Edital do Concurso Prefeitura de Três Coroas - RS 2011

Visualizaçao do Edital do Concurso

EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO Nº 019/2011
SÚMULA: Dispõe sobre a abertura de vagas para o
Concurso Público Municipal de 019/2011, e
outras providências.
Rogério Grade, Prefeito Municipal de Três Coroas, Estado do Rio Grande do Sul, no uso
das atribuições legais, resolve:
TORNAR PÚBLICO
Este Edital destinado a abertura de vagas através do Concurso Público Municipal, de Provas e
Provas e Títulos para o preenchimento de vagas no quadro de pessoal, de provimento efetivo da
Administração Pública Municipal, regido pela Lei Municipal nº 2108 de 14/12/2001 e suas
posteriores alterações, como segue:
1 DOS CARGOS A SEREM PROVIDOS
VAGAS CARGO REQUISITOS MININOS CH Salário
Inicial (R$)
Taxa de
Inscrição
(R$)
01 Assistente Social
Superior Completo em Serviço
Social e registro no órgão
fiscalizador da classe
40 3.403,37 60,00
01 Bibliotecário
Superior Completo em
Biblioteconomia e registro no órgão
fiscalizador da classe
40 1.631,75 50,00
01 Biólogo
Superior Completo Bacharelado em
Biologia e registro no órgão
fiscalizador da classe
20 1.539,88 50,00
01 Enfermeiro
Superior Completo em Enfermagem
e registro no órgão fiscalizador da
classe
40 3.413,37 60,00
01 Engenheiro Civil
Superior Completo em Engenharia
Civil e registro no órgão
fiscalizador da classe
30 3.166,79 60,00
01 Fonoaudiólogo
Superior Completo em
Fonoaudiologia e registro no órgão
fiscalizador da classe
20 1.300,56 50,00
01 Médico Clínico Geral
Superior Completo em Medicina e
registro no órgão fiscalizador da
classe
20 3.166,79 60,00
01 Médico Clínico Geral
Superior Completo em Medicina e
registro no órgão fiscalizador da
classe
40 7.566,46 60,00
01 Médico Estratégia da
Família
Superior Completo em Medicina e
registro no órgão fiscalizador da
classe
40 7.566,46 60,00
01 Médico Gineco/Obstetra
Superior Completo em Medicina,
especialização em ginecologia e
obstetrícia e registro no órgão
fiscalizador da classe
20 3.166,79 60,00
01 Médico Pediatra
Superior Completo em Medicina,
especialização em pediatria e
registro no órgão fiscalizador da
classe
20 3.166,79 60,00
02 Operador de Máquinas
Série do Ensino Fundamental
Completo Carteira Nacional de
Habilitação “C”, no mínimo.
44 1.107,17 20,00
15 Operário
Alfabetizado
44 556,00 10,00
01 Pedagogo - Orientação
Educacional
Graduação em Pedagogia, com
habilitação em Orientação
Educcional; ou em Pedagogia, com
especialização em orientação e
experiência comprovada em
atividade docente de, no mínimo, 2
anos
40 1.933,92 50,00
01 Pedagogo - Supervisor
Escolar
Graduação em Pedagogia, com
habilitação em supervisão escolar;
ou em Pedagogia, com
especialização em supervisão e
experiência comprovada em
atividade docente de, no mínimo, 2
anos
40 1.933,92 50,00
01 Professor - Artes
Superior Completo com licenciatura
plena em Artes.
20 1.087,83 50,00
02 Professor - Ciências Físicas
e Biológicas
Superior Completo com licenciatura
plena em ciências físicas e
biológicas
20 1.087,83 50,00
01 Professor - Educação Física
Superior Completo com
Licenciatura plena em educação
física e registro no órgão
fiscalizador da classe
20 1.087,83 50,00
10 Professor Educação
Infantil
Licenciatura específica em
Pedagogia, com habilitação em
Educação Infantil.
40 1.450,44 50,00
01 Professor - Ensino
Fundamental 1º ao 5º Ano
Licenciatura específica em
Pedagogia, com habilitação para
ministrar aulas no ensino
fundamental do 1º ao 5º ano
20 1.087,83 50,00
01 Professor - Ensino
Religioso
Superior Completo com licenciatura
plena em ensino religioso, Curso
Superior em licenciatura de
graduação plena em qualquer área
do conhecimento com curso
específico de formação do ensino
religioso, no mínimo, de 400 horas.
20 1.087,83 50,00
01 Professor - Geografia
Superior Completo com licenciatura
plena em geografia
20 1.087,83 50,00
01 Professor - História
Superior Completo com licenciatura
plena em história
20 1.087,83 50,00
03 Professor - Informática
Superior Completo em licenciatura
em informática
20 1.087,83 50,00
01 Professor - Língua
Estrangeira - Inglês
Superior Completo com licenciatura
plena em letras/língua estrangeira
(inglês)
20 1.087,83 50,00
01 Professor - Língua
Portuguesa
Superior Completo com licenciatura
plena em letras/português
20 1.087,83 50,00
01 Professor - Matemática
Superior Completo com licenciatura
plena em matemática
20 1.087,83 50,00
01 Secretário de Escola
Ensino Médio Completo
40 966,96 30,00
06 Servente
Série do Ensino Fundamental
Completo
44 635,78 10,00
02 Técnico de Enfermagem
Ensino Médio e Curso Técnico em
Enfermagem e registro no órgão
fiscalizador da classe
44 1.107,17 30,00
2 – DAS INSCRIÇÕES
2.1 – DOS REQUISITOS
Para candidatar-se aos cargos públicos do quadro de servidores da Prefeitura Municipal de Três
Coroas constantes deste Edital, o candidato deverá atender os requisitos abaixo relacionados, sendo
que a falta de comprovação de qualquer um deles, implicará em impedimentos para a posse:
2.1.1 Ter nacionalidade brasileira ou equiparada.
2.1.2 Estar em gozo com seus direitos políticos.
2.1.3 Estar quite com a Justiça Eleitoral.
2.1.4 Quando do sexo masculino, haver cumprido suas obrigações no Serviço Militar.
2.1.5 Ter completado 18 (dezoito) anos de idade, até a data da posse, se aprovado.
2.1.6 Não ter sofrido, na função pública, penalidade por prática de atos desabonadores.
2.1.7 Apresentar no ato da posse as certidões negativas de antecedentes criminais fornecidas pela
Justiça Estadual e Justiça Federal, de onde o candidato residiu nos 5 (cinco) últimos anos.
2.1.8 Possuir o nível de escolaridade exigido para o exercício do cargo e o respectivo Registro no
Órgão da Classe, quando for o caso, no ato da posse.
2.1.9 Apresentar outros documentos que se fizerem necessários, no decorrer do certame ou quando
da posse e ter atendido outras condições prescritas em lei.
2.2 - DO PERÍODO, HORÁRIO E LOCAL DAS INSCRIÇÕES
As inscrições serão realizadas de 19 de Setembro de 2011 à 13 de outubro de 2011, através do
site www.exatuspr.com.br, sendo que no dia 13 de outubro de 2011, as inscrições encerrar-se-
ão às 23 horas e 59 minutos. Os boletos deverão ser gerados e impressos até às 23 horas e 59
minutos do dia 13 de outubro de 2011. O pagamento da taxa de inscrição deverá ser efetuado
até o dia 14 de outubro de 2011, mediante a apresentação de boleto bancário, que deve ser
impresso pelo candidato após o preenchimento do formulário de inscrição na internet.
Para os candidatos que não tiverem acesso à internet, a inscrição poderá ser realizada na
Prefeitura Municipal de Três Coroas, Estado do Rio Grande do Sul, sito à Av. João Corrêa,
380, nos dias úteis entre 19/09/2011 à 13/10/2011, das 12hs às 19hs00min, de segunda a quinta-
feira e das 09hs00min às 16hs00min, nas sextas-feiras.
2.2.1 Na hipótese de haver mais de uma inscrição, será mantida a última que tiver sido efetivada.
2.2.2 Não haverá inscrição condicional, por correspondência, por fac-símile ou fora do prazo.
Verificado, a qualquer tempo, o recebimento de inscrição que não atenda a todos os requisitos
fixados no presente Edital, será a mesma cancelada.
2.2.3 Ao preencher o formulário de inscrição, o candidato indicará o cargo para o qual se inscreveu,
vedada qualquer alteração posterior.
2.2.4 Antes de efetuar o recolhimento da taxa de inscrição, o candidato deverá certificar-se de que
preenche todos os requisitos exigidos para a investidura nos cargos previstos neste Edital, pois a
taxa de inscrição, uma vez paga, não será restituída em nenhuma hipótese.
2.2.5 Será cancelada a inscrição com pagamento efetuado por um valor inferior que o estabelecido e
as solicitações de inscrição cujos pagamentos forem efetuados após a data de encerramento das
inscrições.
2.2.6 Não será aceito pedido de devolução do pagamento do valor da inscrição, ainda que superior
ou em duplicidade.
2.2.7 A Empresa Contratada e a Prefeitura Municipal de Três Coroas não se responsabilizam por
solicitações de inscrições não recebidas por motivo de ordem técnica dos computadores, falha de
comunicação, congestionamento das linhas de comunicação, bem como outros fatores de ordem
técnica que impossibilitem a transferência de dados.
2.2.8 Não haverá isenção, parcial ou total, do valor da taxa de inscrição.
2.2.9 O candidato poderá imprimir o cartão de inscrição, que estará disponível no mesmo endereço
eletrônico www.exatuspr.com.br, no qual esta indicado o local, o horário e o endereço da
realização das provas, sendo de exclusiva responsabilidade do candidato a obtenção do cartão de
inscrição por meio de impressão.
2.2.10 A qualquer tempo poderá ser anulada a inscrição, as provas e a nomeação por meio de
processo administrativo, devidamente instaurado, ouvido o candidato, o que pode ocorrer inclusive
após a homologação do resultado do concurso público, desde que verificada a prática de qualquer
ilegalidade pelo candidato, tais como: falsidade nas declarações prestadas e/ou quaisquer
irregularidades nas provas e/ou nos documentos apresentados, entre outros.
2.2.11 Ao efetuar a inscrição o candidato assume o compromisso tácito de que aceita as condições
estabelecidas no presente Edital e nos demais que vierem a ser publicados durante a realização do
certame.
2.2.12 O candidato que não apresentar as informações necessárias ou não realizar o pagamento da
inscrição na data prevista no boleto bancário terá seu pedido de inscrição indeferido.
2.2.13 Os pedidos de inscrições serão recebidos pelo site www.exatuspr.com.br, cabendo a
Comissão Especial de Concurso decidir sobre o seu deferimento ou não.
2.2.14 Ao preencher o formulário de inscrição, o candidato deverá indicar o cargo para o qual se
inscreveu, não sendo possível, a inscrição para mais de um cargo.
2.2.15 Após o encerramento das inscrições haverá publicação da homologação das inscrições pela
Comissão Especial de Concurso publicando-se a lista dos nomes e números de inscrições dos
candidatos aptos a realizarem as provas. Aludida publicação ocorrerá em Edital nas dependências da
Prefeitura Municipal de Três Coroas, e no site www.exatuspr.com.br.
2.2.16 Do indeferimento do pedido de inscrição caberá recurso à Comissão Especial de Concurso,
no prazo de 03 (três) dias úteis, a contar da data da publicação conforme item 2.2.15, de forma
eletrônica através do site www.exatuspr.com.br.
3. DAS PROVAS
3.1 Para os cargos elencados neste Edital o concurso será realizado da seguinte forma:
3.1.1 Para os cargos de Operador de Máquinas e Secretário de Escola o concurso serealizado em
duas etapas, sendo uma prova objetiva, que será de caráter eliminatório e classificatório, e outra,
sendo prova prática que será de caráter eliminatório e classificatório.
3.1.2 Para os cargos de Professor – Educação Infantil; Professor – Ensino Fundamental 1º ao 5º ano,
Professor ao 9º ano Educação Física, Língua Portuguesa, Língua Estrangeira- Inglês,
Matemática, Ciências Físicas e Biológicas, Artes, Ensino Religioso, Geografia, História,
Informática; Pedagogo Orientação Educacional e Pedagogo Supervisão Escolar o concurso será
realizado em duas etapas, uma sendo prova objetiva, será de caráter eliminatório e classificatório, e
outra, sendo prova de títulos, será de caráter classificatório.
3.1.3 Para os demais cargos elencados no presente Edital, o concurso será realizado em uma única
etapa, sendo prova objetiva, de caráter eliminatório e classificatório.
3.2 A prova objetiva para os cargos de Professor consistirá de 25 (vinte e cinco) questões de
múltipla escolha, com quatro alternativas (a,b,c,d) sendo uma só correta, valendo cem pontos,
avaliados na escala de zero a oitenta, com duração de três horas improrrogáveis.
3.2.1 A prova objetiva versará sobre português, legislação, didática e conhecimentos específicos
inerentes ao cargo respectivo, sendo trinta questões no total, distribuídas da seguinte forma:
Conhecimentos Específicos – 10 (dez) questões – 3,2 (três vírgula dois pontos) cada
questão
Português – 05 (cinco) questões – 3,2 (três vírgula dois pontos) cada questão
Legislação – 05 (cinco) questões – 3,2 (três vírgula dois pontos) cada questão
Didática – 05 (cinco) questões – 3,2 (três vírgula dois pontos) cada questão
3.2..2 Serão considerados aprovados, os candidatos que na matéria de conhecimento específico
obtiver 50% (cinqüenta por cento) de acerto e na somatória dos acertos, obtiver nota igual ou
superior a 40,00 (quarenta) pontos na prova objetiva.
3.2.3 Para os cargos de Professor haverá prova de redação, valendo 20,00 (vinte) pontos, onde será
avaliado:
3.2.3.1 Em casos de fuga ao tema, de não haver texto ou de identificação em local indevido, o
candidato receberá nota zero na prova de redação avaliada.
3.2.3.2 Serão avaliados a apresentação, a estrutura textual, o desenvolvimento do tema e o domínio
da modalidade escrita da Língua Portuguesa.
3.2.3.3 A avaliação do domínio da modalidade escrita de Língua Portuguesa considerará aspectos
tais como: acentuação, grafia, pontuação, concordância, rencia, morfossintaxe, propriedade
vocabular e translineação.
3.2.3.4 Será desconsiderado, para efeito de avaliação, qualquer fragmento de texto que for escrito
fora do local apropriado ou que ultrapassar a extensão máxima de linhas estabelecida no caderno de
provas.
3.2.3.5 A prova de redação, deverá ser feita à mão, em letra legível, obrigatoriamente com caneta
esferográfica de tinta preta ou azul. A prova não poderá ser assinada, rubricada e/ou conter qualquer
palavra e/ou marca que a identifique em outro local que não seja o cabeçalho da folha de texto
definitivo, sob pena de ser anulada. Caso o candidato faça a sua redação em letra de forma, deverá
distinguir claramente as letras maiúsculas das minúsculas.
3.2.3.6 A folha de texto definitivo da prova de redação o poderá ser assinada, rubricada nem
conter, em outro local que o o apropriado, qualquer palavra ou marca que a identifique, sob pena
de anulação da prova. Assim, a detecção de qualquer marca identificadora no espaço destinado à
transcrição de texto definitivo acarretará a anulação da prova de redação.
3.2.3.7 O candidato eliminado na prova de redação estará automaticamente eliminado e não terá
classificação alguma no concurso.
3.2.4 Será avaliada a prova de redação apenas dos candidatos aprovados na prova objetiva, ou seja,
que atingiram 50% (cinqüenta por cento) de acerto na matéria de conhecimento específico e na
somatória dos acertos, obtiver nota igual ou superior a 40,00 (quarenta) pontos.
3.3 A prova objetiva para os demais cargos elencados neste Edital consistide 30 (trinta) questões
de ltipla escolha, com quatro alternativas (a,b,c,d) sendo uma correta, valendo cem pontos,
avaliados na escala de zero a cem, com duração de três horas improrrogáveis.
3.3.1 A prova objetiva versará sobre português, matemática, conhecimentos gerais e conhecimentos
específicos inerentes ao cargo respectivo, sendo trinta questões no total, distribuídas da seguinte
forma:
Conhecimentos Específicos – 16 (dezesseis) questões – 4 (quatro pontos) cada
questão
Português – 06 (seis) questões – 2 (dois pontos) cada questão
Matemática – 04 (quatro) questões – 2 (dois pontos) cada questão
Conhecimentos Gerais – 04 (quatro) questões – 4 (quatro pontos) cada questão
3.3.2 Serão considerados aprovados, os candidatos que na matéria de conhecimento específico
obtiver 50% (cinqüenta por cento) de acerto e na somatória dos acertos, obtiver nota igual ou
superior a 50,0 (cinqüenta) pontos.
3.4 Quando da realização das provas, o candidato deverá comparecer ao local de Prova uma
hora antes do horário munido de:
3.4.1 Comprovante de inscrição, impresso através do site www.exatuspr.com.br.
3.4.2 Documento de identificação pessoal, podendo ser um dos documentos abaixo discriminados:
3.4.2.1 Cédula de identidade, cédula de Identidade fornecida por órgão ou conselho de representação
da classe, carteira de motorista, carteira de trabalho (modelo novo), expedido a partir de 20 de
janeiro de 1997. O documento deverá ser apresentado de forma legível e em via original, não sendo
permitida apresentação de fotocópia.
3.4.2.2 Não serão aceitos como documentos de identidade para ingresso na sala de prova: Carteira
de Trabalho (modelo velho) expedida antes de 20 de janeiro de 1997, Certificado de Reservista,
Certidão de Nascimento, Título Eleitoral, Carteira Nacional de Habilitação sem foto, carteira de
estudante, carteira funcional sem valor de identidade, documentos ilegíveis, não identificáveis e/ou
danificados e outros que não constam no item 3.4.2.1.
3.4.2.3 Não será aceita cópia de documento de identidade, ainda que autenticada, nem protocolo de
documento de identidade.
3.4.3 Caneta esferográfica preta ou azul com tubo transparente.
3.4.4 Comprovante de pagamento da taxa de inscrição.
3.4.5 A Comissão Especial de Concurso, no dia de realização das provas, poderá exigir para
ingresso na sala de aplicação da prova, somente o exigido no item 3.4.2, desde que o candidato
tenha sua inscrição homologada.
3.5 A prova objetiva será realizada em data, local e horário a serem divulgados junto com o
Edital de Homologação das Inscrições a ser publicado em Edital nas dependências da
Prefeitura Municipal de Três Coroas, no Órgão Oficial do Município, e através do site
www.exatuspr.com.br.
3.5.1 As portas e/ou portões do local de realização das provas serão fechados 15 minutos antes
do início das provas. O candidato que chegar após este horário não poderá realizar as provas.
3.5.1.1 É de inteira responsabilidade do candidato identificar o local de prova.
3.5.2 Não haverá provas em outros dia e horários por conta de enfermidade do candidato.
3.6 Os candidatos somente poderão ausentar-se do recinto das provas, após decorrida uma hora do
início das mesmas.
3.7 Na prova objetiva, os três últimos candidatos deverão permanecer na sala, para assinatura da ata
e lacre dos envelopes com os cartões respostas e provas, comprovando a regularidade de aplicação
das provas.
3.8 A candidata que tiver necessidade de amamentar durante a realização da prova, deverá levar um
acompanhante, que ficará em local reservado para essa finalidade e que será o responsável pela
guarda da criança. A candidata que não levar acompanhante não realizará a prova. Não haverá
tempo adicional para quem amamentar.
3.9 Será concedida fiscalização especial ao candidato que no mínimo 24(vinte e quatro) horas antes
da realização da prova, a critério médico, devidamente comprovado junto a Comissão Especial, que
impossibilitado por motivos de saúde, de realizar a prova em sala de aula com os demais candidatos.
3.9.1 Aludido requerimento deverá ser apresentado à Comissão Especial de Concurso, devidamente
instruído com atestado médico.
3.10 Os gabaritos com as devidas respostas das provas, tornar-se-ão públicos, após a aplicação das
provas, em Edital nas dependências da Prefeitura Municipal de Três Coroas e no site oficial
www.exatuspr.com.br.
3.11 Para os cargos de Professor – Educação Infantil; Professor Educação Física, Língua
Portuguesa, Língua Estrangeira - Inglês, Matemática, Ciências Físicas e Biológicas, Artes, Ensino
Religioso, Geografia, História, Informática; Pedagogo Orientação Educacional; Pedagogo
Supervisão Escolar, será realizada a prova de títulos, sendo considerado além do previsto no artigo
19, Parágrafo 1º do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias, da Constituição Federal – 2,00
(dois vírgula zero zero) pontos no total, a freqüência e conclusão em cursos relacionados
diretamente com a área de atuação, conforme segue abaixo:
I – Freqüência e conclusão em cursos relacionados diretamente com a área de atuação:
GRADE DE PONTUAÇÃO DOS TÍTULOS:
Itens
Pontuação
1. Pós graduação - (limitado a um título) - (todos concluídos)
Especialização
Mestrado
Doutorado
4,0
6,0
8,0
2. Graduação – Curso superior e/ou Licenciatura Plena –
(concluído)
Exceto o curso de exigência do cargo
2,0
3. Cursos, Seminários, Jornadas, Treinamentos, Oficinas,
Worshops, Simpósios, Congressos, etc. desde que
relacionados com o cargo de inscrição (participante ou
palestrante, painelista ou organizador), com a data da
realização do evento dentro dos últimos cinco anos, contados
da data de encerramento do período para entrega dos títulos,
de acordo com o descrito abaixo:
I. Até 20 horas...........................................
II. De 21 a 40 horas....................................
III. De 41 a 60 horas....................................
IV. De 61 a 100 horas..................................
V. De 101 a 300 horas................................
VI. Acima de 301 horas................................
(Cursos com carga horária definida em dias ou meses serão
considerados na seguinte proporção: 01 dia: 08 horas - 01
mês: 80 horas).
0,3
0,4
0,5
0,6
0,8
1,0
3.11.1 Os títulos serão devidamente comprovados e deverão guardar direta relação com as
atribuições dos cargos em Concurso. Serão avaliados os títulos ligados a área de educação.
3.11.2 A somatória da pontuação dos Títulos fica fixada no máximo de 20,00 (vinte) pontos, não
podendo em hipótese alguma ser ultrapassado esse limite, mesmo que o candidato apresente títulos
cuja somatória venha ultrapassar esse limite.
3.11.3 Os candidatos deverão apresentar xérox autenticado em cartório dos títulos (diplomas,
certificados, cursos da área e outros documentos), no dia de realização da entrega de títulos,
conforme previsto no Edital de Convocação para Entrega de Títulos.
3.11.4 Somente serão julgados os títulos dos candidatos aprovados na primeira etapa.
3.11.5 Os candidatos deverão apresentar juntamente com os títulos o documento que comprove a
habilitação para ingresso no cargo.
3.12 A prova prática versará sobre:
3.12.1 Para o cargo de Operador de Máquina serão avaliados os seguintes pontos:
I – Verificação dos acessórios do veículo
II – Verificação da situação mecânica do veículo
III – Habilidade na condução do veículo
IV – Cuidados básicos na condução do veículo
Cada critério acima mencionado terá a validade de 0,00 a 25,00 (vinte e cinco) pontos, sendo
no total 100,00 (cem) pontos.
3.12.2 Para o cargo de Secretario de Escola, será avaliado os seguintes pontos:
I – Preparação do computador para uso
II- DIGITAÇÃO USANDO O MICROSOFT WORD - Digitação e Formatação de um texto
com, aproximadamente 1.000 caracteres (margens; alinhamento do título e do corpo do texto;
espaçamento entre linhas; tipo, tamanho e estilo da fonte).
III - ELABORAÇÃO DE PLANILHAS USANDO O MICROSOFT EXCEL - Formatação
(margens; orientação da página, tamanho do papel e centralização na página); - Criação de Fórmulas
e Gráficos.
IV – Gravação dos arquivos.
Cada critério acima mencionado terá a validade de 25,00 (vinte e cinco) pontos, sendo no
total 100,00 (cem) pontos.
A data, local e horário da prova prática será divulgado no Edital de Convocação para prova
prática.
3.13 O candidato que não atingir 50% (cinqüenta por cento) de aproveitamento na prova prática está
eliminado do Concurso Público.
3.14 A ausência e a recusa do candidato em participar da prova objetiva e prova prática implicará,
automaticamente, na sua exclusão do concurso.
4 DA CLASSIFICAÇÃO
4.1 Os candidatos aprovados serão classificados em lista nominal, na ordem decrescente, como
segue abaixo:
4.1.1 Para o cargos de Professor, será NF = NO + NR + NT, sendo NF = nota final, NO = nota da
prova objetiva, NR = nota da redação e NT = nota prova de títulos, podendo haver nota superior à
100,00 (cem) pontos.
4.1.2 Para os cargos de Pedagogo Orientação Educacional e Pedagogo Supervisor Escolar, será NF
= NO + NT, sendo NF = nota final, NO = nota da prova objetiva e NT = nota prova de títulos,
podendo haver nota superior à 100,00 (cem) pontos.
4.1.3 Para os cargos de Operador de Máquinas e Secretario de Escola será NF = (NO + NP)/2, sendo
NF = nota final, NO = nota da prova objetiva e NP = nota prova prática.
4.1.4 Para os demais cargos elencados neste edital será NF = NO, sendo NF = nota final, NO = nota
da prova objetiva.
4.2 Em caso de empate de notas, na classificação, como critério de desempate, terá preferência o
candidato que:
4.2.1. Obtiver maior nota na prova de maior relevância, quando houver;
4.2.2. Obtiver maior nota na prova de títulos, quando houver;
4.2.3. Sorteio.
4.2.4. Nos termos do art. 27 da Lei Federal 10.741/2003, o primeiro critério de desempate entre
os candidatos com mais de 60 (sessenta) anos completados até o último dia do prazo de inscrição e
entre estes e os demais candidatos será o de idade mais elevada, considerando-se o ano, o mês e o
dia do nascimento.
4.3 O resultado do concurso e a classificação dos candidatos aprovados serão publicados em Edital
nas dependências da Prefeitura Municipal e no site www.exatuspr.com.br.
4.3.1 O Órgão de Pessoal providenciará a expedição de atestado ou certificado de habilitação aos
candidatos aprovados que o solicitarem, mas valerá para fim de classificação os resultados
publicados em Edital nas dependências da Prefeitura Municipal e no site www.exatuspr.com.br.
4.4 A posse respeitará a ordem de classificação final.
4.5 Para fins de comprovação de classificação no concurso, valerá a publicação da homologação do
resultado final, conforme previsto no item 4.3 deste edital.
5 – DAS VAGAS DESTINADAS AOS PORTADORES DE DEFICIÊNCIA
5.1 À pessoa portadora de necessidades especiais, amparada pelo artigo 37, inciso VIII, da
Constituição Federal, fica reservado aos candidatos portadores de necessidades especiais, das vagas
gerais ofertadas 05% (cinco por cento), conforme Lei Municipal nº 2772/2009.
5.2 Às pessoas portadoras de deficiência, é assegurado o direito de inscrever-se neste processo de
seleção, desde que a deficiência de que são portadoras seja compatível com as atribuições do cargo a
ser preenchido.
5.3 Os portadores de deficiência participarão em igualdade de condições com os demais candidatos.
5.4 As vagas reservadas que não forem providas por falta de candidatos, por reprovação no concurso
ou na perícia médica, serão preenchidas pelos demais concursandos, observada a ordem de
classificação.
5.5 Aos candidatos é assegurado o direito de se inscreverem nessa condição, declarando serem
portadores de deficiência com laudo médico para comprovação, e submeterem-se, se convocados, à
perícia médica promovida pela Comissão Especial de Concurso por intermédio de Junta Médica
designada, que terá decisão terminativa sobre a qualificação do candidato com deficiência ou não e
o grau de deficiência capacitante para o exercício do cargo.
5.6 Até o último dia da realização da inscrição, o candidato portador de deficiência deverá
protocolar declaração, junto à Divisão de Recursos Humanos da Prefeitura Municipal de Três
Coroas, concernente a condição e a deficiência da qual é portador, apresentando Laudo
Médico (original ou cópia autenticada em cartório) atestando a espécie e o grau ou nível da
deficiência, com expressa referência ao código correspondente da Classificação Internacional
de Doença CID, bem como a provável causa da deficiência. Este laudo será retido e ficará
anexado ao protocolo de inscrição. O laudo também deverá ser apresentado quando dos exames pré-
admissionais, no caso do candidato ser aprovado e convocado.
5.6.1 Caso o candidato necessite de condições especiais para a realização das provas, deverá
solicitá-las por escrito até o último dia de inscrição, protocolando requerimento junto à
Divisão de Recursos Humanos da Prefeitura Municipal de Três Coroas, Estado do Rio Grande
do Sul.
5.7 A não observância do disposto nos subitens anteriores acarretará a perda do direito ao pleito das
vagas reservadas aos candidatos em tais condições.
5.8 Os candidatos que no ato de inscrição se declararem portadores de deficiência, se classificados
nas provas, além de figurarem nas listas de classificação, terão seus nomes publicados em relação a
parte, observada a respectiva ordem de classificação.
6 DAS DISPOSIÇÕES GERAIS
6.1 O preenchimento da ficha-requerimento de inscrição é de inteira responsabilidade do candidato.
6.2 O pedido de inscrição será indeferido a qualquer tempo, se o candidato não satisfizer as
exigências legais contempladas neste Edital.
6.2.1 O candidato que fizer em qualquer documento, declaração falsa ou inexata, deixar de
apresentar os documentos exigidos, ou deixar de atender os requisitos exigidos por este edital, ainda
que verificado posteriormente, será excluído do concurso, com a conseqüente anulação do ato de
investidura no cargo, pela autoridade competente, sem prejuízo das medidas de ordem
administrativa, civil e criminal.
6.3 O simples requerimento de inscrição do candidato implicará o conhecimento do Regulamento
Geral, Editais, Erratas e deste Edital e sua aceitação.
6.4 O candidato aprovado e classificado, quando convocado para posse, será submetido ao regime
estatutário.
6.4.1 O candidato aprovado e convocado, deverá apresentar os seguintes documentos para admissão
e posse, devendo ser apresentados no ato da posse, além de observar o previsto no item 2.1 deste
Edital:
I - Estar devidamente aprovado no concurso público e classificado dentro das vagas estabelecidas
neste Edital;
II - Ter nacionalidade brasileira ou portuguesa, desde que o candidato esteja amparado pelo estatuto
de igualdade entre brasileiros e portugueses, com reconhecimento de gozo de direitos políticos, no
termos do parágrafo 1º, Art. 12, da Constituição Federal e do Decreto nº 70.436/72;
III - Ter no mínimo 18 (dezoito) anos completos na data da posse;
IV - Estar quite com as obrigações eleitorais (Título Eleitoral: original e cópia autenticada em
cartório, com comprovante de quitação eleitoral do e 2º turnos) e militares (esta última para
candidatos do sexo masculino - Certidão do Serviço Militar (1ª, 2ª ou 3ª) - original e cópia
autenticada em cartório);
V - Ter aptidão física e mental para o exercício das atribuições do cargo;
VI - Possuir habilitação para o cargo pretendido, conforme o disposto na tabela de cargos, na data da
posse (certificado de conclusão do curso, para cargos de nível superior – original epia);
VII - Não perceber proventos de aposentadoria civil ou militar ou remuneração de cargo, emprego
ou função pública que caracterizem acumulação ilícita de cargos, na forma do inciso XVI e
parágrafo 10º do Art. 37 da Constituição Federal;
VIII - Candidatos com deficiência – verificar Capítulo próprio, neste Edital;
IX - Apresentar Certidão Negativa de Antecedentes Criminais da Justiça Federal e da Justiça
Estadual do estado em que o candidato residiu nos últimos 5 (cinco) anos;
X - Apresentar Cópia Autenticada em Cartório do RG, CPF, Registro do Órgão de Classe (quando o
cargo exigir), Carteira Nacional de Habilitação (quando o cargo exigir);
XI - Apresentar cópia da última Declaração de Bens e Renda entregue à Receita Federal do Brasil.
ATENÇÃO: O candidato, por ocasião da POSSE, deverá comprovar todos os requisitos acima
elencados. A não apresentação dos comprovantes exigidos, tornará sem efeito a aprovação obtida
pelo candidato, anulando-se todos os atos ou efeitos decorrentes da inscrição no Concurso.
6.5 Para efeito de admissão o candidato aprovado e convocado fica sujeito à aprovação em todos os
exames médicos realizados por ocasião do exame admissional.
6.5.1 A aprovação nos exames médicos é de caráter eliminatório, considerando-se aprovado o
candidato tido como apto.
6.6 Para o provimento do cargo concursado, o candidato deverá atender as condições necessárias,
quais sejam: i) atendimento aos requisitos para inscrição de acordo com o item 2 e seus subitens
constantes deste Edital; ii) apresentação da documentação exigida para posse conforme dispõe o
subitem 6.4.1 deste Edital; e iii) aprovação nos exames de saúde de acordo com o item 6.5 e seus
subitens do presente Edital.
6.7 O candidato aprovado e convocado deverá comparecer na Prefeitura Municipal no prazo de dez
dias, para ser empossado, submetendo-se a estágio probatório de 36 (trinta e seis) meses, período em
que será avaliado quanto ao exercício de suas atribuições, assiduidade, disciplina, pontualidade,
eficiência, responsabilidade e relacionamento, se aprovado, será considerado efetivo.
6.8 O concurso terá validade por dois anos a contar da data da homologação, prorrogável, uma única
vez, pelo mesmo período.
6.9 Após a realização das provas e divulgação do gabarito, haverá a sessão de identificação das
provas que será convocada através de Edital, o qual mencionará a data, local e horário da mesma.
6.10 Somente haverá revisão de notas atribuídas ao candidato, mediante requerimento fundamentado
à Banca Examinadora do Concurso Público, que após análise das justificativas deliberará a respeito.
6.10.1 O prazo de interposição de pedido de revisão será o estabelecido no aviso para a sessão de
identificação das provas.
6.10.2 O pedido de revisão deverá conter argumentação gica e consistente, indicando,
precisamente, a questão ou ponto sobre o qual versa a reclamação, e será apresentado por meio
eletrônico em link próprio no site www.exatuspr.com.br.
6.10.3 O pedido de revisão destituído de fundamentação será liminarmente indeferido.
6.10.4 Se provido o pedido de revisão, a Comissão Especial do concurso determinará as
providências devidas.
6.10.5 Serão rejeitados os pedidos de revisões que não estiverem redigidos em termos, bem como,
os requerimentos que derem entrada fora do prazo.
6.10.6 Se dos exames de recursos resultar em anulação de questão (ões), a pontuação correspondente
a essa (s) questão (ões) será atribuída a todos os candidatos, independente de terem recorrido ou não,
desde que já não tenham recebido a pontuação correspondente a questão anulada quando da
correção dos gabaritos. Caso haja alteração de resposta correta a divulgação das notas será feita de
acordo com o novo gabarito oficial para todos os candidatos independentemente de terem recorrido
ou não.
6.10.7 será deferido o requerimento se o candidato comprovar que houve erro da Banca
Examinadora ou atribuição de notas diferentes para soluções iguais.
6.11 Podehaver pedido de reconsideração dirigido ao Prefeito Municipal nos mesmos moldes do
item anterior.
6.11.1 O Pedido de reconsideração é de 48 horas após o despacho do Prefeito no recurso de revisão.
6.12 Não haverá segunda chamada para prova, importando a ausência por qualquer motivo,
inclusive moléstia ou atraso, na exclusão do candidato no concurso.
6.13 Não será permitido o uso de máquinas calculadoras, equipamentos e/ou aparelhos eletrônicos,
ou outros instrumentos similares, consulta a qualquer tipo de material e, ainda, não será admitida
qualquer espécie de consulta, inclusive legislação seca ou comunicação entre os candidatos.
6.14 Será atribuída nota zero, quando no cartão resposta for assinalada mais de uma resposta ou
rasura, intenção de marcação, ainda que legível, bem como aquela que não for assinalada no cartão
resposta, ou assinalada a lápis.
6.14.1 Em hipótese nenhuma, haverá substituição do cartão resposta em caso de erro ou rasura do
candidato.
6.14.2 Somente será permitido assinalamento nos cartões respostas feitos pelos próprios candidatos.
6.15 É vedada a comunicação do candidato com qualquer pessoa, durante a realização da prova.
6.16 As salas de prova serão fiscalizadas por pessoas especialmente nomeadas pela Comissão
Especial do Concurso, sendo vedado o ingresso de pessoas estranhas ao concurso.
6.17 Nenhum candidato poderá ausentar-se do recinto da prova a não ser momentaneamente e
acompanhado por fiscal.
6.18 Ao terminar a prova, o candidato entregará obrigatoriamente ao Fiscal de Sala todo o material
recebido.
6.19 Por razões de ordem técnica e direitos autorais, não será fornecido exemplares das provas a
candidatos ou a instituições públicas ou privadas, mesmo após o encerramento do Concurso Público,
sendo que durante o período de recurso da prova objetiva, as mesmas estarão disponíveis no site
www.exatuspr.com.br.
6.20 Eventuais erros de digitação de nomes e meros de inscrições deverão ser corrigidos no dia
das provas, em Ata, pela Comissão Especial.
6.21 Será excluído do concurso público, por ato da Comissão Especial do Concurso, o candidato que
cometer alguma das irregularidades constantes abaixo:
I Agir com incorreção ou descortesia, para com qualquer membro da equipe encarregada
na aplicação das provas;
II Utilizar ou tentar utilizar por meios fraudulentos para obter aprovação própria ou de
terceiros, em qualquer etapa do processo seletivo;
III – Não devolver integralmente o material recebido no dia das provas escritas;
IV Comunicar-se com os demais candidatos, ou pessoas estranhas ao Concurso, bem
como consultar livros ou apontamentos;
V Ausentar-se do recinto, a não ser momentaneamente, em casos especiais e em
companhia do fiscal;
VI – Efetuar o pagamento da inscrição com cheque com insuficiência de saldo bancário;
VII – Colocar no corpo da prova o seu nome, assinatura, ou qualquer outro sinal que possa
identifica-lo.
6.22 As notas das provas e dos títulos, bem como a nota final, não sofrerão aproximações ou
arredondamentos, considerando-se as duas casas.
6.23 Serão publicadas as notas obtidas pelos candidatos e o nome dos candidatos que não estiveram
presentes no dia da prova.
6.24 A taxa de inscrição não será devolvida em hipótese alguma. o serão aceitos pedidos de
isenção de pagamento do valor da taxa de inscrição, seja qual for o motivo alegado.
6.25 A elaboração, aplicação e correção das provas serealizada por empresa contratada, a qual
terá autonomia sobre a elaboração e julgamento das provas.
6.25.1 Os cartões respostas depois de colocados em sobrecarta fechada e rubricada, ficarão sob a
guarda da Empresa Contratada.
6.26 Todos os documentos referentes ao concurso serão confiados, após seu término, à guarda da
Prefeitura Municipal.
6.27 A aprovação no concurso assegurará apenas a expectativa do direito a posse, ficando a
concretização desse ato condicionada à observância da conveniência e oportunidade em faze-lo das
disposições legais pertinentes, da rigorosa classificação e do prazo de validade do concurso.
6.28 O candidato que, convocado, recusar a posse ou deixar de assumir o exercício da função no
prazo estipulado, perderá a vaga.
6.29 O candidato que estiver investido em dois cargos públicos ativos ou em um cargo público
efetivo e um aposentado, quando da sua convocação, não poderá assumir sua vaga se não renunciar
a um dos vínculos anteriores.
6.30 Os prazos fixados neste edital poderão ser prorrogados a juízo do Prefeito Municipal, através
de publicidade prévia e ampla.
6.31 É de inteira responsabilidade dos candidatos acompanhar os editais, portarias, decretos,
comunicados e demais publicações referente a este concurso através de Edital nas dependências da
Prefeitura Municipal e no site www.exatuspr.com.br.
6.31.1 É também de inteira responsabilidade do candidato, manter atualizado o cadastro de inscrição
referente a este concurso, o podendo o Município ser responsabilizado por eventuais prejuízos ao
candidato que não informar possível alteração de endereço.
6.32 As normas deste edital poderão sofrer eventuais alterações, atualização ou acréscimos,
enquanto não consumada a providência ou evento que lhes disserem respeito.
6.33 O resultado final das provas escritas será divulgado em Edital nas dependências da Prefeitura
Municipal e no site www.exatuspr.com.br
6.34 Todos os atos do concurso público serão praticados pela Empresa Contratada ou pela Comissão
Especial.
6.35 Todas as provas ficarão, desde a elaboração, sob a guarda e responsabilidade da Empresa
Contratada.
6.36 Os conteúdos básicos e sugestões bibliográficas para as provas objetivas são os constantes do
Anexo I deste Edital.
6.37 As atribuições dos cargos para as provas objetivas são as constantes do Anexo II deste Edital.
6.38 Durante o prazo de validade do concurso de que trata este edital, nada impede que outro seja
aberto, levado a efeito e classificados os aprovados, sendo que não se nomeará dentro desse prazo,
os classificados de um concurso posterior, enquanto existir concursado anterior com direito à posse.
6.39 Os casos omissos serão resolvidos pelo Executivo Municipal de conformidade com este Edital
e da legislação vigente.
Prefeitura Municipal de Três Coroas, em 16 de setembro de 2011.
Registre-se e Publique-se
Data Supra.
Rogério Grade
Prefeito Municipal
Stela Mares de Oliveira Kern
Secretaria Municipal
ANEXO I
CONTEUDO PROGRAMÁTICO
1. PORTUGUÊS
CARGOS: OPERADOR DE MÁQUINAS, OPERÁRIO E SERVENTE.
Ortografia (escrita correta das palavras). Divisão silábica. Pontuação. Acentuação Gráfica. Flexão do
substantivo (gênero masculino e feminino; mero singular e plural); Emprego dos Pronomes e
Interpretação de Texto.
SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA:
SEGALLA, Domingos. Novíssima Gramática. Editora Nacional. 33ª ed. 1990; AMARAL, Emília; ANTONIO,
Severino; FERREIRA, Mauro; LEITE, Ricardo. Português – Novas Palavras. Editora FTD. 2000. São Paulo: Ática,
1996; INFANTE, Ulisses. Curso de gramática aplicada ao texto. 3ª ed. São Paulo: Scipione. 1996; Do texto ao texto
Curso Prático de Leitura e Redação. São Paulo: Scipione, 1991; TRAVAGLIA, Luiz Carlos. Gramática e interação:
uma proposta para o ensino de gramática no e Graus. São Paulo: Cortez, 1995;CUNHA, Celso Ferreira da.
Gramática da Língua Portuguesa. Editora FAE. 9ª ed. 1983. Outros Livros e site que abrangem o programa
proposto.
CARGOS: ASSISTENTE SOCIAL, BIBLIOTECÁRIO, BIÓLOGO, ENFERMEIRO, ENGENHEIRO CIVIL,
FONOAUDIÓLOGO, MÉDICO CLÍNICO GERAL, MÉDICO ESTRATÉGIA DA FAMÍLIA, MÉDICO
GINECO/OBSTETRA, MÉDICO PEDIATRA, PEDAGOGO ORIENTAÇÃO EDUCACIONAL,
PEDAGOGO SUPERVISOR ESCOLAR, PROFESSOR ENSINO FUNDAMENTAL 1º AO ANO,
PROFESSOR EDUCAÇÃO INFANTIL, PROFESSOR ARTES, PROFESSOR CIÊNCIAS FÍSICAS E
BIOLÓGICAS, PROFESSOR – EDUCAÇÃO FÍSICA, PROFESSOR – ENSINO RELIGIOSO, PROFESSOR
GEOGRAFIA, PROFESSOR HISTÓRIA, PROFESSOR INFORMÁTICA, PROFESSOR LÍNGUA
ESTRANGEIRA INGLÊS, PROFESSOR LÍNGUA PORTUGUESA, PROFESSOR MATEMÁTICA,
SECRETÁRIO DE ESCOLA E TÉCNICO DE ENFERMAGEM.
Interpretação de Texto; Ortografia; Acentuação Gráfica; Flexão da palavra: gênero, número e grau;
Concordância Nominal e Verbal; Emprego dos Pronomes; Análise Sintática: termos essenciais da oração;
Coordenação e Subordinação; Regência Nominal e Verbal.
SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA:
SEGALLA, Domingos. Novíssima Gramática. Editora Nacional. 33ª ed. 1990; AMARAL, Emília; ANTONIO,
Severino; FERREIRA, Mauro; LEITE, Ricardo. Português – Novas Palavras. Editora FTD. 2000. São Paulo: Ática,
1996; INFANTE, Ulisses. Curso de gramática aplicada ao texto. 3ª ed. São Paulo: Scipione. 1996; Do texto ao texto
Curso Prático de Leitura e Redação. São Paulo: Scipione, 1991; TRAVAGLIA, Luiz Carlos. Gramática e interação:
uma proposta para o ensino de gramática no e Graus. São Paulo: Cortez, 1995;CUNHA, Celso Ferreira da.
Gramática da Língua Portuguesa. Editora FAE. 9ª ed. 1983. Outros Livros e site que abrangem o programa
proposto.
2. MATEMÁTICA
CARGOS: ASSISTENTE SOCIAL, BIBLIOTECÁRIO, BIÓLOGO, ENFERMEIRO, ENGENHEIRO CIVIL,
FONOAUDIÓLOGO, MÉDICO CLÍNICO GERAL, MÉDICO ESTRATÉGIA DA FAMÍLIA, MÉDICO
GINECO/OBSTETRA, MÉDICO PEDIATRA, PEDAGOGO ORIENTAÇÃO EDUCACIONAL,
PEDAGOGO – SUPERVISOR ESCOLAR, SECRETÁRIO DE ESCOLA E TÉCNICO DE ENFERMAGEM.
Sistema de Numeração Decimal; Problemas envolvendo as quatro operações; Números Decimais e
fracionários; Noções básicas de geometria; Juros e Porcentagens; Regra de Três; Sistema de Medidas; Razão
e Proporção; divisão proporcional; Números inteiros e racionais.
SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA:
Bianchini, Edvaldo A Conquista da Matemática Editora Moderna; Bigode, Antonio Lopes Matemática
hoje é feita assim – FTD; Giovanni, J. Rui – Matemática – Editora FTD; Hole, Volkei – Como ensinar
matemática no Básico e no Secundário; Levvi, Gelson e outros Matemática Editora Atual; Machado, A
dos Santos Matemática: Temas e metas Editora Atual; Marcondes, Gentil e Sérgio: Matemática Editora
Ática; Outros Livros e site que abrangem o programa proposto.
CARGOS: OPERADOR DE MÁQUINAS, OPERÁRIO E SERVENTE.
Sistema de Numeração Decimal; Problemas envolvendo as quatro operações; Números Decimais e
fracionários; Noções básicas de geometria; Juros e Porcentagens; Regra de Três; Sistema de Medidas.
SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA:
Bianchini, Edvaldo A Conquista da Matemática Editora Moderna; Bigode, Antonio Lopes Matemática
hoje é feita assim – FTD; Giovanni, J. Rui – Matemática – Editora FTD; Hole, Volkei – Como ensinar
matemática no Básico e no Secundário; Levvi, Gelson e outros Matemática Editora Atual; Machado, A
dos Santos Matemática: Temas e metas Editora Atual; Marcondes, Gentil e Sérgio: Matemática Editora
Ática; Outros Livros e site que abrangem o programa proposto.
3. CONHECIMENTOS GERAIS
CARGOS: CARGOS: ASSISTENTE SOCIAL, BIBLIOTECÁRIO, BIÓLOGO, ENFERMEIRO,
ENGENHEIRO CIVIL, FONOAUDIÓLOGO, MÉDICO CLÍNICO GERAL, DICO ESTRATÉGIA DA
FAMÍLIA, MÉDICO GINECO/OBSTETRA, MÉDICO PEDIATRA, OPERADOR DE MÁQUINAS,
OPERÁRIO, PEDAGOGO ORIENTAÇÃO EDUCACIONAL, PEDAGOGO SUPERVISOR ESCOLAR,
SECRETÁRIO DE ESCOLA, SERVENTE E TÉCNICO DE ENFERMAGEM.
Atualidades e Aspectos Políticos: País, Estado do Rio Grande do Sul e Município de Três Coroas; História e
Geografia do País, Estado do Rio Grande do Sul e Município de Três Coroas.
SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA:
Apostilas e livros didáticos que tratam do assunto; jornais, revistas e Internet.
4. DIDÁTICA
CARGOS: PROFESSOR ENSINO FUNDAMENTAL 1º AO 5º ANO, PROFESSOR EDUCAÇÃO
INFANTIL, PROFESSOR ARTES, PROFESSOR CIÊNCIAS FÍSICAS E BIOLÓGICAS, PROFESSOR
EDUCAÇÃO FÍSICA, PROFESSOR ENSINO RELIGIOSO, PROFESSOR GEOGRAFIA, PROFESSOR
HISTÓRIA, PROFESSOR INFORMÁTICA, PROFESSOR LÍNGUA ESTRANGEIRA INGLÊS,
PROFESSOR LÍNGUA PORTUGUESA, PROFESSOR – MATEMÁTICA.
Tendências pedagógicas e suas manifestações na Prática educativa; Escola: um espaço em transformação:
Escola tradicional e escola contemporânea caracterização; Inter-relações dos elementos transformadores da
escola: sociedade, cultura, conhecimento, ensino-aprendizagem, professor-educador-aluno; organização da
prática educativa: Planejamento escolar importância, etapas do planejamento: diagnóstico, objetivos,
seleção de conteúdos, procedimentos, recursos e avaliação pedagógica.
SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA:
1. CORDEIRO, Jaime. Didática. São Paulo: Contexto,2007.
2. DELORS, Jacques. Educação um tesouro a descobrir. São Paulo : Cortez, 1996.
3. GANDIN D. Planejamento como prática educativa. São Paulo : Loyola, 1998.
4. LIBÂNEO, J.C. Didática. São Paulo : Cortês, 1998.
5. MELCHIOR, M.C. Da avaliação dos saberes a construção de competências. Porto Alegre : Mercado
Aberto, 2003.
6. MELCHIOR, M.C. O sucesso escolar através da avaliação e da recuperação. 2.ed. P.A: Premier, 2004.
7. PERRENOUD, Philippe. 10 novas competências para ensinar. Porto Alegre : Artmed, 2000.
8. VASCONCELOS, Celso dos Santos. Planejamento: Projeto de ensino-aprendizagem e projeto político
pedagógico. São Paulo: Libertad, 2002.
9. Outros Livros e site que abrangem o programa proposto.
5. LEGISLAÇÃO
CARGOS: PROFESSOR ENSINO FUNDAMENTAL 1º AO 5º ANO, PROFESSOR EDUCAÇÃO
INFANTIL, PROFESSOR ARTES, PROFESSOR CIÊNCIAS FÍSICAS E BIOLÓGICAS, PROFESSOR
EDUCAÇÃO FÍSICA, PROFESSOR ENSINO RELIGIOSO, PROFESSOR GEOGRAFIA, PROFESSOR
HISTÓRIA, PROFESSOR INFORMÁTICA, PROFESSOR LÍNGUA ESTRANGEIRA INGLÊS,
PROFESSOR LÍNGUA PORTUGUESA, PROFESSOR – MATEMÁTICA.
Conhecimento e compreensão da legislação indicada
SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA:
1. TRÊS COROAS, Plano de Carreira do Magistério Público do Município.
2. TRÊS COROAS, Regime Jurídico Municipal.
3. LDB. Lei 9394/96
4. Parecer CNE/CEB nº 4- Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Fundamental.
5. Parecer nº 644/2006 do CEED- RS
6. Lei nº 10.639.
7. Lei nº 9.394/96.
8. Lei nº 8.069/90.
9. Outros Livros e site que abrangem o programa proposto.
6. CONHECIMENTO ESPECÍFICO:
Assistente Social
Análise de conjuntura; Serviço Social: conhecimentos gerais da profissão; Serviço Social e formação
profissional; A dimensão política da prática profissional; Pesquisa em Serviço Social. Metodologia do Serviço
Social; Desafios do Serviço Social na contemporaneidade; Atuação do Serviço Social na administração de
políticas sociais; Planejamento. Estratégico. Participativo; Serviço Social e interdisciplinaridade. Fenômeno
grupal; Ética Profissional. O projeto ético-político-profissional do Serviço Social. A Ética aplicada à ação
profissional na política de Saúde; Serviço Social e a política de Saúde Mental; Sistema Único da Assistência
Social; Estatuto da Criança e do adolescente (Lei n.º 8.069/90); Lei Orgânica da Assistência Social (Lei .
8.742/93); Lei nº. 8.842/94 que fixa a Política Nacional do Idoso; Constituição da República Federativa do
Brasil de 1988.
SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA
1. Constituição da República Federativa do Brasil de 5/10/88 e Emendas Constitucionais.
2. Elias Norbert. Mudanças na balança Nós-Eu. In “A sociedade dos indivíduos”. Rio de Janeiro, Zahar, 1994.
3. Faleiros, Vicente de Paula. Saber Profissional e Poder Institucional. São Paulo, Cortez, 1991.
4. Iamamoto, Marilda Vilela & Carvalho, Raul. Relações Sociais e Serviço Social no Brasil: esboço de uma
interpretação histórico – metodológica. São Paulo, Cortez, Celats, 1985.
6. LOAS- Lei Orgânica de Assistência Social.
7. Ministério da Saúde- Centro de Documentação e Informação - Esplanada dos Ministérios- bloco G-Brasília
- SUS e o Controle Social- Guia de referência para Conselheiros Municipais. Eugênia Lacerda et al. 1998.
8. Sposati, Aldaiza de Oliveira et alii. Assistência na trajetória das políticas sociais brasileiras; uma questão de
análise. São Paulo, Cortez, 1985.
9. Sposati, Aldaiza de Oliveira et alii. O direito ( dos desassistidos) social. São Paulo, Cortez, 1989.
10. Raichelis, Raquel. Esfera Pública e Conselhos de Assistência Social : caminhos da construção democrática.
São Paulo, Cortez, 1998.
11. Estatuto da Criança e do Adolescente.
12. Outros Livros e site que abrangem o programa proposto.
Bibliotecário
1) Biblioteconomia, Documentação e Informação; 2) Planejamento, organização e administração de
bibliotecas; 3) Formação e desenvolvimento de Coleções; 4) Normas de Documentação (ABNT); 5)
Tratamento da Informação: Catalogação (Princípios, Notação de Autor, AACR2R, MARC), Classificação
(Princípios, CDD, CDU), Indexação (descritores e metadados); 6) Processos técnicos: Registro, Inventário,
Catálogos, Sistemas de Localização e Tipologia Documental; 7) Preservação, Disseminação e Acesso; 8)
Serviço de Referência, Fontes de Informação e Usuários; 9) Tecnologias de informação: automação de
serviços, bancos e bases de dados, biblioteca digital; 10) A Biblioteca e o Bibliotecário.
SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA
ALMEIDA, Maria Cristina Barbosa. Planejamento de bibliotecas e serviços de informação. 2. ed. Brasília, DF:
Briquet de Lemos/Livros, 2005. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6023:
informação e documentação: referências: elaboração. Rio de Janeiro, 2002. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE
NORMAS CNICAS. NBR 6028: informação e documentação: resumo: apresentação. Rio de Janeiro, 2003.
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6033: ordem alfabética. Rio de Janeiro, 1989.
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 15287: informação e documentação: projeto de
pesquisa: apresentação. Rio de Janeiro, 2005. CAMPELLO, Bernadete Santos; CENDÓN, Beatriz Valadares;
KREMER, Jeanete Marguerite (Orgs.). Fontes de informação para pesquisadores e profissionais. Belo
Horizonte: UFMG, 2000. CÓDIGO de catalogação anglo-americano. Preparado sob a direção do Joint Steering
Committee for Revision of AACR. 2.ed. rev. 2002. Tradução para a língua portuguesa sob a responsabilidade
da FEBAB. São Paulo: FEBAB, 2004. DEWEY, M. Dewey Decimal Classification and relative index. 22th ed.
Albany, NY: Forest Press, 2003, 4v. DODEBEI, V. L. D. Tesauro: linguagem de representação da memória
documentária. Rio de Janeiro: Interciência; Niterói: Intertexto, 2002. FERREIRA, Margarida M. MARC21:
formato condensado para dados bibliográficos. 2.ed. Marília, SP: UNESP, 2002. v. 1. FIGUEIREDO, Nice
Menezes de. Desenvolvimento e avaliação de coleções. Brasília, DF: Thesaurus, 1998. FIGUEIREDO, Nice
Menezes de. Estudos de uso e usuário da informação. Brasília, DF: IBICT, 1994. LANCASTER, F.
W.Avaliação de serviços de bibliotecas. Brasília, DF: Briquet de Lemos/Livros, 1996. LANCASTER, F. W.
Indexação e resumos: teoria e prática. 2. ed. Brasília, DF: Briquet de Lemos/Livros, 2004. MARCONDES, C.
H. Bibliotecas digitais: saberes e práticas. Salvador: EDUFBA, 2005. MENDES, Maria Tereza Reis. Cabeçalhos
para entidades coletivas. Rio de Janeiro: Interciência; Niterói: Intertexto, 2002. MEY, Eliane Serrão Alves. Não
brigue com a catalogação. Brasília, DF: Briquet de Lemos/Livros, 2003. NAVES, Madalena Martins Lopes;
KURAMOTO, Hélio (Org.). Organização da informação: princípios e tendências. Brasília, DF: Briquet de
Lemos/Livros, 2006. OGDEN, Sherelyn (Ed.). Armazenagem e manuseio. [Tradução Elizabeth Larkin
Nascimento, Francisco de Castro Azevedo; revisão técnica Ana Virginia Pinheiro, Dely Bezerra de Miranda
Santos]. 2. ed. Rio de Janeiro: Projeto Conservação Preventiva em Bibliotecas e Arquivos: Arquivo Nacional,
200l). OGDEN, Sherelyn; GARLICK, Karen. Planejamento e prioridades. [Tradução Elizabeth Larkin
Nascimento, Luiz Antônio Macedo Ewbank; revisão técnica Ana Virginia Pinheiro, Dely Bezerra de Miranda
Santos]. 2. ed. Rio de Janeiro: Projeto Conservação Preventiva em Bibliotecas e Arquivos: Arquivo Nacional,
200l. PIEDADE, M. A Requião. Introdução à teoria da classificação. 2.ed. Rio de Janeiro: Interciência, 1983.
PINHEIRO, Ana Virginia. A ordem dos livros na biblioteca. Rio de Janeiro: Interciência; Niterói: Intertexto,
2007. ROWLEY, Jennifer. A biblioteca eletrônica. Brasília, DF: Briquet de Lemos/Livros, 2002. UDC
Consortium Classificação Decimal Universal. 2. Ediçãopadrão internacional em língua portuguesa. Brasília:
IBICT, 2007. WEITZEL, Simone da Rocha. Elaboração de uma política de desenvolvimento de coleções em
bibliotecas universitárias. Rio de Janeiro: Interciência; Niterói: Intertexto, 2006. Outros Livros e site que
abrangem o programa proposto.
Biólogo
A natureza da vida, Organização, Processos celulares e suas diversidades, Reprodução e desenvolvimento
dos seres vivos, Os reinos dos seres vivos, Animais vertebrados e suas classes, Genética e suas origens,
Evolução biológica e suas teorias, Ecologia e seus níveis de organização, Ciclos biogeoquímicos,
Gerenciamento de resíduos sólidos, Aterro Sanitário, Biodiversidade, Mudanças climáticas, Bacia
hidrográfica, Informática na biologia, Educação Ambiental, Desenvolvimento econômico, social e ambiental,
Noções Gerais acerca das Unidades de Conservação, Convenções e Acordos Internacionais, Política nacional
de meio ambiente e seus instrumentos, EIA Estudo de Impacto Ambiental, RIMA Relatório de Impacto
Ambiental, AIA - Avaliação de Impacto Ambiental, Licenciamento Ambiental, IBAMA - Instituto Brasileiro
do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis, CONAMA Conselho Nacional de Meio Ambiente,
MMA Ministério do Meio Ambiente, IAP Instituto Ambiental do Rio Grande do Sul, SEMA Secretaria
de Meio Ambiente do Estado, Ética Profissional, Legislação.
SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA
ADOLFO, A.; CROZETA, M.; LASGO, S. Biologia: Volume único ( coleção vitória regia) ed. São Paulo:
IBEP, 2005.
AMABIS, J.M.; MARTHO, G. R. Biologia – Volume 1 – 2ª ed. São Paulo: Moderna, 2004.
CARVALHO, W. Biologia em Foco – Volume Único. São Paulo: FTD, 2002.
FAVARETTO, J.A.; MERCADANTE, C. Biologia Volume Único Ensino Médio. ed. São Paulo: Moderna
2005
LAURENCE, J. Biologia – Volume Único –Ensino Médio 1ª ed. São Paulo: Nova Geração, 2005.
LOURENÇO, C.F.B. et al. Educação Ambiental: Repensando o Espaço da Cidadania. Edição
Complementar. São Paulo: Cortez, 2005.
- ALMEIDA, L.M. de et al. Manual de coleta, conservação, montagem e identificação de insetos. Ribeirão
Preto: Ed. Holos, 1998, 88p.
- BARNES, R.B. Zoologia dos Invertebrados. 1984;
- BARNES, R.S.K, CALOW, P. & OlLIVE, P.J. Os invertebrados: Uma nova síntese. São Paulo: Ed. Atheneu,
1995
- BORROR, D.J. ; D.M. De LONG Introdução ao estudo dos insetos. São Paulo: EDUSP, 1969.
- BRUSCA, R. C. & BRUSCA, G. J. Invertebrados. Sinauer Associates, Inc. Publishers. Sunderland, 1990.
- EDWARDS, P.J. & WRATTEN, S.D. Ecologia das interações entre insetos e plantas. São Paulo:
EPU/EDUSP, 1981. 71P.
- KINDEL, A. O estudo dos vertebrados na escola fundamental. São Leopoldo: Ed. UNISINOS, 1997.
- KUKENTHAL, W.; MATTHES, E.; RENNER, M. Guia de trabalhos práticos de zoologia. Coimbra:
Almedina, 1986
- HICKMAN, C.P.Jr.; ROBERTS, L.S.;LARSON, L. Princípios integrados de Zoologia. 11ª. ed. Rio de Janeiro,
Guanabara. 2004.
- HILDEBRAND, M. Análise da estrutura dos vertebrados. São Paulo, Atheneu. 1995.
- ORR, R.T. Biologia dos vertebrados. São Paulo: Roca, 1986.
- PRIMACK, R.B. & RODRIGUES, E. Biologia da conservação. Londrina: E. Rodrigues, 2001. 327p.
- RUPPERT, E.E.; FOX, R.S., BARNES R.D. Zoologia dos Invertebrados. Uma Abordagem Funcional-
evolutiva. 7a. ed. Editora Roca, São Paulo. 2005.
- STORER, T.I. ; R.L. USINGER, Zoologia Geral. Companhia Editora Nacional e Ed. da Universidade de S.P.
São Paulo. 1983.
- SCHMIDT-NIELSEN, K. Fisiologia animal - adaptação e meio ambiente. São Paulo: Santos, 1996.
- Outros Livros e site que abrangem o programa proposto.
Enfermeiro
1. Atuação do Enfermeiro nos programas Ministeriais: Hanseníase, Tuberculose, Hipertensão, Diabetes.
Doenças transmissíveis: medidas preventivas, diagnóstico diferencial;
2. Ética e Código de Deontologia de Enfermagem, Lei do exercício profissional;
3. Saúde da Criança e do Adolescente - Puericultura, controle de crescimento e desenvolvimento, saúde
do escolar e saúde do adolescente, Intervenções da Enfermagem na assistência à Criança nos
aspectos preventivos e curativos: doenças preveníveis por imunização: vacinas, (rede de frio, via de
administração, validade, rede de frio e esquema do M.S);
4. DST Doenças Sexualmente Transmissíveis: HIV e AIDS, Prevenção, Transmissão e Tratamento;
Sifilis; Cancro mole e duro, Vulvovaginites;
5. Noções Básicas de: Vigilância epidemiológica e Vigilância Sanitária;
6. Atenção a Saúde da Mulher: Gravidez, modificações fisiológicas e psicológicas na gestação, gravidez
de baixo e alto risco, pré-natal, puerpério (normal e patológico) e amamentação;
7. Saúde do Adolescente, Adulto e Idoso - Assistência à Saúde para melhor qualidade de vida:
alimentação saudável, exercícios psicofísicos e controle emocional. Atenção ao adulto: hipertensão
arterial, Diabetes, noções de oncologia;
8. Consulta em enfermagem: Anamnese, exame físico, diagnóstico e tratamento de enfermagem;
9. Atenção a Saúde em paciente psiquiátrico: Assistência de Enfermagem e controle de medicamentos;
10. Papel do enfermeiro no processo de educação em saúde: importância, métodos, atuação, resultados.
SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA:
- Guia para controle de Hanseníase – Caderno de Atenção Básica – Ministério da Saúde, Brasília – DF, 2002.
- Guia para controle da Diabetes mellitus Caderno de Atenção Básica Ministério da Saúde, Brasília DF,
2002.
- Caderno de Atenção Básica Vigilância em Saúde Ministério da Saúde, 2
a
edição revisada, Brasília DF,
2008.
- Dermatologia na Atenção Básica – Caderno de Atenção Básica - Ministério da Saúde, Brasília – DF, 2002.
- Assistência em Planejamento Familiar Manual Técnico 4
a
Edição, Ministério da Saúde, Brasília DF,
2002.
- Manual de Hipertensão Arterial e Diabetes mellitus – Ministério da Saúde, Brasília – DF, 2002.
- Guia de Vigilância Epidemiológica – FUNASA, Vol. I e II. Brasília – DF, 2002.
- Enfermagem Comunitária, Coordenadora Emilia Emi Kawamoto, Editora EPU – Editora Pedagógica e
Universitária Ltda, 1995.
- Diretrizes para o Controle da Sífilis Congênita – Manual de Bolso, Ministério da Saúde, Brasília – DF, 2007.
- Controle das Doenças Sexualmente Transmissíveis – DST, Manual de Bolso, 2
a
edição, Brasília – DF, 2006.
- Guia de Utilização de Medicamentos e Imunobiológico na Área de Hanseníase, Ministério da Saúde
Brasília – DF, 2001.
- Hepatites Virais: O Brasil está Atento, 2
a
edição – Ministério da Saúde – Brasília – DF, 2005.
-Parâmetros Técnicos para Programação de Ações de Detecção do Câncer de Mama INCA - Ministério da
Saúde – Rio de Janeiro – RJ, 2006.
- Falando sobre o câncer de Mama – INCA – Ministério da Saúde – Rio de Janeiro, 2000.
- Pré-Natal e Puerpério – Atenção Qualificada e Humanizada Manual Técnico Ministério da Saúde,
Brasília – DF, 2006.
- Diretrizes Operacionais do Pacto pela Saúde 2006, Norma Operacional da Assistência à Saúde – NOB 01/96
– site www.saude.gov.br
- Sistema Único de Saúde – SUS: Lei 8080 de 19/09/90 – site www.saude.gov.br
- Norma Operacional da Assistência à Saúde – NOAS, SUS 2002, www.saude.gov.br
- Regulamentação do Exercício Profissional – Coren, site www.coren.gov.br
- Enfermagem em Doenças Transmissíveis – Editora Pedagógica e Universitária Ltda – EPU, 1986.
- Sistematização da Assistência de Enfermagem SAE: Evolução e Tendências autora Tâmara Ivanow
Cianciarulo et al, Editora Ícone, 2001.
- Caderno de Atenção Básica nº. 16 – Diabetes mellitus, Ministério da Saúde – Brasília – DF, 2006.
- Caderno de Atenção Básica nº. 14 Prevenção Clínica de Doença Cardiovascular, Cerebrovascular e Renal
Crônica – Ministério da Saúde – Brasília – DF, 2006.
- Manual Técnico Operacional Campanha Nacional de Vacinação para Eliminação da Rubéola no Brasil,
2008 – Ministério da Saúde, Brasília – DF, 2008.
-Dengue Diagnóstico e Manejo Clínico adulto e criança Ministério da Saúde, 3
a
edição Brasília DF,
2007.
- Saúde Integral de Adolescentes e Jovens Orientações para Organização de Serviços, 1
a
edição Secretaria
de Atenção a Saúde – Ministério da Saúde, Brasília – DF, 2007.
- Doenças Infecciosas e Parasitárias, 6
a
edição – Ministério da Saúde – Brasília, DF, 2006.
- O Trabalho de Agente Comunitário de Saúde Ministério da Saúde Secretaria de Políticas de Saúde O
Departamento de Atenção Básica – Brasília, DF, 2006.
- Formulário Terapêutico Nacional, 2008 – RENAME 2006, Ministério da Saúde – Brasília – DF, 2008.
- Medicina Ambulatorial condutas de atenção primária baseadas em endência edição, editora artmed,
2004.
- Outros Livros e site que abrangem o programa proposto.
Engenheiro Civil
Análise Estrutural: Domínio de estudo da Análise Estrutural: grandezas fundamentais, condição de
equilíbrio, graus de liberdade, grau de hiperasticidade, estabilidade. Solicitações simples: vigas Isostáticas,
pórticos isostáticos planos. Estruturas hiperestáticas: Método das Forças e dos Deslocamentos. Análise de
vigas e pórticos. Mecânica dos Sólidos: Materiais Homogêneos e Isótropos: Solicitações Normais, Teoria da
Flexão Simples e Composta, Teoria do Cisalhamento Longitudinal, Torção de Seções Prismáticas. Métodos
Energéticos. Mecânica dos Solos: Origem e formação dos solos. Índices físicos. Caracterização e propriedades
dos solos. Permeabilidade e percolação da água nos solos, Compactação dos solos. Compressibilidade e
adensamento. Resistência ao cisalhamento dos solos. Fundações: Propriedade dos solos. Investigações
geotécnicas: princípios e modelos básicos de análise. Normalização brasileira. Fundações superficiais e
profundas. Análise dos recalques. Concepção de obras de fundação. Análise de projetos de fundações.
Introdução ao Controle da qualidade das fundações. Normalização brasileira. Contenções: teorias do
empuxo, escavações com escoramento, muros de arrimo, cortinas com tirantes, solo grampeado, estacas
pranchas. Normalização brasileira. Tecnologia do concreto: Aglomerantes, cimento portland, agregados,
estudo de dosagem, uso de aditivos no concreto. Características mecânicas e reológicas do concreto. Ensaios
de compressão, tração, módulo de elasticidade. Normalização brasileira. Materiais de construção: Materiais
cerâmicos. Materiais betuminosos. Madeiras. Metais. Pedras naturais. Argamassas. Materiais para isolamento
térmico, acústico, e impermeabilizações. Normalização brasileira. Concreto estrutural: Princípios básicos e
modelos de dimensionamento: força normal, flexão, força cortante, torção. Cálculo das armaduras para
seções retangulares para os diversos tipos de solicitações: flexão simples, obqua e flexão oblíqua, força
cortante, torção. Dimensionamento e detalhamento de: lajes, vigas, pilares e tirantes. Flambagem.
Normalização brasileira. Patologias das construções: Lei de Sitter. Sistemas de impermeabilização. Conceitos
básicos sobre patologias: tipos de fissuras em estruturas de concreto, alvenarias e fundações. Ataques por
sulfatos e carbonatação. Corrosão. Recuperação estrutural: tipos de materiais, argamassas poliméricas,
epóxis, poliuretanos, injeções de fissuras. Reforço estrutural: adesivos, materiais compósitos, técnicas de
reforço. Planejamento, orçamento e acompanhamento de obras: Classificação dos custos. Composições de
custos unitários. Orçamento de obras. Planejamento e acompanhamento de obras: elaboração
de cronogramas. Normalização brasileira. Instalações hidráulicas e sanitárias: Hidráulica geral: conceitos e
fórmulas fundamentais. Dimensionamento de instalações hidráulicas e sanitárias de edifícios.
Dimensionamento de bomba de água para edifícios e indústrias. Dimensionamento de instalações de
incêndios para edifícios. Dimensionamento de instalações de águas pluviais para edifícios. Normalização
brasileira. Instalações elétricas: Eletricidade geral: conceitos e fórmulas fundamentais. Projetos de instalações
elétricas: sistema elétrico de distribuição, tipos de instalações elétricas, materiais elétricos. Equilíbrio de
circuitos. Instalações de pára-raios. Normalização brasileira. Projeto e execução de rodovia: Projeto
geométrico de rodovias. Terraplenagem. Controle de compactação dos solos. Estrutura dos pavimentos e
métodos de dimensionamento. Pavimentos: flexíveis e rígidos. Projeto de drenagem. Sinalização.
Normalização brasileira.
SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA
ALONSO, U. R. Exercício de Fundações. Editora Edgar Blücher. 1983. ALONSO, U. R. Dimensionamento de
Fundações Profundas. Editora Edgar Blücher. 2003. ALONSO, U. R. Previsão e Controle das Fundações.
Editora Edgar Blücher.1998. BORGES, A.C. Topografia. Editora Edgar Blücher. 2004. BRAGA FILHO, W.
Fenômenos de Transporte. Editora LTC. 2006. BRUNETI, F. Mecânica dos Fluidos. Prentice Hall. 2004.
CARVALHO, R. C.; FIGUEIREDO FILHO, J.R. Cálculo e Detalhamento de Estruturas Usuais de Concreto
armado. Editora UFSCAR. 2004. CAPUTO, H.P. Mecânica dos Solos. Vol. 1, 2, 3, 4. LTC. REDER, Hélio.
Instalações Hidráulicas e Sanitárias. LTC. 2006. REDER, Hélio. Instalações Elétricas. LTC. 2000. DIAS, A.A.;
CALIL JÚNIOR, C. Dimensionamento de Elementos Estruturais de Madeira. Editora Manole. 2002. DIAS, P.
R. V. Engenharia de Custos (Uma metodologia de Orçamentação para Obras civis). PINI, 2001. FALCÃO
BAUER, L. A. Materiais de Construção. Volume 1 e 2. LTC. BEER, FERDINAND P.; JOHNSTON, E.
RUSSELL, JR.; DEWOLF, JOHN T. Resistência dos Materiais. Mcgraw-Hill . 2006. FUSCO, P. B. Técnicas de
Armar as Estruturas de Concreto. PINI. 2003. GARCEZ, L. N. Elementos de Mecânica dos Fluidos -
Hidráulica Geral. Editora Edgard Blücher. 2004. GOLDMAN, P. Introdução ao Planejamento e Controle de
Custos na Construção Civil Brasileira. PINI, 2004. HACHICH, W.; FALCONI, F.F. Fundações Teoria e
Prática. PINI. 2000. HELENE, Paulo R. L. Corrosão em Armaduras para Concreto Armado. PINI, 1999.
HELENE, P. R. L. Manual para Reparo, Reforço e Proteção de Estruturas de Concreto. PINI, 2002. HIBBELER,
R. C. Resistência do Materiais. Pearson Education. 2004. IENO, G.; NEGRO, J. Termodinâmica. Prentice Hall.
2004. Lei 8666/93 NBR 6118 Projeto de Estruturas de Concreto. ABNT. 2003. NEGRISSOLI, M.E.M.
Instalações Elétricas. Editora Edgar Blücher. 2004. PETRUCCI, E. G. Materiais de Construção. Globo, 1976.
PIMENTA. C.R.T. Projeto Geométrico de Rodovias. Editora Rima. 2004. ENÇO, W. Manual de Técnicas de
Pavimentação. PINI. 2003. SHU, H.L. Introdução ao Projeto Geométrico de Rodovias. Editora UFSC. 2005.
SORIANO, H.L.; LIMA, S. S. Análise das Estruturas: Métodos das Forças. Editora Ciência Moderna. 2006.
SORIANO, H.L. Análise das Estruturas: Formulação Matricial e Implementação Computacional. Editora
Ciência Moderna. 2006 OUZA, V. C. M.; RIPPER, T. Patologia, Recuperação e Reforço de Estruturas de
Concreto. PINI. 2001. Tabelas de Composições de Preços para Orçamentos –TCPO. PINI. 2003. TERZIAN, P.;
HELENE, P.R.L. Manual de Dosagem e Controle do Concreto. PINI. 2004. Outros Livros e site que abrangem
o programa proposto.
Fonoaudiólogo
Audiologia: anatomia e fisiologia da audição; audiologia clínica e imitanciometria; prótese auditiva e
reabilitação do deficiente auditivo; otoneurologia; potenciais evocados auditivos; Voz: anatomia e fisiologia
laríngea; avaliação e tratamento das disfonias; avaliação e tratamento fonoaudiológico; Motricidade orofacial:
anatomia e fisiologia do sistema estomatognático; avaliação e tratamento dos distúrbios da motricidade
orofacial; avaliação e tratamento dos distúrbios da fala desvios fonético e fonológico; Linguagem:
desenvolvimento cognitivo; bases neurológicas do desenvolvimento da linguagem e da aprendizagem;
alterações do desenvolvimento de linguagem princípios, avaliação e tratamento; avaliação e tratamento
dos distúrbios da linguagem oral e escrita. Fonoaudiologia em saúde pública.
SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA
BEHLAU, M. Voz: o livro do especialista. v. I e II. Rio de Janeiro: Revinter, 2005. Comitê de Motricidade Oral
SBFa. Motricidade orofacial. Como atuam os especialistas. São José dos Campos: Pulso. 2004. FERREIRA,
L.P.; BEFI-LOPES D.M.; LIMONGI S.C.O. Tratado de Fonoaudiologia. São Paulo: Roca, 2004. LIMONGI,
S.C.O. Fonoaudiologia: informação para a formação. linguagem: desenvolvimento normal, alterações e
distúrbios. São Paulo: Guanabara Koogan, 2003. LIMONGI, S.C.O. Fonoaudiologia: informação para a
formação; procedimentos terapêuticos em linguagem. São Paulo: Guanabara Koogan, 2003. LOPES FILHO,
O. Tratado de Fonoaudiologia. São Paulo: Roca, 1997. MOTA, H.B. Terapia fonoaudiológica para os desvios
fonológicos. Rio de Janeiro: Revinter 2001. SANTOS, M.T.M.S.; NAVAS’, A.L.G.P. Distúrbios de leitura e
escrita: teoria e prática. São Paulo: Manole, 2002. Outros Livros e site que abrangem o programa proposto.
Médico Clínico Geral
Antibioticoterapia. Anemias. Hipertensão arterial. Diabetes. Parasitoses Intestinais. Esquistossomose.
Cefaléias. Febre de origem indeterminada. Diarréias. Úlcera péptica. Hepatite. Hipertireoidismo.
Hipotireoidismo. Insuficiência cardíaca. Alcoolismo. Doenças sexualmente transmissíveis. Cardipoatia
isquêmica. Arritmias cardíacas. Doença pulmonar obstrutiva crônica. Dor toráxica. Dor lombar. Ansiedade.
Asma brônquica. Pneumonias. Tuberculose. Hanseníase. Aids. Leishmaniose. Infecção urinária.
Enfermidades bucais. Epilepsia. Febre reumática. Artrites. Acidentes por animais peçonhentos. Micoses
superficiais. Obesidade. Dislipidemias. Infarto agudo do Miocárdio. Edema agudo do Pulmão.
Tromboembolismo Pulmonar. - Cardiologia: hipertensão arterial; - Dermatologia: infecções e neoplasias
cutâneas, doenças auto-imunes que acometem a pele e anexos; - Distúrbios hedroeletrolíticos e ácidos-
básicos; - Estado de inconsciência; - Hematologia: anemias carenciais, anemias hemolíticas, leucoses; -
Infectologia: doenças sexualmente transmissíveis, vacinação, profilaxia anti-rábica; - Intoxicação e
envenenamento; - Noções gerais de Epidemiologia das doenças infecto-contagiosas; - Nutrologia: obesidade,
anorexia nervosa, bulimia, desnutrição; - Pneumologia: infecções e neoplasias; - Queimaduras; Noções
básicas de vigilância. epidemiológica e sanitária. Indicadores de saúde. Sistema de notificação.
Endemias/Epidemias: situação atual, medidas de controle etratamento. Distritos sanitários enfoque
estratégico. Noções de higiene social, sanitária e mental.
SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA
1. BENNETT, J.C., PLUM, F. Cecil - Tratado de Medicina Interna. 20ª ed., v.1-2 - Rio de Janeiro: Editora
Guanabara Koogan, 1997.
2. ISSELBACHER, K.J., BRAUNWALD, E., WILSON, J.B., FAUCI, A.S., KASPER, D.L. Harrisson Medicina
Interna. 13º ed., v. 1-2 – Colônia Atlampa/México: Nueva Editorial Interamericana, 1995.
3. GOLDBERGER, E. Alterações do equilíbrio hídrico, eletrolítico e ácido-básico. 7ª ed. Rio de Janeiro; Editora
Guanabara Koogan,1988.
4. GUS, I. Eletrocardiografia - o normal e o patológico. Noções básicas de vectocardiografia. ed. São Paulo:
Fundo Editorial Byk, 1997.
5. KNOBEL, E. Condutas no paciente grave. São Paulo: Editora Atheneu, 1994.
6. CINTRA DO PRADO et alls. Atualização Terapêutica 2001. 20ª edição – Ed. Artes Médicas, 2001.
7. ROUQUAYROL, M.C. Epidemiologia e Saúde. 4ª edição. Rio de Janeiro.: MED, 1993.
8. MENDES, Eugênio Vilaça. Distrito sanitário: O processo social de mudança das práticas sanitárias do
sistema único de saúde. Rio de Janeiro. Hucitec - Abrasco, 1993.
9. VENEJOHW, J.P e MORROW, R.M. Epidemiologia para os municípios.
10. Programa nacional de vigilância sanitária. 1992. Editora Hucitec. Rio de Janeiro. 1993.
11. O.P.S. Controle das doenças transmissíveis do homem. Washington D.C. 13º edição, 1985.
Harrison. Medicina Interna. Editora Guanabara/Coogan. 13ª edição.
12. Outros Livros e site que abrangem o programa proposto.
Médico Estratégia da Família
1. Epidemiologia & saúde;
2. Medicina ambulatorial: condutas clínicas em atenção primária;
3. Atenção Primária, equilíbrio entre necessidades de saúde, serviços-tecnologia;
4. Controle das doenças sexualmente transmissíveis: DST/AIDS;
5. Famílias: funcionamento & tratamento;
6. Saúde da Mulher;
7. Epidemiologia e Saúde;
8. Doenças Infecto Contagiosas;
9. Hipertensão Arterial e Diabete;
10. Imunização;
11. Crescimento e Aleitamento da Criança;
12. Semiologia Pediátrica e Desenvolvimento da Criança;
13. Pediatria do desenvolvimento e preventiva: crescimento e desenvolvimento; imunizações; desordens
emocionais e psicossociais.
14. Nutrição e distúrbios nutricionais: alimentação do lactente normal; desnutrição; obesidade e
avitaminoses.
15. Fisiopatologia dos Líquidos corporais: terapia de reidratação oral e parenteral; equilíbrio hidro–
eletrolítico e ácido–básico e suas desordens; acidentes: afogamento, queimaduras e envenenamento.
16. Erros inatos do metabolismo.
17. Doenças infecciosas na infância: prevenção; doenças bacterianas; doenças virais ou presumivelmente
virais.
18. Sistema imunológico: doença reumática e do tecido conjuntivo; desordens alérgicas e doenças devidas
à deficiência imunológica inclusive síndrome da imunodeficiência adquirida.
19. Sistema Único de Saúde: Lei nº 8.080 de 19/09/90, Lei nº 8.142 de 28/12/90, Norma Operacional Básica
do Sistema Único de Saúde - NOB-SUS de 1996, Norma Operacional da Assistência à Saúde/SUS - NOAS-
SUS de 2002, Programa de Controle de Infecção Hospitalar;
20. Código de Ética Profissional.
SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA:
- Cecil Tratado de Medicina Interna, L. Goldman & D. Ausiello, Editora Elsevier, 22ª. Edição, 2005.
- Harrison - Medicina Interna (2 volumes), A Fauci & D. Kasper, Editora McGraw-Hill, 16ª Edição, 2005.
- Tratado de Clínica Médica, A. C. Lopes, Editora Roca, 2006.
- Current Medical Diagnosis & Treatment 2007, L. M. Tierney, Editora McGraw-Hill, 46ª Edição, 2006.
- Epidemiologia Clínica, R. H. Fletcher, S. W. Fletcher & E. H. Wagner, Editora Artmed, 4ª Edição, 2006.
- Lei 8080/90
- Lei 8142/90
- DUNCAN, Bruce B. et al. Medicina ambulatorial: condutas clínicas em atenção primária. 3ed. Porto Alegre: Artes
Médicas, 2004.
- STARFIELD, Barbara. Atenção Primária, equilíbrio entre necessidades de saúde, serviçostecnologia. Brasília:
UNESCO, Ministério da Saúde, 2002. 726p.
- ROQUAYROL, Maria Zélia & ALMEIDA FILHO, Naomar de. Epidemiologia & saúde. ed. Rio de Janeiro,
Medsi, 2003. 728p.
- Código de Ética Médica do CFM.
- BRASIL. Ministério da Saúde. Doenças Infecciosas e Parasitárias: guia de bolso. Brasília: Ministério da
Saúde 2005. disponível na Internet.
- BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria nº. 648, de 28 de março de 2006. Aprova a Política Nacional de
Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes e normas para a organização da Atenção Básica para o
Programa Saúde da Família (PSF) e o Programa Agentes Comunitários de Saúde (PACS).
- Outros Livros e site que abrangem o programa proposto.
MÉDICO GINECO/OBSTETRA
GINECOLOGIA: Incontinência urinária de esforço. Neoplasias ovarianas. Doenças sexualmente
transmissíveis. Endometriose. Doença inflamatória pélvica. Hemorragias ginecológicas. Prolapso uterino.
Endocrinologia ginecológica. Neoplasias uterinas. Climantério. OBSTETRÍCIA: Hemorragia do /3º
trimestre da gravidez. Gravidez ectópica. Diagnóstico de
gravidez. Toxemia da gravidez. Hipertensão arterial associada à gravidez. Trabalho de parto (Fisiologia).
Infecção puerperal. Gravidez múltipla. Cardiologia: hipertensão arterial; - Dermatologia: infecções e
neoplasias cutâneas, doenças auto-imunes que acometem a pele e anexos; - Distúrbios hedroeletrolíticos e
ácidos-básicos; - Estado de inconsciência; - Hematologia: anemias carenciais, anemias hemolíticas, leucoses; -
Infectologia: doenças sexualmente transmissíveis, vacinação, profilaxia anti-rábica; - Intoxicação e
envenenamento; - Noções gerais de Epidemiologia das doenças infecto-contagiosas; - Nutrologia: obesidade,
anorexia nervosa, bulimia, desnutrição; - Pneumologia: infecções e neoplasias; - Queimaduras; -
Noções básicas de vigilância epidemiológica e sanitária. Indicadores de saúde. Sistema de notificação.
Endemias/Epidemias: situação atual, medidas de controle e tratamento. Distritos sanitários enfoque
estratégico. Noções de higiene social, sanitária e mental.
SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA:
1. Tratado de Ginecologia. Sebastião Piato Ed. Artes Médicas.
2. Rotinas em Ginecologia. Fernando de Freitas e alls. Ed. Artes Médicas.
3. Rotinas em Obstetrícia. Fernando de Freitas e alls. Ed. Artes Médicas.
4. Noções de Obstetrícia. Mário Dias Corrrea. Cooperativa e Editora de Cultura Médica.
5. CINTRA DO PRADO et alls. Atualização Terapêutica 2001. 20ª edição – Ed. Artes Médicas, 2001.
6. ROUQUAYROL, M.C. Epidemiologia e Saúde. 4ª edição. Rio de Janeiro.: MED, 1993.
7. MENDES, Eugênio Vilaça. Distrito sanitário: O processo social de mudança das práticas sanitárias do
sistema único de saúde. Rio de
Janeiro. Hucitec - Abrasco, 1993.
8. VENEJOHW, J.P e MORROW, R.M. Epidemiologia para os municípios.
9. Programa nacional de vigilância sanitária. 1992. Editora Hucitec. Rio de Janeiro. 1993.
10. O.P.S. Controle das doenças transmissíveis do homem. Washington D.C. 13º edição, 1985.
Harrison. Medicina Interna. Editora Guanabara/Coogan. 13ª edição.
11. Outros Livros e site que abrangem o programa proposto
Médico Pediatra
Crescimento e desenvolvimento. Vacinações. Aleitamento materno. Alimentação da criança. Desnutrição.
Vitaminas e minerais. Obesidade. Dor abdominal. Diagnóstico diferencial das adenomegalias e das
hepatoesplenomeagalias. Cuidados com o recém–nascido. Principais doenças do recém-nascido. A criança
com malformação. Erros inatos do metabolismo. Constipação intestinal. Diarréias. Distúrbios
hidroeletrolíticos. Parasitose intestinais. Hepatopatias agudas e crônicas. Colestase neonatal. Distúrbios da
notilidade do aparelho digestivo. Afecções respiratórias agudas, crônicas e recorrentes. Asmas. Tuberculoses.
Donças
exatemáticas. Infecções do sistema nervoso central. ndrome da imunodeficiência adquirida. Infecções do
sistema urinário. Glomerulopatias agudas e crônicas. Síndrome nefrótica. Insuficiência renal aguda e crônica.
Cardiopastias congênitas . Febre reumática. Insuficiência cardíaca. Endocardites. Hipertensão arterial.
Anemias. Diabetes mellitus. Problemas mais comuns da glândula tireóide. Distúrbios convulsivos Problemas
dermatológicos mais comuns. - Cardiologia: hipertensão arterial; - Dermatologia: infecções e neoplasias
cutâneas, doenças auto-imunes que acometem a pele e anexos; - Distúrbios hedroeletrolíticos e ácidos-
básicos; - Estado de inconsciência; - Hematologia: anemias carenciais, anemias hemolíticas, leucoses; -
Infectologia: doenças sexualmente transmissíveis, vacinação, profilaxia anti-rábica; - Intoxicação e
envenenamento; - Noções gerais de Epidemiologia das doenças infecto-contagiosas; - Nutrologia: obesidade,
anorexia nervosa, bulimia, desnutrição; - Pneumologia: infecções e neoplasias; - Queimaduras; - Noções
básicas de vigilância epidemiológica e sanitária. Indicadores de saúde. Sistema de notificação.
Endemias/Epidemias: situação atual, medidas de controle e tratamento. Distritos sanitários enfoque
estratégico. Noções de higiene social, sanitária e mental.
SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA:
1. LEÃO, E Correa, E.J: Viana, M.B.; Mota, J.A.C. Pediatria ambulatorial. edição. COOPMED, Belo
Horizonte, 1998.
2. Behrman, R.E.: Kliegman, R.M.; Arvin, A.M. Nelson Textbook of Pediatrics. 15ª edição, W. B. Sauderns,
London, 1996.
3. CINTRA DO PRADO et alls. Atualização Terapêutica 2001. 20ª edição – Ed. Artes Médicas, 2001.
4. ROUQUAYROL, M.C. Epidemiologia e Saúde. 4ª edição. Rio de Janeiro.: MED, 1993.
5. MENDES, Eugênio Vilaça. Distrito sanitário: O processo social de mudança das práticas sanitárias do
sistema único de saúde. Rio de
Janeiro. Hucitec - Abrasco, 1993.
6. VENEJOHW, J.P e MORROW, R.M. Epidemiologia para os municípios.
7. Programa nacional de vigilância sanitária. 1992. Editora Hucitec. Rio de Janeiro. 1993.
8. O.P.S. Controle das doenças transmissíveis do homem. Washington D.C. 13º edição, 1985.
Harrison. Medicina Interna. Editora Guanabara/Coogan. 13 edição.
9. Outros Livros e site que abrangem o programa proposto
Operador de Máquinas
1. Conhecimentos básicos inerentes ao Código de Trânsito Brasileiro, Resoluções, Deliberações, Portarias e
demais Leis expedidas pelos órgãos componentes do Sistema Nacional de Trânsito;
2. Operar veículos motorizados especiais, tais como: guindastes, máquinas de limpeza de rede de esgoto,
retroescavadeira, carro plataforma, motoniveladora, pá-carregadeira, trator de esteira e outras máquinas
rodoviárias e executar outras atividades correlatas.
SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA:
Código de Trânsito Brasileiro
Resoluções, deliberações, portarias e leis expedidas pelos órgãos componentes do Sistema Nacional de
Trânsito
Apostilas, site e livros didáticos sobre o assunto
Operário
Segurança no Trabalho; Noções Básicas de conservação de utensílios e materiais, faxinas, organização
produtos de higiene e limpeza (dosagens, formas de utilização, indicações e usos). Noções de Higiene e
saúde. Varrição de superfícies diversas. Equipamentos de Segurança (E.P.I. e E.P.C.). Ferramentas e
equipamentos da área. Limpeza de equipamentos e conservação de materiais. Serviços Gerais de Limpeza.
Conhecimento de materiais de limpeza. Princípios básicos de diluição e aplicação conforme especificação dos
produtos (fabricante). Assuntos relacionados à sua área de atuação e ética no trabalho. Organização do local
de trabalho. Comportamento no local de trabalho.
SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA:
Apostilas, site e livros didáticos sobre o assunto.
Pedagogo – Orientação Educacional
Conhecimento específico na área de atuação. Conhecimentos que condizem com a formação exigida no cargo.
O significado histórico-social da Orientação Educacional: Origem e trajetória da O E no Brasil, Dimensões
Filosóficas, Políticas, Sociais e Pedagógicas, Tendências e desafios atuais da Orientação Educacional. Campos
de atuação e a prática do Orientador Educacional: A função do Orientador educacional, A Orientação
Educacional em face à Legislação Educacional de País, A Orientação Educacional e as Formas Alternativas da
Educação. A Orientação Educacional e a revolução teórica-prática da educação: A OE e a organização escolar,
Ação integrada da OE, Nova dimensão da OE
SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA:
1. ALVES, Rubem. Conversas com quem gosta de ensinar. São Paulo: Ars. Poética.
2. ANDRÉ, Marli. (org.) Pedagogia das diferenças na sala de aula. Campinas,SP: Papirus.
3. ASSMANN, Hugo. Reencantar a Educação. Rumo à sociedade aprendente. Petrópolis: Ed. Vozes.
4. FERNANDEZ, Alicia. A mulher escondida na professora: uma leitura psicopedagógica do ser mulher, da
corporalidade e da aprendizagem. Porto Alegre: Artes Médicas. 1.ed.
5. FIGUEIREDO, Márcio Xavier Bonorino. A corporeidade na escola. Porto Alegre: UFRGS.
6. GRINSPUN, Mirian Paura S.Zippin (org.). Supervisão e Orientação Educacional- Perspectivas de
Integração na Escola. São Paulo: Cortez.
7. TIBA, Içami. Disciplina: Limite na medida certa. São Paulo: Editora gente.
8. VASCONCELLOS, Celso dos Santos. Disciplina: Construção da disciplina consciente e interativa em sala
de aula e na escola. São Paulo: Libertad.
9. ZAGURY, Tânia. Educar sem culpa: A gênese da época. Rio de Janeiro: Record.
10. ZAGURY, Tânia. Escola sem conflito: parceria com os pais. Rio de Janeiro\; Record.
11. ZORZO, Cacilda Maria, SILVA, Lauraci Donde e POLENZ, Tâmara (Orgs.). Pedagogia em Conexão.
Canoas, Ed, da ULBRA.
12. ALMEIDA, Laurinda Ramalho de e PLACCO, Vera Maria Nigro de Souza (orgs.) O coordenador pedagógico
e o espaço da mudança. São Paulo, Loyola.
13. ALVES, Nilda. O fazer e o pensar dos supervisores e orientadores educacionais. São Paulo: Loyola.
14. BOCK, Silvio Duarte. Orientação Profissional: a abordagem sócio-histórica. São Paulo: Cortez.
15. GENTILI, Pablo. Pedagogia da Exclusão: crítica ao neoliberalismo em educação. Petrópolis, RJ, Vozes.
16. GRINSPUN, Mírian P.S. Zippin. A prática dos orientadores educacionais. São Paulo: Cortez.
17. GRINSPUN, rian P.S. Zippin. Orientação Educacional-Conflito de paradigmas e alternativas para a
escola. São Paulo: Cortez.
18. LIBÂNEO, José Carlos. A organização e gestão da escola: teoria e prática. Goiânia/GO: Alternativa.
19. LIBÂNEO, José Carlos, OLIVEIRA, João Ferreira de e TOSCHI, Mirza Seabra. Educação Escolar: políticas,
estrutura e organização. São Paulo: Cortez.
20. LUCK, Heloisa. Ação Integrada: Administração, Supervisão e Orientação Educacional. Petrópolis/RJ:
Vozes.
21. PLACCO, Vera Maria N. de Souza. Formação e prática do educador e do orientador. Campinas, Papirus.
22. RANGEL, Mary e SILVA JR. Celestino Alves da. Nove olhares sobre a supervisão. Campinas, Papirus.
23. SACRISTÁN, J. Gimeno. Educar e Conviver na cultura global: as exigências da cidadania. Porto Alegre:
Artmed.
24. Outros Livros e site que abrangem o programa proposto
Pedagogo – Supervisor Escolar
Conhecimento específico na área de atuação. Conhecimentos que condizem com a formação exigida no cargo.
A prática da supervisão escolar: reflexão e análise com base em princípios teóricos. A ação supervisora nos
níveis e nas modalidades de ensino: educação infantil, ensino fundamental, educação especial e educação de
jovens e adultos. Laboratórios de aprendizagens e brinquedoteca. O supervisor escolar no cotidiano da
escola: reuniões, calendário escolar, conselho de classe, organização das turmas, entrevistas, formação
continuada, questões de planejamento( PPP, planos de estudos, plano de trabalho e estudos de recuperação),
avaliação,registros. Projeto de supervisão escolar para o ensino fundamental e educação infantil.
SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA:
1. ALARCÃO, Isabel. Escola Reflexiva e Supervisão: uma escola em desenvolvimento e aprendizagem.
Lisboa: Porto Editora.
2. ALVES, Nilda.(Org.) Educação e Supervisão: O trabalho coletivo na escola. São Paulo: Cortez.
3. BECKER, Fernando. Modelos pedagógicos e modelos epistemológicos. Educação e Realidade. Porto
Alegre, 19(1): 89-96.
4. BRUNO, Eliane B. G., ALMEIDA, Laurinda Ramalho e CHRISTOV, Luiza Helena da Silva. O Coordenador
Pedagógico e a formação docente. São Paulo: Loyola.
5. GADOTTI, Moacir. História das Idéias Pedagógicas. São Paulo: Ática.
6. GRINSPUN, Mirian Paura S.Zippin (org.). Supervisão e Orientação Educacional- Perspectivas de
Integração na Escola. São Paulo: Cortez.
7. JUNIOR, Celestino Alves da Silva e RANGEL, Mary (Orgs.). Nove olhares sobre a supervisão. Campinas-
SP: Papirus.
8. LIBÃNEO, José Carlos. Organização e Gestão da escola.: Teoria e Prática.Goiânia: Editora Alternativa.
9. RANGEL, Mary (Org.) Supervisão Pedagógica: Princípios e Práticas. Campinas:Papirus.
10. VASCONCELLOS, Celso dos S. Avaliação concepção dialética libertadora do processo de avaliação
escolar. São Paulo: Libertad.
11. VASCONCELLOS, Celso dos S. Construção do Conhecimento em sala de aula.o Paulo: Libertad.
12. VASCONCELLOS, Celso dos Santos. Coordenação do Trabalho Pedagógico: do projeto político-
pedagógico ao cotidiano da sala de aula. São Paulo: Libertad.
13. ZORZO, Cacilda Maria, SILVA, Lauraci Donde e POLENZ, Tâmara (Orgs.). Pedagogia em
Conexão.Canoas, Ed, da ULBRA.
14. MEIRIEU, Philippe. O cotidiano da escola e da sala de aula. O fazer e o compreender. Porto Alegre:
Artmed.
15. Outros Livros e site que abrangem o programa proposto.
Professor – Ensino Fundamental 1º ao 5º ano
Concepções de sociedade, homem e educação; A função social da escola pública; O conhecimento científico e
os conteúdos escolares; A história da organização da educação brasileira; O atual sistema educacional
brasileiro; Os elementos do trabalho pedagógico (objetivos, conteúdos, encaminhamentos metodológicos e
avaliação escolar); Concepção de desenvolvimento humano/apropriação do conhecimento na psicologia
histórico-cultural.
SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA:
ALVES, Gilberto Luiz. A produção da escola pública contemporânea. Editora UFMS e Autores Associados,
Campinas, SP, 2001. BRASIL. Lei 9.394 de Diretrizes e Bases para a Educação no Brasil de 20 de dezembro de
1996. DUARTE, Newton. Educação escolar, teoria do cotidiano e a escola de Vigotski. Polêmicas de nosso
tempo. Autores Associados, Campinas SP, 2001. FACCI, Marilda Gonçalves Dias. A periodização do
desenvolvimento psicológico individual na perspectiva de Leontiev, Elkonin e Vigotski. Cad. Cedes,
Campinas, vol, 24, n. 62, p. 64-81, abril 2004. LEONTIEV. A. N. O desenvolvimento do psiquismo. Lisboa:
Livros Horizontes, 1978. Capítulos: Aparecimento da consciência humana; O homem e a cultura; o
desenvolvimento do psiquismo na criança. LUCKESI, Cipriano Carlos, Avaliação da aprendizagem na
escola. Reelaborando conceitos e recriando a prática. Salvador BA, Ed. Malabares, 2005. NETTO, José
Paulo; BRAZ, Marcelo. Trabalho, sociedade e valor. In: NETTO, José Paulo; BRAZ, Marcelo. Economia
Política. Uma introdução crítica. SP: Cortez, 2006. RIBEIRO, Maria Luisa Santos. História da Educação
Brasileira. A organização escolar. SP, Campinas: Autores Associados, 2003. SAVIANI, Dermeval. Educação
do senso comum à consciência filosófica. Campinas, SP. Autores Associados, 1996. SAVIANI, Dermeval.
Pedagogia histórico-crítica: Primeiras aproximações, 5ª Ed. São Paulo, autores associados, 1995, 2003. Outros
Livros e site que abrangem o programa proposto.
Professor – Educação Infantil
Concepções de sociedade, homem e educação; A função social da escola pública; O conhecimento científico e
os conteúdos escolares; A história da organização da educação brasileira; O atual sistema educacional
brasileiro; Os elementos do trabalho pedagógico (objetivos, conteúdos, encaminhamentos metodológicos e
avaliação escolar); Concepção de desenvolvimento humano / apropriação do conhecimento na psicologia
histórico-cultural; procedimentos adequados ao atendimento à criança de 0 a 6 anos, referente à saúde,
alimentação e higiene; A brincadeira de papéis sociais e formação da personalidade.
SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA:
ALVES, Gilberto Luiz. A produção da escola pública contemporânea. Editora UFMS e Autores Associados,
Campinas, SP, 2001. BRASIL. Lei 9.394 de Diretrizes e Bases para a Educação o Brasil de 20 de dezembro de
1996. ARCE, A.; MARTINS, L. M.; Quem tem medo de ensinar na educação infantil?: em defesa do ato de
ensinar. São Paulo: Alínea, 2007. ARCE, Alessandra; DUARTE, Newton. Brincadeiras de papéis sociais na
Educação Infantil. São Paulo: Xamã, 2006. LEONTIEV. A. N. O desenvolvimento do psiquismo. Lisboa:
Livros Horizontes, 1978. Capítulos: Aparecimento da consciência humana; homem e a cultura; o
desenvolvimento do psiquismo na criança. LUCKESI, Cipriano Carlos, Avaliação da aprendizagem na
escola. Reelaborando conceitos e recriando a prática. Salvador BA, Ed. Malabares, 2005. NETTO, José
Paulo; BRAZ, Marcelo. Trabalho, sociedade e valor. In: NETTO, José Paulo; BRAZ, Marcelo. Economia
Política. Uma introdução ctica. SP: Cortez, 2006. RIBEIRO, Maria Luisa Santos. História a Educação
Brasileira. A organização escolar. SP, Campinas: Autores associados, 2003. SAVIANI, Dermeval. Pedagogia
histórico-crítica: Primeiras aproximações, Ed. São Paulo, autores associados, 1995, 2003. SEED/PR.
Avaliação, sociedade e escola. Fundamentos para reflexão. (org. Lízia Helena Nagel) Curitiba, 1986. Outros
Livros e site que abrangem o programa proposto.
Professor – Artes
Histórico do ensino das artes no Brasil e suas perspectivas atuais. Teoria e prática do ensino das artes escolas
brasileiras. Critérios para seleção de conteúdos no ensino das artes. Organização do tempo e do espaço na
prática do ensino das artes. Critérios para avaliação no ensino das artes.
SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA:
1. BARBOSA, A. M. e SALES, H. M. (orgs.) - O ensino da arte e sua história. São Paulo: MAC/USP, 1990.
2. BRASIL.. SECRETARIA DE ENSINO FUNDAMENTAL - Parâmetros curriculares nacionais: arte.
Secretaria de Educação Fundamental. – Brasília: MEC/SEF, 1997.
3. FERRAZ, M. H. C. T. e SIQUEIRA, I. - Vivência, experimentação ou livro didático? SP, Loyola, 1987.
4. FUSARI, M. F. R e FERRAZ, M. H. C. T. - Arte na educação escolar. São Paulo: Cortez, 1992.
5. READ, H. - Educação pela arte. São Paulo: Martins Fontes, 1977.
6, TATIT, A.e MACHADO, M. S. - 300 Propostas em arte visuais. SP. Loyola.
7. BRASIL – MEC – Parâmetros Curriculares Nacionais, Artes.
8. Outros Livros e site que abrangem o programa proposto.
Professor – Ciências Físicas e Biológicas
Meio Físico: ar, água e terra. Seres vivos: ecologia, célula, funções vitais. Sistemas biológicos. Noções de
Física. Fundamentos de mecânica: termologia, eletricidade e ondas.
SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA:
1. BARROS, Carlos. Coleção de Ciências – O corpo Humano. Quarto volume. São Paulo. Siciliano: 2002.
2. GOWDAK, Demétrio. Ciências. Ed. FTD.
3. VALLE, Cecília. Ed. Positivo.
4. Outros Livros e site que abrangem o programa proposto
Professor – Educação Física
1. Conhecimentos Específicos: 1.1 Fundamentos da Educação Física; 1.2 Concepções da Educação Física; 1.3
Objetivos da Educação Física;
2. Aspectos técnicos, políticos e pedagógicos da educação física escolar;
3. Esportes (regras oficias);
4. Desenvolvimento Humano – aprendizagem motora;
5. Recreação Escolar;
6. Anatomia/fisiologia do exercício;
7. Qualidade de Vida;
8. Parâmetros curriculares nacionais.
SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA:
1. FREIRE, JOÃO BATISTA. Educação como prática corporal. São Paulo: Scipione, 2003.
2. MATTOS, M. G. e NEIRA, M. G. Educação Física na adolescência: construindo o conhecimento na escola.
São Paulo: Phorte Editora, 2000.
3. TANI, GO (et alii). Educação Física escolar: Fundamentos de uma abordagem desenvolvimentista. São
Paulo: EPU / EDUSP, 1988.
4. GALAHUE, DAVID L. E OZMUN, JOHN. Compreendendo o Desenvolvimento Motor. (Terceira Edição).
Phorte Editora, 2005
5. MCARDLE WD, KATCH FI, KATCH VL. Fisiologia do exercício. Energia, Nutrição e Desempenho
Humano. 4ªed,.Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1998.
6. FOX, EDWARD L. Bases Fisiológicas da Educação Física e dos Desportos. 6 ed. Rio de Janeiro, Guanabara.
2000
7. Parâmetros Curriculares Nacionais- Vol 7.
8. MONTEIRO, Walace David e outros. Fisiologia e Avaliação Funcional. 4º edição, 2000.
9. ROBERT A. ROBERGS e outros. Fisiologia do Exercício para Aptidão, Desempenho e Saúde.
10. Livro Nacional de Regras de Futsal. Confederação Brasileira de Futebol de Salão - Futsal.
11. OZMUN, John C. e outros. Compreendendo o Desenvolvimento Motor - Bebês, Crianças, Adolescentes e
Adultos.
12. CANALLARI, Vinícius Ricardo e outros. Trabalhando com a Recreação. 2003.
13. Diretrizes Curriculares de Educação Física para a Educação Básica em revisão.
14. Coletivo de Autores Metodologia do Ensino da Educação Física. São Paulo; CORTEZ, 1992.
15. Outros Livros e site que abrangem o programa proposto.
Professor – Ensino Religioso
Conhecimento específico na área de atuação. Conhecimentos que condizem com a formação exigida no cargo.
SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA:
1. BARROS, Sandra dos Reis: ENSINO RELIGIOSO NA FORMAÇÃO DO CIDADÃO. http://www.aec-
sp.org.br/downloads/aec/cidadao.pdf
2. PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS Ensino Religioso. Fórum Nacional Permanente do
Ensino Religioso. 1996. http://www.aster-to.org.br/download/parametroscurricularesnacionais.doc
3. Lei de Diretrizes e Bases, 1997, artigo 33. http://www.planalto.gov.br/ccvil_03/LEIS/19394.htm
4. Religião. http://pt.wikipedia.org/wiki/Religi%C3%A3o
5. Deus. http://pt.wikipedia.org/wiki/Deus
6. PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS DO ENSINO RELIGIOSO.
http://free.7host06.com/VINIMAX/santajoanadarc/gerinho.htm
7. Outros Livros e site que abrangem o programa proposto.
Professor – Geografia
1. A relação entre a sociedade e natureza;
2. As transformações tecnológicas;
3. A construção do espaço geográfico;
4. A paisagem geográfica;
5. A Velha Ordem Mundial;
6. Capitalismo e economia de mercado;
7. Socialismo e a economia planificada;
8. A Globalização;
9. As etapas da industrialização mundial e brasileira;
10. Transportes e comunicação mundial e brasileira;
11. A Urbanização das grandes cidades;
12. A dinâmica dos fenômenos naturais;
13. A superfície terrestre: clima, relevo e solo;
14. O Protocolo de Kioto;
15. As unidades regionais do Brasil;
16. O Brasil na economia globalizada;
17. A ocupação do espaço brasileiro;
18. A paisagem natural brasileira em seu clima, relevo e ecossistema;
19. Recursos naturais brasileiros;
20. As bases da cartografia do Brasil.
SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA:
1. KRAJEWSKI, Ângela Corrêa e outros. Geografia – Pesquisa e Ação. Ed. Moderna.
2. GARCIA, Hélio Carlos e outros. Geografia – de olho no mundo do trabalho. Ed. Scipione.
3. VESENTINI, José William. Geografia – Série Brasil. Ed. Ática.
4. VESENTINI, José William. Geografia Geral e do Brasil. Ed. Ática.
5. TERRA, Lygia e outro. Geografia Geral e Geografia do Brasil. Ed. Moderna.
6. MOREIRA, João Carlos e outro. Geografia. Ed. Scipione.
7. BOLIGIAN, Levon. Geografia – Espaço e Vivência. Ed. Atual.
8. MENDES, Ivan Lazzari e outro. Geografia Geral e do Brasil. Ed. FTD.
9. MENDONÇA, Cláudio e outros. Território e sociedade o mundo globalizado. Ed. Saraiva
10. MAGNOLI, Demétrio e outro. Geografia – A Construção do Mundo. Ed. Moderna.
11. Outros Livros e site que abrangem o programa proposto.
Professor – História
Fundamentação Teórica da História – As correntes historiográficas para a formação do pensamento histórico.
SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA:
1. BITTENCOURT, Maria Circe. Ensino de história: fundamentos e métodos, São Paulo: Cortez, 2004.
2. HOBSBAWM, Eric. Sobre a História. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.
3. LE GOFF, Jacques e NORA, Pierre (orgs.). História: novos problemas, novos objetos, novas abordagens.
Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1979.
4. RÜSE, Jorn. Razão histórica: teoria da história: os fundamentos da ciência histórica. Brasília: Editora
Universidade de Brasília, 2001.
5. SCHMIDT, Maria Auxiliadora; CANIELLI, Marlene. Ensinar história. São Paulo: Scipione, 2004.
6. THOMSON, Edward P. Costumes em Comum. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.
7. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional – com a elboração das Diretrizes Curriculares Nacionais e
dos Parâmetros Curriculares Nacionais. MEC, 1998.
8. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino da História
e Cultura Afro-Brasileira e Africana. Brasília – DF, 2005.
9. SOUZA, Marina de Mello. África e Brasil Africano. Editora Ática, 2006.
10. AZEVEDO, Gislaine Campos e SERIACOPI, Reinaldo. História (Volume único). Editora Ática, 2007.
11. ARRUDA, José Jobson de A. e PILETTI, Nelson. Toda a História (História Geral e História do Brasil).
Editora Ática, 1997.
12. SCHMIDT, Mario. História Crítica. Editora Nova Geração, 2005.
13. COTRIN, Gilberto. História Global (Brasil e Geral). Editora Saraiva, 2007.
14. Outros Livros e site que abrangem o programa proposto.
Professor – Informática
Sistemas Operacionais: Conhecimentos básicos avançados em Microsoft Windows 98, Microsoft Windows
2000, Microsoft Windows XP, MS-Dos e Linux; Softwares: Conhecimentos avançados em Microsoft Office
2003; Internet: Conhecimentos básicos de configuração, browsers, protocolos e configuração de e-mails;
Hardware: Configurar equipamentos (microcomputadores, impressoras e outros), configuração/manutenção
de hardware, conhecimentos de periféricos (entrada e saída); Redes: Conhecimento de redes Microsoft
Windows e Novell; Linguagens de Programação: Noções sobre linguagens de programação (nome, descrição
e utilidades); Banco de Dados: Sistemas de Banco de Dados, estrutura de banco de dados e nomes de bancos
mais utilizados;
SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA:
1. www.clubedohardware.com.br
2. www.microsoft.com
3. www.novell.com
4. www.portaljava.com
5. www.portaldaprogramacao.com.br
6. Office 2003 – Mariana dos Santos Martins de Oliveira
7. Revista Info – 2003 a 2005
8. Outros Livros e site que abrangem o programa proposto.
Professor – Língua Estrangeira (INGLÊS)
1. Compreensão de textos contemporâneos: livros, jornais, periódicos.
2. Estruturas gramaticais: 2.1. Substantivos, caso possessivo. 2.2. Adjetivos: indefinidos, interrogativos. Graus
comparativos. 2.3. Pronomes: pessoais, possessivos, reflexivos, indefinidos, interrogativos, relativos. 2.4.
Verbos (modos, tempos e formas): regulares e irregulares, auxiliares, modais. Voz ativa e voz passiva.
Discurso direto e indireto. Sentenças condicionais. 2.5. Advérbios. 2.6. Preposições. 2.7. Conjunções. 2.8.
Formação de palavras: composição e derivação.
SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA:
1. BRASIL. Secretaria de Educação dia e Tecnológica. Proposta Curricular para a educação de jovens e
adultos: segundo segmento do ensino fundamental: 5ª a 8ª. V.2. Brasília: MEC/SEF, 2002.
2. BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais
para o terceiro e quarto ciclos (5ª a série) do ensino fundamental: língua estrangeira. Brasília: MEC/SEF,
1998.
3. ALMEIDA FILHO, J. C. P. Dimensões Comunicativas no Ensino de Línguas. Campinas: Pontes, 1993.
4. CORACINI, M. J. (org). O Jogo Discursivo na Aula de Leitura: Língua Materna e Língua Estrangeira.
Campinas: Pontes, 1995.
5. FREEDMAN, A ; PRINGLE, I. e YALDEN, J. (eds). Learning to write: first language/second language.
Nova York: Longman, 1993.
6. Jornais e revistas digitais (na Internet).
7. Outros Livros e site que abrangem o programa proposto.
Professor – Língua Portuguesa
I – LÍNGUA PORTUGUESA
1. Conceitos gerais
1.1. Linguagem, língua, discurso. As funções da linguagem
1.2. Unidade e variedade da língua. O uso padrão. A noção de correto
1.3. As modalidades falada e escrita da língua
2. Fonética e fonologia
3. Ortografia
4. Estrutura e formação de palavras
4.1. Derivação e composição
5. Frase, oração e período
5.1. Os termos da oração
6. As classes gramaticais
6.1. Classificação e flexão das palavras
7. O período e sua construção
7.1. Períodos simples e composto
7.2. Coordenação e subordinação
7.3. Orações reduzidas e desenvolvidas
8. Concordância nominal e concordância verbal
9. Regência verbal e regência nominal
10. Colocação pronominal
11. Pontuação
12. Discurso direto, discurso indireto, discurso indireto livre
13. Aspectos cognitivos da leitura
13.1. O conhecimento prévio da leitura
13.2. Interação na leitura de textos.
14. Texto e discurso
14.1. Condições de produção textual. Os gêneros textuais
14.2. Mecanismos de coesão textual
14.3. Coerência textual
15. Semântica e estilística
15.1. A significação das palavras
15.1.1. Paráfrase e polissemia
15.1.2. Denotação e conotação, sentido literal e sentido figurado, figuras de estilo
15.1.3. Sentido e contexto: pressupostos e implícitos (subentendidos)
II – LITERATURA BRASILEIRA
1. Os gêneros literários (lírico, épico e dramático)
2. Influências na literatura brasileira
2.1. A tradição clássica
2.2. A tradição medieval
2.3. A herança portuguesa: Luís de Camões, Eça de Queiroz e Fernando Pessoa
3. Origens e formação
3.1. A carta de Pero Vaz de Caminha
3.2. A Literatura Jesuítica
4. Barroco
5. Arcadismo
6. Romantismo
7. Realismo / Naturalismo
8. Parnasianismo
9. Simbolismo
10. Pré-modernismo e modernismo
11. Tendências contemporâneas
SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA:
I – LÍNGUA PORTUGUESA
1. AZEREDO, José Carlos (Org.). Língua portuguesa em debate. Conhecimento e ensino. Petrópolis, RJ:
Vozes, 2000.
2. BECHARA, Evanildo. Moderna Gramática Portuguesa. Rio de Janeiro: Lucerna, 2001.
3. CÂMARA JÚNIOR, J. Mattoso. Estrutura da Língua Portuguesa. 13. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 1983.
4. ______. Problemas de lingüística descritiva. 14. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 1991.
5. CHALHUB, Samira. Funções da linguagem. 11. ed. São Paulo: Ática, 2001.
6. CUNHA, Celso; CINTRA, Lindley. Nova gramática do português contemporâneo. 2. ed. Rio de Janeiro:
Nova Fronteira, 1985.
7. DIONÍSIO, Ângela Paiva; MACHADO, Anna Rachel; BEZERRA, Maria Auxiliadora. neros literários
&Ensino. 4. ed. Rio de Janeiro: Lucerna, 2005.
8. FIORIN, José Luiz (Org.). Introdução à Lingüística: objetos teóricos. 2. ed. São Paulo: Contexto, 2003, v. I.
9. ______ (Org.). Introdução à Lingüística: princípios de análise. São Paulo: Contexto, 2003, v.II
10. ______; SAVIOLI, Francisco Platão. Lições de texto: leitura e redação. 2. ed. São Paulo: Ática, 1997.
11. GARCIA, Othon Moacyr. Comunicação em prosa moderna. 7. ed. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio
Vargas, 1978.
12. ILARI, Rodolfo. Introdução à Semântica. 2. ed. São Paulo: Ática, 1986.
13. KLEIMAN, Ângela. Texto e leitor: aspectos cognitivos da leitura. 2. ed. Campinas, SP: Pontes, 1992.
14. KOCH, Ingedore Villaça. A coesão textual. 2. ed. São Paulo: Contexto, 1990.
15. NEVES, Maria Helena de Moura. Gramática de usos do Português. São Paulo: Editora da UNESP, 2000.
16. TRAVAGLIA, Luiz Carlos; KOCH, Ingedore Villaça. A coerência textual. São Paulo: Contexto, 1990.
II – LITERATURA BRASILEIRA
17. BOSI, Alfredo. História concisa da literatura brasileira. São Paulo: Cultrix, 1985.
18. CANDIDO, Antonio. Formação da literatura brasileira. 6. ed. Belo Horizonte, MG: Itatiaia, 1981.
19. TELES, Gilberto Mendonça. Vanguarda européia e modernismo brasileiro. Petrópolis, RJ: Vozes, 1972.
20. MOISÉS, Massaud. A literatura brasileira através dos textos. 12. ed. São Paulo: Cultrix, 1986.
21. Outros Livros e site que abrangem o programa proposto.
Professor – Matemática
Números naturais e números inteiros: divisibilidade,ximo divisor comum, decomposição em fatores
primos. Números racionais. Noção elementar de números reais: operações e propriedades, relação de ordem,
valor absoluto desigualdade. Regra de Três, Porcentagem. Números Complexos; Seqüências: progressões
aritméticas, progressões geométricas; Polinômios e Equações Algébricas; Análise Combinatória, Binômio de
Newton, Probabilidades, Sistemas Lineares: matrizes e determinantes; Noções de função; Funções
Exponenciais e Logarítmicas. Arcos e ângulos: medida, relações. Funções Trigonométricas; Arco Duplo e
Arco Metade Geometria plana e espacial. Geometria Analítica Noções de Análise Matemática: Limites,
derivadas e Integrais.
SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA:
1. Bianchini, Edvaldo – A Conquista da Matemática – Editora Moderna;
2. Bigode, Antonio Lopes – Matemática hoje é feita assim – FTD;
3. Giovanni, J. Rui – Matemática – Editora FTD;
4. Hole, Volkei – Como ensinar matemática no Básico e no Secundário;
5. Levvi, Gelson e outros – Matemática – Editora Atual;
6. Machado, A dos Santos – Matemática: Temas e metas – Editora Atual;
7. Marcondes, Gentil e Sérgio: Matemática – Editora Ática.
8. Outros Livros e site que abrangem o programa proposto.
Secretária de Escola
1. Escrituração Escolar.
2. Conceito Fundamentação Legal.
3. Classificação dos Registros Individual: Guia de transferência, Ficha Individual, Histórico Escolar, Ficha de
Aptidão Física, Boletim/Caderneta, diploma/Certificado.
4. Coletivo Diário de Classe. Livros: Atas do Conselho de Classe, Atas de Resultados Finais, Outros.
5. Execução dos Registros dos fatos Escolares.
6. Modos de Registrar: Normas Gerais de Organização, Escrituração e Procedimentos: Comuns e Especiais.
7. Eventos Escolares Objeto de Registro: Matrícula, Transferência, Aproveitamento de Estudos, Equivalência
de Estudos, Adaptação, Curricular, Verificação do Rendimento, Circulação de Estudos: Ensino Regular /
Ensino Supletivo;
08. Conhecimentos sobre a lei n° 9.394/96,
10. Relações Humanas;
11. Código de Ética;
12. Estatuto da Criança e do Adolescente
13. Noções básicas de informática
SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA:
1. LDB – Lei nº 9394/96
2. Deliberações do Conselho Estadual de Educação e da Secretária Estadual de Educação do Rio Grande do
Sul
3. Estatuto da Criança e do Adolescente
4. Apostilas, sites e livros didáticos sobre o assunto
Servente
1. Atividades específicas teóricas inerentes ao cargo;
2. Boas Maneiras;
3. Comportamento no ambiente de trabalho;
4. Organização do local de trabalho;
5. Noções básicas de preparação de alimentos;
6. Coleta e armazenamento e tipos de recipientes;
7. Materiais utilizados na limpeza em geral;
8. Trabalho de Cozinha: preparo de café, lanches e refeições em geral;
9. Guarda e conservação de alimentos;
10. Controle de Estoque de Material de Limpeza e de cozinha;
11. Relatório de pedidos de materiais de consumo, limpeza e gêneros alimentícios;
12. Higiene Pessoal, ambiental e de materiais de consumo.
13. Noções básicas de limpeza de prédios públicos.
SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA:
Apostilas, site e livros didáticos sobre o assunto
Técnico de Enfermagem
1. Principais responsabilidades da atenção básica: Ações de Saúde da Criança; Ações de Saúde da
Mulher Estrutura mínima de unidade de saúde da família. Base das ações da equipe de saúde da
família e equipe de saúde bucal: Planejamento das ações; Saúde, Promoção e Vigilância à saúde;
Trabalho interdisciplinar em equipe; abordagem integral da família;
2. Atribuições específicas do Técnico de Enfermagem;
3. Imunização: conceito, importância, tipos, principais vacinas e soros utilizados em saúde pública
(indicação, contra-indicações, doses, vias de administração, efeitos colaterais), conservação de
vacinas e soros (cadeia de frio);
4. Doenças transmissíveis: agente, forma de transmissão, prevenção, sinais e sintomas, assistência de
enfermagem e vigilância epidemiológica das principais doenças transmissíveis;
5. Assistência de enfermagem à mulher: na prevenção do Câncer cérvico-uterino e de Mama, no Pré-
natal no planejamento familiar;
6. Assistência de enfermagem à criança: no controle do crescimento e desenvolvimento, no controle das
doenças diarréicas, no controle das infecções respiratórias agudas (pneumonia, otites, amigdalites,
infecções das vias aéreas superiores), no controle das principais verminoses (ascaradíase, oxioríase,
estrogiloidíase, giardíase, amebíase e esquitossomose), na alimentação da criança (aleitamento
materno e orientação para o desmame);
7. Assistência de enfermagem ao adulto: diabetes mellitus; Controle da Hipertensão; Controle da
Diabetes Mellitus; Controle da Tuberculose; Eliminação da Hanseníase;
8. Procedimentos básicos de enfermagem: verificação de sinais vitais: pressão arterial, pulso,
temperatura e respiração, curativos (técnicas, tipos de curativos), administração de medicamentos
(diluição, dosagem, vias e efeitos colaterais); terminologia de enfermagem;
9. Legislação em Enfermagem: Lei do exercício profissional; Conceitos matemáticos aplicados à prática
profissional.
10. Sistema Único de Saúde: Lei 8.080 de 19/09/90, Lei 8.142 de 28/12/90, Norma Operacional
Básica do Sistema Único de Saúde - NOB-SUS de 1996, Norma Operacional da Assistência à
Saúde/SUS - NOAS-SUS de 2002, Programa de Controle de Infecção Hospitalar.
SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA:
- Guia para Controle de Hanseníase – Caderno de Atenção Básica – Ministério da Saúde, Brasília – DF, 2002.
- Guia para controle da Diabetes mellitus Caderno de Atenção Básica Ministério da Saúde, Brasília DF,
2002.
- Caderno de Atenção Básica Vigilância em Saúde Ministério da Saúde, 2
a
edição revisada, Brasília DF,
2008.
- Dermatologia na Atenção Básica – Caderno de Atenção Básica - Ministério da Saúde, Brasília – DF, 2002.
- Assistência em Planejamento Familiar Manual Técnico 4
a
Edição, Ministério da Saúde, Brasília DF,
2002.
- Manual de Hipertensão Arterial e Diabetes mellitus – Ministério da Saúde, Brasília – DF, 2002.
- Guia de Vigilância Epidemiológica – FUNASA, Vol. I e II. Brasília – DF, 2002.
- Diretrizes para o Controle da Sífilis Congênita – Manual de Bolso, Ministério da Saúde, Brasília – DF, 2007.
- Controle das Doenças Sexualmente Transmissíveis – DST, Manual de Bolso, 2
a
edição, Brasília – DF, 2006.
- Guia de Utilização de Medicamentos e Imunobiológico na Área de Hanseníase, Ministério da Saúde
Brasília – DF, 2001.
- Pré-Natal e Puerpério – Atenção Qualificada e Humanizada Manual Técnico Ministério da Saúde,
Brasília – DF, 2006.
- Diretrizes Operacionais do Pacto pela Saúde 2006, Norma Operacional da Assistência à Saúde – NOB 01/96
– site www.saude.gov.br
- Sistema Único de Saúde – SUS: Lei 8080 de 19/09/90 – site www.saude.gov.br
- Norma Operacional da Assistência à Saúde – NOAS, SUS 2002, www.saude.gov.br
- Regulamentação do Exercício Profissional – Coren, site www.coren.gov.br
Caderno de Atenção Básica nº. 16 – Diabetes mellitus, Ministério da Saúde – Brasília – DF, 2006.
- Caderno de Atenção Básica nº. 14 Prevenção Clínica de Doença Cardiovascular, Cerebrovascular e Renal
Crônica – Ministério da Saúde – Brasília – DF, 2006.
- Doenças Infecciosas e Parasitárias, 6
a
edição – Ministério da Saúde – Brasília, DF, 2006.
- Medicina Ambulatorial condutas de atenção primária baseadas em endência edição, editora artmed,
2004.
- Outros Livros e site que abrangem o programa proposto.
ANEXO II
ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS
Assistente Social
Descrição Sintética: Promover, incentivar e participar dos movimentos comunitários que visem a prestação
da Assistência Social.
Descrição Analítica: Promover, incentivar e participar dos movimentos comunitários que visem a prestação
da Assistência Social; realizar visitas domiciliares para o levantamento da situação sócio/econômica e para o
acompanhamento dos programas de Assistência Social do Município; contatar com os recursos da
comunidade à disposição para a concretização das metas assistenciais; trabalhar integralmente com os
demais técnicos do Município; promoção de recursos sociais comunitários; outras tarefas correlatas.
Bibliotecário
Descrição Sintética: Executar trabalhos especializados em bibliotecas.
Descrição Analítica: Organizar e administrar bibliotecas; registrar, classificar e catalogar material cultural,
(livros, periódicos e folhetos), obter dados de obras bibliográficas; fazer pesquisas em catálogos; atender aos
serviços de referência e tomar ou sugerir as medidas necessárias ao seu aperfeiçoamento; ler e examinar
livros e periódicos e recomendar sua aquisição; fazer o planejamento da difusão cultural na parte referente a
serviços de bibliotecas; resumir artigos de interesse para os leitores; fazer sugestões sobre catalogação e
circulação de livros; assistir aos leitores na escolha de livros, periódicos e na utilização de catálogo-dicionário;
registrar a movimentação de livros, panfletos e periódicos; examinar as publicações oficiais e organizar
fichários de leis ou outros atos governamentais; preparar livros e periódicos para encadernação; orientar o
serviço de limpeza e conservação de livros; apreciar sugestões de leitores e interessados sobre aquisição de
livros ou assinaturas de periódicos; fazer consultas sobre livros de interesse da biblioteca; executar tarefas
afins.
Biólogo
Descrição Sintética: Realizar trabalhos científicos de pesquisas, estudos e orientação nas diversas áreas das
Ciências Biológicas.
Descrição Analítica: Estudar e pesquisar os meios de controle biológico das pragas e doenças que afetam os
vegetais; estudar sistematicamente, as pragas dos vegetais das praças e jardins visando a sua identificação;
verificar as condições das espécies vegetais dos parques e jardins; propor e orientar o uso dos meios de
controle biológico, visando a defesa e o equilíbrio do meio ambiente; pesquisar a adaptação dos vegetais aos
ecossistemas do meio urbano; proceder levantamento das espécies vegetais existentes na arborização pública
na cidade, classificando-as cientificamente; pesquisar e identificar as espécies mais adequadas a
repovoamentos e reflorestamentos; planejar, orientar e executarrecolhimento de dados e amostras de material
para estudo; realizar estudos e experiências em laboratórios com espécimes biológicos; realizar perícias e
emitir laudos técnicos; realizar vistorias para licenças em empresas, loteamentos, terrenos e outros; executar
fiscalizações ambientais nas empresas, loteamentos e outros; responsabilizar-se por equipes auxiliares à
execução das atividades próprias do cargo; executar tarefas afins, inclusive as previstas no respectivo
regulamento da profissão.
Enfermeiro
Descrição Sintética: Executar e supervisionar trabalhos técnicos de enfermeiros nos estabelecimentos de
assistência médico-ambulatorial municipal.
Descrição Analítica: Coordenar, organizar, supervisionar e prestar serviços em unidades sanitárias,
ambulatórios e sessões de enfermagem; fazer curativos; aplicar vacinas e injeções, ministrar medicamentos;
responder pela observância das prescrições médicas relativas a pacientes, supervisionar a esterilização de
materiais nas áreas de enfermagem; zelar pelo bem estar físico-psíquico dos pacientes; prestar socorros de
urgência; orientar isolamento de pacientes; supervisionar serviços de higienização; providenciar o
abastecimento de materiais de enfermagem e médico; fiscalizar limpeza da unidade onde estiver lotado;
participar de programas de Educação Sanitária; apresentar relatórios referentes às atividades sob supervisão,
responsabilizar-se por equipamentos auxiliares necessários à execução das atividades próprias do cargo;
fazer triagem nas unidades de saúde; executar tarefas afins, inclusive as editadas no respectivo regulamento
da profissão, responsabilizar-se pelo treinamento e supervisão dos demais profissionais de enfermagem;
executar outras atividades correlatas.
Engenheiro Civil
Descrição Sintética: Executar e/ou supervisionar trabalhos técnicos de Engenharia em prédios públicos
Municipais e demais obras e serviços de interesse do Município.
Descrição Analítica: Projetar, executar e supervisionar trabalhos técnicos de construção e conservação de
obras de qualquer espécie, executados em prédios, vias e logradouros, postes. Assessorar o Prefeito no
planejamento, coordenação e acompanhamento das obras públicas; aprovar os projetos de construção para
fins de licença, prestar assistência técnica aos demais órgãos do Município, relativamente as obras públicas;
elaborar cronogramas físico-financeiros referentes a obras municipais; elaborar relações de materiais de
construção das obras públicas, elaborando diários de cada uma; outras atividades correlatas.
Fonoaudiólogo
Descrição Sintética: Identificar problemas ou deficiências ligadas à comunicação oral como gagueira, dislexia,
alfabetização, comunicação do deficiente auditivo e afasia, empregando técnicas próprias de avaliação e
fazendo o treinamento fonético, auditivo, de dicção, impostação da voz e outros, com a finalidade de
possibilitar o aperfeiçoamento e/ou reabilitação da fala.
Descrição Analítica: Avaliar as deficiências do paciente, realizando exames fonéticos da linguagem,
audiometria, gravação e outras técnicas; estabelecer o plano de treinamento terapêutico; encaminhar as
pessoas ao especialista e orientar este, fornecendo-lhe indicações; elaborar relatórios para complementar o
diagnóstico; desenvolver e supervisionar o treinamento da voz, fala, linguagem, expressão do pensamento
verbalizado, compreensão do pensamento verbalizado e outros; orientar e fazer demonstrações de respiração
funcional; opinar quanto às possibilidades fonatórias e distúrbios de linguagem em suas formas de expressão
e audição; preparar informes e documentos em assuntos de fonoaudiologia; executar outras tarefas afins.
Médico Clínico Geral
Descrição Sintética: Atividade de nível superior, de grande complexidade, envolvendo trabalhos de defesa,
promoção e proteção da saúde do indivíduo, nas várias especialidades médicas através de programas
voltados para a saúde pública, tratamento clínico ou cirúrgico.
Descrição Analítica: realizar exames de sanidade para a avaliação da capacidade física e mental nos
candidatos a ingresso na função pública municipal; atender a consultas médicas em ambulatórios, hospitais e
unidades sanitárias; efetuar exames médicos em escolares e pré-escolares; fazer estudo caracterológico de
pacientes, encaminhar a tratamento médico especializado, quando for o caso; fazer diagnósticos e prescrever
medicações; prescrever regimes dietéticos; solicitar exames laboratoriais e outros que se fizerem necessários;
encaminhar casos especiais a setores especializados; aplicar métodos de medicina preventiva, como medida
de precaução contra enfermidades; participar de juntas médicas; participar de programas voltados para a
saúde pública; efetuar inspeção de saúde em funcionários municipais ou nos seus familiares nos termos
previstos em lei; realizar perícia médica e emitir os respectivos laudos; realizar estudos sobre a incidência de
moléstias, afim de prevenir e proporcionar condições favoráveis nos servidores no âmbito de trabalho;
fornecer dados que orientem a aquisição de aparelhos e equipamentos para uso de sua especialidade;
promover a elaboração da estatística correspondente aos exames realizados e apresentar relatórios técnicos;
realizar procedimentos ambulatoriais; executar outras tarefas correlatas.
Médico Estratégia da Família
Descrição Sintética: Prestar assistência médico-cirúrgica e preventiva; diagnosticar e tratar das doenças do
corpo humano.
Descrição Analítica: Realizar consultas clínicas; executar as ações de assistência integral em todas as fases do
ciclo de vida: criança, adolescente, adulto e idoso; realizar consultas e procedimentos na Unidade de Saúde
da Família (USF) e, quando necessário, no domicílio; realizar as atividades clínicas correspondentes às áreas
prioritárias na intervenção na atenção Básica, definidas na Norma Operacional da Assistência à Saúde
(NOAS); aliar a atuação clínica à prática da saúde coletiva; fomentar a criação de grupos de patologias
específicas, como de hipertensos, de diabéticos, de saúde mental, etc.; realizar o pronto atendimento médico
nas urgências e emergências; encaminhar aos serviços de maior complexidade, quando necessário,
garantindo a continuidade do tratamento na USF, por meio de um sistema de acompanhamento de referência
e contra-referência; realizar pequenas cirurgias ambulatoriais; Indicar internação hospitalar; solicitar exames
complementares; verificar e atestar óbito; executar outras tarefas afins.
Médico Ginecologista/Obstetra
Descrição Sintética: Atividade de nível superior, de grande complexidade, envolvendo trabalhos de defesa,
promoção e proteção da saúde do indivíduo, dentro da sua especialidade médica através de programas
voltados para a saúde pública, tratamento clínico ou cirúrgico.
Descrição Analítica: Atender as gestantes encaminhadas pela Secretaria Municipal de Saúde, procedendo
exame geral e obstétrico; solicitar exames de laboratório e outros a que o caso requeira; controlar a pressão
arterial e o peso da gestante; dar orientação médica à gestante e encaminhá-la a maternidade ;atender ao
parto e ao puerpério; preencher fichas médicas das pacientes; dar orientação relativa à nutrição e higiene da
gestante; prestar o devido atendimento ás pacientes encaminhadas por outro especialista; prescrever
tratamento; participar de programas voltados para a saúde blica; participar de juntas médicas; executar
outras tarefas correlatas.
Médico Pediatra
Descrição Sintética: Atividade de nível superior, de grande complexidade, envolvendo trabalhos de defesa,
promoção e proteção da saúde do indivíduo, dentro da sua especialidade médica através de programas
voltados para a saúde pública, tratamento clínico ou cirúrgico.
Descrição Analítica: Atender crianças que necessitam dos serviços de pediatria, para fins de exame clínico,
educação e adaptação; providenciar no encaminhamento dos pacientes a serviços especializados, para fins
de diagnósticos, quando for o caso; examinar periódicamente, escolares em geral; orientar os responsáveis
pelas crianças, no que se fizer necessário; preencher fichas clínicas individuais; prestar o devido atendimento
aos pacientes encaminhados por outros especialistas; participar de juntas médicas; participar de programas
voltados para a saúde pública; solicitar exames laboratoriais e outros que se fizerem necessários; realizar
procedimentos ambulatoriais, executar outras tarefas correlatas.
Operador de Máquinas
Descrição Sintética: Operar máquinas rodoviárias, agrícolas, tratores e equipamentos móveis.
Descrição Analítica: Operar veículos motorizados, especiais, tais como: guinchos, guindastes, máquinas de
limpeza de rede de esgoto, retroescavadeira, carro plataforma, máquinas rodoviárias, agrícolas, tratores e
outros; abrir valetas e cortar taludes; proceder escavações, transporte de terra, compactação, aterro e
trabalhos semelhantes; auxiliar no conserto de quinas; lavrar e discar terras, obedecendo as curvas de
níveis; cuidar da limpeza e conservação das máquinas, zelando pelo seu bom funcionamento; ajustar as
correias transportadoras a pilha pulmão do conjunto de britagem; executar tarefas afins.
Operário
Descrição Sintética: Realizar trabalhos braçais em geral.
Descrição Analítica: Carregar e descarregar veículos em geral; transportar, arrumar e elevar mercadorias,
materiais de construção e outros; fazer mudanças; proceder a abertura de valas; efetuar serviços de capina em
geral; varrer, escovar, lavar e remover lixos e detritos de via públicas e próprios municipais; zelar pela
conservação e limpeza dos sanitário