Edital do Concurso Policia Militar do Distrito Federal - DF (PMDF/DF) 2013

Esfera: Distrital

Visualizaçao do Edital do Concurso

PÁGINA 73
Diário O?cial do Distrito Federal
Nº 250, quarta-feira, 12 de dezembro de 2012
CORREGEDORIA DA SAÚDE
3ª COMISSÃO PERMANENTE DE DISCIPLINA
EDITAL DE CITAÇÃO
A presidente da 3ª Comissão Permanente de Disciplina, sediada no SAIN Parque Rural,
Bloco “B”, Subsolo, Asa Norte, Brasília/DF, designada por meio da Portaria nº 415, de 02 de
agosto de 2012, publicada no DODF de 06 de agosto de 2012, do Senhor Corregedor-Geral
da Corregedoria da Saúde/SES, RESOLVE: na forma do artigo 238, parágrafos 3º e 4º da Lei
Complementar nº 840 de 23 de dezembro de 2012, CITAR, pelo presente EDITAL, a servi-
dora RENATA VASQUES PALHETA, matrícula 169.798-6, integrante do quadro de pessoal
da Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal, que se encontra em lugar incerto e não
sabido, para comparecer perante esta Comissão, que funciona no endereço acima descrito, com
a ?nalidade de tomar conhecimento da instauração do Processo Administrativo D0isciplinar nº
060.014.766/2012, (PAD 216/2012), instaurado pela Portaria 629 de 19 de novembro de 2012,
publicada no DODF de 21/11/2012, bem como, prestar o respectivo interrogatório e acompa-
nhar o feito na condição de acusada por suposto abandono de cargo. Fica ainda ciente de que,
convocada pelo presente EDITAL, pelo prazo de 15 (quinze) dias, a partir desta publicação,
se não comparecer, os trabalhos da comissão seguirão sem a sua presença e será acompanhado
por defensor dativo a ser designado pela autoridade competente.
MARIA APARECIDA RODRIGUES
SECRETARIA DE ESTADO DE SEGURANÇA PÚBLICA
POLICIA MILITAR DO DISTRITO FEDERAL
EDITAL N.º 41 – DGP/PMDF, DE 11 DE DEZEMBRO DE 2012
CONCURSO PÚBLICO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO
DE PRAÇAS DA POLÍCIA MILITAR DO DISTRITO FEDERAL
O COMANDANTE-GERAL DA POLÍCIA MILITAR DO DISTRITO FEDERAL, no uso de
suas atribuições legais e tendo em vista a autorização concedida pelo Conselho Permanente
Recursos Humanos (CPRH) da Secretaria de Estado de Gestão Administrativa do Distrito Fe-
deral, nos autos do Processo Administrativo nº 054.000.192/2011, publicada no Diário O?cial
do Distrito Federal nº 96, de 17 de maio de 2012, faz saber que estarão abertas as inscrições ao
concurso público para admissão ao Curso de Formação de Praças (CFP) com a graduação de
Soldado Policial Militar da Polícia Militar do Distrito Federal do Quadro de Praças Policiais
Militares Combatentes - QPPMC, do Quadro de Praças Policiais Militares Especialistas Cor-
neteiros - QPMP-7 e do Quadro de Praças Policiais Militares Especialistas Músicos - QPMP-4,
de acordo com as normas estabelecidas na Constituição Federal do Brasil; na Lei Orgânica do
Distrito Federal; no Estatuto dos Policiais Militares da PMDF (Lei n
o
7.289/1984 e suas altera-
ções); na Lei de Organização Básica (Lei n
o
6.450/1977 e suas alterações); na Lei nº 9.713/1998;
na Lei nº 10.486/2002; na Lei n
o
11.134/2005; na Lei n
o
12.086/2009; na Lei n
o
4.375/1964;
no Decreto n
o
57.654/1966; na Lei Distrital n
o
4.949/2012; e ainda, de acordo com este edital.
1. DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES
1.1. O concurso será regido por este edital e executado pela Fundação Universa e pela Polícia
Militar do Distrito Federal (PMDF).
1.2. O concurso público destina-se a admissão ao Curso de Formação de Praças (CFP).
1.3. O concurso público de admissão constará de 5 (cinco) etapas para os candidatos ao Quadro
de Praças Policiais Militares Combatentes - QPPMC e 6 (seis) etapas para os candidatos ao
Quadro de Praças Policiais Militares Especialistas Corneteiros - QPMP-7 e ao Quadro de Praças
Policiais Militares Especialistas Músicos - QPMP-4, a saber:
a) primeira etapa – exame de habilidades e conhecimentos, aferidos por meio de aplicação de
prova objetiva e de prova discursiva (redação em Língua Portuguesa), de caráter eliminatório
e classi?catório, a ser realizada pela Fundação Universa.
b) segunda etapa – teste de aptidão física (TAF), de caráter unicamente eliminatório, a ser
realizada pela Fundação Universa.
c) terceira etapa – exames médicos, de caráter unicamente eliminatório, a ser realizada pela
Fundação Universa.
d) quarta etapa – avaliação psicológica, de caráter unicamente eliminatório, a ser realizada
pela Fundação Universa.
e) quinta etapa – sindicância da vida pregressa e investigação social, de caráter unicamente
eliminatório, a ser realizada pela PMDF.
f) sexta etapa – prova prática instrumental de música, de caráter unicamente eliminatório, a
ser realizada pela Polícia Militar do Distrito Federal, para os candidatos ao Quadro de Praças
Policiais Militares Especialistas Corneteiros - QPMP-7 e para os candidatos ao Quadro de
Praças Policiais Militares Especialistas Músicos - QPMP-4.
1.4. As provas e etapas referentes ao concurso público serão aplicadas na cidade de Brasília/DF.
1.5. Em caso de indisponibilidade de locais adequados ou su?cientes na localidade de realização
das provas, estas poderão ser realizadas em outras localidades no Distrito Federal.
1.6. Os horários mencionados no presente edital e nos demais editais a serem publicados para
o certame obedecerão ao horário o?cial de Brasília.
2. DO CARGO: DESCRIÇÃO SUMÁRIA DAS ATRIBUIÇÕES, REMUNERAÇÃO, QUAN-
TIDADE DE VAGAS, CADASTRO-RESERVA, REGIME E JORNADA DE TRABALHO
2.1. CARGO: Policial Militar na graduação de Soldado do Quadro de Praças Policiais Militares
Combatentes - QPPMC, do Quadro de Praças Policiais Militares Especialistas Corneteiros -
QPMP-7 e do Quadro de Praças Policiais Militares Especialistas Músicos - QPMP-4.
2.2. DESCRIÇÃO SUMÁRIA DAS ATRIBUIÇÕES: É atribuição do Soldado Policial Mi-
litar desempenhar atividade policial militar nas diversas tarefas atribuídas à PMDF, visando
à preservação da ordem pública, e executar outros serviços previstos em leis, regulamentos
e normas, sendo que aos Soldados Especialistas, além das atribuições citadas, cabem ainda,
as atribuições relativas ao Quadro de Corneteiros e de Músicos da Polícia Militar do Distrito
Federal (PMDF), conforme regulamentação do Comando da Corporação.
2.3. REMUNERAÇÃO
2.3.1. Durante o Curso de Formação de Praças – Soldado de 2.ª classe: R$ 3.322,51 (três mil,
trezentos e vinte e dois reais e cinquenta e um centavos), mais auxílio alimentação no valor de
R$ 650,00 (seiscentos e cinquenta reais).
2.3.2. Após o Curso de Formação de Praças – Soldado de 1.ª classe: R$ 4.306,79 (quatro mil,
trezentos e seis reais e setenta e nove centavos), mais auxílio alimentação no valor de R$ 650,00
(seiscentos e cinquenta reais).
2.4. QUANTIDADE DE VAGAS
2.4.1. CARGO: SOLDADO POLICIAL MILITAR DO QUADRO DE PRAÇAS POLICIAIS
MILITARES COMBATENTES – QPPMC (CÓDIGO 101)
2.4.1.1. NÚMERO DE VAGAS: 964 (novecentos e sessenta e quatro) vagas, sendo 790 (se-
tecentos e noventa) vagas para candidatos do sexo masculino e 174 (cento e setenta e quatro)
vagas para candidatos do sexo feminino.
2.4.2. CARGO: SOLDADO POLICIAL MILITAR DO QUADRO DE PRAÇAS POLICIAIS
MILITARES ESPECIALISTAS CORNETEIROS - QPMP-7 (CÓDIGO 102)
2.4.2.1. NÚMERO DE VAGAS: 24 (vinte e quatro) vagas para candidatos de ambos os sexos.
2.4.3. CARGO: SOLDADO POLICIAL MILITAR DO QUADRO DE PRAÇAS POLICIAIS
MILITARES ESPECIALISTAS MÚSICOS - QPMP-4 (CÓDIGO 103)
2.4.3.1. NÚMERO DE VAGAS: 12 (doze) vagas para candidatos de ambos os sexos, conforme
a especialidade/instrumento da tabela abaixo:
ESPECIALIDADE/INSTRUMENTO VAGAS
OBOÉ / CORNE INGLÊS 1
CLARINETA ALTO Eb / CLARINETE Bb 1
CLARINETE BAIXO Bb (clarone) / CLARINETE Bb 1
SAXOFONE ALTO / SAXOFONE SOPRANO 1
TROMPA 1
TROMPETE 2
TROMBONE TENOR 1
TROMBONE BAIXO / TROMBONE TENOR 1
TUBA 1
BATERIA 1
PERCUSSÃO SINFÔNICA 1
TOTAL 12
2.5. REGIME JURÍDICO DE TRABALHO: O Soldado PM de 2.ª classe aprovado no Curso
de Formação de Praças (CFP) será promovido a Soldado PM de 1.ª classe, de acordo com o
Estatuto dos Policiais Militares da PMDF (Lei n.º 7.289/84, alterada pelas Leis n.ºs 7.475/86,
10.486/02 e 11.134/05) e o Regulamento para o Corpo de Praças da PMDF (Decreto GDF n.º
10.260/87), respeitadas as prescrições da Lei do Serviço Militar e seu regulamento, salvo o
candidato incluído na PMDF de forma precária em cumprimento à determinação judicial, caso
não haja ordem expressa para sua promoção.
2.6. JORNADA DE TRABALHO: O desempenho da atividade policial militar é de dedicação
integral, podendo o policial militar ser convocado, em qualquer dia e horário, a critério da
necessidade do emprego pela PMDF, observados os dispositivos legais.
3. DOS REQUISITOS PARA INVESTIDURA DO CARGO
3.1. Os candidatos deverão observar os requisitos gerais para ingresso na PMDF e matrícula
no Curso de Formação de que trata este edital.
3.2. DOS REQUISITOS GERAIS
a) ter nacionalidade brasileira;
b) ter concluído curso de nível superior de graduação, em qualquer área de formação, com-
provado por diploma de conclusão de ensino superior, reconhecido pelos sistemas de ensino
federal, estadual ou do Distrito Federal;
c) possuir a idade mínima de 18 (dezoito) anos completos, até a data de ingresso na PMDF, e
a idade máxima de 30 (trinta) anos completos, até o último dia de inscrição no concurso (não
ter completado 31 (trinta e um) anos de idade);
d) estar em dia com as obrigações eleitorais e em pleno gozo dos direitos políticos;
e) ter descalço e descoberto a altura mínima de 1,65m para os candidatos do sexo masculino e
de 1,60m para os candidatos do sexo feminino;
f) não ser ex-aluno de estabelecimento de ensino policial ou militar desligado por
motivos disciplinares;
f) apresentar Certi?cado de Reservista de 1.ª ou 2.ª Categoria, ou ainda Certi?cado de Dispensa
de Incorporação, em caso de candidato do sexo masculino;
h) ser aprovado, dentro do número de vagas oferecidas, no concurso público objeto do presente
edital, observado o prazo de validade do concurso;
i) possuir conduta ilibada;
j) gozar de boa saúde e ter aptidão física e mental para o exercício das atribuições do cargo;
k) ter procedimento irrepreensível e idoneidade moral inatacável, os quais serão aferidos por
meio de Sindicância de Vida Pregressa e Investigação Social;
l) não estar cumprindo sanção por inidoneidade, aplicada por qualquer órgão público federal,
distrital, estadual ou municipal;
PÁGINA 74
Diário O?cial do Distrito Federal
Nº 250, quarta-feira, 12 de dezembro de 2012
m) cumprir as demais determinações contidas neste edital, em editais complementares e na
legislação em vigor e ter sido aprovado no concurso público.
4. DA SOLICITAÇÃO DE ISENÇÃO DA TAXA DE INSCRIÇÃO
4.1. Não haverá isenção total ou parcial do valor da taxa de inscrição, exceto para os candidatos
amparados pela Lei n.º 4.949, de 15 de outubro de 2012, que deverão proceder da seguinte forma:
a) o candidato amparado pelo inciso I do artigo 27 da Lei n.º 4.949/12, que desejar a isenção
de pagamento da taxa de inscrição deverá apresentar certi?cados que o quali?quem como do-
ador de sangue, outorgados por instituição pública de saúde, e que comprovem no mínimo três
doações de sangue realizadas menos de um ano antes da inscrição para este concurso público;
b) o candidato amparado pelo inciso II do artigo 27 da Lei n.º 4.949/12, deverão comprovar
ser bene?ciário de programa social de complementação ou suplementação de renda instituído
pelo Governo do Distrito Federal.
4.2. Nesses casos o candidato deverá dirigir-se à Central de Atendimento ao Candidato da
Fundação Universa, localizada no SGAN 609, Módulo A, Asa Norte, Brasília/DF, nos dias 20,
21, 26, 27 e 28 de dezembro de 2012, no horário das 10 (dez) horas às 17 (dezessete) horas,
ininterruptamente, preencher requerimento e entregar a documentação comprobatória para ?ns
de isenção da taxa de inscrição.
4.2.1. O candidato deverá entregar cópias autenticadas ou cópia simples acompanhadas dos
originais dos documentos previstos no subitem 4.1.
4.3. Será considerada nula a isenção de pagamento de taxa de inscrição ao candidato que:
a) omitir informações e(ou) apresentar informações inverídicas;
b) fraudar e(ou) falsi?car documentação.
4.3.1. Nesse caso, o candidato terá sua situação informada à autoridade policial competente
para as providências cabíveis.
4.4. Não será concedida isenção de taxa de inscrição ao candidato que:
a) pleitear a isenção sem apresentar os documentos previstos neste edital;
b) não observar o período, o local e o horário estabelecido para a solicitação de isenção.
4.5. Não será permitida, após a entrega do requerimento de isenção de taxa de inscrição e dos
documentos comprobatórios citados neste edital, complementação da documentação bem como
revisão e(ou) recurso.
4.6. Não será aceita solicitação de isenção de taxa de inscrição via postal, fax e(ou) correio
eletrônico, tampouco por procuração.
4.7. Não haverá recurso contra o indeferimento do requerimento de isenção da taxa de inscrição.
4.8. Ao término da apreciação dos requerimentos de isenção de taxa de inscrição e dos respecti-
vos documentos, a Fundação Universa divulgará, no endereço eletrônico http:// www.universa.
org.br, na data provável de 4 de janeiro de 2013, a listagem contendo o resultado de?nitivo do
pedido de isenção de taxa de inscrição.
4.9. Após divulgada a listagem contendo o resultado de?nitivo do pedido de isenção da taxa
de inscrição, o candidato deverá, independentemente do resultado, realizar a sua inscrição para
participar do certame, conforme item 5 deste edital.
5. DA INSCRIÇÃO
5.1. DA TAXA DE INSCRIÇÃO: R$ 62,00 (sessenta e dois reais).
5.2. As inscrições poderão ser efetuadas em posto de atendimento presencial ou via Internet,
conforme procedimentos especi?cados a seguir.
5.3. DA INSCRIÇÃO NO POSTO DE ATENDIMENTO PRESENCIAL
5.3.1. PERÍODO: de 7 de janeiro de 2013 a 18 de fevereiro de 2013 (exceto sábados, domingos
e feriados).
5.3.2. LOCAL: Central de Atendimento ao Candidato da Fundação Universa, localizada no
SGAN 609, Módulo A, Asa Norte, Brasília/DF.
5.3.3. HORÁRIO: das 10 (dez) horas às 17 (dezessete) horas, ininterruptamente.
5.3.4. Para efetuar a inscrição no posto de atendimento presencial, o candidato deverá:
a) informar os dados pessoais constantes no formulário de inscrição como: nome, endereço,
CEP, telefone(s) para contato, número de documento de identidade, número de Cadastro de
Pessoa Física (CPF), entre outros;
b) receber da Fundação Universa o boleto de cobrança para pagamento em toda rede bancária;
c) encaminhar-se a uma agência bancária munido do boleto de cobrança correspondente e
efetuar o pagamento da taxa de inscrição; a data de vencimento do boleto bancário é 19 de
fevereiro de 2013.
5.3.5. O candidato deverá indicar, no formulário de inscrição, o cargo para o qual deseja con-
correr, com expressa referência ao respectivo código.
5.3.6. Não serão aceitas, posteriormente, solicitações de alteração de cargo indicado no formu-
lário de inscrição via presencial.
5.3.6.1. Somente será aceita inscrição para 1 (um) cargo.
5.3.7. As inscrições efetuadas no posto de atendimento presencial somente serão acatadas após
a comprovação de pagamento da taxa de inscrição.
5.3.8. Será admitida a inscrição por terceiros, mediante a entrega de procuração do interessado,
com ?rma reconhecida em cartório, acompanhada de cópia legível de documento de identidade
do candidato. Esses documentos serão retidos no ato de inscrição.
5.3.9. O candidato inscrito por procuração assume total responsabilidade pelas informações
prestadas por seu procurador, arcando com as consequências de eventuais erros de seu repre-
sentante no preenchimento do formulário de inscrição e em sua entrega.
5.4. INSCRIÇÃO VIA INTERNET
5.4.1. A inscrição poderá ser efetuada via Internet, no endereço eletrônico http://www.universa.
org.br, no período entre 8 (oito) horas do dia 7 de janeiro de 2013 e 20 (vinte) horas do dia 18
de fevereiro de 2013, observado o horário o?cial de Brasília.
5.4.2. O candidato deverá indicar, no formulário de inscrição, o cargo para o qual deseja con-
correr, com expressa referência ao respectivo código.
5.4.3. Não serão aceitas, posteriormente, solicitações de alteração de cargo indicado no formu-
lário de inscrição via Internet.
5.4.3.1. Somente será aceita inscrição para 1 (um) cargo.
5.4.4. A Fundação Universa não se responsabilizará por solicitação de inscrição via Internet
não recebida por motivos de ordem técnica dos computadores, falhas de comunicação, con-
gestionamento das linhas de comunicação, bem como outros fatores de ordem técnica que
impossibilitem a transferência de dados.
5.4.5. O candidato que desejar realizar sua inscrição via Internet deverá efetuar o pagamento
da taxa de inscrição por meio de boleto bancário, pagável em toda a rede bancária.
5.4.5.1. O boleto bancário estará disponível no endereço eletrônico http://www.universa.org.br e
deverá ser impresso para o pagamento da taxa de inscrição após a conclusão do preenchimento
do formulário de inscrição on-line.
5.4.5.2. O pagamento da taxa de inscrição por meio de boleto bancário deverá ser efetuado até
o dia 19 de fevereiro de 2013.
5.4.6. As inscrições efetuadas via Internet somente serão acatadas após a comprovação de
pagamento da taxa de inscrição.
5.4.7. O candidato inscrito via Internet não deverá enviar à Fundação Universa cópia de docu-
mento de identidade, sendo de sua exclusiva responsabilidade a correção e a veracidade dos
dados cadastrais informados no ato de inscrição, sob as penas da lei.
5.4.8. Informações complementares acerca da inscrição via Internet estarão disponíveis no
endereço eletrônico http://www.universa.org.br.
5.5. DOS CANDIDATOS QUE NECESSITAM DE ATENDIMENTO ESPECIAL PARA
REALIZAÇÃO DA PROVA
5.5.1. O candidato que necessitar de atendimento especial no dia de aplicação das provas ob-
jetiva e discursiva deverá indicar no formulário de inscrição ou na solicitação de inscrição via
Internet, os recursos especiais necessários e, ainda, enviar, até o dia 18 de fevereiro de 2013,
impreterivelmente, via SEDEX ou por carta registrada com aviso de recebimento (AR), para a
Fundação Universa – Concurso Público Polícia Militar do Distrito Federal, Caixa Postal 2.641,
CEP 70.275-970, Brasília/DF, laudo médico, original ou cópia autenticada, e o requerimento no
formato constante no Anexo III deste edital, que justi?que o atendimento especial solicitado.
Após esse período, a solicitação será indeferida.
5.5.2. O laudo médico e o requerimento no formato constante no Anexo III deste edital, referido
no subitem 5.5.1 deste edital, poderão, ainda, ser entregues, durante o período de inscrições
citado no subitem 5.3.1, das 10 (dez) horas às 17 (dezessete) horas, pessoalmente ou por ter-
ceiro, na Central de Atendimento ao Candidato da Fundação Universa, localizada no endereço
citado no subitem 5.3.2 deste edital.
5.5.2.1. O laudo médico, referido no subitem 5.5.1 deste edital, valerá somente para este concurso
público e não será devolvido. Nesse caso, também não será fornecida cópia do referido laudo. O
requerimento para análise não poderá estar fora do formato constante no Anexo III deste edital.
5.5.3. A candidata que tiver necessidade de amamentar no dia de aplicação das provas objetiva
e discursiva deverá preencher o requerimento no formato constante no Anexo III e, ainda, levar
um acompanhante, que ?cará em sala reservada para essa ?nalidade e que será responsável pela
guarda da criança. A candidata que não levar acompanhante não fará a prova.
5.5.4. A solicitação de atendimento especial será atendida segundo os critérios de viabilidade
e de razoabilidade.
5.5.5. Ao término da apreciação dos requerimentos de atendimento especial para a realização
das provas objetiva e discursiva e dos respectivos documentos, a Fundação Universa divulgará,
no endereço eletrônico http://www.universa.org.br, na data provável de 25 de fevereiro de 2012,
a listagem contendo o resultado da apreciação dos requerimentos.
5.6. DAS DISPOSIÇÕES GERAIS SOBRE A INSCRIÇÃO NO CONCURSO PÚBLICO
5.6.1. Antes de efetuar a inscrição, o candidato deverá conhecer este edital e certi?car-se de que
preenche todos os requisitos exigidos e de que está de acordo com o seu conteúdo.
5.6.2. O candidato deverá declarar, no formulário de inscrição, que tem ciência e que aceita
que, caso aprovado, deverá entregar, por ocasião da posse, os documentos comprobatórios dos
requisitos básicos exigidos para o respectivo cargo, conforme o disposto no item 3 deste edital.
5.6.3. É vedada a inscrição condicional, fora do prazo de inscrição, via postal, fax e(ou)
correio eletrônico.
5.6.4. Para efetuar a inscrição, é imprescindível o número de CPF do candidato e o nome
completo dos pais.
5.6.4.1. O candidato que não possuir CPF deverá solicitá-lo nos postos credenciados, localizados
em qualquer agência do Banco do Brasil, da Caixa Econômica Federal e dos Correios, ou na
Receita Federal, em tempo hábil, isto é, de forma que consiga obter o respectivo número antes
do término do período de inscrição.
5.6.5. As informações prestadas no formulário de inscrição serão de inteira responsabilidade
do candidato, dispondo a Fundação Universa do direito de excluir do concurso público aquele
que não preencher o formulário de forma completa, correta e legível.
5.6.5.1. O candidato deverá obrigatoriamente preencher de forma completa os campos referentes
a nome, endereço e telefone, bem como deverá informar o CEP correspondente à sua residência.
5.6.6. As informações prestadas, bem como a documentação apresentada, serão de inteira
responsabilidade do candidato, respondendo este por qualquer falsidade.
5.6.7. O valor referente ao pagamento da taxa de inscrição não será devolvido em nenhuma
hipótese, salvo nas condições legalmente previstas.
5.6.8. No caso do pagamento da taxa de inscrição ser efetuado com cheque bancário que, por-
ventura, venha a ser devolvida, por qualquer motivo, a Fundação Universa reserva-se o direito
de tomar as medidas legais cabíveis, inclusive a não efetivação da inscrição.
PÁGINA 75
Diário O?cial do Distrito Federal
Nº 250, quarta-feira, 12 de dezembro de 2012
5.6.9. É vedada a transferência para terceiros do valor pago da taxa de inscrição ou
para outros concursos.
6. DO COMPROVANTE DEFINITIVO DE INSCRIÇÃO E LOCAL DE PROVA
6.1. A Fundação Universa disponibilizará o comprovante de?nitivo de inscrição na data provável
de 13 de março de 2013. O comprovante deverá ser retirado pessoalmente ou por procurador,
mediante procuração simples, com dispensa de ?rma reconhecida em cartório, na Central de
Atendimento ao Candidato da Fundação Universa, localizada no SGAN 609, Módulo A, Asa
Norte, Brasília/DF, no horário das 10 (dez) horas às 17 (dezessete) horas, ininterruptamente.
6.1.1. O candidato também poderá obter seu comprovante de?nitivo de inscrição no endereço
eletrônico http://www.universa.org.br, a partir da data citada no subitem anterior.
6.1.2. O comprovante de?nitivo de inscrição terá a informação do local e do horário de realização
das provas objetiva e discursiva, o que não desobriga o candidato do dever de observar o edital
de divulgação de local e de horário de aplicação das provas, que será oportunamente publicado.
6.1.3. O comprovante de?nitivo de inscrição deverá ser mantido em poder do candidato e
apresentado no local de realização das provas.
6.1.4. É de responsabilidade exclusiva do candidato a obtenção do comprovante de?nitivo de
inscrição pelos meios citados nos subitens 6.1 e 6.1.1 deste edital.
7. DAS ETAPAS DO CONCURSO PÚBLICO
7.1. Para o cargo Soldado Policial Militar do Quadro de Praças Policiais Militares Combatentes
– QPPMC (Código 101) serão aplicadas provas objetivas, abrangendo os objetos de avaliação
constantes no Anexo I deste edital, prova discursiva, teste de aptidão física (TAF), exames
médicos, avaliação psicológica, sindicância da vida pregressa e investigação social.
7.2. Para os cargos Soldado Policial Militar do Quadro de Praças Policiais Militares Especialistas
Corneteiros - QPMP-7 (Código 102) e Soldado Policial Militar do Quadro de Praças Policiais
Militares Especialistas Músicos - QPMP-4 (Código 103) serão aplicadas provas objetivas,
abrangendo os objetos de avaliação constantes no Anexo I deste edital, prova discursiva, teste
de aptidão física (TAF), exames médicos, avaliação psicológica, sindicância da vida pregressa,
investigação social e prova prática instrumental de música conforme a especialidade/instrumento.
7.3. A eliminação, inaptidão ou inabilitação do candidato em qualquer uma das etapas descritas
neste edital implicará a sua eliminação do certame.
8. DOS OBJETOS DE AVALIAÇÃO (HABILIDADES E CONHECIMENTOS)
8.1. DAS HABILIDADES
8.1.1. As questões da prova objetiva e a prova discursiva poderão avaliar habilidades relacio-
nadas à aplicação do conhecimento, abrangendo compreensão, aplicação, análise, síntese e
avaliação, valorizando o raciocínio e envolvendo situações relacionadas às atribuições do cargo
e ao conteúdo programático constante do Anexo I deste edital.
8.1.2. As questões da prova objetiva e a prova discursiva poderão contemplar mais de uma
habilidade e mais de um conhecimento relativo à respectiva área de conhecimento.
8.2. CONHECIMENTOS
8.2.1. Na prova objetiva e na prova discursiva, serão avaliados, além das habilidades, conhe-
cimentos especi?cados no Anexo I deste edital.
8.2.2. A prova discursiva avaliará, ainda, a capacidade de expressão na modalidade escrita
e o uso das normas do registro formal culto da Língua Portuguesa, considerando o novo
acordo ortográfico.
9. DAS PROVAS OBJETIVA E DISCURSIVA
9.1. As provas objetiva e discursiva terão a duração de 4 (quatro) horas e 30 (trinta) minutos e
serão aplicadas na data provável de 24 de março de 2013, no turno vespertino.
9.2. Os locais e os horários de aplicação das provas serão divulgados no endereço eletrô-
nico http://www.universa.org.br e no Diário Oficial do Distrito Federal, na data provável
de 13 de março de 2013.
9.3 DA PROVA OBJETIVA
9.3.1. A prova objetiva, de caráter eliminatório e classi?catório, será composta de 60 (sessenta)
questões e avaliará as habilidades e os conhecimentos do candidato, constantes deste item e do
conteúdo programático, listado no Anexo I deste edital.
9.3.2. A prova objetiva será composta da seguinte forma:
9.3.2.1. Conhecimentos gerais, contendo 20 (vinte) questões, peso 1 (um).
9.3.2.2. Conhecimentos especí?cos, contendo 40 (quarenta) questões, peso 2 (dois).
9.3.3. A prova objetiva será composta por questões de múltipla escolha, com 5 (cinco) alter-
nativas em cada questão, para escolha de 1 (uma) única resposta correta, e pontuação total
variando entre o mínimo de 0,00 (zero) ponto e o máximo de 100,00 (cem) pontos, de acordo
com o número de questões de?nidos no subitem 9.3.2 deste edital.
9.3.4. O candidato deverá transcrever, com caneta esferográ?ca de tinta preta ou azul, fabricada
com material transparente, as respostas da prova objetiva para a folha de respostas, que será
o único documento válido para a correção da prova. O preenchimento da folha de respostas
será de inteira responsabilidade do candidato, que deverá proceder em conformidade com as
instruções especí?cas contidas neste edital, no caderno de provas e na folha de respostas. Em
nenhuma hipótese haverá substituição da folha de respostas por erro do candidato.
9.3.5. Serão de inteira responsabilidade do candidato os prejuízos advindos do preen-
chimento indevido da folha de respostas. Serão consideradas marcações indevidas as
que estiverem em desacordo com este edital e(ou) com a folha de respostas, tais como:
marcação rasurada ou emendada, campo de marcação não preenchido integralmente e(ou)
mais de uma marcação por questão.
9.3.6. O candidato não deverá amassar, molhar, dobrar, rasgar ou, de qualquer modo, dani?car
a sua folha de respostas, sob pena de arcar com os prejuízos advindos da impossibilidade de
realização da leitura óptica.
9.3.7. Não será permitido que as marcações na folha de respostas sejam feitas por outras
pessoas, salvo em caso de candidato portador de de?ciência, se a de?ciência impossibilitar a
marcação pelo próprio candidato, e de candidato que solicitou atendimento especial, observado
o disposto no subitem 5.5 deste edital. Nesse caso, o candidato será acompanhado por um ?scal
da Fundação Universa devidamente treinado.
9.3.7.1. O ?scal referido no subitem 9.3.7 deverá obedecer a todas as regras de segurança do
concurso público, aplicáveis ao candidato.
10. DA PROVA DISCURSIVA
10.1. A prova discursiva, de caráter eliminatório e classi?catório, será realizada no mesmo dia e
dentro do prazo de duração previsto para a aplicação da prova objetiva, conforme estabelecido
no subitem 9.1.
10.2. A prova discursiva terá como objetivo avaliar conteúdos relacionados aos conhecimentos
gerais, capacidade de expressão na modalidade escrita e uso das normas do registro formal culto
da Língua Portuguesa, considerando o novo acordo ortográ?co, bem como, clareza, precisão,
consistência e concisão do texto produzido.
10.3. A prova discursiva consistirá na elaboração de texto dissertativo, narrativo e(ou) descritivo,
que deverá ter extensão máxima de 30 (trinta) linhas, com base em tema formulado pela banca
examinadora, referente ao conteúdo programático constante no Anexo I deste edital, primando
pela clareza, precisão, consistência, concisão e aderência às normas do registro formal.
10.3.1. A prova discursiva receberá pontuação máxima igual a 10,0 (dez) pontos.
10.4. A prova discursiva deverá ser manuscrita, em letra legível, com caneta esferográ?ca de
tinta preta ou azul, fabricada com material transparente, não sendo permitida a interferência
e(ou) a participação de outras pessoas, salvo em caso de candidato portador de de?ciência, se a
de?ciência impossibilitar a redação pelo próprio candidato, e de candidato que solicitou atendi-
mento especial, observado o disposto no subitem 5.5 deste edital. Nesse caso, o candidato será
acompanhado por um ?scal da Fundação Universa, devidamente treinado, para o qual deverá
ditar o texto, especi?cando oralmente a gra?a das palavras e os sinais grá?cos de pontuação.
10.4.1. O ?scal referido no subitem 10.4 deverá obedecer a todas as regras de segurança do
concurso público, aplicáveis ao candidato.
10.5. O procedimento previsto no subitem 10.4 será gravado em áudio, para futura veri?cação,
a critério da Fundação Universa e da Polícia Militar do Distrito Federal.
10.6. A folha de texto de?nitivo da prova discursiva não poderá ser assinada, rubricada nem
conter, em outro local que não o apropriado, qualquer palavra ou marca que a identi?que,
sob pena de anulação da prova discursiva. Assim, a detecção de qualquer marca identi?ca-
dora nos espaços destinados à transcrição de texto de?nitivo acarretará a anulação da prova
discursiva do candidato.
10.6.1. O uso de título na prova discursiva será considerado como identi?cação do candidato;
acarretando, assim, a anulação da prova discursiva.
10.6.2. O uso do tema como título na prova discursiva será considerado como identi?cação do
candidato; acarretando, assim, a anulação da prova discursiva.
10.7. O candidato receberá nota zero na prova discursiva em casos de fuga ao tema, de não
haver texto ou de identi?cação em local indevido.
10.8. A folha de texto de?nitivo da prova discursiva será o único documento válido para a
avaliação da prova discursiva. Em nenhuma hipótese haverá substituição da folha de texto
de?nitivo por erro do candidato. A folha para rascunho, contida no caderno de provas, é de
preenchimento facultativo e não valerá para tal ?nalidade.
10.8.1. O candidato não deverá amassar, molhar, dobrar, rasgar ou, de qualquer modo, dani?-
car a sua folha contendo a resposta de?nitiva da questão discursiva, sob pena de arcar com os
prejuízos advindos da impossibilidade de leitura.
10.9. No texto avaliado, a adequação ao tema, a argumentação, a coerência argumentativa, a
elaboração crítica e o conhecimento técnico totalizarão a nota relativa ao domínio do conteúdo
(ND), assim distribuídos:
a) Tema / Texto (TX), pontuação máxima igual a 1,0 (um) ponto. Serão veri?cadas a adequação
ao tema (pertinência ao tema proposto), a adequação à proposta (pertinência quanto ao gênero
proposto) e a organização textual;
b) Argumentação (AR), pontuação máxima igual a 1,0 (um) ponto. Serão veri?cadas a especi-
?cação do tema, a seleção de ideias distribuídas de forma lógica, concatenadas e sem fragmen-
tação e a apresentação de informações fatos e opiniões pertinentes ao tema, com articulação e
consistência de raciocínio, sem contradição estabelecendo um diálogo contemporâneo;
c) Coerência Argumentativa (CA), pontuação máxima igual a 1,0 (um) ponto. Será veri?cada
a coerência argumentativa (seleção e ordenação de argumentos; relações de implicação ou de
adequação entre premissas e as conclusões que delas derivam ou entre a?rmações e as conse-
quências que delas decorrem);
d) Elaboração Crítica (EC), pontuação máxima igual a 1,0 (um) ponto. Serão veri?cadas a
elaboração de proposta de intervenção relacionada ao tema abordado e a pertinência dos argu-
mentos selecionados fundamentados em informações de apoio, estabelecendo relações lógicas,
que visem propor valores e conceitos.
10.10. Dessa forma, ND (domínio de conteúdo) = (TX + AR + CA + EC) x 2,5.
10.11. A avaliação do domínio da modalidade escrita da língua portuguesa totalizará o número
de erros (NE) do candidato, considerando-se aspectos como acentuação, gra?a, pontuação,
concordância, regência, morfossintaxe, propriedade vocabular e translineação.
10.12. Será computado o número total de linhas (TL) efetivamente escritas pelo candidato.
10.13. Será desconsiderado, para efeito de avaliação, qualquer fragmento de texto que for escrito
fora do local apropriado ou que ultrapassar a extensão máxima de 30 (trinta) linhas.
10.14. A nota na prova discursiva (NPD) será calculada da seguinte forma: NPD = ND -
((NE/TL) x 0,3).
10.15. Será atribuída nota zero ao candidato que obtiver NPD < 0,00.
PÁGINA 76
Diário O?cial do Distrito Federal
Nº 250, quarta-feira, 12 de dezembro de 2012
11. DAS DISPOSIÇÕES GERAIS A RESPEITO DAS PROVAS OBJETIVA E DISCURSIVA
11.1. São de responsabilidade exclusiva do candidato a identi?cação correta de seu local de
realização das provas e o comparecimento no dia e no horário determinados.
11.2. Não serão dadas, por telefone, fax e(ou) correio eletrônico, informações a respeito de
data, de local e de horário de aplicação de provas. O candidato deverá observar rigorosamente
os editais e os comunicados a serem publicados no Diário O?cial do Distrito Federal, a?xados
no mural de avisos da Fundação Universa e divulgados na Internet, no endereço eletrônico
http://www.universa.org.br.
11.3. O candidato deverá comparecer ao local designado para a realização das provas com
antecedência mínima de 1 (uma) hora do horário ?xado para o seu início, munido de caneta
esferográ?ca de tinta preta ou azul, fabricada com material transparente, de comprovante de-
?nitivo de inscrição e de documento de identidade original. Não será permitido o uso de lápis,
lapiseira/gra?te e(ou) borracha durante a realização das provas.
11.4. No dia da realização das provas, na hipótese de o nome do candidato não constar nas lis-
tagens o?ciais de candidatos inscritos, a Fundação Universa procederá à inclusão do candidato,
mediante a apresentação do boleto bancário autenticado pelo banco, comprovando o pagamento
da taxa de inscrição, com o preenchimento de 1 (um) formulário especí?co.
11.4.1. A inclusão de que trata o subitem 11.4 será realizada de forma condicional e será anali-
sada pela Fundação Universa, na fase de avaliação da prova objetiva e da prova discursiva, se
for o caso, com intuito de se veri?car a efetividade da referida inscrição.
11.4.2. Constatada a improcedência da inscrição de que trata o subitem 11.4, esta será automa-
ticamente cancelada, independentemente de qualquer formalidade, considerados nulos todos
os atos decorrentes.
11.5. Não será admitido ingresso de candidato no local de realização das provas após o horário
?xado para o seu início.
11.6. Não será permitida a leitura de nenhum material impresso ou anotações após o ingresso
do candidato na sala de aplicação das provas.
11.7. O candidato que se retirar da sala de aplicação de provas não poderá retornar a ela, em
nenhuma hipótese, exceto se sua saída for acompanhada, durante todo o tempo de ausência, de
?scal ou de membro da coordenação da Fundação Universa.
11.8. Serão considerados documentos de identidade: carteiras expedidas pelos Comandos
Militares, pelas Secretarias de Segurança Pública, pelos Institutos de Identi?cação e pelos
Corpos de Bombeiros Militares; carteiras expedidas pelos órgãos ?scalizadores de exercício
pro?ssional (ordens, conselhos, entre outros); passaporte brasileiro; certi?cado de reservista;
carteiras funcionais do Ministério Público; carteiras funcionais expedidas por órgão público
que, por lei federal, valham como identidade; carteira de trabalho; carteira nacional de habili-
tação (somente o modelo aprovado pelo art. 159 da Lei n.º 9.503, de 23 de setembro de 1997,
publicada no Diário O?cial da União de 24 de setembro de 1997).
11.8.1. Não serão aceitos como documentos de identidade: certidão de nascimento, CPF, título
eleitoral, carteira nacional de habilitação (modelo antigo), carteira de estudante, carteira fun-
cional sem valor de identidade, carteira nacional de habilitação com prazo de validade vencida,
nem documentos ilegíveis, não identi?cáveis e(ou) dani?cados.
11.9. Não será aceita cópia de documento de identidade, ainda que autenticada, bem como
protocolo de documento de identidade.
11.10. À exceção da situação prevista no subitem 11.11 deste edital, o candidato que não apre-
sentar documento de identidade original, na forma de?nida no subitem 11.8 deste edital, não
poderá fazer as provas e será automaticamente eliminado do concurso público.
11.11. Caso o candidato esteja impossibilitado de apresentar, no dia de aplicação da prova,
documento de identidade original, por motivo de perda, furto ou roubo, deverá ser apresentado
documento que ateste o registro da ocorrência em órgão policial, expedido há, no máximo, 30
(trinta) dias, ocasião em que será submetido à identi?cação especial, que compreenderá coleta
de dados, de assinaturas e de impressão digital em formulário próprio.
11.11.1. A identi?cação especial será exigida, também, ao candidato cujo documento de iden-
ti?cação apresente dúvidas relativas à titularidade, ?sionomia e(ou) à assinatura do portador.
11.12. Não serão aplicadas provas, em nenhuma hipótese, em local, em data e(ou) em horário
diferentes dos predeterminados em edital ou em comunicado.
11.13. Não será permitida, durante a realização das provas, a comunicação entre os candidatos
nem a utilização de máquinas calculadoras e(ou) similares, livros, anotações, réguas de cálculo,
impressos ou qualquer outro material de consulta.
11.14. No dia de realização das provas, não será permitido ao candidato permanecer com armas
ou aparelhos eletrônicos (bip, telefone celular, relógio de qualquer espécie, walkman, aparelho
portátil de armazenamento e de reprodução de músicas, vídeos e outros arquivos digitais, agen-
da eletrônica, notebook, tablets eletrônicos, palmtop, receptor, gravador, entre outros). Caso
o candidato leve algum aparelho eletrônico, este deverá permanecer desligado e, se possível,
com a bateria retirada durante todo o período de prova, devendo, ainda, ser acondicionado em
embalagem fornecida pela Fundação Universa. O descumprimento do disposto neste subitem
implicará a eliminação do candidato, constituindo tentativa de fraude.
11.15. Não será permitida a entrada de candidato no ambiente de provas com arma. O candidato
que estiver portando arma deverá se dirigir à Coordenação.
11.16. A Fundação Universa recomenda que o candidato não leve, no dia de realização da
prova, objeto algum citado nos subitens 11.14 e 11.15 deste edital. O funcionamento de
qualquer tipo de aparelho eletrônico durante a realização da prova implicará a eliminação
automática do candidato.
11.17. O controle de horário será efetuado conforme critério de?nido pela Fundação Universa.
11.18. Não será admitido, durante a realização da prova, o uso de boné, lenço, chapéu, gorro
ou qualquer outro acessório que cubra as orelhas do candidato.
11.19. O candidato que ?zer uso de aparelho auditivo, por orientação médica, deverá se iden-
ti?car ao representante da Fundação Universa e informar a utilização no momento da prova.
11.20. A Fundação Universa e a Polícia Militar do Distrito Federal não se responsabilizarão por
perdas ou extravios de objetos ou de equipamentos eletrônicos ocorridos durante a aplicação
das provas, nem por danos a eles causados.
11.21. Não haverá segunda chamada para a aplicação das provas, em nenhuma hipótese. O não
comparecimento às provas implicará a eliminação automática do candidato.
11.22. O candidato somente poderá retirar-se de?nitivamente da sala de aplicação da prova
após 1 (uma) hora de seu início. Nessa ocasião, o candidato não levará, em nenhuma hipótese,
o caderno de provas.
11.23. O candidato somente poderá retirar-se do local de aplicação das provas levando o caderno
de provas no decurso do último quarto de tempo destinado às provas.
11.24. A inobservância dos subitens 11.22 e 11.23 deste edital acarretará a não correção da
prova e, consequentemente, a eliminação do candidato do concurso público.
11.25. Terá suas provas anuladas e será automaticamente eliminado do concurso público o
candidato que, em qualquer momento do concurso ou durante a aplicação das provas:
a) utilizar ou tentar utilizar meios fraudulentos e(ou) ilegais para obter vantagens para si e(ou)
para terceiros, em qualquer etapa do concurso público;
b) for surpreendido dando e(ou) recebendo auxílio para a execução das provas;
c) utilizar-se de livro, dicionário, notas e(ou) impressos não autorizados e(ou) que se comunicar
com outro candidato;
d) utilizar-se de caneta que não seja a esferográ?ca de tinta preta ou azul, fabricada com ma-
terial transparente;
e) for surpreendido portando máquina fotográ?ca, telefone celular, relógio de qualquer espécie,
gravador, bip, receptor, pager, notebook, tablets eletrônicos, walkman, aparelho portátil de ar-
mazenamento e de reprodução de músicas, vídeos e outros arquivos digitais, agenda eletrônica,
palmtop, régua de cálculo, máquina de calcular e(ou) equipamento similar;
f) faltar com o devido respeito para com qualquer membro da equipe de aplicação das provas,
as autoridades presentes e(ou) os candidatos;
g) ?zer anotação de informações relativas às suas respostas no comprovante de?nitivo de
inscrição e(ou) em qualquer outro meio, que não os permitidos;
h) recusar-se a entregar o material das provas ao término do tempo destinado à sua realização;
i) afastar-se da sala, a qualquer tempo, sem o acompanhamento de ?scal ou de membro da
coordenação da Fundação Universa;
j) ausentar-se da sala, a qualquer tempo, portando a folha de respostas;
k) descumprir as instruções contidas no caderno de provas e nas folhas de respostas;
l) perturbar, de qualquer modo, a ordem dos trabalhos, incorrendo em comportamento indevido;
m) descumprir este edital e(ou) outros que vierem a ser publicados;
n) não permitir a coleta de sua assinatura;
o) for surpreendido portando qualquer tipo de arma e(ou) se negar a entregar a arma à
Coordenação;
p) não permitir ser submetido ao detector de metal.
11.26. Se, a qualquer tempo, for constatado, por meio eletrônico, estatístico, visual, grafológico
e(ou) por meio de investigação policial, ter o candidato utilizado de processo ilícito, suas provas
serão anuladas e ele será automaticamente eliminado do concurso público.
11.27. Não haverá, por qualquer motivo, prorrogação do tempo previsto para a aplicação das
provas em razão do afastamento de candidato da sala de provas.
11.28. No dia de aplicação das provas, não serão fornecidas, por nenhum membro da equipe
de aplicação das provas e(ou) pelas autoridades presentes, informações referentes ao conteúdo
das provas e(ou) aos critérios de avaliação e de classi?cação.
11.29. No dia de realização das provas, A Fundação Universa poderá submeter os candidatos
ao sistema de detecção de metal.
12. DO TESTE DE APTIDÃO FÍSICA (TAF)
12.1. O teste de aptidão física, de presença obrigatória, será realizado pela Fundação Universa
e visa avaliar a capacidade mínima do candidato para suportar, física e organicamente, as exi-
gências da prática de atividades físicas e demais exigências próprias da função policial militar.
12.2. O teste de aptidão física é de caráter eliminatório, sendo o candidato considerado
apto ou inapto.
12.3. O candidato será considerado apto quando obtiver o desempenho mínimo exigido em
todos os testes.
12.4. O candidato que não obtiver o desempenho mínimo exigido em qualquer dos testes de
aptidão física será considerado inapto e, consequentemente, eliminado do concurso público.
12.5. O candidato deverá comparecer em data, em local e em horário a serem determinados,
com roupa apropriada para a prática de educação física, munido de atestado médico original
especí?co para tal ?m, emitido há, no máximo, 15 (quinze) dias anteriores à realização dos testes.
12.6. O atestado médico deverá conter, expressamente, a informação de que o candidato está apto
a realizar o teste de aptidão física para o Concurso Público de admissão ao Curso de Formação
de Praças da Polícia Militar do Distrito Federal, sem qualquer restrição.
12.7. O atestado médico deverá conter a assinatura e o nome completo do médico responsável
por sua emissão, além do número de seu registro no Conselho Regional de Medicina (CRM).
12.8. Todas as informações constantes no atestado médico devem estar legíveis.
12.9. Não será aceito o atestado que não atenda os dispositivos contidos nos subitens 12.5 a
12.8 deste edital.
12.10. O atestado médico deverá ser entregue no momento da identi?cação do candidato para
o início da prova.
12.11. Não será aceita a entrega do atestado médico em momento posterior o teste
PÁGINA 77
Diário O?cial do Distrito Federal
Nº 250, quarta-feira, 12 de dezembro de 2012
de aptidão física.
12.12. O candidato que deixar de apresentar o atestado médico será impedido de realizar a
prova, sendo, consequentemente, eliminado do certame.
12.13. Os casos de alteração psicológica e(ou) ?siológica temporários (estados menstruais,
indisposições, cãibras, contusões, luxações, fraturas e etc.) que impossibilitem a realização
dos testes ou diminuam a capacidade física dos candidatos não serão levados em considera-
ção, não sendo concedido qualquer tratamento diferenciado, mesmo que ocorram durante a
realização dos testes.
12.13.1. A candidata que se apresentar no local, no dia e no horário estabelecidos no edital
especí?co de convocação, com atestado médico que comprove situação de gravidez que a im-
possibilite de realizar o teste de aptidão física, terá suspensa a sua avaliação física na presente
etapa. A candidata continuará participando das demais etapas e, caso aprovada em todas elas,
será convocada para a realização do teste de aptidão física, após o período máximo de 120
(centro e vinte) dias, a contar da data do parto ou ?m do período gestacional, de acordo com
a conveniência da administração, sem prejuízo da participação nas demais etapas do concur-
so. É de inteira responsabilidade da candidata procurar a Fundação Universa, após o período
mencionado para a realização da referida etapa.
12.14. Não haverá segunda chamada para a realização do teste de aptidão física.
12.15. Será eliminado do concurso público o candidato que não comparecer ao local, data e
horário previsto para a realização do teste de aptidão física, conforme subitem 12.5 deste edital.
12.16. Caberá ao Coordenador da Banca Examinadora decidir sobre quaisquer imprevistos
ocorridos durante a etapa do teste de aptidão física.
12.17. As provas previstas para o teste de aptidão física serão realizadas em até duas tentati-
vas, com exceção da corrida, que será realizada em apenas uma tentativa. Caso o candidato
não alcance o índice mínimo na primeira tentativa, poderá realizar, após 5 (cinco) minutos de
descanso, a segunda tentativa.
12.18. A contagem o?cial de tempo, da distância percorrida e do número de repetições efetu-
adas pelos candidatos em cada teste, será feita em voz alta e exclusivamente por componente
da banca examinadora.
12.19. A critério da Administração, a realização do teste de aptidão física poderá ser remarcada,
desde que devidamente justi?cada.
12.20. O teste de aptidão física consistirá em teste de barra ?xa, teste de ?exão abdominal e
teste de corrida de 12 (doze) minutos, não necessariamente nesta ordem.
12.21. As provas e os índices mínimos do teste de aptidão física – TAF obedecerão ao previsto
abaixo (masculino e feminino):
12.21.1. MASCULINO
Flexão dinâmica de braço na barra ?xa: 5 (cinco) repetições;
Flexão Abdominal: 35 (trinta e cinco) repetições, realizadas de forma ininterrupta;
Corrida de 12 (doze) minutos: 2.300 (dois mil e trezentos) metros.
12.21.2. FEMININO
Flexão estática de braço na barra ?xa: 10 (dez) segundos;
Flexão Abdominal: 28 (vinte e oito) repetições, realizadas de forma ininterrupta;
Corrida de 12 (doze) minutos: 1.900 (um mil e novecentos) metros.
12.22. DESCRIÇÃO DOS TESTES
12.22.1 Teste dinâmico de barra (sexo masculino)
12.22.1.1. Posição inicial: o candidato posiciona-se sob a barra, à frente do examinador. Ao
comando de “em posição”, o candidato empunhará a barra com as palmas das mãos voltadas
para fora (empunhadura em pronação), mantendo os braços completamente estendidos, com o
corpo na posição vertical, pernas estendidas e pés sem contato com o solo.
12.22.1.2. Execução: ao comando de “iniciar”, o candidato ?exionará simultaneamente os
cotovelos até ultrapassar com o queixo a parte superior da barra. Em seguida, voltará à posi-
ção inicial pela extensão completa dos braços. O corpo deve permanecer na posição vertical
durante o exercício.
12.22.1.2.1. A contagem das execuções corretas levará em consideração as seguintes
observações:
12.22.1.2.2. Será proibido ao candidato, quando da realização do teste dinâmico de barra:
a) tocar com o(s) pé(s) no solo ou em qualquer parte de sustentação da barra após o início
das execuções;
b) após a tomada de posição inicial, receber qualquer tipo de ajuda física;
c) apoiar o queixo na barra;
d) após ultrapassar o queixo em relação à barra, simplesmente soltar as mãos, em vez de com-
pletar o movimento com os cotovelos totalmente estendidos.
e) para evitar que os candidatos mais altos toquem os pés no solo, será permitido, neste caso,
a ?exão dos joelhos.
12.22.1.2.3. O auxiliar de banca irá contar em voz alta o número de repetições realizadas.
Quando o exercício não atender ao previsto neste edital, o auxiliar de banca repetirá o número
do último realizado de maneira correta.
12.22.1.2.4. A contagem considerada o?cialmente será somente a realizada pelo integrante da
banca examinadora.
12.22.2. Teste estático de barra (sexo feminino)
12.22.2.1. Posição inicial: a candidata posiciona-se sob a barra, à frente do examinador, pisando
sobre um ponto de apoio. Ao comando de “em posição”, a candidata empunhará a barra com
as palmas das mãos voltadas para fora (empunhadura em pronação), mantendo os braços com-
pletamente ?exionados, com o corpo na posição vertical, pernas estendidas e pés em contato
com o ponto de apoio.
12.22.2.2. Execução: ao comando de iniciar, o ponto de apoio é retirado, devendo a candidata
permanecer com os dois braços completamente ?exionados e com o queixo, no mínimo, alinhado
com a barra horizontal, porém sem apoiar com o queixo sobre a mesma. A partir dessa posição
o examinador, com o auxílio de um cronômetro, registrará o tempo (estático) de permanência
da candidata na posição.
12.22.2.2.1. A contagem do tempo levará em consideração as seguintes observações:
a) a largura da pegada deve ser aproximadamente a dos ombros;
b) o auxiliar de banca informará à candidata quando esta atingir o tempo mínimo
exigido pelo edital.
c) quando o exercício não atender ao previsto neste edital, o auxiliar de banca travará de imediato
o seu cronômetro e registrará o tempo obtido até o momento em que o exercício estava sendo
realizado de maneira prevista no edital;
d) o tempo de realização do exercício considerado o?cialmente será somente o realizado pelo
integrante da banca examinadora;
e) para evitar que as candidatas mais altas toquem os pés no solo, será permitido, neste caso,
a ?exão dos joelhos.
12.22.3. Teste de ?exão abdominal (ambos os sexos)
12.22.3.1. Posição inicial: o candidato posiciona-se à frente do examinador. Ao comando de “em
posição”, o executante tomará a posição deitado em decúbito dorsal, pés apoiados no solo com
os joelhos ?exionados e os calcanhares a não mais de 30 (trinta) cm das nádegas. O executante
coloca as mãos na nuca com os dedos entrecruzados e apoia o dorso das mãos ?rmemente no
solo. Os pés do executante são seguros por uma outra pessoa, para evitar que se levantem do solo.
12.22.3.2. Execução: ao comando de “iniciar”, o executante ?exionará o tronco com afastamento
de 45º (quarenta e cinco graus) em relação ao solo, retornando à posição inicial. Os comandos
para iniciar e terminar a prova serão dados por um silvo breve de apito.
12.22.3.2.1. A contagem das execuções corretas levará em consideração as seguintes
observações:
a) ao ?nal de cada repetição, a cabeça e o dorso das mãos devem encostar-se ao solo;
b) o auxiliar de banca irá contar em voz alta o número de repetições realizadas. Quando o
exercício não atender ao previsto neste edital, o auxiliar de banca repetirá o número do último
realizado de maneira correta;
c) cada execução começa e termina sempre na posição inicial – somente aí será contada como
sendo uma execução completa;
d) somente será contado o exercício realizado completamente;
e) A execução do teste deverá ser ininterrupta, não sendo permitido repouso ou pausa entre as
repetições. A pausa ou repouso entre as repetições serão considerados como término do exercício,
sendo computadas apenas as repetições realizadas até aquele momento.
12.22.4. Teste de corrida (ambos os sexos)
12.22.4.1. Execução: a prova será realizada em local previamente demarcado, com iden-
ti?cação da metragem ao longo do trajeto. O candidato terá o prazo de 12 (doze) minutos
para executar a prova. Para a realização da prova de corrida, o candidato poderá, durante os
doze minutos, deslocar-se em qualquer ritmo, correndo ou caminhando, podendo, inclusive,
parar e depois prosseguir.
12.22.4.1.1. Durante a realização do teste, o candidato não poderá abandonar a pista antes da
liberação do ?scal, dar ou receber qualquer tipo de ajuda física (como puxar, empurrar, carregar,
segurar na mão etc.), bem como não poderá deslocar-se, no sentido progressivo ou regressivo
da marcação da pista, depois de ?ndos os doze minutos, sem a respectiva liberação do ?scal,
sob pena de ser considerado inapto e, consequentemente, eliminado do concurso.
12.22.4.1.2. A execução desta prova levará em consideração as seguintes observações:
a) a distância percorrida pelo candidato, a ser considerada o?cialmente, será somente a realizada
pela banca examinadora;
b) o candidato poderá caminhar, parar e, se quiser, recomeçar a correr;
c) o candidato não poderá abandonar o local de corrida;
d) os comandos para iniciar e terminar a prova serão dados por um silvo de apito;
e) o relógio do examinador da prova controlará o tempo o?cial da prova, sendo o único que
servirá de referência para o início e término da mesma;
f) ao passar pelo local de início da prova, cada candidato deverá dizer o seu nome ou número
em voz alta para o auxiliar de banca que estiver marcando o seu percurso e será informado de
quantas voltas completou naquele momento;
g) após o apito que indica o término da prova, o candidato deve evitar parar bruscamente a
corrida, evitando ter um mal súbito. A orientação é para que o candidato continue a correr ou
caminhar no sentido transversal da pista, no ponto em que se encontrava quando soou o apito
de término do tempo da prova;
12.23. Demais informações a respeito do teste de aptidão física constarão de edital especí?co
de convocação para essa etapa.
13. DOS EXAMES MÉDICOS
13.1. Os exames médicos terão caráter eliminatório, sendo o candidato considerado apto ou
inapto, a etapa será realizada por uma Junta Médica O?cial, constituída por pro?ssionais mé-
dicos da Fundação Universa.
13.2. Os exames médicos compreendem exames clínico, laboratorial, oftalmológico, odonto-
lógico, biométrico, de outros aspectos físicos e teste toxicológico.
13.3. Os candidatos convocados para essa etapa, na data determinada para realização dos exames
médicos, deverão apresentar à banca examinadora os exames relacionados no item 2 do Anexo
II deste edital, os quais deverão ser providenciados às suas expensas.
13.4. Os exames exigidos no subitem anterior deverão conter o número do documento de
identidade do candidato e ter prazo de validade não superior a 90 (noventa) dias entre a data
de realização e sua apresentação à banca examinadora.
PÁGINA 78
Diário O?cial do Distrito Federal
Nº 250, quarta-feira, 12 de dezembro de 2012
13.5. O candidato será considerado apto ou inapto nos exames médicos, de acordo com a
conclusão do laudo médico. O candidato considerado inapto será eliminado do concurso e não
terá classi?cação alguma.
13.6. O candidato será considerado inapto nos exames médicos, quando incidir em qualquer
um dos aspectos a serem observados pela Banca Examinadora, bem como apresentar teste
toxicológico positivo para o uso de drogas ilícitas, conforme o Anexo II deste edital.
13.7. Será automaticamente eliminado do concurso o candidato que, na data e horário determi-
nados para a realização dos exames médicos, não se encontrar em condição de saúde compatível
com o cargo ao qual está concorrendo ou que deixar de apresentar qualquer um dos exames
previstos nessa etapa.
13.8. No dia de realização dos exames médicos, os candidatos deverão comparecer trajando
calção de banho, no caso de candidatos do sexo masculino, e biquíni (discretos), para os can-
didatos do sexo feminino.
13.9. Não serão recebidos exames médicos fora do prazo e do horário estabelecidos em edital.
13.10. Demais informações a respeito dos exames médicos constarão de edital especí?co de
convocação para essa etapa.
14. DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA
14.1. Na avaliação psicológica, o candidato será considerado apto ou inapto.
14.2. Será considerado inapto e consequentemente eliminado do concurso o candidato que não
apresentar os requisitos psicológicos necessários para o exercício do cargo.
14.3. A avaliação psicológica consistirá na aplicação e na avaliação de baterias de testes e de
instrumentos psicológicos, de aptidão, de nível mental e de personalidade, visando avaliar as
condições psíquicas do candidato, identi?cando as características de capacidade, concentração
e atenção, raciocínio lógico, maleabilidade/?exibilidade, perseverança, solução de problemas,
capacidade de resolver detalhes, capacidade de observação, inteligência, perspicácia, segurança,
rapidez de raciocínio, capacidade de relacionamento interpessoal, prudência, resistência à fadiga
e à frustração, controle emocional, discernimento, maturidade, energia vital, capacidade de
memória, senso crítico, bom senso, discrição, dinamismo, iniciativa, criatividade e objetividade,
inerentes ao exercício das funções policiais militares, bem como os distúrbios de personalidade
prejudiciais e restritivos ao desempenho do cargo de policial militar na graduação de Soldado
Policial Militar do Quadro de Praças Policiais Militares da PMDF.
14.3.1. Neste contexto, também deve o candidato demonstrar ter condições psicológicas e legais
para o uso e porte de armas de fogo.
14.4. A inaptidão na avaliação psicológica não signi?ca, necessariamente, incapacidade inte-
lectual e(ou) existência de transtornos de personalidade, indicando apenas que o candidato não
atendeu aos requisitos exigidos para o exercício do cargo pretendido.
14.5. A avaliação psicológica poderá compreender a aplicação coletiva e(ou) individual de
testes para aferir os requisitos psicológicos do candidato para o desempenho das atribuições
inerentes ao cargo.
14.6. A avaliação psicológica será realizada por banca examinadora constituída por membros
regularmente inscritos no Conselho Regional de Psicologia.
14.7. A banca examinadora deverá utilizar-se de testes psicológicos validados em nível nacio-
nal e aprovados pelo Conselho Federal de Psicologia, em conformidade com a Resolução n.º
002/2003, de 6 de novembro de 2003.
14.8. A aplicação dos testes psicológicos será realizada em conformidade com as normas em
vigor para testagem psicológica e em qualquer dia da semana, inclusive os não úteis, a critério
da Administração.
14.9. O resultado da avaliação psicológica será obtido por meio da análise conjunta dos testes
psicológicos utilizados.
14.10. O candidato considerado inapto na avaliação psicológica ou que não comparecer à
avaliação, no local, na data e no horário previsto para a sua realização, no respectivo edital
especí?co de convocação, será eliminado do concurso.
14.11. A publicação do resultado da avaliação psicológica listará apenas os candidatos aptos,
em obediência ao que preceitua o art. 6.º da Resolução n.º 1 do Conselho Federal de Psicologia,
de 19 de abril de 2002.
14.12. Será assegurado ao candidato inapto conhecer as razões que determinaram a sua inaptidão,
bem como a possibilidade de interpor recurso.
14.13. Será facultado ao candidato, e somente a este, conhecer o resultado da avaliação por meio
de entrevista devolutiva (Resolução CFP nº 001/ 2002, artigo 6º, § 2º). Para tanto, o candidato
deverá solicitá-la no período informado em edital a ser divulgado oportunamente. Esta entre-
vista será realizada por um psicólogo designado pela Fundação Universa, que irá informar ao
candidato seus resultados na avaliação psicológica realizada, fornecendo-lhe cópia do laudo.
14.14. Os resultados obtidos na avaliação psicológica poderão ser conhecidos, inclusive, com
o auxílio de um psicólogo, constituído pelo candidato às suas expensas, que irá assessorá-lo ou
representá-lo, no local e perante psicólogo designado pela Fundação Universa.
14.15. O psicólogo constituído deverá apresentar comprovação de registro no Conselho
Regional de Psicologia.
14.16. Após a entrevista devolutiva, o candidato que desejar interpor recurso deverá
fazê-lo por escrito, em formulário próprio por ele assinado, orientado ou não pelo seu
psicólogo representante.
14.17. Será eliminado do concurso público o candidato que for considerado inapto na avaliação
psicológica e que não interpuser recurso tempestivamente.
14.18. Será eliminado do concurso público o candidato que, após o julgamento do seu recurso,
for considerado inapto na avaliação psicológica.
14.19. O candidato que não comparecer ao local e hora de?nidos, perderá o direito de realizar
os eventos agendados, independentemente do motivo alegado.
14.20. A avaliação psicológica, de presença obrigatória e de caráter eliminatório, será realizada
pela Fundação Universa, em dias e horários a serem divulgados oportunamente.
14.21. Na avaliação psicológica não será atribuída nota, sendo o candidato considerado
apto ou inapto.
14.22. Demais informações a respeito da avaliação psicológica constarão de edital especí?co
de convocação para essa etapa.
15. DA SINDICÂNCIA DE VIDA PREGRESSA E INVESTIGAÇÃO SOCIAL
15.1. Os candidatos serão submetidos à sindicância da vida pregressa e investigação social, de
caráter unicamente eliminatório, para ?ns de avaliação de sua conduta pregressa e idoneidade
moral, requisitos indispensáveis para o ingresso e exercício da pro?ssão de Policial Militar,
estabelecidos na Lei n.º 7.289, de 18 de dezembro de 1984, e de?nidos no Código de Conduta
Ética Pro?ssional para o Policial Militar (Portaria PMDF n.º 142, de 15 de julho de 1997).
15.2. A sindicância da vida pregressa e investigação social, de responsabilidade da PMDF, será
realizada com base em documentos o?ciais e informações constantes de formulário próprio,
contendo perguntas de caráter pessoal, a ser disponibilizado oportunamente no endereço ele-
trônico: http://www.universa.org.br, o qual deverá ser preenchido pelo candidato e entregue
em local, data e horário a ser posteriormente divulgado através de edital publicado em DODF.
15.3. Para ?ns de realização da sindicância da vida pregressa e investigação social os candi-
datos convocados para o exame médico (3.ª etapa), serão convocados também a entregarem
os documentos e o formulário próprio para esse ?m, os quais deverão ser entregues em data e
local a serem divulgados.
15.4. Ao resultado da sindicância da vida pregressa e investigação social não serão atribuídos
pontos ou notas, sendo o candidato considerado habilitado ou inabilitado para ingresso na PMDF.
15.5. Será eliminado, durante a realização de qualquer uma das etapas do concurso ou do Curso
de Formação de Praças (CFP), o candidato que, após iniciada a sindicância da vida pregressa
e investigação social, for considerado inabilitado.
15.6. O candidato deverá ainda, às suas expensas, providenciar a documentação abaixo re-
lacionada, que deverá ser entregue juntamente com o formulário preenchido, em data a ser
determinada oportunamente:
a) cópia autenticada em cartório do documento de identidade, com validade em todo terri-
tório nacional;
b) cópia autenticada em cartório do CPF;
c) cópia autenticada em cartório do diploma de conclusão de ensino superior, reconhecido pelos
sistemas de ensino federal, estadual ou do Distrito Federal;
d) cópia autenticada em cartório do Certi?cado de Reservista de 1
a
ou 2
a
categoria ou do Cer-
ti?cado de Dispensa de Incorporação (CDI), para candidatos do sexo masculino;
e) cópia autenticada em cartório do Título de Eleitor e comprovante(s) de votação da
última eleição;
f) certidões negativas dos distribuidores criminais e cíveis dos lugares onde tenha residido nos
últimos 3 (três) anos, devendo apresentar ainda documentos que comprovem essa residência
(conta de luz, de água, contrato de aluguel, etc.);
g) certidões negativas das Justiças Federal e Militar;
h) certidão com conceito favorável de seu atual Comandante, se for militar da ativa das Forças
Armadas ou Auxiliares;
i) certidão expedida pela Unidade da Instituição de origem a qual pertença, para candidato
oriundo das instituições da Polícia Civil ou Federal, de não possuir antecedentes criminais,
contendo ainda declaração de não ter sido punido administrativamente e(ou) disciplinarmente,
por falta considerada de natureza grave; e
j) 2 (duas) fotografias recentes do candidato sem óculos, em tamanho 3x4, coloridas, fundo
branco, com data (as fotos serão coladas pelo candidato em local próprio no formulário
a ser preenchido).
15.7. O preenchimento e a entrega da documentação exigida neste edital pressupõem a autori-
zação do candidato para que seja realizada a referida investigação.
15.8. A PMDF poderá exigir que o candidato providencie, às suas expensas, sob pena de ser
considerado inabilitado e eliminado do concurso, documentação complementar, a ?m de di-
rimir dúvidas que surjam durante a condução do processo de sindicância da vida pregressa e
investigação social.
15.9. Será eliminado do concurso o candidato que deixar de fazer a entrega de um ou mais
documentos, em consonância com o presente edital.
15.10. O candidato considerado inabilitado na sindicância da vida pregressa e investigação
social será eliminado do concurso e não terá classi?cação alguma.
16. DA PROVA PRÁTICA INSTRUMENTAL
16.1. Para o cargo Soldado Policial Militar do Quadro de Praças Policiais Militares Especialistas
Corneteiros - QPMP-7 (Código 102):
16.1.2. A prova prática instrumental valerá 10,00 pontos, o candidato será considerado
apto ou inapto.
16.1.3. Será eliminado do certame o candidato que obtiver na prova prática instrumental nota
inferior a 5,00 (cinco) pontos.
16.1.3.1 Demais informações sobre esta etapa, constarão de edital especí?co de convocação.
16.1.4. A prova prática instrumental é de presença obrigatória e de caráter eliminatório, será
realizada pela PMDF, em dias e horários a serem divulgados oportunamente. O candidato que
não comparecer à prova prática instrumental será automaticamente eliminado do concurso.
16.1.5. Na prova prática instrumental serão avaliadas, entre outros aspectos, a?nação, articu-
lação, dinâmica, precisão rítmica, qualidade do som e da execução instrumental e qualidade
da leitura à primeira vista.
16.1.6. Para a prova prática instrumental, o candidato deverá trazer, obrigatoriamente, o seu
PÁGINA 79
Diário O?cial do Distrito Federal
Nº 250, quarta-feira, 12 de dezembro de 2012
próprio bocal de corneta ou sua própria corneta, com os quais pretende realizar a prova prática.
16.1.7. Para avaliação de suas habilidades musicais, o candidato deverá entregar à Banca Exa-
minadora, no seu horário de prova, 1 (uma) cópia das partituras da peça de livre escolha que
será executada, para cada integrante da Banca Examinadora.
16.1.8. O candidato, conforme sua especialidade, além das peças de livre escolha e leitura de
primeira vista, deverá executar as seguintes peças.
16.1.9. CORNETA
a) Peça de confronto: Manual de Toques, Marchas e Hinos das Forças Armadas FA-M-115.
Marcha Batida.
b) Peça de livre escolha: obra a escolha do candidato.
c) Peça de leitura à primeira vista: a critério da Comissão Julgadora.
16.2. Para o cargo Soldado Policial Militar do Quadro de Praças Policiais Militares Especialistas
Músicos - QPMP-4 (Código 103):
16.2.1. A prova prática instrumental valerá 10,00 pontos, o candidato será considerado
apto ou inapto.
16.2.2. Será eliminado do certame o candidato que obtiver na prova prática instrumental
nota inferior a 5,00 pontos.
16.2.2.1 Demais informações sobre esta etapa, constarão de edital especí?co de convocação.
16.2.3. A prova prática instrumental é de presença obrigatória e de caráter eliminatório, será
realizada pela PMDF, em dias e horários a serem divulgados oportunamente. O candidato que
não comparecer à prova prática instrumental será automaticamente eliminado do concurso.
16.2.4. Na prova prática instrumental serão avaliadas, entre outros aspectos, a interpretação
musical, em conformidade com o estilo da obra, a?nação, articulação, dinâmica, precisão
rítmica, qualidade do som e da execução instrumental e qualidade da leitura à primeira vista.
16.2.5. Para a prova prática instrumental, o candidato deverá trazer, obrigatoriamente, o ins-
trumento musical com o qual pretende realizar o teste, exceto no caso de a opção ser percussão
sinfônica ou bateria. Nesse último caso, o candidato deverá trazer as suas próprias baquetas,
macetas e pedal de bombo para a prova.
16.2.6. Para avaliação de suas habilidades musicais, o candidato deverá entregar à Banca Exa-
minadora, no seu horário de prova, (03) três cópias das partituras da peça de livre escolha que
será executada, para cada integrante da Banca Examinadora.
16.2.7. O candidato, conforme sua especialidade, além das peças de livre escolha e leitura de
primeira vista, deverá executar as seguintes peças:
16.2.7.1. OBOÉ em DÓ e CORNE INGLÊS em FÁ
16.2.7.1.1. Oboé em DÓ:
a) - Peças de confronto: Mozart – Concerto In C Major K. 314 (I e II movimentos) e Benjamin
Britten – Six Metarmorphoses after Ovid.
b) - Peça de livre escolha: Obra a escolha do candidato.
c) - Peça de leitura à primeira vista: À escolha da Comissão Julgadora.
16.2.7.1.2. Corne Inglês em FÁ
Peças de confronto: G. Rossini – William Tell Overture e H. Berlioz – Roman Carnival
Overture Op. 09.
16.2.7.2. CLARINETE ALTO em MI bemol e CLARINETE em SI bemol
16.2.7.2.1. Clarinete Alto em MI bemol:
a) - Peças de confronto: Alfred Reed – Viva Música e Heitor Villa-Lobos – Bachianas
Brasileiras nº 5.
b) - Peça de livre escolha: Obra a escolha do candidato.
c) - Peça de leitura à primeira vista: À escolha da Comissão Julgadora.
16.2.7.2.2. Clarinete em SI bemol:
a) Peças de confronto: Weber – Concerto nº 2 (I e II movimentos).
16.2.7.3. Clarinete Baixo em SI bemol (clarone) e CLARINETE em SI bemol
16.2.7.3.1. Clarinete Baixo em SI bemol (clarone):
a) Peças de confronto: Eugène Bozza – Ballade pour clarinette basse et piano e Gustav Holst
– First Suite in Eb for Military Band.
b) Peça de livre escolha: Obra a escolha do candidato.
c) Peça de leitura à primeira vista: À escolha da Comissão Julgadora.
16.2.7.3.2. Clarinete em SI bemol:
a) Peças de confronto: Weber – Concerto nº 2 (I e II movimentos).
16.2.7.4. SAXOFONE ALTO em MI bemol e SAXOFONE SOPRANO em SI bemol
16.2.7.4.1 Saxofone Alto em MI bemol:
I - Peças de confronto: Jeanine Rueff – Sonate pour saxophone seul (I movimento), J.S. Bach
– Partita em LA Menor para ?auta solo BWV 1013 (I movimento – Allemande) e Ryo Noda –
Maï pour saxophone alto seul.
II - Peça de livre escolha: Obra a escolha do candidato.
III - Peça de leitura à primeira vista: À escolha da Comissão Julgadora.
16.2.7.4.2. Saxofone Soprano em SI bemol:
I - Peça de confronto: Eugène Bozza – Improvisation et Caprice.
16.2.7.5. TROMPA em FÁ
I - Peça de confronto: Wolfgang Amadeus Mozart – KONZERT Nº 3, Osvaldo Lacerda – Melodia
e Fernando Morais – Concerto para Trompa e Orquestra (III movimento).
II - Peça de livre escolha: Obra a escolha do candidato.
III - Peça de leitura à primeira vista: À escolha da Comissão Julgadora.
16.2.7.6. TROMPETE em Si bemol
I - Peça de confronto: Hummel – Concert em Mi Maior e J.B. Arban – Carnaval de Veneza.
II - Peça de livre escolha: Obra a escolha do candidato.
III - Peça de leitura à primeira vista: À escolha da Comissão Julgadora.
16.2.7.7. TROMBONE Tenor em
I - Peça de confronto: Ferdinand David – Concertino in Eb Major Op.4 e Alexandre Guilmant
– Morceau Symphonique e Rodrigo Lima – Sonatina para Trombone Tenor e Piano.
II - Peça de livre escolha: Obra a escolha do candidato.
III - Peça de leitura à primeira vista: À escolha da Comissão Julgadora.
16.2.7.8. TROMBONE BAIXO em DÓ e TROMBONE Tenor em DÓ
16.2.7.8.1. Trombone Baixo em Dó:
a) Peça de confronto: A. Lebedjew – Concerto Para Tuba e Piano e Ernst Sachse – Concerto
para trombone.
b) Peça de livre escolha: Obra a escolha do candidato.
c) Peça de leitura à primeira vista: À escolha da Comissão Julgadora.
16.2.7.8.2. Trombone Tenor em Dó: Peça de confronto: Ferdinand David – Concertino
in Eb Major Op.4.
16.2.7.9. TUBA
a) Peça de confronto: George Frideric Haendel (transcribed by Russel Harvey) – Honor and
Arms, Vaugh Williams – Concerto Para Tuba e E. Moura – Dobrado Verde e Branco.
Peça de livre escolha: Obra a escolha do candidato.
b) Peça de leitura à primeira vista: À escolha da Comissão Julgadora.
16.2.7.10. PERCUSSÃO SINFÔNICA
a) Peça de livre escolha: Obra a escolha do candidato a ser executada em um dos instrumentos
de percussão sinfônica listados abaixo.
b) Peça de leitura à primeira vista: À escolha da Comissão Julgadora.
16.2.7.10.1. TIMPANO: Peças de confronto: Jean Sibelius – Finlândia (4 compassos antes
de “F” até o segundo compasso de “G”, do “M” até o ?nal), Heitor Villa-Lobos Melodia
Sentimental (do nº de ensaio 138 até o nº de ensaio 140) e Fred Begun Twenty One Etudes
For Timpani (Estudo nº9).
16.2.7.10.2. CAIXA – CLARA: Peças de confronto: W. Schuman – 3ª Sinfonia (do compasso
143 ao compasso 199), Rimsky Korsakov – Scherazade (3º Movimento – da letra “D” de ensaio
até a letra “J”, 4º Movimento – um compasso antes da letra “C” de ensaio até a letra “R”) e G.
Rossini – Die Diebische Elster (Ouverture) Maestoso Marziale.
16.2.7.10.3. XILOFONE: Peças de confronto: J.S.Bach – Concerto para Violino em LÁ menor
(adaptação para xilofone: M. Goldemberg) (do início até o 5º compasso da letra “D” de ensaio)
e Stravinsky – Les Noces (4º Tableau – do nº de ensaio 87 até o nº de ensaio 98).
16.2.7.10.4. PRATOS DE CHOQUE: Peças de confronto: Tschaikowsky – Romeo and Julia
(Romeo e Julieta – da letra “E” de ensaio, Phantasie-Ouverture, até o 6º compasso da letra “T”
de ensaio) e Luiz Anunciação – Estudo para Pratos nº 26.
16.2.7.10.5. TOM-TOMS: Peças de confronto: Ney Rosauro – Variação para Quatro Tom-Toms
(Tema e Variações nº 2, 5 e 6)
16.2.7.10.6. TRIÂNGULO: Peças de confronto: Luiz Anunciação – Estudo para Triângulo nº 64.
16.2.7.10.7. PANDEIRO: Peças de confronto: Georges Bizet – Ópera Carmen (trecho: 2º Ato
nº12 de ensaio)
16.2.7.10.8. BOMBO: Peças de confronto: Rimsky Korsakov – Scherazade e Hector Berlioz
– Sinfonia Fantastica
16.2.7.11. BATERIA
a) Peça de livre escolha: Obra a escolha do candidato a ser executada na bateria.
b) Peça de leitura à primeira vista (ritmos diversos): À escolha da Comissão Julgadora.
c) Peças de confronto: Arr. Jerry Noway_ Selections From Flashdance e Zequinha Galvão – Pé
de Moloque.
16.2.7.11.1. CAIXA – CLARA: Peças de confronto: W. Schuman – 3ª Sinfonia (do compasso
143 ao compasso 199), Rimsky Korsakov – Scherazade (3º Movimento – da letra “D” de ensaio
até a letra “J”, 4º Movimento – um compasso antes da letra “C” de ensaio até a letra “R”) e G.
Rossini – Die Diebische Elster (Ouverture) Maestoso Marziale.
16.2.7.11.2. PRATOS DE CHOQUE: Peças de confronto: Tschaikowsky Romeo and Julia
(Romeo e Julieta – da letra “E” de ensaio, Phantasie-Ouverture, até o 6º compasso da letra “T”
de ensaio) e Luiz Anunciação – Estudo para Pratos nº 26.
16.2.7.11.3. TOM-TOMS: Peças de confronto: Ney Rosauro – Variação para Quatro Tom-Toms
(Tema e Variações nº 2, 5 e 6)
16.2.7.11.4. BOMBO: Peças de confronto: Rimsky Korsakov – Scherazade e Hector Berlioz
– Sinfonia Fantástica
16.3 Demais informações acerca da prova prática instrumental constarão de edital especí?co
de convocação.
17. DOS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO E DE CLASSIFICAÇÃO
17.1. Todos os candidatos terão suas provas objetivas corrigidas por meio de processamento
eletrônico, a partir das marcações feitas na folha de respostas.
17.2. A nota de cada candidato na prova objetiva será obtida pela multiplicação da quantidade
de questões acertadas, conforme o gabarito o?cial de?nitivo, pelo valor de cada questão, con-
forme o subitem 9.3.2 deste edital.
17.3. Será reprovado na prova objetiva e eliminado do concurso público o candidato que obtiver
pontuação inferior a:
a) 50% (cinquenta por cento) do máximo de pontos possíveis na prova objetiva de
conhecimentos gerais;
b) 50% (cinquenta por cento) do máximo de pontos possíveis na prova objetiva de
conhecimentos específicos.
17.3.1. O candidato eliminado na forma do presente subitem não terá classi?cação alguma no
concurso público.
17.4. Os candidatos não eliminados na forma do subitem 17.3 deste edital serão ordenados por
PÁGINA 80
Diário O?cial do Distrito Federal
Nº 250, quarta-feira, 12 de dezembro de 2012
vaga e de acordo com os valores decrescentes da pontuação ?nal na prova objetiva.
17.5. Com base na lista organizada na forma do subitem 17.4 deste edital, terão a prova dis-
cursiva corrigida todos os candidatos classi?cados em até 3 (três) vezes o número de vagas
constantes neste edital, respeitando os empates na última posição. Não será corrigida a prova
discursiva do candidato não classi?cado na forma deste subitem, os quais ?carão automatica-
mente eliminados do concurso.
17.6. Será reprovado na prova discursiva e eliminado do concurso público o candidato que obtiver
pontuação inferior a 50% (cinquenta por cento) da pontuação máxima na prova discursiva. O
candidato eliminado no presente subitem não terá classi?cação alguma no concurso público.
17.7. Os candidatos não eliminados na forma do subitem 17.6 deste edital serão ordenados por
vaga e de acordo com os valores decrescentes da soma da pontuação na prova objetiva com a
pontuação ?nal na prova discursiva.
17.8. Com base na lista organizada na forma do subitem 17.7 deste edital, serão convocados
para realizar as etapas do teste de aptidão física e de sindicância da vida pregressa e investiga-
ção social os candidatos aprovados na prova objetiva e na prova discursiva. Os candidatos não
convocados no presente subitem estarão, automaticamente, eliminados e não terão classi?cação
alguma no concurso público.
17.9. Os candidatos não eliminados no teste de aptidão física serão ordenados por vaga e de
acordo com os valores decrescentes da soma da pontuação na prova objetiva com a pontuação
?nal na prova discursiva.
17.10. Com base na lista organizada na forma do subitem 17.9 deste edital, serão convocados
para realizar a etapa de exames médicos os candidatos aptos no teste de aptidão física. Os
candidatos não convocados no presente subitem estarão, automaticamente, eliminados e não
terão classi?cação alguma no concurso público.
17.11. Os candidatos não eliminados nos exames médicos serão ordenados por vaga e de acordo
com os valores decrescentes da soma da pontuação na prova objetiva com a pontuação ?nal
na prova discursiva.
17.12. Com base na lista organizada na forma do subitem 17.11 deste edital, serão convocados
para realizar a etapa da avaliação psicológica os candidatos aptos nos exames médicos. Os
candidatos não convocados no presente subitem estarão, automaticamente, eliminados e não
terão classi?cação alguma no concurso público.
17.13. Os candidatos não eliminados na avaliação psicológica serão ordenados por vaga e de
acordo com os valores decrescentes da soma da pontuação na prova objetiva com a pontuação
?nal na prova discursiva.
17.14. Com base na lista organizada na forma do subitem 17.13 deste edital, serão convocados
para realizar a etapa da prova prática instrumental os candidatos aptos na avaliação psicológica
e inscritos para os cargos de Soldado Policial Militar do Quadro de Praças Policiais Militares
Especialistas Corneteiros - QPMP-7 (código 102) e de Soldado Policial Militar do Quadro de
Praças Policiais Militares Especialistas Músicos - QPMP-4 (código 103). Os candidatos não
convocados no presente subitem estarão, automaticamente, eliminados e não terão classi?cação
alguma no concurso público.
17.15. Os candidatos não eliminados na prova prática instrumental serão ordenados por vaga
e de acordo com os valores decrescentes da soma da pontuação na prova objetiva com a pon-
tuação ?nal na prova discursiva.
17.16. A nota ?nal no concurso público para todos os candidatos considerados aprovados na
prova objetiva e na prova discursiva e considerados aptos ou habilitados nas etapas do teste
de aptidão física, exames médicos, avaliação psicológica, sindicância da vida pregressa e
investigação social e prova prática instrumental (para os candidatos inscritos aos cargos de
Soldados Especialistas) será igual à soma da pontuação na prova objetiva com a pontuação
?nal na prova discursiva.
17.16.1. Os candidatos serão ordenados por vaga de acordo com os valores decrescentes da
nota ?nal no concurso público.
17.17. Serão eliminados e não terão classi?cação alguma no concurso, os candidatos não con-
vocados para qualquer uma das etapas, os que não comparecerem a qualquer das etapas ou que
forem inaptos ou inabilitados em qualquer das etapas.
17.18. O resultado ?nal do concurso, depois de homologado pelo Comandante-Geral da PMDF,
será publicado no Diário O?cial do Distrito Federal e divulgado no endereço eletrônico: http://
www.universa.org.br.
17.19. O candidato aprovado no concurso de que trata este edital e classi?cado dentro do limite
de vagas oferecidas, conforme edital de resultado ?nal a ser publicado no Diário O?cial do
Distrito Federal, será convocado para admissão (inclusão) na PMDF.
18. DOS CRITÉRIOS DE DESEMPATE
18.1. Em caso de empate no resultado ?nal do concurso, terá preferência o candidato que,
considerando a sequência a seguir,
a) for mais idoso;
b) obtiver a maior nota nas questões relativas ao item “2. Conhecimentos Especí?cos” do Anexo
I – Objetos de Avaliação;
c) obtiver a maior nota nas questões relativas ao item “3. Conhecimentos Especí?cos” do Anexo
I – Objetos de Avaliação, se for o caso;
d) obtiver a maior nota na prova discursiva.
19. DOS RECURSOS
19.1. O gabarito o?cial preliminar da prova objetiva será a?xado no mural de avisos da Fun-
dação Universa e divulgado na Internet, no endereço eletrônico http://www.universa.org.br, no
primeiro dia útil seguinte ao da aplicação da prova objetiva.
19.2. O candidato que desejar interpor recurso contra o gabarito o?cial preliminar da prova
objetiva e o resultado preliminar de qualquer etapa do certame disporá de 10 (dez) dias úteis
para fazê-lo, a contar do dia subsequente ao da divulgação do resultado preliminar, conforme
o modelo correspondente de formulário, que será disponibilizado no momento de divulgação
do gabarito o?cial preliminar e do resultado preliminar de qualquer etapa do certame.
19.3. Os recursos poderão ser entregues pessoalmente ou por procurador, mediante procuração
do interessado, com ?rma reconhecida em cartório, no horário das 10 (dez) horas às 17 (dezes-
sete) horas, ininterruptamente, na Central de Atendimento ao Candidato da Fundação Universa,
localizada no SGAN 609, Módulo A, Asa Norte, Brasília/DF.
19.4. Não será aceito recurso via postal, fax, Internet e(ou) correio eletrônico.
19.5. O candidato deverá entregar 2 (dois) conjuntos idênticos de recursos (original e 1 (uma)
cópia), sendo que cada conjunto deverá ter todos os recursos e apenas 1 (uma) capa.
19.6. Cada conjunto de recursos deverá ser apresentado com as seguintes especi?cações:
a) folhas separadas para questões diferentes;
b) em cada folha, indicação do número da questão, da resposta marcada pelo candidato e da
resposta divulgada pela Fundação Universa;
c) para cada questão, argumentação lógica e consistente;
d) capa única constando: nome do concurso público; nome, assinatura e número de inscrição
do candidato; nome do cargo para o qual está concorrendo; endereço e telefone(s) para contato;
e) sem identi?cação do candidato no corpo do recurso;
f) recurso datilografado ou digitado em formulário próprio, de acordo com o modelo a ser
disponibilizado na Internet, sob pena de ser preliminarmente indeferido.
19.7. O candidato deverá ser claro, consistente e objetivo em seu pleito. Recursos, inconsistentes,
em formulário diferente do exigido e(ou) fora das especi?cações estabelecidas neste edital e
em outros editais serão indeferidos.
19.7.1. Não será aceita documentação complementar durante a fase de recurso.
19.8. Se do exame de recursos resultar anulação de questão(ões), a pontuação correspondente a
essa(s) questão(ões) será atribuída a todos os candidatos, independentemente de terem recorri-
do. Se houver alteração do gabarito o?cial preliminar, por força de impugnações, a prova será
corrigida de acordo com o gabarito o?cial de?nitivo. Em nenhuma hipótese, o quantitativo de
questões sofrerá alterações.
19.9. Em nenhuma hipótese será aceito pedido de revisão de recurso, tampouco re-
curso de recurso.
19.10. Recurso cujo teor desrespeite a banca examinadora será preliminarmente indeferido.
19.11. Não serão apreciados recursos que forem apresentados:
a) em desacordo com as especi?cações contidas neste item;
b) com argumentação idêntica à argumentação constante de outro(s) recurso(s).
19.12. A banca examinadora constitui última instância para recurso, sendo soberana em suas
decisões, razão pela qual não caberão recursos adicionais.
20. DO INGRESSO NA POLÍCIA MILITAR DO DISTRITO FEDERAL E MATRÍCULA NO
CURSO DE FORMAÇÃO DE PRAÇAS DO QUADRO DE PRAÇAS POLICIAIS MILITARES
COMBATENTES DA POLÍCIA MILITAR DO DISTRITO FEDERAL
20.1. O candidato convocado para ingresso na PMDF e matrícula no Curso de Formação de
Praças, deverá apresentar os seguintes documentos:
a) cópia autenticada do PIS/PASEP;
b) para candidatos do sexo masculino, original do Certi?cado de Reservista de ou Categoria
ou Certi?cado de Dispensa de Incorporação (CDI);
c) declaração de não acumulação de cargo público, emprego público, função pública ou pro-
ventos de aposentadoria (conforme formulário a ser fornecido pela PMDF);
d) cópia autenticada do Título de Eleitor e comprovante de votação da última eleição nos dois
turnos, quando for o caso;
e) cópia autenticada do CPF (Cadastro de Pessoa Física);
f) cópia autenticada da Certidão de Nascimento ou Casamento;
g) cópia autenticada da Carteira de Identidade;
h) declaração de bens e direitos, em formulário próprio;
i) cópia autenticada do diploma de conclusão de ensino superior, reconhecido pelos sistemas
de ensino federal, estadual ou do Distrito Federal.
j) cópia autenticada do comprovante de residência atualizado.
21. DA CONVOCAÇÃO
21.1. Os candidatos serão convocados por meio de editais publicados no Diário O?cial do Dis-
trito Federal, bem como a?xados na DIRETORIA DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO (DRS/
DGP-PMDF), localizada no Setor Policial Sul, e divulgados na Internet, no endereço eletrônico
http://www.universa.org.br e, ainda, por e-mail para realizarem as etapas previstas neste edital.
22. DAS DISPOSIÇÕES ESPECIAIS
22.1. Será convocado para admissão (incorporação) na Polícia Militar do Distrito Federal e
matrícula no Curso de Formação de Praças (CFP) o candidato classi?cado de acordo com o
resultado ?nal do concurso, respeitando-se o limite de vagas estabelecido neste edital e as
demais exigências do presente edital.
22.2. Será considerado desistente e consequentemente eliminado do concurso o candidato que,
uma vez convocado para admissão (incorporação) e matrícula, não comparecer na data, no
horário e no local estabelecido.
22.3. O CFP, de caráter eliminatório e classi?catório, será realizado na Escola de Formação
Praças da Polícia Militar do Distrito Federal com dedicação integral.
22.4. Durante a realização do Curso de Formação de Praças, o aluno (Soldado de 2.ª Classe)
perceberá remuneração mensal, de acordo com a Lei de Vencimentos da Polícia Militar do
Distrito Federal.
22.5. Os casos de aprovação e reprovação no CFP constarão de Normas, Regulamentos e demais
dispositivos baixados pelo Comando-Geral da Polícia Militar do Distrito Federal, pelo Diretor
PÁGINA 81
Diário O?cial do Distrito Federal
Nº 250, quarta-feira, 12 de dezembro de 2012
de Ensino e Cultura e pelo Comandante da Escola de Formação Praças.
22.6. Todas as despesas com material didático, necessário para a realização do CFP, correrão
por conta do candidato.
22.7. O CFP não é etapa do concurso, conforme previsto no subitem 1.3.
23. DAS DISPOSIÇÕES GERAIS
23.1. O presente concurso público terá validade de 1 (um) ano, a contar data de publicação do
resultado ?nal no Diário O?cial do Distrito Federal, podendo ser prorrogado uma única vez por
igual período, dependendo da oportunidade e conveniência da Administração.
23.2. Durante o prazo de validade do concurso, incluindo a sua prorrogação, se for o caso,
surgindo novas vagas, poderão ser convocados candidatos remanescentes, para matrícula em
Curso de Formação de Praças (CFP), condicionando-se para tanto, a prévia autorização do
Conselho de Política de Recursos Humanos – SEAP/GDF.
23.3. O candidato que ?zer uso de documento falso, comparecer substituindo outro ou utilizar-
-se de algum artifício ilegal e imoral, além de ser eliminado do concurso, em qualquer de suas
etapas, estará sujeito às sanções previstas no Código Penal Brasileiro.
23.4. As despesas com transporte, alimentação, alojamento e outras similares, durante a reali-
zação do concurso, correrão por conta do candidato.
23.5. A convocação de candidatos para as etapas subsequentes e para matrícula no CFP far-se-á
na estrita observância da quantidade necessária ao total preenchimento das vagas ?xadas no
item 2 deste edital.
23.6. O candidato aprovado em todas as etapas do concurso que, na data da incorporação, estiver
impedido, por problemas particulares, perderá sua vaga, tornando-se desistente e consequente-
mente excluído do concurso, não lhe sendo assegurado o direito de matrícula no próximo CFP.
23.7. Os casos omissos neste edital serão resolvidos pelo Comandante-Geral da Polícia Militar
do Distrito Federal, ouvido o DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE PESSOAL, juntamente
com a Fundação Universa, aplicando-se, no que couber, a legislação em vigor.
24. DAS DISPOSIÇÕES FINAIS
24.1. A inscrição do candidato implicará na aceitação das normas para este concurso
público, contidas neste edital, nos comunicados e em outros editais específicos a
serem publicados.
24.2. O candidato poderá obter informações referentes ao concurso público, exceto quanto
ao subitem 6.1 deste edital, na Central de Atendimento ao Candidato da Fundação Universa,
localizada no SGAN 609, Módulo A, Asa Norte, Brasília/DF, por meio do telefone (61) 3307-
7530 ou via Internet, no endereço eletrônico http://www.universa.org.br.
24.3. O candidato que desejar relatar à Fundação Universa fatos ocorridos durante a realização
do concurso público deverá fazê-lo na Central de Atendimento ao Candidato da Fundação
Universa, localizada no SGAN 609, Módulo A, Asa Norte, Brasília/DF, por meio de corres-
pondência endereçada à Caixa Postal 2.641, CEP 70.275-970, Brasília/DF, ou, ainda, por meio
de mensagem enviada para o endereço eletrônico atendimento@universa.org.br.
24.4. O requerimento administrativo que, por erro do candidato, não for corretamente encami-
nhado à Fundação Universa, poderá não ser conhecido.
24.5. Cabe ao candidato, sob sua inteira responsabilidade, acompanhar a publicação de todos
os atos, editais e comunicados referentes ao concurso, por meio do Diário O?cial do Distrito
Federal e da Internet, via endereço eletrônico http://www.universa.org.br.
24.6. Será eliminado do concurso o candidato que:
24.6.1. Omitir no preenchimento do formulário, referido no subitem 15.3, fato relevante para
a investigação de sua vida pregressa e social.
24.6.2. For considerado inabilitado para o exercício da função policial quando submetido sin-
dicância da vida pregressa e investigação social, a qualquer tempo no decorrer do certame ou
no Curso de Formação de Praças.
24.6.3. Não preencher os requisitos previstos neste edital.
24.7. O resultado ?nal do concurso público, depois de homologado pelo Comandante-Geral da
PMDF, será publicado no Diário O?cial do Distrito Federal e divulgado no endereço eletrônico:
http://www.universa.org.br.
24.8. O candidato deverá manter atualizado o seu endereço e o seu telefone na Fundação Uni-
versa, enquanto estiver participando do concurso, e na Polícia Militar do Distrito Federal, se
aprovado, e enquanto este estiver dentro do prazo de validade do certame.
24.9. Serão de exclusiva responsabilidade do candidato os prejuízos advindos da não atuali-
zação de seus dados.
24.10. Todos os cálculos citados neste edital serão considerados até a segunda casa decimal,
arredondando-se o número para cima, se o algarismo da terceira casa decimal for igual ou
superior a 5 (cinco).
24.11. Legislação com entrada em vigor após a data de publicação deste edital, bem como as
alterações em dispositivos legais e normativos, a ele posteriores, não serão objeto de avaliação
nas provas do concurso.
24.12. Correrão por conta exclusiva do candidato quaisquer despesas com documentação, mate-
rial, exames, viagem, alimentação, estada e outras decorrentes de sua participação no concurso.
24.13. Quaisquer alterações nas regras estabelecidas neste edital somente poderão ser feitas
por meio de outro edital.
24.14. Os casos omissos serão resolvidos pela Fundação Universa em conjunto com a Polícia
Militar do Distrito Federal.
24.15. Acarretará a eliminação sumária do candidato do concurso público, sem prejuízo
das sanções penais cabíveis, a burla ou a tentativa de burla a quaisquer das normas
estipuladas neste edital.
SUAMY SANTANA DA SILVA – CEL QOPM
Comandante-Geral da Polícia Militar do Distrito Federal
DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE PESSOAL
EDITAL Nº 40 – DGP/PMDF, DE 10 DE DEZEMBRO DE 2012
CONCURSO PÚBLICO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO DE OFICIAIS PO-
LICIAIS MILITARES DA POLÍCIA MILITAR DO DISTRITO FEDERAL – CFOPM/2010
O CHEFE DO DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE PESSOAL DA POLÍCIA MILITAR DO
DISTRITO FEDERAL, no uso de suas atribuições, que lhe confere o Inciso VI do artigo 1º da
Portaria PMDF nº 670 de 03 de junho de 2009 e tendo em vista o constante no Edital nº 32-DP/
PMDF, publicado no DODF nº 105 de 02 de junho de 2009, alterado pelo Edital nº 17-DGP/
PMDF, publicado no DODF nº 131 de 09 de julho de 2010, e ainda, em cumprimento a deter-
minação judicial exarada nos autos do Mandado de Segurança nº 2012.01.1.190866-2, resolve:
1 Convocar o candidato KLENIO LOPES MEDEIROS, classi?cação ?nal no 159º lugar, ins-
crição nº 10004021, para comparecer no Departamento de Gestão de Pessoal da Polícia Militar
do Distrito Federal, na Diretoria de Recrutamento e Seleção, no dia 14 de dezembro de 2012,
às 13:30 horas, para ?ns ingresso nas ?leiras da PMDF e matrícula no Curso de Formação de
O?ciais, na condição sub judice, munido dos documentos a seguir relacionados, os quais deverão
estar dentro de envelope devidamente identi?cado.
a) cópia autenticada do PIS/PASEP;
b) para candidatos do sexo masculino, original do Certi?cado de Reservista de ou Categoria
ou Certi?cado de Dispensa de Incorporação (CDI);
c) declaração de não acumulação de cargo público, emprego público, função pública ou pro-
ventos de aposentadoria (conforme formulário a ser fornecido pela PMDF);
d) cópia autenticada do Título de Eleitor e comprovante de votação da última eleição nos dois
turnos, quando for o caso;
e) cópia autenticada do CPF (Cadastro de Pessoa Física);
f) cópia autenticada da Certidão de Nascimento ou Casamento;
g) cópia autenticada da Carteira de Identidade;
h) declaração de bens e direitos, em formulário próprio.
i) cópia autenticada do diploma de conclusão de ensino superior, reconhecido pelos sistemas
de ensino federal, estadual ou do Distrito Federal.
c) cópia autenticada de comprovante de residência atualizado.
2 DAS DISPOSIÇÕES FINAIS
2.1 Será considerado desistente e conseqüentemente eliminado do concurso o candidato que,
uma vez convocado para inclusão, não comparecer.
MÁRIO SILVA JÚNIOR – CEL QOPM
Chefe do Departamento de Gestão de Pessoal da PMDF
EDITAL N.º 41– DGP/PMDF, DE 11 DEZEMBRO DE 2012
CONCURSO PÚBLICO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO
DE PRAÇAS DA POLÍCIA MILITAR DO DISTRITO FEDERAL
ANEXO I – OBJETOS DE AVALIAÇÃO
1. CONHECIMENTOS GERAIS
1.1. Língua Portuguesa. 1. Compreensão e intelecção de textos. 2. Tipologia textual. 3. Coesão
e coerência. 4. Figuras de linguagem. 5. Ortogra?a. 6. Acentuação grá?ca. 7. Emprego do
sinal indicativo de crase. 8. Formação, classe e emprego de palavras. 9. Sintaxe da oração e
do período. 10. Pontuação. 11. Concordância nominal e verbal. 12. Colocação pronominal. 13.
Regência nominal e verbal. 14. Equivalência e transformação de estruturas. 15. Paralelismo
sintático. 16. Relações de sinonímia e antonímia.
1.2. Atualidades. 1. Domínio de tópicos atuais e relevantes de diversas áreas, tais como desen-
volvimento sustentável, ecologia, tecnologia, energia, política, economia, sociedade, relações
internacionais, educação, saúde, segurança e artes e literatura e suas vinculações históricas.
2. Atualidades e contextos históricos, geográ?cos, sociais, políticos, econômicos e culturais
referentes ao Distrito Federal e Região Integrada de Desenvolvimento do Entorno – RIDE. 3.
Noções de cidadania.
1.3. Raciocínio Lógico. 1. Compreensão de estruturas lógicas. 2. Lógica de argumentação:
analogias, inferências, deduções e conclusões. 3. Diagramas lógicos. 4. Princípios de contagem
e probabilidade. 5. Arranjos e permutações. 6. Combinações.
1.4. Noções de Informática: 1. Sistema Operacional Windows XP. 2. Conceitos de organiza-
ção e de gerenciamento de arquivos, pastas e programas. 3. Conceitos, serviços e tecnologias
relacionados a intranet, Internet e a correio eletrônico. 4. Programas e Aplicativos: Microsoft
Of?ce 2003: Word, PowerPoint, Excel; Internet Explorer 7 e Outlook Express. 5. Conceitos
e procedimentos de proteção e segurança da informação. 6. Procedimentos, aplicativos e
dispositivos para armazenamento de dados e para realização de cópia de segurança (backup).
2. CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS PARA TODOS OS CARGOS
2.1. Noções de Administração e Psicologia. 1. Teoria geral de administração. 2. Noções de
gestão de pessoas. 3. Relações humanas. 4. Ética pro?ssional.
2.2. Lei Orgânica do Distrito Federal. 1. Título I – Dos Fundamentos da Organização dos Po-
deres e do Distrito Federal. 2. Título II – Da Organização do Distrito Federal. 3. Título III – Da
Organização dos Poderes.
2.3. Noções de Direito Administrativo. 1. Direito Administrativo: conceito, fontes, princípios.
2. Administração Pública: natureza, elementos, poderes e organização, natureza, ?ns e princí-
pios; administração direta e indireta; planejamento, coordenação, descentralização, delegação
de competência, controle; da administração do Distrito Federal; organização administrativa da
União. 3. Agentes públicos: espécies e classi?cação; direitos, deveres e prerrogativas; cargo,
emprego e função públicos. 4. Atos administrativos: conceito e requisitos; atributos; invalida-
PÁGINA 82
Diário O?cial do Distrito Federal
Nº 250, quarta-feira, 12 de dezembro de 2012
ção; classi?cação; espécies. 5. Poderes administrativos: poder vinculado, poder discricionário,
poder hierárquico, poder disciplinar, poder regulamentar, poder de polícia. 6. Do uso e do abuso
do poder. 7. Controle e responsabilização da administração: controle administrativo; controle
judicial; controle legislativo; responsabilidade civil do Estado.
2.4. Noções de Direito Constitucional. 1. Dos princípios fundamentais. 2. Dos direitos e garantias
fundamentais (direitos e deveres individuais e coletivos, nacionalidade). 3. Da organização do
Estado (organização político-administrativa, União, Estados Federados, Municípios, Distrito
Federal e Territórios, militares dos Estados, Distrito Federal e Territórios). 4. Da organização
dos poderes (poder legislativo, congresso nacional, atribuições do congresso nacional, câmara
dos deputados, senado federal, deputados e senadores, processo legislativo, poder executivo).
5. Da defesa do Estado e das Instituições Democráticas (estado de defesa e estado de sítio,
Forças Armadas, segurança pública). 6. Da administração pública.
2.5. Noções de Direito Penal. 1. Princípios constitucionais do Direito Penal. 2. A lei penal no
tempo. 3. A lei penal no espaço. 4. Interpretação da lei penal. 5. Infração penal: espécies. 6.
Sujeito ativo e sujeito passivo da infração penal. 7. Tipicidade, ilicitude, culpabilidade, puni-
bilidade. 8. Excludentes de ilicitude e de culpabilidade. 9. Erro de tipo; erro de proibição. 10.
Imputabilidade penal. 11. Concurso de pessoas. 12. Das Penas. 13 Crimes contra a pessoa. 14.
Crimes contra o patrimônio. 15. Dos Crimes contra os Costumes. 16. Dos Crimes contra a Paz
Pública. 17. Crimes contra a administração pública.
2.6. Noções de Direito Processual Penal. 1. Princípios do Processo Penal. 2. Sistemas Proces-
suais. 3. Inquérito Policial. 4. Ação Penal: espécies. 5. Da prova: exame de corpo de delito,
indícios, busca e apreensão, local do crime. 6. Da Prisão e da Liberdade Provisória.
2.7. Legislação Extravagante. 1. Estatuto do Desarmamento (Lei n.º 10.826/2003). 2. Crimes
hediondos (Lei n.º 8.072/1990). 3. Crimes resultantes de preconceitos de raça ou de cor (Lei n.º
7.716/1989). 4. Apresentação e uso de documento de identi?cação pessoal (Lei n.º 5.553/1968).
5. O direito de representação e o processo de responsabilidade administrativa, civil e penal,
nos casos de Abuso de Autoridade (Lei n.º 4.898/1965). 6. De?nição dos crimes de tortura
(Lei n.º 9.455/1997). 7. Estatuto da Criança e do Adolescente (Lei n.º 8.069/1990). 8. Estatuto
do Idoso (Lei n.º 10.741/2003): dos crimes em espécies. 9. Código de Trânsito Brasileiro (Lei
n.º 9.503/1997). 10. Juizados Especiais Criminais (Lei n.º 9.099/1995 e 10.259/2001). 11. Lei
Maria da Penha – Violência doméstica e familiar contra a mulher (Lei nº. 11.340/2006): Título I
e II, Capítulo III do Título III. 12. Sistema Nacional de Políticas Públicas sobre Drogas (Lei n.º
11.343/2006). 13. Crimes contra as Relações de Consumo (Título II da Lei nº 8.078/1990). 14.
Lei das Contravenções Penais (Decreto-Lei n.º 3.688/1941). 15. Lei dos Crimes contra o Meio
Ambiente (Lei nº 9.605/1998). 16. Regime Jurídico dos Policiais Militares da Polícia Militar
do Distrito Federal: Lei n.º 7.289/1984; Lei n.º 10.486/2002; Decreto Federal n.º 4.346, de 26
de agosto de 2002 (RDEx, aplicado na PMDF de acordo com o Decreto GDF n.º 4.346/2002).
17. Organização Básica da PMDF: Lei n.º 6.450, de 14 de outubro de 1977.
2.8. Noções de Direito Penal Militar. 1. Aplicação da lei penal militar. 2. Do Crime. 3. Da Im-
putabilidade Penal. 4. Concurso de agentes. 5. Das penas principais. 6. Das Penas acessórias.
7. Efeitos da condenação. 8. Ação penal. 9. Extinção da punibilidade. 10. Dos crimes militares
em tempo de paz. Dos crimes contra a autoridade ou disciplina militar. Dos crimes contra o
serviço e o dever militar. Dos crimes contra a Administração Militar.
3. CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS PARA OS CARGOS SOLDADO POLICIAL MILITAR
DO QUADRO DE PRAÇAS POLICIAIS MILITARES ESPECIALISTAS CORNETEIROS
- QPMP-7 (CÓDIGO 102) E SOLDADO POLICIAL MILITAR DO QUADRO DE PRAÇAS
POLICIAIS MILITARES ESPECIALISTAS MÚSICOS - QPMP-4 (CÓDIGO 103)
3.1. SOLDADO POLICIAL MILITAR DO QUADRO DE PRAÇAS POLICIAIS MILITARES
ESPECIALISTAS CORNETEIROS - QPMP-7 (CÓDIGO 102)
Teoria Musical: notas; pauta; clave de sol, clave de fá na 4ª linha; valores; semitom, tom e
alterações; ponto de aumento e de diminuição; ligadura; intervalos simples e compostos: for-
mação, classi?cação, inversão e enarmonia; escala - grau; escala maior: forma primitiva; escala
menor: forma primitiva, harmônica e melódica; compassos; síncope; contratempo; anacruse;
quiálteras; abreviaturas; escala geral.
3.2. SOLDADO POLICIAL MILITAR DO QUADRO DE PRAÇAS POLICIAIS MILITARES
ESPECIALISTAS MÚSICOS - QPMP-4 (CÓDIGO 103)
Teoria Musical: notas; pauta; clave de sol; clave de fá na 4ª linha; valores; semitom, tom e
alterações; ponto de aumento e de diminuição; ligadura; claves de dó na 1ª, 2ª, 3ª e 4ª linhas;
intervalos simples e compostos: formação, classi?cação, inversão e enarmonia; escala - grau;
escala maior: forma primitiva, harmônica e melódica; escala menor: forma primitiva, harmô-
nica e melódica; série harmônica; compassos; síncope; contratempo; quiálteras e anacruse;
tons vizinhos; modos litúrgicos: jônio; dórico, frígio, lídio, mixolídio, eólio e lócrio; forma-
ção, classi?cação, inversões e cifragem prática de acordes: tríades; maior, menor, diminuta,
aumentada; formação, classi?cação, inversões e cifragem prática de acordes: tétrades; maior,
menor, diminuta, aumentada e dominantes; resolução do trítono na preparação V7 primário;
ornamento: apogiatura, mordente, grupeto, trinado, ?oreio, portamento, arpejo, cadência, gli-
sando; transporte; transposição para instrumentos transpositores; andamento; expressão; escalas
arti?ciais: escala cromática maior e menor; abreviaturas; escala geral.
ANEXO II - EXAME MÉDICO E CONDIÇÕES INCAPACITANTES
Neste anexo, estão relacionadas as condições médicas incapacitantes para ingresso no Quadro
Policiais Militares da PMDF, os índices mínimos e as causas de inabilitação nos exames médi-
cos, odontológicos, biométricos e físicos, em conformidade com a Portaria PMDF nº 772, de
30 de março de 2012, publicada no Boletim do Comando-Geral nº 067, de 9 de abril de 2012.
1. RELAÇÃO DE CONDIÇÕES MÉDICAS INCAPACITANTES (RCMI)
1. Tumores malignos na área de cabeça e pescoço: deformidade congênitas ou adquiridas na
cabeça ou pescoço que resultem em prejuízo signi?cativo das funções da respiração, audição,
fala ou deglutição, ou ainda que se julguem prejudiciais à função militar.
2. Deformidades nasais que comprometam de forma signi?cativa a respiração (incluindo desvios
septais severos, grau III de Cottle):
a) fendas palatais ou outras deformidades da faringe ou cavidade oral, mesmo que corrigidas,
que ainda comprometam de forma signi?cativa a fala e(ou) a deglutição;
b) perfuração da membrana timpânica;
c) tartamudez (gagueira) que comprometa a comunicação oral básica;
d) na prova com audiômetro de tom puro: o candidato não deve ter limiar auditivo em cada ouvido,
separadamente, maior que 35 dB em nenhuma das três frequências de 500,1000 e 2000 Hz, nem
maior que 50 dB em nenhuma das demais frequências testadas (250,3000,4000,6000 e 8000 Hz).
3. Cavidade oral:
a) alterações patológicas císticas e(ou) tumorais oral, que comprometam a função do sistema
estomatognático e(ou) a saúde geral do paciente;
b) dentes cariados;
c) dentes fraturados;
d) dentes com comprometimento endodônticos;
e) raiz(es) dental(is) residual(is);
f) periodontopatias que provoquem mobilidade dentária de grau III em um segmento dentário;
g) maloclusões de classe II ou III esqueléticas com overjets acentuados, bem como, mordida
aberta anterior (com overbit acentuado) que comprometam as funções da mastigação, e(ou)
respiração, e(ou) fonação, e(ou) deglutição;
h) atresia severa de maxila e(ou) mandíbula;
i) alterações anátomo-patológicas severas da articulação temporomandibular;
j) portadores de aglossia;
k) portadores de sequelas faciais resultantes de trauma e(ou) tumores, que comprometam a
estética e(ou) função;
l) portadores de DTM – Disfunção Têmporo-Mandibular (que comprometam a função do
sistema estomatognático);
m) não possuir 24 (vinte e quatro) elementos dentários, tolerando-se dentes arti?ciais (coroas,
próteses parciais ?xas e móveis), devendo apresentar um mínimo de 18 (dezoito) dentes hígidos
e(ou) restaurados com material restaurador de?nitivo.
Observações:
a) As coroas ou próteses parciais ?xas serão admitidas, para efeito do índice mínimo de elemen-
tos dentários, desde que não apresentem in?ltrações, estejam com boa adaptação e aceitáveis
estética e funcionalmente;
b) A prótese parcial removível deverá reabilitar estética e funcionalmente o candidato, apre-
sentar boa retenção e estabilidade, bem como, estar com sua estrutura metálica e plástica, em
condições aceitáveis.
4. Olhos e visões:
a) opacidades centrais de córnea;
b) distro?as e degenerações corneanas;
c) glaucoma;
d) estrabismo (superior a 10 (dez) dioptrias prismáticas);
e) distro?as, degenerações e lesões da retina (predisponentes ao deslocamento ou com mal
prognóstico evolutivo);
f) doenças neurológicas que afetam os olhos;
g) discromatopsia completa;
h) doenças congênitas que afetem os olhos, AV s/c inferior a 20/100 em cada olho ou até 20/200
em um olho, desde que o outro seja superior ou igual a 20/60, A AV c/c em todos os casos deve
ser 20/20 em pelo menos um olho e superior ou igual a 20/40 no outro olho.
5. Pele e tecido celular subcutâneo:
a) expressões cutâneas de doenças autoimunes;
b) pên?gos;
c) doenças desencadeadas ou agravadas pela luz solar;
d) sicose e pseudofoliculite da barba;
e) cicatrizes que comprometam a função;
f) hanseníase;
g) tatuagem obscena ou ofensiva que faça apologia ao crime ou a substância tóxica e entorpecentes.
6. Pulmões e paredes torácicas:
a) deformidade relevante congênita ou adquirida, função respiratória prejudicada, doenças
imunoalérgicas do trato respiratório inferior;
b) ?stulas e ?broses pulmonares difusas;
c) tumores malignos e benignos dos pulmões e pleura.
7. Sistema cardiovascular:
a) doenças valvares, ressalvado o prolapso de valva mitral, com ausência de repercussão funcional;
b) doenças congênitas do coração, salvo as corrigidas cirurgicamente, sem sequelas ou reper-
cussão hemodinâmica;
c) doenças do endocárdio, miocárdio e pericárdio, inclusive a miocardiopatia hipertró?ca;
d) coronariopatias;
e) anormalidades da condução e outras detectadas no eletrocardiograma com repercussão clínica;
f) distúrbios do ritmo cardíaco, com signi?cado patológico;
g) insu?ciência cardíaca;
h) hipertensão arterial sistêmica;
i) hipertensão pulmonar;
j) aneurismas (ventriculares e vasculares).
PÁGINA 83
Diário O?cial do Distrito Federal
Nº 250, quarta-feira, 12 de dezembro de 2012
8. Abdome e trato intestinal:
a) anormalidade que aparece (ex.: hérnia, ?stulas) à inspeção ou palpação visceromegalias;
b) micose profunda;
c) história de cirurgia signi?cativa ou ressecções importantes (estomas, hérnias incisionais
volumosas, deformidades de parede abdominal);
d) doença in?amatória intestinal (Crohn,RCUI);
e) doenças hepáticas e pancreáticas;
f) distúrbios funcionais desde que signi?cativos;
g) tumores benignos e malignos.
9. Aparelho gênito-urinário:
a) anormalidades congênitas ou adquiridas da genitália;
b) rins e vias urinárias;
c) tumores;
d) infecções e outras lesões demonstráveis em exame de urina;
e) criptorquidia;
f) varicocele volumosa e(ou) dolorosa;
g) doença sexualmente transmissível em atividade.
10. Aparelho locomotor:
10.1. Doenças e anormalidades dos ossos e articulações:
a) congênitas ou adquiridas;
b) in?amatórias;
c) infecciosas;
d) neoplásticas;
e) traumáticas e degenerativas;
f) desvio ou curvaturas anormais e signi?cativas da coluna vertebral;
g) deformidades ou qualquer alteração da estrutura normal das mãos e pés;
h) próteses cirúrgicas e sequelas de cirurgia;
i) pé plano espástico, lesões ligamentares, sinais de condropatia articular primária ou secundária
incipiente ou não, sinais de instabilidade articular ainda que sem repercussão funcional e outras
doenças incapacitantes para o serviço policial militar;
j) deformidades e(ou) desvios em quaisquer planos do eixo normal da coluna vertebral (escoliose,
cifose, hiperlordose, inversão da lordose), sinais de espondilodiscoartrose incipiente ou não,
sinais de espondilólise e(ou) espondilolistese de qualquer grau;
k) deformidades ou sequelas de fraturas com comprometimento do alinhamento, simetria e
função do segmento afetado;
l) alterações acentuadas do alinhamento dos membros superiores e(ou) inferiores (genuvalgo,
genuvaro, genurecurvatum, cúbito-valgo, cúbito-varo);
m) comprometimento funcional articular (bloqueio da ?exão, extensão, pronação, supinação);
rotação lateral e medial traumática ou congênita, restrição de função em decorrência de luxação
recidivante, em qualquer segmento, operada ou não;
n) deformidades congênitas ou adquiridas dos pés, por exemplo: pé cavo, pé plano rígido, hálux-
-valgo, hálux-varo, hálux-rígidus, sequelas de pé torto congênito, dedos em garra com calosidade
ou não, calosidade aquileia, dedo extra numerário;
o) ausência parcial ou total, congênita ou traumática de qualquer segmento das extremidades;
p) sequelas de patologias congênitas;
q) deformidades esqueléticas acentuadas (tumorações; hipertro?as; ossos supranumerários).
10.2. Será considerado inapto o candidato que apresentar, em seus exames radiológicos de coluna:
a) escoliose tóraco-lombar, cifose dorsal, inversão das curvaturas ?siológicas da coluna verte-
bral, má formação congênita isolada ou associada (tais como: spina bí?ca, vértebra de transição
associada à mega apó?se neo-articulada ao sacro ou não, mega apó?se isolada desde que neo-
-articulada), tumoração óssea;
b) doença in?amatória, doença infecciosa;
c) presença de prótese cirúrgica ou sequelas de cirurgia e de fratura.
10.3. Serão considerados os seguintes parâmetros radiológicos de exclusão para as patologias
da coluna e das articulações:
a) escoliose: ângulo de Cobb > que 10º ou curva dupla em qualquer grau;
b) cifose ou lordose: ângulo de Cobb > que 50º;
c) ângulo lombo-sacral (lordose) > que 35º;
d) geno valgo > que 14º;
e) geno varo > que 10º;
f) cúbito valgo > que 10º;
g) cúbito varo < que 5º;
h) Ante-Curvatum e Recurvatum (tanto para joelhos ou cotovelos) > que 5º;
i) pés planos: ângulo de kite (entre eixos do tálus e calcâneo) < que 30º
j) Pitch do calcâneo (ângulo solo-calcâneano) < que 10º;
k) pés cavos: Pitch do calcâneo (ângulo solo-calcâneano) > que 30º;
l) ângulo de kite (entre eixos do tálus e calcâneo) > que 30º;
m) hálux-valgus: ângulo metatarso-falangeano > que 15º;
n) ângulo intermetatarsiano (entre 1º e 2º) > que 9º.
Observação: a presença de joanete é eliminatória independentemente da angulação.
11. Doenças metabólicas e endócrinas:
a) diabetes mellitus ( qualquer tipo);
b) diabetes insipidus;
c) alterações endócrinas do pâncreas;
d) bócio e(ou) nódulo tireoidiano, exceto cistos insigni?cantes e desprovidos de potencialidade
mórbida;
e) hipotireoidismo não controlado com medicação;
f) hipertireoidismo;
g) tumor de supra-renal;
h) disfunções das supra-renais;
i) disfunções das paratireoides;
j) tumores hipotalâmicas e hipo?sários;
k) disfunção hipo?sária;
m) hipogonadismos;
n) obesidade ou de?cit ponderal conforme previsto no item 18 - Exame Biométrico;
o) erros inatos do metabolismo.
12. Sangue e órgãos hematopoéticos:
a) alterações signi?cativas do sangue;
b) órgãos hematopoéticos;
c) doenças hemorrágicas.
13. Doenças neurológicas:
a) distúrbios neuromusculares;
b) afecções neurológicas;
c) anormalidades congênitas ou adquiridas;
d) ataxias; incoordenações; tremores;
e) paresias e paralisais;
f) atro?as e fraquezas musculares;
g) histórias de síndrome convulsiva;
h) distúrbio da consciência; comportamentais e da personalidade.
14. Tumores e neoplasias:
a) qualquer tumor maligno.
b) tumores benignos; dependendo da localização; repercussão funcional, potencial evolutivo ou
comprometimento estético importante.
c) se o perito julgar insigni?cante a existência de pequenos tumores benignos: (ex.: cistos sebá-
ceos, lipoma), deverá justi?car sua conclusão.
15. Doenças psiquiátricas.
16. Condições ginecológicas:
a) neoplasias malignas (uterinas, tubárias, ovarianas e mamárias);
b) outras patologias ginecológicas e mamárias que causem morbidade ou co-morbidade elevada.
17. Exame toxicológico: apresentar resultado positivo para uma ou mais substâncias entorpecentes
ilícitas ou proibidas, conforme relação do órgão competente.
18. Exame biométrico:
a) possuir altura inferior a 1m65cm, se do sexo masculino, e 1m60cm, se do sexo feminino;
b) apresentar IMC (índice de massa corpórea) ? 30.
2. EXAMES OBRIGATÓRIOS PARA APRESENTAÇÃO NOS EXAMES MÉDICOS (3
a
ETAPA)
1. Para avaliação na etapa de exames médicos (3
a
etapa) serão requeridos, as expensas do candida-
to, os seguintes exames que deverão, obrigatoriamente, vir acompanhados dos respectivos laudos:
a) hemograma completo com coagulograma, Glicemia, Ureia, Creatinina, Chagas, VDRL, HB-
SAg, TGO,TGP, GGT, Bilirrubinas e frações;
b) tipo sanguíneo, Fator RH, EAS e Parasitológico;
c) eletrocardiograma;
d) radiogra?a panorâmica odontológica;
e) raios X da coluna vertebral;
f) raios X do tórax;
g) raios X de crânio;
h) eletroencefalograma;
i) exame de sanidade mental;
j) ecocardiograma com Doppler;
k) teste ergométrico;
l) audiometria;
m) laudo oftalmológico completo, inclusive com avaliação cromática;
n) mapeamento de retina de ambos os olhos e topogra?a corneana de ambos os olhos;
o) avaliação ginecológica com citologia oncoparasitária (para mulheres);
p) testes toxicológicos (de caráter con?dencial).
2. Os testes toxicológicos deverão ser do tipo de “larga janela de detecção”, que acusam
uso de substâncias entorpecentes ilícitas causadoras de dependência química ou psíquica
de qualquer natureza, devendo apresentar resultados negativos para um período mínimo
de 60 (sessenta) dias.
3. Os testes toxicológicos deverão ser realizados em laboratório especializado, a partir de
amostras de materiais biológicos (cabelos ou pelos) doados pelo candidato, conforme proce-
dimentos padronizados de coleta, encaminhamento do material, recebimento dos resultados e
estabelecimento de contraprova.
4. O resultado do exame para detecção do uso de drogas ilícitas ?cará restrito à Banca Exa-
minadora, que obedecerá ao que prescreve a norma referente à salvaguarda de documentos
classi?cados com sigilo, sob pena de responsabilidades, conforme legislação vigente.
5. A critério da Banca Examinadora, o candidato deverá providenciar de imediato, às suas ex-
pensas, qualquer outro exame complementar não mencionado no edital, que se torne necessário
para ?rmar um diagnóstico, visando dirimir eventuais dúvidas, podendo ainda ser convocado
para novo exame clínico.
6. A não apresentação ou o atraso na entrega dos exames requisitados nos itens acima, bem
como o não comparecimento para realização de exame clínico, acarretará a eliminação
do candidato.
PÁGINA 84
Diário O?cial do Distrito Federal
Nº 250, quarta-feira, 12 de dezembro de 2012
EDITAL N
o
41/2012 – DGP/PMDF, DE 11 DE DEZEMBRO DE 2012
CONCURSO PÚBLICO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO
DE PRAÇAS DA POLÍCIA MILITAR DO DISTRITO FEDERAL
ANEXO III – REQUERIMENTO PARA ATENDIMENTO ESPECIAL
O candidato ______________________________________________________________
, inscrição n.º____________________CPF n.º_______________________, inscrito para o
concurso público para admissão ao Curso de Formação de Praças da Polícia Militar do Distrito
Federal, regido pelo Edital Normativo n.º XX, de _____de __________de 2012, vem requerer
ATENDIMENTO ESPECIAL PARA REALIZAR AS PROVAS OBJETIVA E DISCURSIVA.
Nessa ocasião, o referido candidato apresentou LAUDO MÉDICO com a respectiva Classi?-
cação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde (CID), no qual
constam os seguintes dados:
Código correspondente da CID:__________________________________________________.
Nome e número de registro do médico responsável pelo laudo no Conselho Regional de Medicina
(CRM): ___________________________________________________________________.
TIPO DE SOLICITAÇÃO DE ATENDIMENTO ESPECIAL:
Necessidades gerais:
( ) sala para amamentação
( ) sala térrea (di?culdade para locomoção/
limitações físicas)
( ) sala individual (candidato com doença
contagiosa/outras)
Especi?car:____________________________
______________________________________
_____________________________________
( ) mesa para cadeira de rodas
( ) mesa e cadeiras separadas
( ) apoio para perna
( ) obesidade
( ) gravidez de risco
( ) dislexia
Auxílio para preenchimento: Di?culdade/im-
possibilidade de escrever
( ) da folha de respostas das provas objetiva
e discursiva
Necessidades visuais
( ) auxílio na leitura da prova (ledor)
( ) prova em braille e ledor
( ) prova ampliada (fonte 16)
( ) prova superampliada (fonte 28)
Necessidades auditivas
( ) intérprete de Língua Brasileira de Sinais
(LIBRAS)
( ) leitura labial
________________________________, ______ de _____________________ de 20 .
________________________________________________________
Assinatura do candidato
HOMOLOGADO: ( ) SIM ( ) NÃO
Motivo da não homologação:__________________________________________________
PROTOCOLO DE
SOLICITAÇÃO DE
ATENDIMENTO
ESPECIAL
EDITAL NORMATIVO N.º 41 DO
CONCURSO PÚBLICO PARA
ADMISSÃO AO CURSO DE
FORMAÇÃO DE PRAÇAS DA PM-DF
Nome:
Cargo: Código:
Data: / / 20
Horário: Inscrição N.º:
DEPARTAMENTO DE LOGÍSTICA E FINANÇAS
DIRETORIA DE APOIO LOGÍSTICO E FINANÇAS
EXTRATO DO CONTRATO Nº 34/2012
Processo: 054.000.334/2012. Partes: DF/PMDF X AGRO-VERDE COMÉRCIO DE PRO-
DUTOS AGROPECUÁRIOS LTDA-ME . Objeto: Aquisição de 70.000 (setenta mil) quilos
de Feno com Alfafa, embalado em fardos, sem presença de materiais estranhos, como terra,
gravetos, plantas daninhas ou outra espécie de vegetal, com os seguintes parâmetros bromato-
lógicos: Proteína Bruta: Mín. 16%; Matéria Seca: Máx: 87%; Fibra Bruta: Máx. 37%; Extrato
Etéreo: Min.1,1%; Matéria Mineral: Máx. 9,0%, Unidade de Fornecimento: fardo de 15 a 30
Kg, 360.000 (trezentos e sessenta mil) quilos de Feno com Tifton, embalado em fardos, sem
presença de materiais estranhos, como terra, gravetos, plantas daninhas ou outra espécie de
vegetal, de coloração esverdeada, com os seguintes parâmetros bromatológicos: Umidade: Min.
10% e Máx. 15%; Proteína Bruta: Mín. 12%; Matéria Seca: Máx: 85%; Fibra Bruta: Máx. 34%;
Extrato Etéreo: Min.1,1%; Matéria Mineral: Máx. 8,0%, NDT (nitrogênio digestivo total): 50%;
Unidade de Fornecimento: fardo de 15 a 30 Kg da mara fazenda Macaé e 300 (trezentas) caixas
de Rampão para Ferradura, Material: Liga de metal maleável, com aste central de titânio ao
longo do comprimento do rampão, Comprimento da haste: 9,1 mm, da base cilíndrica: 10,5mm,
do cône: 7,5mm, total do rampão: 18mm, Formato: cônico apoiado em uma base cilíndrica,
Diâmetro: da base do cilindro: 8,8mm, da parte do cilindro que apoia o cône: 9,8mm, da base
o cône: 14mm, Unidade de fornecimento: caixa com 50 unidades, Consoante especi?cam os
itens 01, 02 e 11 do Anexo I do Edital de Pregão Eletrônico nº 387/2012 – SULIC/SEPLAN.
Valor: R$ 438.900,00 (quatrocentos e trinta e oito mil e novecentos reais) NE: 000939 de
22/11/2012. Fonte da Despesa: 0100000000. UG: 170393. Natureza da Despesa: 33.90.30 Base
Legal: Edital de Licitação de Pregão Eletrônico nº 387/2012 – SULIC/SEPLAN Assinatura:
03/12/2012 Vigência: 12 (doze) meses, contados a partir de sua assinatura. Signatários: Pelo
Distrito Federal: Robmilson Araújo de Lima, Chefe do Departamento de Logística e Finanças
da PMDF. Pela Contratada: Edilson Candido de Oliveira, na qualidade de Sócio-Gerente.
EXTRATO DO CONTRATO Nº 35/2012.
Processo: 054.000.334/2012. Partes: DF/PMDF X CENTRO OESTE RAÇÕES S/A. Objeto:
Aquisição de 600.000 (seiscentos mil) quilos de RAÇÃO EXTRUSADA PARA EQUINOS,
Composição Básica: milho moído, glúten de milho 21%, feno de alfafa, farelo de soja, melaço,
fosfato, bicálcio, calcário, sal premix, Umidade Máxima: 13,00%, Proteína Bruta Mínima:
14,00%, Extrato Etéreo Mínimo: 2,00%, Matéria Fibrosa Máxima: 14,00%, Matéria Mineral
Máxima: 13,00%, Cálcio Máximo: 1,50%, Fósforo Mínimo: 0,50%, energia disponível (ED)
3.000kcal. Embalado em saco de papel multifolhado com no mínimo 03 (três) folhas Kraft na-
tural, gramatura 90 g/m2, Unidade de Fornecimento: sacos de 30 e 40 quilogramas, Consoante
especi?ca os item 03 do Anexo I do Edital de Pregão Eletrônico 387/2012 SULIC/SEPLAN.
Valor: R$ 759.000,00 (setecentos e cinquenta e nove mil reais) NE: 000940 de 22/11/2012. Fonte
da Despesa: 0100000000. UG: 170393. Natureza da Despesa: 33.90.30. Base Legal: Edital de
Licitação de Pregão Eletrônico nº 387/2012 – SULIC/SEPLAN. Assinatura: 03/12/2012. Vi-
gência: 12 (doze) meses, contados a partir de sua assinatura. Signatários: Pelo Distrito Federal:
Robmilson Araújo de Lima, Chefe do Departamento de Logística e Finanças da PMDF. Pela
Contratada: Wilson Tomé da Silva e João Gildásio do Prado, na qualidade de Procuradores.
EXTRATO DO SEXTO TERMO ADITIVO AO CONTRATO Nº 66/2006.
Processo: 054.001.279/2006. Partes: DF/PMDF x CRISTOVAM DE ASSIS ALVES. Objeto: O
presente Termo Aditivo objetiva prorrogar o prazo de vigência do contrato por mais 12 (doze)
meses, de 04/12/2012 a 03/12/2013 ou até a mudança para a Sede do 17º BPM em Águas
Claras, o que primeiro ocorrer, com base no Parecer da Procuradoria-Geral do Distrito Federal
nº 1.083/2012 – PROCAD/PGDF (?s. 449/457), da Lei nº 8.666 de 21.06.93 e Lei nº 8.245/91
e Justi?cativa do Executor constante do processo (?.487). Do Valor: O valor total é de R$
221.422,20 (duzentos e vinte e um mil, quatrocentos e vinte e dois reais e vinte centavos), sendo
o valor mensal da locação de R$ 18.451,85 (dezoito mil, quatrocentos e cinquenta e um reais
e oitenta e cinco centavos). Assinatura: 04/12/2012. Signatários: Pelo DISTRITO FEDERAL:
Robmilson Araújo de Lima, Chefe do Departamento de Logística e Finanças. Pela Contratada:
Cristovam de Assis Alves, na qualidade de Locador/Proprietário.
EXTRATO DO PRIMEIRO TERMO ADITIVO AO CONTRATO Nº 43/2011.
Processo: 054.001.764/2011. Partes: DF/PMDF x STELMAT TELEINFORMÁTICA LTDA.
Objeto: prorrogar o prazo de entrega do objeto e de vigência do Contrato por mais 365 (trezentos e
sessenta e cinco) dias, ou seja, até 02DEZ2013, sem qualquer ônus extraordinário para a Contratante,
com base no § 1º, inciso VI do art. 57, da Lei nº 8.666/93, Assinatura: 03/12/2012. Signatários: Pelo
Distrito Federal: Robmilson Araújo de Lima, Chefe do Departamento de Logística e Finanças da
PMDF. Pela Contratada: Allan Exupery de Araújo, na qualidade de Sócio Administrador.
DEPARTAMENTO DE TRÂNSITO DO DISTRITO FEDERAL
EXTRATOS DE INSTRUMENTOS CONTRATUAIS
Partes: DETRAN-DF e a Empresa AIE – Automação Industrial e Eletrônica Ltda. – ME – Proc.
055.018.380/2012 – Contrato nº 51/2012. Objeto: A aquisição e instalação de dois containeres
e um estabilizador de energia e o conserto e instalação de um no-break e um gerador de energia
para o Departamento de Trânsito do Distrito Federal - Detran-DF conforme especi?cações,
condições e quantitativos estabelecidos no Edital de Pregão Eletrônico nº 45/2012, no Termo
de Referência e na Proposta da Contratada, que passam a integrar o presente Ajuste, como se
transcritos fossem. Valor total: R$ 129.587,00 (cento e vinte e nove mil, quinhentos e oitenta
e sete reais); Dotação Orçamentária: fonte, 220 e 420, função 06, Subfunção 122, Programa
6008, Meta 8517, SubTítulo 0022 e Elemento de Despesa 339039 e 449052. UG: DETRAN-
-DF, Gestão: DETRAN-DF, Nota de Empenho: 2012NE02301, 2012NE022302; Data de
emissão: 22/11/2012. Executor do Contrato: servidor Givanildo Gomes de Lima, matrícula
250.278-X, lotado no Núcleo de Manutenção Predial - NUMAP. Prazo de vigência: 45 (qua-
renta e cinco) dias corridos sua e?cácia terá início com a sua publicação no Diário O?cial do
Distrito Federal. Data da assinatura: 22 de novembro de 2012 – Assinam: José Alves Bezerra
e Wellington Correia de Souza.
Partes: DETRAN-DF e a Empresa MAX COMÉRCIO E SERVIÇOS DE CAMINHÕES
LTDA – ME – Proc. 055.009.526/2012 – Contrato nº 52/2012. Objeto: A aquisição de cami-
nhão equipado com guindaste destinado ao guinchamentos, socorro, transporte de materiais de
sinalização e carga para atender as necessidades da ?scalização de rua, entidades conveniadas
e promover a organização dos depósitos de veículos apreendidos (DVAs) do Departamento de
Trânsito do Distrito Federal, conforme especi?cações, condições e quantitativos estabelecidos
no Edital de Pregão Eletrônico nº 41/2012 – DETRAN-DF, no Termo de Referência e na
Proposta da Contratada, que passam a integrar o presente Ajuste, como se transcritos fossem.
Valor total: R$ 376.648,00 (trezentos e setenta e seis mil e seiscentos e quarenta e oito reais);
Dotação Orçamentária: fonte, 437, função 06, Subfunção 181, Programa 6215, Meta 2541,
SubTítulo 0002 e Elemento de Despesa 449052. UG: DETRAN-DF, Gestão: DETRAN-DF,
Nota de Empenho: 2012NE02278; Data de emissão: 08/11/2012. Executor Titular do Contrato
o servidor Marcelo Esrom Cupti Madeira, matrícula 67443-5, lotado no Núcleo de Operação
Técnica - NUTEC e como Executor Substituto o servidor Roberto Lino Nascimento da Luz,