos e Subgrupos. 2.16 Classificação das Contas:
Critérios de
Avaliação do Ativo e do Passivo; Avaliação de investimentos; Levantamento do Balanço
de
acordo com a Lei n.º 6.404/76 (Lei das Sociedades por Ações). 2.17 Demonstração do
Resultado
do Exercício: Estrutura, Características e Elaboração de acordo com a Lei n.º 6.404/76.
2.18
Apuração da Receita Líquida. Apuração do lucro bruto e do lucro líquido. Destinação do
lucro:
participações, imposto de renda e absorção de prejuízos. 2.19 Demonstração de Lucros e
Prejuízos
Acumulados: Forma de Apresentação de acordo com a Lei n.º 6.404/76. 2.20 Transferência
do Lucro Líquido para Reservas. Dividendo Mínimo Obrigatório. 2.21 Capital de Giro:
Origens
e aplicações. 3 Matemática financeira. 3.1 Regra de três simples e composta, percentagens.
3.2
Juros simples e compostos: capitalização e desconto. 3.3 Taxas de juros: nominal, efetiva,
equivalentes,
real e aparente. 3.4 Rendas uniformes e variáveis. 3.5 Planos de amortização de
empréstimos
e financiamentos. 3.6 Cálculo financeiro: custo real efetivo de operações de financiamento,
empréstimo e investimento. 3.7 Avaliação de alternativas de investimento. 3.8 Taxas de
retorno,
taxa interna de retorno.
OPÇÃO 24 ARQUITETO: 1 Projeto de arquitetura. 1.1 Métodos e técnicas de desenho e
projeto. 1.2 Programação de necessidades, anteprojeto e projeto executivo com base no
Código
Judiciário e Regimento Interno. 1.3 Estudos de viabilidade técnico-financeira. 1.4 Controle
ambiental
das edificações (térmico, acústico e luminoso). 2 Projetos complementares:
Compatibilidade
dos projetos de arquitetura com os projetos de instalações elétricas, telefonia,
hidrossanitárias,
instalações mecânicas, ar condicionado, ventilação e exaustão, transporte vertical e
horizontal,
rede de computadores, prevenção, detecção, alarme e combate a incêndio, especificação de
materiais
e serviços e dimensionamento básico. 2.1 Arquitetura de interiores. 2.2 Programação visual.
3 Fiscalização de obras de acabamentos e design em geral. 3.1 Orçamento básico de obras
de
acabamento e mobiliário. 3.2 Levantamento de quantitativos. 3.3 Acompanhamento e
aplicação
de recursos (medições e emissão de faturas). 4 Análise de contratos para execução de obras.
5
Vistoria e elaboração de laudos e pareceres. Análise e pereceres em propostas de licitações
na área
de arquitetura e design. 6 Normas de acessibilidade em prédios. 7 Conhecimentos de
programas
em Cad. 8 Ergonomia.
OPÇÃO 25 ENGENHEIRO MECATRÔNICO: 1 Eletrônica analógica para mecatrônica.
2 Eletrônica digital. 3 Acionadores eletro-mecânicos. 4 Microprocessadores para
mecatrônica.
5 Sistemas dinâmicos aplicados à mecatrônica. 6 Sistemas microcomputadorizados. 7
Sistemas de controle. 8 Controladores lógicos programáveis. 9 Automação nos processos
de
fabricação. 10 Manufatura auxiliada por computador CAM. 11 Comando numérico
computadorizado.
12 Robótica.
OPÇÃO 26 ANALISTA DE SISTEMAS COM ESPECIALIZAÇÃO EM BANCO DE
DADOS:
1 Avaliação e otimização de performance de Banco de Dados. 2 Backup e Restore de
Banco
de Dados. 3 Banco de Dados. 4 Configuração de ambiente de Banco de Dados.
5 Controle de acesso ao BD. 6 Ferramentas de monitoração do ambiente de Banco de
Dados. 7
Ferramentas e Utilitários de Banco de Dados. 8 Gerenciamento de Performance. 9
Linguagens de
manipulação de dados (DMLs). 10 Políticas de Segurança. 11 Projeto físico de BD. 12
Segurança
e contingência de BD. 13 SGBDs. 14 Administração de Banco de Dados. 15 Análise e
Tratamento
de Vulnerabilidades. 16 Gerência de Falhas do ambiente de Produção de BD. 17
Linguagens de
programação. 18 Uso de Métricas de desempenho. 19 Análise de Impactos, Custos, Riscos
e
Benefícios da Mudança. 20 Ferramentas e Utilitários do SO. 21 Fundamentos de ITIL. 22
Metodologias de Desenvolvimento de Sistemas. 23 Modelagem de Dados. 24 Planejamento
de
Capacidade. 25 Processo de desenvolvimento, testes, homologação e implantação de
Sistemas.
26 Sistemas Operacionais. 27 Administração do Ambiente Operacional. 28 Ambiente de
Rede. 29
BI Business Inteligence. 30 Indicadores da produção. 31 Administração da Produção. 32
Monitoração
do ambiente operacional.
OPÇÃO 27 ANALISTA DE SISTEMAS COM ESPECIALIZAÇÃO EM
DESENVOLVIMENTO
WEB: 1 Projeto de Websites. 2 Animação e programação client-side, ActionScript e
técnicas de animação para Web. 3 Conceitos, criação e edição de imagens, animações e
design de
Diário Oficial do Distrito Federal PÁGINA 74 Nº 228, quarta-feira, 29 de novembro de
2006
páginas Web, com enfoque em imagens digitais e editores Web. Abordagens relacionadas:
HTML,
XHTML, DHTML, CSS, JavaScript. 4 Projeto de sistemas para Web. Métodos de
desenvolvimento
de software orientados a objetos, utilizando a notação UML aplicados a sistemas de
informação para Web. Outras abordagens: POO, Rational. 5 Linguagem de programação
para
Web. Linguagem de programação PHP e bando de dados MySQL. Linguagem XML
aplicada na
troca de informações via Internet. Outras abordagens: SGBDs, BD, DTD, SAX, DOM.
Linguagem
de programação JAVA, o ambiente e a máquina virtual JAVA. Estruturas da linguagem,
comandos, classes, pacotes, Threads, Swing, Sockets, Applets, Exceções e a API JAVA.
Modelagem
Objeto-Relacional para sistemas Web. Modelagem de dados para bancos de dados
objetorelacional.
Relacionamento de modelagens de dados relacional, orientada a objetos e objeto relacional.
Abordagens relacionadas: SGBD-R, SGBD-OO, SGBD-OR, Hibernate, MOR, SQL
extendida.
6 Interatividade em Websites. Problemas de interatividade, usabilidade e comunicabilidade
de websites, abordando elementos de Web 2.0 (AJAX, entre outros). 7 Gerenciamento e
planejamento
em e-Business. Estratégias, planejamentos, avaliações das competências, ciclo de vida,
formas organizacionais e de planos de negócios para e-Business. 8 Tecnologias para
construção
de sistemas para Web baseados em JAVA e na arquitetura J2EE e seus principais elementos
na
camada Web. Servlets, JSP e JSF. Técnicas e conceitos de programação segura.
OPÇÃO 28 ENGENHEIRO DE REDES DE COMUNICAÇÃO: 1 Rede de
Computadores.
1.1 Arquitetura de redes. 1.2 Topologias de redes. 1.3 Modelo OSI. 1.4 Projetos de Redes
Locais.
1.5 Projetos de Redes Longa Distância. 2 Monitoração de Redes. 2.1 Tecnologias de
Telecomunicações
LAN e WAN: TCP-IP: Básico e Avançado; Protocolos de LAN: Ethernet; Protocolos de
gerenciamento: SNMP; Frame Relay; MPLS; ATM; Protocolos de acesso: ADSL;
Qualidade de
Serviço QoS; Técnicas de comutação de circuitos, pacotes e células. 2.2 Telefonia:
dimensionamento
de tráfego de voz; tecnologias. 3 Serviços e equipamentos de redes: configuração de
equipamentos de rede (switches e roteadores). 4 Ferramentas de Segurança de Rede e
Controle de
Acesso. 4.1 Ferramentas de detecção de intrusos/invasão. 4.2 Ferramentas de análise de
vulnerabilidades.
4.3 Ferramentas de firewall. 4.4 VPN. 4.5 Certificação Digital. 5 Sistemas Operacionais
(Windows XP, Windows 2000 e Linux). 5.1 Configuração de ambiente. 5.2 Ferramentas de
monitoração. 5.3 Gerenciamento de Autenticação e Autorização. 5.4 Instalação do
ambiente
operacional. 6 Lógica de programação. 7 Programação de scripts 8 Banco de dados. 9
Arquitetura
de sistemas. 10 Ferramentas de Automação de Escritório. 11 Ferramentas WEB.
OPÇÃO 29 ENFERMEIRO: 1 Planejamento e gestão em saúde, formulação e
implementação
de políticas públicas. 2 Assistência de enfermagem nas doenças infecto-contagiosas. 3
Assistência
de enfermagem aos pacientes em situações clínicas cirúrgicas relativas aos sistemas
cardiovascular, gastro-intestinal, respiratório, renal, músculo-esquelético, neurológico e
endócrino.
4 Atuação do enfermeiro em unidade de ambulatório, centro cirúrgico, centro de material
e esterilização, na prevenção e controle de infecção hospitalar. 5 Assistência de
enfermagem em
saúde mental. 6 Reforma psiquiátrica no Brasil. Nova lógica assistencial em saúde mental.
7
Reabilitação psicossocial, clínica da subjetividade, compreensão do sofrimento psíquico e
interdisciplinaridade. 8 Álcool, tabagismo, outras drogas e redução de danos. 9 Saúde
coletiva.
9.1 Programa Nacional de Imunização. 9.2 Indicadores de saúde. 9.3 Vigilância sanitária:
conceito,
histórico, objetivos, funções importantes na Saúde Pública; noções de processo
administrativo
e sanitário. 9.4 Programas de saúde. 9.5 Fundamentos de epidemiologia, métodos
epidemiológicos
e pesquisa operacional. 10 Enfermagem na saúde da mulher. 11 Enfermagem na
saúde da criança, do adolescente e terceira idade. 12 Enfermagem em situações de urgência
e
emergência. 13 Curativos, administração de medicamentos, sondas nasogástricas, enteral e
vesical. Material descartável, órteses e próteses. 14 Gerenciamento dos resíduos de serviços
de
saúde. 15 Assistência integral às pessoas em situação de risco. Violência contra a criança, o
adolescente, a mulher e o idoso. 16 Ética e legislação profissional. 17 Modalidades
assistenciais:
hospital-dia, assistência domiciliar, trabalho de grupo.
OPÇÃO 30 FISIOTERAPEUTA: 1 Fisioterapia geral: efeitos fisiológicos, indicações e
contraindicações
de termoterapia, fototerapia, hidroterapia, massoterapia, cinesioterapia, eletroterapia
e manipulação vertebral. 2 Fisioterapia em traumatologia, ortopedia e reumatologia. 3
Fisioterapia
em neurologia. 4 Fisioterapia em ginecologia e obstetrícia. 5 Fisioterapia em pediatria,
geriatria
e neonatologia. 6 Fisioterapia em doenças cardiovasculares. 7 Amputação: prótese e
órteses;
mastectomias. 8 Fisioterapia em pneumologia; fisioterapia respiratória: fisioterapia
pulmonar -
gasimetria arterial; insuficiência respiratória aguda e crônica; infecção do aparelho
respiratório;
avaliação fisioterápica de paciente crítico; ventilação mecânica - vias aéreas artificiais:
indicações
da ventilação mecânica, modos de ventilação mecânica, desmame da ventilação mecânica.
9 Fisioterapia
na saúde do trabalhador: conceito de ergonomia, doenças ocupacionais relacionadas ao
trabalho, práticas preventivas no ambiente de trabalho. 10 Assistência fisioterapêutica
domiciliar.
11 Ética e legislação profissional.
OPÇÃO 31 FARMACÊUTICO-BIOQUÍMICO: 1 Fármacos que atuam nos diversos
sistemas
orgânicos. Farmacocinética. 2 Antimicrobianos / antiinflamatórios / antineoplásicos,
medicamentos
controlados. 3 Manipulação de medicamentos / Produção de anti-sépticos e desinfetantes.
4 Dispensação de medicamentos. Doses. Vias de administração. 5 Padronização de
medicamentos.
6 Noções de Vigilância Epidemiológica. 7 Inspeção em Vigilância Sanitária; legislação
sanitária. 8 Controle de infecção hospitalar. 9 Medicamentos genéricos, medicamentos
excepcionais,
medicamentos específicos. 10 Política nacional de medicamentos. 11 Legislação
farmacêutica:
Lei Federal n.º 5.991/73, Resolução n.º 328/99, Portaria n.º 344/98 e Lei Federal n.º
6.437/77.
12 Ética e legislação profissional. 13 Normas de armazenamento e transportes de produtos.
14
Abuso e superdosagem de drogas. 15 Manipulação de medicamentos oncológicos. 16
Validação
da prescrição médica. 17 Interação medicamentosa. 18 Interação medicamento-alimento. 19
Gerenciamento
de resíduos farmacêuticos.
OPÇÃO 32 PADRE CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO: 1 Teologia Bíblica
conhecimentos
bíblicos (Antigo e Novo Testamento). Mundo Contemporâneo do Antigo e Novo
Testamento
(Bibliologia, História e Geografia Bíblica). Hermenêutica. Arqueologia Bíblica. Tipologia.
2 História da Igreja contribuição dos povos (romanos, gregos e judeus). As condições
religiosas,
intelectuais e morais no mundo ao surgir o Cristianismo. História da Igreja Primitiva (até o
ano
100 d.C.). 3 História da Igreja Antiga (100 590 d.C.). História da Igreja Medieval (590
1517
d.C.). História da Reforma e da Contra-Reforma (1517 1648 d.C.). História da Igreja
Moderna
(1648 1800 d.C.). O Cristianismo na Europa e nos EUA dos séculos XIX e XX. 4
Teologia
Sistemática Prolegômenos (Doutrina, Escrituras e Teologia). Deus. Angelogia.
Antropologia
cristã. Hamartiologia. Soteriologia. Cristologia. Pneumatologia. Escatologia. 5 Teologia
Aplicada
Homilética. Teologia Pastoral. Liderança cristã.6 Relações Humanas.
OPÇÃO 33 PASTOR EVANGÉLICO: 1 Sagrada Escritura. 2 Introdução Inspiração
dos
livros da Bíblia. O cânon dos livros inspirados. Os princípios ou regras da interpretação da
Bíblia.
3 Teologia Dogmática O mistério do Deus vivo: Deus uno e Deus trino. Deus criador: a
criação,
os anjos, o mundo visível, os homens (antropologia teológica, a queda dos primeiros
homens e o
pecado original). Cristologia e Soterologia; o ministério de Jesus Cristo e de sua obra
redentora.
Mariologia. Eclesiologia (inclusive ecumenismo e missiologia). Os sacramentos.
Escatologia: do
homem individual e de todas as criaturas, sobretudo da humanidade. 4 Liturgia Princípios
da
Liturgia: escritura e leis da celebração litúrgica. 5 Teologia Moral Moral fundamental. A
dignidade
da pessoa humana: imagem de Deus, vocação à bem-aventurança, a liberdade do homem, a
moralidade dos atos humanos e das paixões, a consciência moral, as virtudes, o pecado. A
comunidade
humana: a pessoa e a sociedade, a participação na vida social, a justiça social. A salvação
de Deus: a lei e a graça (a lei moral); a graça e a justificação. A Igreja, mãe e educadora
(magistério
e mandamentos da Igreja). 6 Moral especial Os dez mandamentos (contendo a doutrina
social
da Igreja). 7 História da Igreja História da Igreja contemporânea. História da Igreja no
Brasil.
8 Direito Canônico Direito Paroquial. Direito Matrimonial. 9 Relações humanas.
JÚLIO CÉSAR BARBOSA