Edital do Concurso Tribunal Regional Federal / 4ª Região (TRF 4ª) 2012

Banca:

Esfera: Federal

Visualizaçao do Edital do Concurso

TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 4ª REGIÃO
Rua Otávio Francisco Caruso da Rocha, 300 - Bairro Praia de Belas - CEP 90010-395 - Porto Alegre - RS - www.trf4.jus.br
EDITAL
XVI CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGO DE
JUIZ FEDERAL SUBSTITUTO
EDITAL DE ABERTURA
O Tribunal Regional Federal da Região torna público que realizará concurso para provimento de cargo de Juiz
Federal Substituto, em conformidade com as normas do Regulamento aprovado pela Resolução 46 , de 25 de
março de 2014, e deste Edital, na forma seguinte:
1. DA COMISSÃO DE CONCURSO
Desembargadores Federais Carlos Eduardo Thompson Flores Lenz (Presidente) e Ricardo Teixeira do Valle Pereira,
Juiz Federal Danilo Pereira Júnior, Professor Danilo Knijnik e Advogado Raimar Rodrigues Machado (membros
titulares); Desembargadores Federais Otávio Roberto Pamplona e Fernando Quadros da Silva, Jza Federal Maria
Isabel Pezzi Klein, Professor Carlos Klein Zanini e Advogado Orlando Celso da Silva Neto (membros suplentes).
1.1. DO LOCAL DE FUNCIONAMENTO DA COMISSÃO DE CONCURSO: Escola da Magistratura do TRF da
Região Rua Otávio Francisco Caruso da Rocha, 300, Edifício Desembargador Federal Eli Goraieb Prédio
Administrativo – 6º andar – CEP 90010-395 – Porto Alegre – RS.
2. DA INSCRIÇÃO PRELIMINAR
2.1. DO REQUERIMENTO
A inscrição preliminar deverá ser requerida conforme disposto nos incisos I e II, a seguir:
I O candidato deverá preencher o formulário de Requerimento de Inscrição Preliminar, disponível no endereço
eletrônico www.trf4.jus.br/concursojfs, a partir das 13 horas do dia 07 de abril de 2014 até as 18 horas do dia 06
de maio de 2014, horário de Brasília, lançando corretamente todos os dados solicitados, selecionando as
Declarações que se adequarem ao seu caso e clicando no botão Enviar Requerimento” para finalizar essa etapa do
processo.
O candidato, ao preencher e enviar o Requerimento de Inscrição Preliminar, deverá declarar, sob as penas da lei:
a) que é cidadão brasileiro;
b) que é bacharel em Direito e que atenderá, até a data da inscrição definitiva, a exigência de 03 (três) anos de
atividade jurídica exercida após a obtenção do grau de bacharel em Direito;
c) que está ciente de que a não apresentação do respectivo diploma, devidamente registrado pelo Ministério da
Educação, e a não comprovação da atividade jurídica, no ato da inscrição definitiva, acarretarão a sua exclusão do
processo seletivo;
d) se for o caso, que é pessoa com deficiência e que carece ou não de atendimento especial nas provas, em
conformidade com o Capítulo X do Regulamento do certame;
e) se for o caso, que é candidato comprovadamente enquadrado nos termos do art. 17, parágrafo único, letras a” e
“b”, do Regulamento e do subitem 2.4 do Edital de Abertura;
f) que aceita as demais regras pertinentes ao concurso consignadas neste Edital e no Regulamento do XVI
Concurso.
II Após o envio dos dados do candidato por meio do formulário de Requerimento de Inscrição Preliminar, será
gerada automaticamente uma gina de confirmação de recebimento de dados com um link direcionando para a
Guia de Recolhimento da União (GRU). Essa guia, no valor de R$ 190,00 (cento e noventa reais), constitui, quando
devidamente autenticada ou acompanhada do respectivo comprovante de quitação, a única prova de pagamento
da taxa de inscrição e deverá ser impressa e paga, impreterivelmente, ao dia 07 de maio de 2014, somente no
Banco do Brasil.
2.2. DO COMPROVANTE DE INSCRIÇÃO
2.2.1. Após concluir as etapas descritas nos incisos I e II do subitem 2.1 (envio de dados por meio de formulário de
Requerimento de Inscrição Preliminar e pagamento da taxa de inscrição), o candidato deverá aguardar a
confirmação de recebimento do seu pedido de inscrição preliminar, que será enviada para o e-mail informado no
momento da inscrição. A confirmação ocorre apenas após o recebimento contábil do pagamento da GRU e
passará a ser seu Comprovante de Inscrição no certame, contendo informações resumidas do candidato, número de
inscrição e local de realização da prova objetiva seletiva, habilitando o candidato à prestação dessa prova.
2.2.2. As inscrições preliminares somente serão confirmadas após a comprovação do pagamento da taxa de
inscrição, aferido via Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal (SIAFI) em a02 (dois)
dias úteis para pagamentos efetuados em dinheiro e em até 03 (três) dias úteis para pagamentos efetuados por meio
de cheque.
2.2.3. O Comprovante de Inscrição e o respectivo número de inscrição do candidato estarão disponíveis no Sistema
de Consulta Online, acessível pela página www.trf4.jus.br/concursojfs.
2.2.4. A Comissão não se responsabiliza por solicitação de inscrição preliminar o recebida por motivos de ordem
técnica dos computadores, falhas de comunicação, congestionamentos das linhas de comunicação e/ou outros
fatores que impossibilitem a transferência de dados.
2.2.5. Somente serão aceitos os requerimentos de inscrição preliminar encaminhados conforme o disposto no
Regulamento e no Edital de Abertura do XVI Concurso Público para Provimento de Cargo de Juiz Federal
Substituto da 4ª Região (arts. 17, 25 e 73 do Regulamento).
2.2.6. O valor referente ao pagamento da taxa de inscrição preliminar não será devolvido em nenhuma hipótese,
salvo em caso de cancelamento do certame por conveniência da Administração Pública.
2.3. DO SISTEMA DE CONSULTA ONLINE
O Sistema de Consulta Online constitui-se em um canal oficial de acompanhamento da situação cadastral do
candidato durante toda a realização do certame.
Após o cumprimento da etapa descrita no inciso I do subitem 2.1 deste Edital, o sistema estará à disposição do
candidato no endereço eletrônico www.trf4.jus.br/concursojfs. Para ser acessado, devem ser fornecidos o número de
CPF e a senha pessoal cadastrada pelo candidato no momento do preenchimento do formulário de Requerimento de
Inscrição Preliminar.
O candidato deverá utilizar o Sistema de Consulta para acompanhar o andamento de seu pedido de inscrição
preliminar e atualizar os seus dados cadastrais de contato enquanto estiver vinculado ao certame, tarefa essa de sua
inteira responsabilidade.
2.3.1. Para os candidatos que não dispuserem de acesso à Internet, a Comissão de Concurso disponibilizará locais de
consulta à rede mundial de computadores, nos endereços listados a seguir, no período entre 13 horas do dia 07 de
abril de 2014 e 18 horas do dia 06 de maio de 2014 (horário oficial de Brasília/DF), observando o horário de
atividade de cada estabelecimento:
z Rio Grande do Sul: Justiça Federal em Porto Alegre: Rua Otávio Francisco Caruso da Rocha, 600;
z Santa Catarina: Justiça Federal em Florianópolis: Rua Paschoal Apóstolo Pitsica, 4810;
z Paraná: Justiça Federal em Curitiba: Avenida Anita Garibaldi, 888.
2.4. DA ISENÇÃO DE PAGAMENTO
2.4.1. Não haveisenção total ou parcial do valor da taxa de inscrição, exceto para os candidatos amparados pelo
Decreto nº 6.593, de 02 de outubro de 2008, publicado no Diário Oficial da União, de 03 de outubro de 2008.
2.4.2. Estará
isento do pagamento da taxa de inscrição o candidato que:
I estiver inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), de que trata o
Decreto nº 6.135, de 26 de junho de 2007; e
II – for membro de família de baixa renda, nos termos do Decreto nº 6.135, de 26 de junho de 2007.
2.4.3. A isenção deverá ser solicitada no ato do preenchimento do formulário de Requerimento de Inscrição
Preliminar, quando deveser selecionada a declaração pertinente ao caso, disponível no período de 07 a 16 de
abril de 2014 no endereço eletrônico www.trf4.jus.br/concursojfs, contendo:
I indicação do Número de Identificação Social (NIS), atribuído pelo CadÚnico; e
II – declaração de que atende à condição estabelecida no inciso II do subitem 2.4.2 deste Edital.
2.4.4. Os candidatos que não dispuserem de acesso à Internet poderão utilizar-se dos locais divulgados na forma do
subitem 2.3.1 deste Edital para solicitar inscrição com isenção de taxa.
2.4.5. A Comissão de Concurso consultará o órgão gestor do CadÚnico para verificar a veracidade das informações
prestadas pelo candidato.
2.4.6. As informações prestadas no requerimento de isenção serão de inteira responsabilidade do candidato, que
poderá responder a qualquer tempo por crime contra a pública, o que acarretará sua eliminação do concurso,
aplicando-se, ainda, o disposto no parágrafo único do art. 10 do Decreto nº 83.936, de 06 de setembro de 1979.
2.4.7. Não será aceita solicitação de isenção de pagamento de valor de inscrição via postal, via fax ou via correio
eletrônico.
2.4.8. Os pedidos de isenção serão analisados e julgados pela Comissão de Concurso.
2.4.9. O Edital contendo a relação dos pedidos de isenção deferidos será divulgado até o dia 22 de abril de 2014, no
endereço eletrônico www.trf4.jus.br/concursojfs, e publicado no Diário Oficial da União.
2.4.9.1. Não haverá recurso contra o indeferimento do requerimento de isenção da taxa de inscrição.
2.4.10. Os candidatos cujos pedidos de isenção forem indeferidos deverão acessar o endereço eletrônico
www.trf4.jus.br/concursojfs, imprimir a GRU, por meio da página de acompanhamento e pagar até o dia 07 de
maio de 2014 para efetivar a sua inscrição no concurso, conforme procedimentos descritos neste Edital.
2.4.11. O interessado que tiver seu pedido de isenção indeferido e não efetuar o pagamento da taxa de inscrição, na
forma e no prazo estabelecidos neste Edital, estará automaticamente excluído do concurso público.
3. DA RESERVA DE VAGAS PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA
3.1. Do total de vagas previsto neste Edital e das que vierem a surgir durante o prazo de validade do concurso, 5%
(cinco por cento) serão reservados aos candidatos com deficiência que declararem tal condição no momento da
inscrição preliminar, vedado o arredondamento superior.
3.2. Para efeitos de reserva de vaga, consideram-se pessoas com deficiência aquelas que se amoldam às categorias
relacionadas no art. 4º do Decreto nº 3.298, de 20 de dezembro de 1999.
3.3. A avaliação sobre a compatibilidade da deficiência com a função judicante deverá ser empreendida no estágio
probatório a que se submeterá o candidato aprovado no certame.
3.4. Além das exigências comuns a todos os candidatos para a inscrição no concurso, o candidato com deficiência
deverá, no ato de inscrição preliminar:
I em campo próprio do formulário de Requerimento de Inscrição Preliminar, declarar a opção por concorrer às
vagas destinadas às pessoas com deficiência, conforme edital, bem como enviar cópia simples do CPF e atestado
médico original ou em cópia autenticada em cartório que comprove a deficiência alegada e que contenha a espécie,
o grau ou nível da deficiência de que é portador, a CID (Classificação Internacional de Doenças) e a provável causa
dessa deficiência.
II preencher outras exigências ou condições constantes do Edital de Abertura do Concurso.
§ A data de emissão do atestado médico referido no subitem 3.4, inciso I, deverá ser de, no máximo, 30 (trinta)
dias antes da data de publicação do Edital de Abertura do concurso.
§ O não encaminhamento, por ocasião da inscrição preliminar, de qualquer um dos documentos especificados no
subitem 3.4, inciso I, implicará o indeferimento do pedido de inscrição no sistema de reserva de vaga para pessoas
com deficiência, passando o candidato automaticamente a
concorrer às vagas com os demais inscritos o
portadores de deficiência, desde
que preenchidos os outros requisitos previstos no Edital.
3.5. O candidato com deficiência poderá enviar a cópia simples de documento que indique o CPF e o laudo médico
original ou em cópia autenticada em cartório a que se refere o subitem 3.4, inciso I, deste Edital via Sedex ou carta
registrada com aviso de recebimento, postada impreterivelmente até 06 de maio de 2014, para a Escola da
Magistratura do TRF da 4ª Região, sita na rua Otávio Francisco Caruso da Rocha, 300 – Prédio Administrativo,
andar – CEP 90010-395, Porto Alegre – RS.
3.5.1. O candidato poderá entregar na Escola da Magistratura do TRF da 4ª Região, até 06 de maio de 2014, das 13
horas às 18 horas (exceto sábados, domingos e feriados), pessoalmente ou por terceiro, cópia simples de documento
que indique o CPF e o laudo médico original ou cópia autenticada em cartório a que se refere o subitem 3.4, inciso
I, deste Edital.
3.5.2. O encaminhamento da documentação aludida no subitem 3.4, inciso I, por qualquer via, é de responsabilidade
exclusiva do candidato. A Comissão de Concurso não se responsabiliza por nenhum tipo de extravio que impeça a
chegada da documentação ao seu destino.
3.5.3. O candidato com deficiência poderá requerer atendimento especial, no ato da inscrição preliminar, para o dia
de realização das provas, indicando as condições das quais necessita para a sua realização, conforme previsto no art.
40, §§ 1º e 2º, do Decreto nº 3.298/99 e suas alterações.
3.5.4. Os documentos referidos no subitem 3.4, inciso I, terão validade somente para este concurso público e o
serão devolvidos, assim como não serão fornecidas cópias dessa documentação.
3.6. A relação dos candidatos convocados para a avaliação da Comissão Multiprofissional quanto à existência e à
relevância da deficiência para os fins previstos neste Edital e no Regulamento do Concurso será divulgada na
Internet, no endereço eletrônico www.trf4.jus.br/concursojfs, na data provável de 13 de maio de 2014.
3.7. O candidato disporá de 02 (dois) dias, a partir da divulgação da relação citada no subitem 3.6, para contestar
eventual não convocação, comparecendo à sede da Escola da Magistratura, pessoalmente ou por terceiro; ou
acessando o Sistema de Consulta Online no endereço eletrônico www.trf4.jus.br/concursojfs e utilizando ferramenta
disponível no referido sistema para envio de eventual contestação. Após esse período, não serão aceitos pedidos de
revisão.
3.8. O candidato com deficiência submeter-se-á, nas datas prováveis de 21 e 22 de maio de 2014, à avaliação da
Comissão Multiprofissional quanto à existência e à relevância da deficiência para os fins previstos neste Edital e no
Regulamento do Concurso.
3.8.1. A Comissão Multiprofissional, designada pela Comissão de Concurso, será composta de 03 (três) médicos, 01
(um) representante da Ordem dos Advogados do Brasil e 02 (dois) membros do Tribunal, cabendo ao mais antigo
destes presidi-la.
3.8.2. A Comissão Multiprofissional, necessariamente a 03 (três) dias antes da data fixada para a realização da
prova objetiva seletiva, proferirá decisão terminativa sobre a qualificação do candidato como deficiente e sobre os
pedidos de condições especiais para a realização das provas.
3.8.3. A seu juízo, a Comissão Multiprofissional poderá solicitar parecer de profissionais capacitados na área da
deficiência que estiver sendo avaliada, os quais não terão direito a voto.
3.8.4. Concluindo a Comissão Multiprofissional pela inexistência da deficiência ou por sua insuficiência, passará o
candidato a concorrer às vagas não reservadas.
3.9. A relação dos candidatos que tiverem a inscrição preliminar deferida para concorrer na condição de pessoas
com deficiência será divulgada na Internet, no endereço eletrônico www.trf4.jus.br/concursojfs, na ocasião da
divulgação do edital com a relação dos candidatos cujas inscrições foram deferidas (art. 27 do Regulamento).
3.10. Os candidatos com deficiência participarão do concurso em igualdade de condições com os demais candidatos
no que tange a conteúdo, avaliação, horário e local de aplicação das provas, podendo haver ampliação do tempo de
duração das provas em até 60 (sessenta) minutos.
3.10.1. No ato da inscrição, o candidato com deficiência poderá requerer, na forma do subitem 3.5.3 deste Edital,
atendimento especial para o dia de realização das provas, indicando as condições de que necessita para a realização
destas, conforme previsto no artigo 40, §§ 1º e 2º, do Decreto nº 3.298/99 e em suas alterações.
3.10.2 Adotar-se-ão todas as providências que se façam necessárias a permitir o cil acesso de candidatos com
deficiência aos locais de realização das provas, sendo de responsabilidade desses candidatos, entretanto, trazer os
equipamentos e instrumentos imprescindíveis à elaboração
das provas, previamente autorizados pelo Tribunal,
descartada, em qualquer hipótese, a realização das provas em local distinto daquele indicado no Edital.
3.11. A cada etapa do certame, a Comissão de Concurso fará publicar, além da lista geral de aprovados, listagem
composta exclusivamente dos candidatos com deficiência que alcançarem a nota mínima exigida.
3.11.1. As vagas reservadas aos candidatos com deficiência que o forem preenchidas, serão aproveitadas pelos
demais candidatos habilitados, em estrita observância da ordem de classificação no concurso.
3.11.2. A classificação de candidatos com deficiência obedece aos mesmos critérios adotados para os demais
candidatos.
3.11.3. O candidato que se apresentar como pessoa com deficiência e o for considerado como tal pelo parecer da
Comissão Multiprofissional figurará, na hipótese de ser aprovado no concurso, na lista de classificação geral, em
igualdade de condições com os demais candidatos.
3.11.4. A publicação do resultado final do concurso será feita em duas listas, contendo a primeira a pontuação de
todos os candidatos, inclusive a de pessoas com deficiência, se aprovadas; e a segunda, somente a pontuação destes
últimos, os quais serão chamados na ordem das vagas reservadas às pessoas com deficiência.
3.12. O grau de deficiência de que for portador o candidato, ao ingressar na magistratura, o poderá ser invocado
como causa de aposentadoria por invalidez.
4. DOS PEDIDOS DE ATENDIMENTO ESPECIAL NAS PROVAS
Os candidatos que necessitarem de atendimento especial durante a aplicação das provas e que o estiverem
concorrendo nas vagas destinadas a pessoas com deficiência deverão indicar no formulário de inscrição a sua
necessidade de atendimento, a qual será apreciada pela Comissão Multiprofissional.
5. DOS REQUISITOS À INVESTIDURA NO CARGO
São requisitos para o provimento do cargo:
5.1. Ser aprovado no concurso público.
5.2. Estar no exercício dos direitos civis e políticos.
5.3. Ter nacionalidade brasileira ou portuguesa e, no caso de nacionalidade portuguesa, estar amparado pelo estatuto
de igualdade entre brasileiros e portugueses (Decreto 70.436/72), com reconhecimento do gozo dos direitos
políticos, nos termos do art. 12, § 1º, da Constituição Federal.
5.4. Estar em dia com as obrigações eleitorais e, em caso de candidato do sexo masculino, também com as militares.
5.5. Ser bacharel em Direito há no mínimo 03 (três) anos, com diploma conferido por instituição de ensino superior,
oficial ou reconhecida, com diploma registrado na forma da lei.
5.6. Ter, na ocasião da inscrição definitiva, 03 (três) anos de exercício de atividade jurídica após a obtenção do grau
de bacharel em Direito, nos termos do art. 93, inc. I, da Constituição Federal e da Resolução nº 75, de 12 de maio de
2009, do Conselho Nacional de Justiça, comprovada por documentos e certidões.
5.7. Ter aptidão física e mental para o exercício das atribuições do cargo.
5.8. Ter bons antecedentes morais e sociais, comprovados em investigação a ser procedida pelo Tribunal Regional
Federal da 4ª Região, bem assim boa saúde física e mental e características psicológicas adequadas ao exercício do
cargo, de acordo com laudo emitido por órgão oficial.
5.9. Apresentar declaração pública de bens e prestar compromisso de desempenhar, com retidão, as funções do
cargo, cumprindo a Constituição e as leis.
5.10. Não registrar antecedentes criminais.
5.11. Cumprir as determinações deste Edital.
6. DAS PROVAS
6.1. A previsão de datas para a realização das provas é a seguinte:
I prova objetiva seletiva: dia 20 de julho de 2014, às 8 horas, vedada a consulta de qualquer natureza (textos
legais e jurisprudenciais, doutrina, etc);
II – provas escritas:
a) prova discursiva: dia 31 de outubro de 2014, às 8 horas;
b) prova de prática de Sentença Civil: dia 01 de novembro de 2014, às 8 horas;
c) prova de prática de Sentença Penal: dia 02 de novembro de 2014, às 8 horas;
III – provas orais: serão divulgadas por edital, oportunamente.
6.2. Nas provas escritas da etapa do certame, fica vedada a consulta a obras doutrinárias, sendo permitida a
consulta a diplomas normativos desacompanhados de anotações, comentários, exposição de motivos, transcrições
jurisprudenciais ou súmulas.
6.2.1. As partes dos textos cuja consulta não é permitida deverão vir isoladas, por grampo ou fita adesiva, de modo a
impedir sua utilização.
6.2.2. Será permitida a consulta a textos de legislação esparsa, impressos em apenas uma face, desde que não
ultrapassem 20 (vinte) folhas, em fonte Times New Roman, tamanho 12.
6.3. As datas inicialmente designadas poderão sofrer alteração por determinação da Comissão de Concurso.
6.4. O conteúdo das disciplinas objeto de avaliação no certame está discriminado em anexo.
6.5. A Comissão deverá considerar, na avaliação das provas escritas, o raciocínio lógico, o conhecimento sobre o
tema jurídico, a vinculação ao tema proposto, a utilização correta do idioma oficial e a capacidade de exposição.
7. DOS LOCAIS DAS PROVAS
A prova objetiva seletiva será realizada nas capitais dos Estados do Sul, nos seguintes endereços:
a) Porto Alegre (RS): Faculdade Porto-Alegrense – FAPA – Avenida Manoel Elias, 2001, bairro Morro Santana;
b) Curitiba (PR): Pontifícia Universidade Católica do Paraná PUC/PR, Bloco 5 Escola de Direito e Escola de
Comunicação e Artes – Rua Imaculada Conceição, 1155 – bairro Prado Velho;
c) Florianópolis (SC): Instituto Estadual de Educação – IEE – Avenida Mauro Ramos, 275 – Centro.
As provas escritas serão realizadas em locais a serem divulgados por ocasião da publicação de edital com a relação
dos candidatos aprovados e classificados na prova objetiva seletiva.
7.1. Os candidatos deverão apresentar-se munidos de documento original de identidade ou equivalente, com foto
recente.
7.2. As provas objetiva seletiva e escritas realizar-se-ão na capital indicada no formulário de Requerimento de
Inscrição Preliminar, não sendo permitida a alteração do local escolhido em hipótese alguma após a efetivação da
inscrição.
7.3. A prova oral será realizada exclusivamente em Porto Alegre/RS, no Prédio-Sede do Tribunal Regional Federal
da 4ª Região.
8. DA INSCRIÇÃO DEFINITIVA E EXAMES DE SANIDADE FÍSICA E MENTAL E PSICOTÉCNICO
Os candidatos aprovados nas provas escritas deverão requerer a sua inscrição definitiva ao Presidente do Conselho
de Administração, encaminhando documentação complementar, e submeter-se aos exames de saúde física e mental
e psicotécnico, nos moldes previstos no Regulamento do Concurso.
9. DA AVALIAÇÃO DOS TÍTULOS
9.1. Após a publicação do resultado da prova oral, a Comissão de Concurso avaliará os títulos dos candidatos
aprovados (art. 65 do Regulamento do Concurso).
9.1.1. A comprovação dos títulos far-se-á no momento da inscrição definitiva, considerados, para efeito de
pontuação, os obtidos até então.
documental idônea de cada título, não se admitindo a concessão de
dilação de
prazo para esse fim.
9.2. Constituem títulos (art. 66 do Regulamento do Concurso):
I – exercício de cargo, emprego ou função pública privativa de bacharel em Direito pelo período mínimo de 01 (um)
ano:
a) Judicatura (Juiz): até 03 (três) anos – 2,0 pontos; acima de 03 (três) anos –2,5 pontos;
b) Pretoria, Ministério Público, Defensoria Pública, Advocacia-Geral da União, Procuradoria (Procurador) de
qualquer órgão ou entidade da Administração Pública direta ou indireta de qualquer dos Poderes da União, dos
Estados, do Distrito Federal e dos Municípios: até 03 (três) anos – 1,5 ponto; acima de 03 (três) anos – 2,0 pontos;
II – exercício do Magistério Superior na área jurídica pelo período mínimo de 05 (cinco) anos:
a) mediante admissão no corpo docente por concurso ou processo seletivo público de provas e/ou títulos 1,5
ponto;
b) mediante admissão no corpo docente sem concurso ou processo seletivo público de provas e/ou títulos 0,5
ponto;
III exercício de outro cargo, emprego ou função pública privativa de bacharel em Direito não previsto no inciso I,
pelo período mínimo de 01 (um) ano:
a) mediante admissão por concurso: até 03 (três) anos – 0,5 ponto; acima de 03 (três) anos – 1,0 ponto;
b) mediante admissão sem concurso: até 03 (três) anos – 0,25 ponto; acima de 03 (três) anos – 0,5 ponto;
IV exercício efetivo da Advocacia pelo período mínimo de 03 (três) anos: a05 (cinco) anos 0,5 ponto; entre
05 (cinco) e 08 (oito) anos – 1,0 ponto; acima de 08 (oito) anos – 1,5 ponto;
V – aprovação em concurso público, desde que não tenha sido utilizado para pontuar no inciso I:
a) Judicatura (Juiz/Pretor), Ministério Público, Defensoria Pública, Advocacia-Geral da União, Procuradoria
(Procurador) de qualquer órgão ou entidade da Administração Pública direta ou indireta de qualquer dos Poderes da
União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios: 0,5 ponto;
b) outro concurso público para cargo, emprego ou função privativa de bacharel em Direito não constante do subitem
V, “a”: 0,25 ponto;
VI – diplomas em cursos de Pós-Graduação:
a) Doutorado reconhecido ou revalidado: em Direito ou em Ciências Sociais ou Humanas: 2,0 pontos;
b) Mestrado reconhecido ou revalidado: em Direito ou em Ciências Sociais ou Humanas: 1,5 ponto;
c) Especialização em Direito, na forma da legislação educacional em vigor, com carga horária mínima de 360
(trezentas e sessenta) horas-aula, cuja avaliação haja considerado monografia de final de curso: 0,5 ponto;
VII graduação em qualquer curso superior reconhecido ou curso regular de preparação à Magistratura ou ao
Ministério Público, com duração mínima de 01 (um) ano, carga horária mínima de 720 (setecentas e vinte) horas-
aula, frequência mínima de 75% (setenta e cinco por cento) e nota de aproveitamento: 0,5 ponto;
VIII curso de extensão sobre matéria jurídica de mais de 100 (cem) horas-aula, com nota de aproveitamento ou
trabalho de conclusão de curso e frequência mínima de 75% (setenta e cinco por cento): 0,25 ponto;
IX – publicação de obras jurídicas:
a) livro jurídico de autoria exclusiva do candidato com apreciável conteúdo jurídico: 0,75 ponto;
b) artigo ou trabalho publicado em obra jurídica coletiva ou revista jurídica especializada, com conselho editorial,
de apreciável conteúdo jurídico: 0,25 ponto;
X – láurea universitária no curso de Bacharelado em Direito: 0,5 ponto;
XI participação em banca examinadora de concurso público para o provimento de cargo da Magistratura, do
Ministério Público, da Advocacia Pública, da Defensoria Pública ou de cargo de docente em instituição pública de
ensino superior: 0,75 ponto;
XII exercício, no mínimo durante 01 (um) ano, das atribuições de conciliador nos juizados especiais, ou prestação
de assistência
jurídica voluntária: 0,5 ponto.
§ 1º Os títulos deverão ser apresentados com índice e relação descritiva impressos, numerados, agrupados e
separados por espécie e com a indicação do valor que, no entender do candidato, deve ser atribuído a cada título, da
seguinte forma:
I – os do item I, mediante certidão circunstanciada expedida pelo órgão competente, com especificação do período
em que exerceu o cargo ou função;
II os do item II, mediante certidão circunstanciada com a especificação do cargo que exerce ou exerceu, a matéria
lecionada e o respectivo período da efetiva atividade;
III os do item III, mediante certidão circunstanciada expedida pelo órgão competente, com especificação do
período em que exerceu o cargo ou a função privativa de bacharel em Direito;
IV o do item IV, mediante certidão ou ata de audiência expedida pela Secretaria ou Cartório do juízo,
especificando a participação anual mínima em 05 (cinco) atos privativos de advogado (Lei 8.906, de 04/07/1994,
art. 1º) em causas ou questões distintas, devidamente indicadas;
V – os do item V, mediante certidão que mencione a natureza das provas exigidas e as notas de aprovação;
VI os do item VI, mediante histórico em que conste a carga horária cumprida e o aproveitamento; cópia
autenticada do diploma ou certificado de conclusão do curso; quando for o caso, exemplar impresso de tese,
dissertação ou monografia (trabalho final de curso) com a aprovação;
VII o do item VII, mediante histórico em que conste a carga horária cumprida e o aproveitamento; cópia
autenticada do diploma ou certificado de conclusão do curso; quando for o caso, exemplar impresso de monografia
(trabalho final de curso) com a aprovação;
VIII os do item VIII, mediante histórico em que conste a carga horária cumprida e o aproveitamento; cópia
autenticada do diploma ou certificado de conclusão do curso; quando for o caso, exemplar impresso da monografia
(trabalho final de curso) com a aprovação;
IX – os do item IX, em exemplar impresso de cada obra, comprovada a sua autenticidade;
X – o do item X, mediante certidão ou exibição do respectivo título;
XI – os do item XI, mediante certidão expedida pelo órgão competente, com especificação do ato de designação, da
autoridade que o expediu, da(s) disciplina(s) examinada(s) pelo candidato e do início e do término do concurso;
XII – Os do item XII, mediante certidão circunstanciada expedida pelo órgão competente, indicando a atividade e o
respectivo período de exercício.
§ 2º Não constituirão títulos:
I – a simples prova de desempenho de cargo público ou função eletiva;
II – trabalhos que não sejam de autoria exclusiva do candidato;
III – atestados de capacidade técnico-jurídica ou de boa conduta profissional;
IV certificados de conclusão de cursos de qualquer natureza, quando a aprovação do candidato resultar de mera
frequência;
V – trabalhos forenses (sentenças, pareceres, razões de recursos, etc.).
§ A pontuação atribuída a cada título considera-se máxima, não sendo computado qualquer valor ao título
apresentado quando outro título da mesma natureza já houver sido considerado na pontuação.
§ De acordo com o gabarito previsto para cada título, os membros da Comissão de Concurso atribuirão ao
candidato nota de 0 (zero) a 10 (dez) pontos, sendo esta a nota máxima, ainda que a pontuação seja superior.
§ Nos 02 (dois) dias seguintes à publicação do resultado da avaliação dos títulos no Diário Oficial da União, o
candidato poderá requerer vista e apresentar recurso.
10. DO NÚMERO DE VAGAS
O concurso público destina-se a selecionar candidatos para provimento de 16 (dezesseis) cargos vagos e mais os que
vierem a surgir no prazo de validade do concurso, garantindo-se, a cada 19 (dezenove) vagas preenchidas por
candidatos da lista geral de aprovados, a reserva de 01 (uma) vaga para candidato com deficiência aprovado nessa
condição; havendo número de
cargos vagos superior ao de candidatos aprovados, decidirá o Tribunal quais
lotações
terão prioridade no provimento, observado o disposto no parágrafo único do art. 1º do Regulamento; além das vagas
ora disponibilizadas, 05 (cinco) cargos vagos reservados para Concurso Nacional de Remoção, nos termos do
decidido em sessão do Plenário Administrativo do Tribunal de 27 de fevereiro de 2014.
11. DA REMUNERAÇÃO DO CARGO
A remuneração do cargo de Juiz Federal Substituto da Região é de R$ 23.997,19 (vinte e três mil, novecentos e
noventa e sete reais e dezenove centavos).
12. DAS MATÉRIAS DO CONCURSO
O conteúdo programático consta dos ANEXOS I e II.
ANEXO I
BLOCOS DE DISCIPLINAS PARA AS QUESTÕES DA PROVA OBJETIVA SELETIVA DA JUSTIÇA
FEDERAL
BLOCO UM
Direito Constitucional
Direito Previdenciário
Direito Penal
Direito Processual Penal
Direito Econômico e de Proteção ao Consumidor
BLOCO DOIS
Direito Civil
Direito Processual Civil
Direito Empresarial
Direito Financeiro e Tributário
BLOCO TRÊS
Direito Administrativo
Direito Ambiental
Direito Internacional Público e Privado
DO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
DIREITO CONSTITUCIONAL
1.
Constituição. Conceito.
Classificação. Elementos. Poder constituinte: originário e derivado. Direitos
Humanos.
Hermenêutica constitucional. O constitucionalismo brasileiro. A ordem constitucional vigente. Emendas à
Constituição. Disposições gerais e transitórias. República e federação no Direito Constitucional em geral.
Sistema brasileiro. Repartição de competências. União: bens e competência. Competência exclusiva,
competência de normas gerais, competência comum e competência concorrente.
2. Os Estados-membros na Constituição. Organização, natureza e conteúdo da autonomia constitucional do
Estado-membro. Competências estaduais. Intervenção federal nos Estados-membros, no Distrito Federal e nos
Territórios. Os Municípios na Constituição. Competência municipal, organização política e administrativa dos
Municípios. Intervenção nos Municípios.
3. Poder Legislativo. Organização e atribuições. O processo legislativo. Cláusulas pétreas. Natureza. Espécies.
Iniciativa legislativa. Normas constitucionais e processo legislativo. Orçamento. Princípios constitucionais.
Fiscalização financeira e orçamentária. O Tribunal de Contas. Natureza e atribuições.
4. Poder Executivo. Evolução do conceito. Atribuições e responsabilidade do Presidente da República. Poder
regulamentar, poder regulador e agências administrativas. Do Conselho da República. Do Conselho de Defesa
Nacional.
5. Poder Judiciário. Natureza da função jurisdicional. As garantias do Poder Judiciário. O princípio da reserva
legal na apreciação de lesão ou ameaça de lesão a direito individual e a direito coletivo. Poder Judiciário Federal
e Poder Judiciário Estadual. O Conselho Nacional de Justiça, O Supremo Tribunal Federal, o Superior Tribunal
de Justiça, o Conselho da Justiça Federal e os Tribunais Regionais Federais. A Justiça Federal de 1º Grau. Lei
Orgânica da Magistratura Nacional.
6. O controle de constitucionalidade das leis e dos atos normativos. Conceito. Natureza. Espécies. A Ação
Declaratória de Constitucionalidade e a Ação Direta de Inconstitucionalidade. A Ação de Inconstitucionalidade
por Omissão. A Ação de Descumprimento de Preceito Fundamental.
7. Funções essenciais à justiça. Do Ministério Público. Da Advocacia e da Defensoria Pública. Da Advocacia-
Geral da União. Da Administração Púbica. Princípios e Disposições Gerais. Dos servidores civis e militares.
Acumulação remunerada. Garantias. Responsabilidade jurídica das pessoas públicas.
8. Da defesa do Estado e das instituições democráticas. O Estado de Defesa e o Estado de Sítio. Das Forças
Armadas. Da Segurança Pública. Nacionalidade. Direitos políticos e partidos políticos. Alistamento.
Elegibilidade e inelegibilidade. Suspensão e perda dos direitos políticos. Sufrágio: natureza e forma.
9. Processo eleitoral. Plebiscito. Referendum. Iniciativa popular. Direitos e garantias individuais. O rol da
Constituição brasileira. Direitos explícitos e implícitos. Classificação dos direitos explícitos. Abuso de direito
individual ou político.
10. Direito de propriedade. Função social da propriedade. Desapropriação por necessidade ou utilidade pública.
Desapropriação por interesse social. Desapropriação judicial. Usucapião. Regime das jazidas. Direito
urbanístico. Ordem Econômica. Princípios. Intervenção no domínio econômico. Formas e limites de
intervenção. Repressão do abuso do poder econômico. Empresa pública e sociedade de economia mista. Da
comunicação social. O planejamento na ordem constitucional. Os direitos constitucionais dos trabalhadores.
Organização sindical. Família, Educação e Cultura. Da Ciência e da Tecnologia. Da criança, do adolescente e do
idoso.
DIREITO ADMINISTRATIVO
1. Administração Pública como função do Estado. Princípios regentes do Direito Administrativo – constitucionais
e legais, explícitos e implícitos. A reforma do Estado brasileiro. Os quatro setores e suas características. A
publicização do terceiro setor (as organizações sociais e as OSCIPS).
2. Administração Direta (órgãos públicos: conceito, espécies, regime); Administração Indireta: Autarquias,
Fundações Públicas, Sociedades de Economia Mista e Empresas Públicas. Principais características de cada uma
e regime jurídico. O regime das subsidiárias. Direito Administrativo Econômico. As formas de intervenção do
Estado. Os princípios constitucionais da ordem econômica e a criação de sociedades de economia mista e
empresas públicas.
3. Direito Administrativo Regulador. Agências: Reguladoras e Executivas. O regime jurídico das Agências
Reguladoras: natureza jurídica, características, contrato de gestão, pessoal e poder normativo. A concessão de
serviços. Conceito, características. Direitos do concedente e do concessionário. Equilíbrio do contrato. Formas
de extinção. As permissões e autorizações. As parcerias da Administração Pública. Parcerias público-privadas.
4.
Formas de intervenção do
Estado na propriedade. Limitações administrativas, tombamento, requisição,
servidão
e desapropriação. Fundamentos e requisitos constitucionais para as
desapropriações. Espécies de
desapropriações. Desapropriações por utilidade ou necessidade pública ou por interesse social, desapropriações
por interesse social para fins de reforma agrária. O art. 243 da CF/88. Retrocessão. Desapropriação indireta.
Procedimento expropriatório.
5. Responsabilidade civil do Estado e dos prestadores de serviços públicos. Conceito e teorias. A responsabilidade
por ação e por omissão. Evolução histórica no Direito brasileiro. Elementos. A reparação do dano. Ação
regressiva e litisconsórcio. Responsabilidade administrativa, civil e penal do servidor.
6. Servidores públicos. Regime constitucional. Regimes jurídicos: o servidor estatutário e o empregado público.
Cargos e Funções. Direitos e deveres dos servidores estatutários. Regime previdenciário do servidor estatutário.
Normas e princípios constitucionais. As regras de transição. O novo regime previdenciário. O sistema de
previdência complementar. Regime e processo disciplinar.
7. Ato administrativo. Conceito. Regime jurídico. Espécies. Elementos e requisitos. Vícios dos atos
administrativos. Principais classificações dos atos administrativos. Procedimento administrativo. Fundamentos
constitucionais. Controle dos atos da Administração. Controle administrativo e jurisdicional. Limites do controle
jurisdicional. O controle da Administração Pública pelos Tribunais de Contas. Formas, características e limites.
Mandado de Segurança. Ação Popular. Ação Civil Pública. Improbidade administrativa.
8. Licitações. Fundamento constitucional. Conceito e modalidades. O regime de licitações e alterações. Dispensa e
inexigibilidade. Revogação e anulação, hipóteses e efeitos. Pregão e consulta. O registro de preços. Contratos
administrativos: conceito e características. Invalidação. Principais espécies de contratos administrativos.
Inexecução e rescisão dos contratos administrativos.
9. Poder regulamentar. Regulamentos administrativos de execução e autônomos. O poder normativo não
legislativo e o princípio da legalidade. Regulamentação e regulação. Análise do art. 84 da CF/88 quanto aos
limites do poder regulamentar. Poder de polícia. Conceito. Características. Origem e função. Limites, extensão e
controle. Poder de polícia e regulação. Distinções.
10. Domínio público. Conceito. Bens públicos. Conceito e características, regime e espécies. Regime jurídico dos
recursos minerais. Terras devolutas. Terrenos de marinha e seus acrescidos.
11. Sistema Financeiro de Habitação.
DIREITO PENAL
1. Introdução ao Direito Penal. Conceito, caracteres e função do Direito Penal. Princípios básicos do Direito Penal.
Relações com outros ramos do Direito. Direito Penal e política criminal. Criminologia. Crimes contra a pessoa.
Crimes de Imprensa. Crimes de manipulação genética. Crimes contra o patrimônio. Crimes contra a propriedade
imaterial: crimes contra a propriedade intelectual e crimes contra o privilégio de invenção, contra as marcas e
patentes e de concorrência desleal.
2. A lei penal: características, fontes, interpretação, vigência e aplicação. Lei penal no tempo e no espaço.
Imunidade. Condições de punibilidade. Concurso aparente de normas. Crimes contra a Administração Pública.
Crimes de responsabilidade. Crimes de abuso de autoridade. Crimes nas licitações e contratos da Administração
Pública.
3. Teoria geral do crime: conceito, objeto, sujeitos, conduta, tipicidade, culpabilidade. Bem jurídico. Tempo e
lugar do crime. Punibilidade. Erro. Concurso de crimes e crime continuado. Crimes contra a organização do
trabalho. Crimes contra o sentimento religioso e contra o respeito aos mortos. Crimes contra os costumes
(Código Penal). Crime de corrupção de menores. Crimes contra a criança e o adolescente. Crimes contra a
família. Estatuto do Idoso. Crimes de produção, uso e tráfico ilícito de entorpecentes e drogas afins.
4. Concurso de agentes: autoria e participação. Conduta delituosa. Resultado. Relação de causalidade. Imputação.
Direitos humanos. Crimes de genocídio. Crime contra o funcionamento do Conselho de Defesa dos Direitos da
Pessoa Humana. Crimes contra os índios. Crimes resultantes de preconceito de raça e de cor. Crimes contra
portadores de deficiência física. Crimes de tortura. Crimes contra a fé pública.
5. Teoria do tipo. O tipo do crime doloso e o tipo do crime culposo. Crime qualificado pelo resultado e crime
preterdoloso. Erro de tipo. Classificação jurídica dos crimes. Crimes comissivos e crimes omissivos. Crimes de
dano e de perigo. Punibilidade: causas de extinção da punibilidade. Iter criminis. Consumação e tentativa.
Desistência voluntária e arrependimento eficaz. Arrependimento posterior. Crime impossível. Crimes
hediondos.
6. Ilicitude. Causas de exclusão da ilicitude: estado de necessidade, legítima defesa, estrito cumprimento do dever
legal; e exercício regular de direito. Crimes na
exploração e na utilização de energia nuclear. Crimes contra a
segurança
nacional. Crimes relativos a minas terrestres antipessoais. Crimes de lavagem
ou ocultação de bens,
direitos e valores.
7. Teoria geral da culpabilidade: fundamentos, conceito, elementos e conteúdo. Princípio de culpabilidade.
Culpabilidade e pena. Causas de exclusão da culpabilidade. Imputabilidade. Erro de proibição. Crimes contra o
serviço postal e o serviço de telegrama. Crimes contra os serviços de telecomunicações. Infrações penais no
estatuto do estrangeiro. Crimes contra a seguridade social.
8. Direito Penal e Constituição. A parte especial do Código Penal e os crimes em espécie. Elementares e
circunstâncias. Causas de aumento e de diminuição das penas. A proteção de acusados ou condenados
colaboradores. Crimes contra o sistema financeiro. Crimes contra o mercado de capitais.
9. Teoria geral da pena. Cominação das penas. Penas privativas de liberdade. Penas restritivas de direitos. Regimes
de pena. Pena pecuniária. Medidas de segurança. Aplicação da pena. Os fins da pena. Livramento condicional e
suspensão condicional da pena. Efeitos da condenação. Execução penal. Crimes contra a incolumidade pública.
Crimes na direção de veículos automotores. Crimes contra a paz pública. Ações praticadas por organizações
criminosas. Convenção das Nações Unidas contra o Crime Organizado Transnacional. Armas de fogo.
10. Direito Penal Econômico. Bem jurídico supraindividual. Responsabilidade penal das pessoas jurídicas. Crimes
contra o meio ambiente. Crimes contra a economia popular. Crimes contra as relações de consumo no Código de
Defesa do Consumidor. Crimes contra a ordem tributária e econômica e contra as relações de consumo. Crimes
contra a ordem econômica e o Sistema de Estoques de Combustíveis.
11. Lei de Entorpecentes.
DIREITO PROCESSUAL PENAL
1. Conceito. Finalidade. Caracteres. Princípios gerais. Fontes. Repartição constitucional de competência. Garantias
constitucionais do processo. Aplicação da lei processual penal. Normas das convenções e dos tratados de Direito
Internacional relativos ao Processo Penal e tratados bilaterais de auxílio direto. Convenção da ONU contra a
corrupção. Cooperação Internacional – tratados bilaterais celebrados pelo Brasil em matéria penal.
2. Persecução penal. Inquérito e ação penal. Procedimento. Garantias do investigado. Atribuições da autoridade
policial. Intervenção do Ministério Público. Outros meios de colheita de indícios da infração. Sujeitos do
processo. Juiz. Ministério Público. Acusado e seu defensor. Assistente. Curador do réu menor. Auxiliares da
justiça. Assistentes. Peritos e intérpretes. Serventuários da justiça. Impedimentos e suspeições. Instrumentos
legais de obtenção de prova: delação premiada, infiltração de agente policial em organizações criminosas, ação
controlada.
3. Jurisdição. Competência. Conexão e continência. Prevenção. Questões e procedimentos incidentes.
Competência da Justiça Federal, dos Tribunais Regionais Federais, do STJ e do STF. Perpetuatio jurisdictionis.
Conflito de competência. Procedimento da ação penal originária nos tribunais. Julgamento por colegiado de
juízes (Lei nº 12.694/2012): competência e estrutura de funcionamento.
4. Questões e processos incidentes. Questões prejudiciais. Exceções. Medidas assecuratórias: sequestro, hipoteca
legal e arresto. Incidentes de falsidade e de insanidade mental do acusado. Restituição das coisas apreendidas.
Perdimento. Alienação antecipada de bens. Provas. Procedimento probatório. Classificação. Prova testemunhal.
Documental. Material. Ônus. Presunções. Indícios. Valoração. Provas ilícitas.
5. Processo: finalidade, pressupostos e sistemas. Procedimentos: crimes apenados com reclusão, crimes apenados
com detenção, contravenções, crimes de abuso de autoridade, crimes de responsabilidade, crimes contra o meio
ambiente, entorpecentes, crimes contra a economia popular, crimes de imprensa, crimes contra o sistema
financeiro nacional, homicídio e lesão corporal culposos, júri, crimes contra a honra. Os Juizados Especiais
Federais Criminais – aplicação na Justiça Federal. Atos processuais. Forma. Lugar. Tempo. Despachos.
Decisões interlocutórias. Sentenças. Comunicações, forma, lugar, prazo. Citações e intimações. Revelia. Fixação
da pena. Nulidades.
6. Prisão. Flagrante. Temporária. Preventiva. Decorrente de pronúncia, decorrente de sentença. Medidas cautelares
diversas da prisão. Princípio da necessidade, prisão especial, prisão albergue, prisão domiciliar e liberdade
provisória. Fiança. Execução das penas e das medidas de segurança. Execução penal: evolução e regressão,
regimes de cumprimento da pena e incidentes; suspensão condicional da pena; livramento condicional; graça;
indulto; anistia; reabilitação. Incidentes da execução. Remição. Inclusão e transferência de presos para presídios
federais.
7. Relações jurisdicionais com autoridade estrangeira. Cartas rogatórias. Homologação de sentença estrangeira.
Extradição. Expulsão. Deportação. Recursos. Disposições gerais. Apelação. Recurso em sentido estrito. Protesto
por novo júri. Embargos infringentes e de nulidade. Carta testemunhável. Recurso especial e extraordinário.
Agravo em execução penal. Coisa julgada. Revisão
criminal.
8.
Nulidades. Rol legal.
Súmulas dos Tribunais Superiores.
Habeas corpus
. Competência.
Natureza jurídica.
Cabimento. Requisitos. Legitimidade. Objeto. Procedimento. Mandado de segurança em matéria penal. Cautelar
em matéria penal.
9. Juizados Especiais Federais Penais. O Conciliador. Quebra de sigilo: requisitos e limites. Quebra de sigilo fiscal,
bancário e de dados. Interceptações de comunicação.
10. Processo nos crimes de abuso de autoridade, de entorpecentes, de falência, de responsabilidade dos funcionários
públicos, contra a honra.
DIREITO CIVIL
1. Lei de Introdução às normas do Direito Brasileiro. Pessoas naturais: personalidade e capacidade, direitos da
personalidade, morte presumida, ausência, tutela, curatela. Pessoas jurídicas: conceito, classificação, registro,
administração, desconsideração da personalidade jurídica, associações, fundações.
2. Domicílio. Bens. Negócios jurídicos: conceito. Representação. Condição. Termo. Encargo. Defeitos. Invalidade.
Atos jurídicos lícitos e ilícitos.
3. Prescrição e decadência. Prova.
4. Obrigações: conceito. Elementos constitutivos. Modalidades. Transmissão. Adimplemento e extinção.
Inadimplemento.
5. Contratos em geral: teoria geral dos contratos. Princípios. Elementos constitutivos. Pressupostos de validade.
Revisão. Extinção.
6. Contratos em espécie: compra e venda. Permuta. Contrato Estimatório. Doação. Locação. Empréstimo.
Prestação de serviço. Empreitada. Depósito. Mandato. Comissão. Agência e distribuição. Corretagem.
Transporte. Seguro. Constituição de renda. Jogo e aposta. Fiança. Transação. Compromisso. Atos unilaterais:
promessa de recompensa. Gestão de negócios. Pagamento indevido. Enriquecimento sem causa.
7. Responsabilidade civil. Elementos. Responsabilidade por fato de outrem. Responsabilidade por fato da coisa.
Teorias subjetiva e objetiva da responsabilidade civil. Dano moral e material. Indenização.
8. Posse. Definição. Natureza jurídica. Classificação de posse. Aquisição da posse. Efeitos da posse. Composse.
Proteção possessória. Perda da posse. Propriedade. Definição. Elementos. Classificação. Extensão da
propriedade. Restrições à propriedade. Aquisição ou constituição da propriedade. Propriedade imóvel.
Propriedade móvel. Propriedade resolúvel e fiduciária. Perda da propriedade móvel e imóvel. Função social da
propriedade. Política agrícola e reforma agrária.
9. Superfície. Servidões. Usufruto. Uso. Habitação. Penhor. Hipoteca. Registros públicos. Estatuto da Terra.
DIREITO PROCESSUAL CIVIL
1. Jurisdição: natureza, conceito, características, espécies, a problemática da jurisdição voluntária, princípios,
estrutura constitucional (Poder Judiciário, organização judiciária, atividade jurisdicional, atividades essenciais à
Justiça), equivalentes jurisdicionais (autotutela, autocomposição, mediação e arbitragem). Jurisdição
constitucional propriamente dita (controle judicial de constitucionalidade e suas espécies: ação direta de
inconstitucionalidade interventiva, ação direta de inconstitucionalidade, ação de inconstitucionalidade por
omissão, ação declaratória de constitucionalidade, arguição de descumprimento de preceito fundamental,
respectivos conceitos, natureza, características, hipóteses de cabimento, detalhes de procedimento); jurisdição
constitucional das liberdades e seus principais mecanismos (habeas corpus no processo civil, mandado de
segurança individual e coletivo, mandado de segurança, habeas data, ação popular, ação civil pública),
respectivos conceitos, naturezas, hipóteses de cabimento, detalhes procedimentais.
2. Competência: conceito, critérios de distribuição, espécies; identificação do foro competente; modificações
(conexão, continência, prevenção), perpetuatio jurisdictionis, conflitos positivos e negativos; competência
interna e internacional (concorrente e exclusiva), homologação de sentença estrangeira. Competência da Justiça
Federal. Ação: classificação das ações e critérios identificadores. Defesa: natureza, conceito, espécies; sua
inserção entre as bases fundamentais do Direito Processual. Processo: natureza, conceito, pressupostos, início,
suspensão e fim, classificação (problemática da distinção entre as espécies processuais e a atual visão
sincrética), princípios informativos, gerais e específicos.
3.
Sujeitos do processo: o
juiz, sua atuação e poderes, impedimento e suspeição; parte e respectivos
conceitos
material e processual, espécies, representação, legitimação
ordinária e extraordinária; sujeitos especiais do
processo; o Ministério Público, sua atuação como parte e fiscal da lei, impedimento e suspeição; a advocacia,
privada e estatal, inclusive a defensoria pública. Deveres das partes, seus procuradores e demais partícipes do
processo; substituição e sucessão de partes e procuradores. Representação técnica. Litisconsórcio: conceito,
espécies, a problemática da unitariedade e da necessariedade. Intervenção de terceiros: conceito de terceiro,
classificação das modalidades interventivas, figuras típicas (assistência simples e litisconsorcial, oposição,
nomeação à autoria, denunciação à lide, chamamento ao processo) e atípicas, conceito, natureza, cabimento,
aspectos procedimentais. Procedimento: natureza, conceito, classificação; distinção entre processo e
procedimento; procedimentos sem processo. Procedimentos do processo de conhecimento (comum, ordinário e
sumário); procedimentos especiais. Ato processual: conceito, forma, tempo, nulidades (teoria processual das
nulidades, princípios respectivos, identificação, decretação e convalidação); prazos (classificação e modos de
contagem); fases procedimentais.
4. Fase postulatória: inicial, requisitos, pedido (alteração, aditamento, cumulação); pedidos alternativo e sucessivo;
resposta (contestação, reconvenção, exceções); ação declaratória incidental; razões finais. Fase instrutória:
conceito e características; prova: conceito, sistemas, ônus e sua distribuição, princípios aplicáveis ao tema; a
vedação constitucional das provas ilícitas; classificação dos meios probatórios. Meios de prova em espécie
(depoimento pessoal, confissão, documentos, testemunhas, perícia, inspeção), natureza e conceito de cada um,
hipóteses de cabimento, procedimentos respectivos, incidentes. Fase decisória: sentença, natureza e conceito,
classificação, requisitos, funções, vícios, efeitos, eficácia natural e autoridade. Coisa julgada: natureza, conceito,
classificação, limites objetivos e subjetivos. Desconstituição da coisa julgada, decisões rescindíveis e anuláveis;
ação rescisória: conceito, natureza, cabimento, condições específicas, juízos rescindente e rescisório, aspectos
competenciais, procedimento, tutela de urgência na hipótese; a relativização da coisa julgada. Processo nos
tribunais. Coisa julgada inconstitucional.
5. Recursos: natureza, conceito, inserção entre os mecanismos de impugnação das decisões judiciais, classificação,
efeitos, pressupostos, admissibilidade e mérito recursais, princípios, regras gerais; sucedâneos recursais; remessa
obrigatória. Recursos em espécie (apelação, agravo, embargos infringentes, embargos de declaração, recurso
ordinário constitucional, recurso extraordinário, recurso especial, embargos de divergência): natureza e conceito
de cada um, hipóteses de cabimento, prazos, procedimento, pressupostos específicos, modos de interposição,
peculiaridades específicas.
6. Execução: natureza, conceito e espécies; execução de títulos judiciais e extrajudiciais, princípios, pressupostos,
condições, regras gerais; débito e responsabilidade patrimonial; fraude à execução; aspectos peculiares do
processo executivo, seus detalhes procedimentais (instrução, penhora, avaliação, arrematação, satisfação,
pagamento, adjudicação, usufruto de imóvel ou empresa, remissão e remição); liquidação; a defesa na execução,
exceção de pré-executividade; suspensão e extinção da execução. Cumprimento de sentença. Processo
sincrético.
7. Execuções em espécie (por quantia certa contra devedor solvente, de obrigações de fazer ou não fazer, de
obrigações de dar coisa certa ou incerta, contra a Fazenda Pública, de alimentos, por quantia certa contra
devedor insolvente): conceito e características de cada uma, função, objeto, subtipos, procedimentos,
controvérsias.
8. Tutela jurídica e tutela jurisdicional, tutela processual e tutela satisfativa, tutela inicial e final; tutelas de
urgência: conceito, espécies, extensão, profundidade; antecipação dos efeitos da tutela: natureza, conceito,
características e limites; tutela cautelar: natureza e conceito; distinção em relação à antecipação de tutela; poder
geral de cautela; cautelares inominadas, pressupostos, espécies, procedimento cautelar; cautelares nominadas
(arresto, sequestro, caução, busca e apreensão, exibição, produção antecipada de provas, protestos, notificações
e interpelações, atentado), detalhes, procedimento.
9. Procedimentos especiais: visão geral, características, procedimentos especiais de jurisdição voluntária (incluída
a discussão sobre a real natureza dessa espécie jurisdicional) e de jurisdição contenciosa; tipos codificados
(consignação em pagamento; tutela interdital e não interdital da posse: interdito proibitório, ações de
manutenção e reintegração de posse, embargos de terceiro, usucapião; a problemática do confronto entre ações
petitórias e possessórias; ação monitória) e não codificados (desapropriação, ação de improbidade, reclamação
constitucional), natureza e conceito de cada um, subespécies, hipóteses de cabimento, requisitos, aspectos
procedimentais.
10. Juizados Especiais Cíveis: caracterização como subsistema processual e seu relacionamento com o sistema
processual geral; especificidades, diferenciações e semelhanças entre os Juizados Estaduais e Federais; estrutura
orgânica (Juizados, Turmas Recursais, Turmas de Uniformização Regionais e Turma Nacional), princípios,
características, espécies, competência (inclusive a real natureza desta e a discussão sobre possível descompasso
entre o critério constitucional e o legal); procedimentos, recursos, pedido de uniformização, coisa julgada,
execução, questões controvertidas, possibilidade de utilização, dentro dos
Juizados, de meios processuais que
não lhes são específicos (p. ex., mandado de segurança, procedimentos de jurisdição voluntária, etc.).
DIREITO PREVIDENCIÁRIO
1. Seguridade. Natureza, fontes e princípios. Eficácia e interpretação das normas de Seguridade.
2. Regime geral. Segurados e dependentes. Inscrição e filiação. Qualidade de segurado. Manutenção e perda.
3. Seguridade Social. Saúde, Previdência e Assistência. Distinções.
4. Previdência Social Rural e Previdência Social Privada. Regimes especiais. Regime previdenciário do servidor
estatutário. Previdência complementar.
5. Custeio. Salário de contribuição. Limites. Reajustes.
6. Prestação. Carência. Benefícios. Renda Mensal Inicial. Aposentadorias, auxílios e pensões. Prescrição.
7. Cálculo de benefícios. Valores mínimo e máximo. Reajustes, revisões e valor real.
8. Serviços. Habilitação, reabilitação e serviço social.
9. Contribuições sociais. Natureza e espécies.
10. Ação previdenciária. Justificação. Tempo de serviço e tempo de contribuição. Juizado Especial Federal:
questões previdenciárias.
DIREITO FINANCEIRO E TRIBUTÁRIO
1. Atividade Financeira do Estado. Finanças públicas na Constituição de 1988.
2. Orçamento. Conceito e espécies. Natureza jurídica. Princípios orçamentários. Normas gerais de direito
financeiro. Fiscalização e controle interno e externo dos orçamentos.
3. Despesa pública. Conceito e classificação. Disciplina constitucional dos precatórios.
4. Receita pública. Conceito. Ingressos e receitas. Classificação: receitas originárias e receitas derivadas.
5. Dívida ativa da União de natureza tributária e não tributária. Crédito público. Conceito. Dívida pública:
conceito.
6. O Sistema Tributário Nacional. Limitações constitucionais ao poder de tributar. A repartição de competências na
federação brasileira. Delegação de arrecadação. Discriminação constitucional das rendas tributárias. Legislação
sobre o Sistema Tributário Brasileiro. Definição de tributo. Espécies de tributos.
7. Competência tributária plena. Indelegabilidade da competência. Não exercício da competência. Competência
residual e extraordinária. Limitações da competência. Princípios da legalidade e da tipicidade. Princípio da
anualidade. Proibição de tributos interlocais. Imunidade e isenção. Uniformidade tributária. Tributação das
concessionárias. Sociedades mistas e fundações. Imunidade recíproca. Extensão da imunidade às autarquias.
8. Impostos federais: impostos sobre o comércio exterior. Imposto sobre produtos industrializados (IPI). Imposto
sobre operações de crédito, câmbio e seguro, ou relativas a títulos ou valores mobiliários (IOF). Imposto sobre a
propriedade territorial rural (ITR).
9. Imposto de renda. Regimes jurídicos. Imposto de renda pessoas jurídicas. Imposto de renda pessoas físicas.
10. Fato gerador. Taxas e preços públicos. Taxas contratuais e facultativas. Contribuições para a Seguridade Social.
Contribuição sobre o lucro, o faturamento/receita e a folha. O regime do PIS e da COFINS. A CIDE e o seu
regime. Empréstimo compulsório. As limitações constitucionais do empréstimo compulsório na Constituição
Federal de 1988.
11. Fontes do Direito Tributário. Conceito de fonte. Fontes formais do Direito Tributário. Legislação Tributária.
Conceito. Lei, Tratados e Convenções Internacionais. Normas Complementares. Leis Complementares.
Vigência da Legislação Tributária. Aplicação da Legislação Tributária. Interpretação e integração da Legislação
Tributária. Tratados internacionais e legislação interna. A perda de eficácia dos tratados. Os tratados sobre
matéria tributária e o art. 98 do CTN. Vigência do tratado.
12. Obrigação principal e acessória: fato gerador. Sujeito ativo e sujeito passivo. Capacidade tributária. Domicílio
tributário. Responsabilidade tributária. Solidariedade. Responsabilidade dos sucessores. Responsabilidade por
infrações.
13. Constituição do crédito tributário. Lançamento. Modalidades. Suspensão do crédito tributário.
14. Extinção do crédito tributário. Pagamento. Compensação. Restituição. Transação. Remissão. Prescrição e
decadência. Conversão do depósito em renda. Consignação em
pagamento. Decisão administrativa irreformável
e decisão judicial passada em
julgado. Restituição do tributo transferido. Restituição de juros e multas.
Correção
monetária. Exclusão do crédito tributário. Garantias e privilégios do crédito tributário.
15. Processo administrativo tributário. Processo judicial tributário. Execução fiscal. Cautelar fiscal. Mandado de
segurança. Ação de repetição de indébito. Anulatória de débito fiscal. Ação declaratória. Ação de consignação
em pagamento.
16. Administração Tributária. Procedimento fiscal. Sigilo fiscal e prestação de informações. Dívida ativa. Certidões
e cadastro.
DIREITO AMBIENTAL
1. Direito Ambiental. Conceito. Objeto. Princípios fundamentais.
2. O Direito Ambiental como Direito Econômico. A natureza econômica das normas de Direito Ambiental.
3. Normas constitucionais relativas à proteção ambiental.
4. Repartição de competências em matéria ambiental.
5. Zoneamento ambiental. Sistema nacional de unidades de conservação da natureza.
6. Poder de polícia e Direito Ambiental. Licenciamento ambiental. Biossegurança. Infrações ambientais.
7. Responsabilidade ambiental. Conceito de dano. A reparação do dano ambiental.
8. Sistema nacional do meio ambiente. Política nacional do meio ambiente.
9. Estudo de impacto ambiental. Conceito. Competências. Natureza jurídica. Requisitos.
10. Biodiversidade. Principais instrumentos de proteção internacional. Acesso. Política nacional. Proteção jurídica
do conhecimento tradicional associado.
11. Proteção às florestas.
12. Áreas de preservação permanente e unidades de conservação.
13. Modificação dos genes pelo homem e meio ambiente.
14. Proteção química das culturas e meio ambiente.
15. Produtos tóxicos. Controle. Transporte.
16. Recursos hídricos.
17. Mineração.
18. Efetivação da proteção normativa ao meio ambiente: Poder Judiciário, Ministério Público e Administração
Pública.
19. Política energética e meio ambiente.
20. Os indígenas e as suas terras.
DIREITO INTERNACIONAL PÚBLICO E PRIVADO
1. Direito Internacional Público. Conceito. Fontes. Princípios.
2. Atos Internacionais. Tratado. Conceito. Validade. Efeitos. Ratificação. Promulgação. Registro e publicidade.
Vigência contemporânea e diferida. Incorporação ao Direito Interno. Violação. Conflito entre tratado e norma de
Direito Interno. Extinção.
3. Atos internacionais. Convenção. Acordos. Ajuste. Protocolo.
4. Personalidade internacional. Estado. Imunidade à jurisdição estatal. Consulados e embaixadas.
5. Personalidade internacional. Organizações internacionais. Conceito. Natureza jurídica. Elementos
caracterizadores. Espécies.
6. Personalidade internacional. População. Nacionalidade. Princípios. Normas. Tratados multilaterais. Estatuto da
igualdade.
7. Personalidade internacional. Estrangeiros. Vistos. Deportação. Expulsão. Extradição. Conceito. Fundamento
jurídico. Reciprocidade e controle jurisdicional. Asilo político. Conceito. Natureza e disciplina.
8. Personalidade internacional. Pessoa jurídica. Conceito de nacionalidade. Teorias e legislação. Empresas
binacionais.
9. Proteção Internacional dos Direitos Humanos. Declaração Universal dos Direitos Humanos. Direitos civis,
políticos, econômicos e culturais. Mecanismos de implementação. Noções gerais.
10. Conflitos internacionais. Meios de solução: diplomáticos, políticos e jurisdicionais. Cortes internacionais.
11.
Direito Comunitário. Formas de
integração. Mercado Comum do Sul. Características. Elementos institucionais.
Tratado de Assunção. Protocolo de Ouro Preto. Protocolo de Olivos. Protocolo de Las Leñas. Autoridades
centrais.
12. Domínio público internacional. Mar. Águas interiores. Mar territorial. Zona contígua. Zona econômica.
Plataforma continental. Alto-mar. Rios internacionais.
13. Domínio público internacional. Espaço aéreo. Princípios elementares. Normas convencionais. Nacionalidade
das aeronaves. Espaço extra-atmosférico.
14. Direito Internacional Privado brasileiro. Fontes. Conflito de leis no espaço. Normas indiretas. Qualificação
prévia. Elemento de conexão. Reenvio. Prova. Direito estrangeiro. Interpretação. Aplicação. Exceções à
aplicação.
15. Responsabilidade internacional. Ato ilícito. Imputabilidade. Dano. Formas e extensão da Reparação.
16. Processo internacional. Competência jurisdicional nas relações jurídicas com elemento estrangeiro. Cartas
rogatórias. Homologação de sentenças estrangeiras.
17. Contratos internacionais. Cláusulas típicas.
18. Métodos de solução alternativa de controvérsias. Arbitragem.
19. Prestação de alimentos. Convenção de Nova Iorque sobre cobrança de alimentos no estrangeiro. Decreto
Legislativo n. 10/58 e Decreto n. 56.826/65. Noções gerais. Competência da Justiça Federal. Hipóteses.
Procedimento.
20. Tribunal Penal Internacional. Evolução histórica. Competência. Procedimento. Natureza das decisões. Delitos
internacionais.
DIREITO EMPRESARIAL
1. Direito Comercial: origem. Evolução histórica. Autonomia. Fontes. Características. Empresário: caracterização.
Inscrição. Capacidade. Teoria da empresa e seus perfis.
2. Teoria geral dos títulos de créditos. Títulos de créditos: letra de câmbio, cheque, nota promissória, duplicata.
Aceite, aval, endosso, protesto, prescrição. Ações cambiais.
3. Espécies de empresa. A responsabilidade dos sócios. A distribuição de lucros. O sócio oculto. Segredo
comercial.
4. Teoria geral do Direito Societário: conceito de sociedade. Personalização da sociedade. Classificação das
sociedades. Sociedades não personificadas. Sociedades personificadas: sociedade simples, sociedade em nome
coletivo, sociedade em comandita simples, sociedade em comandita por ações, sociedade cooperada, sociedades
coligadas. Liquidação. Transformação. Incorporação. Fusão. Cisão. Sociedades dependentes de autorização.
5. Sociedade Limitada. Sociedade Anônima.
6. Estabelecimento empresarial. Institutos complementares do Direito Empresarial: registro, nome, prepostos,
escrituração, propriedade industrial.
7. Contratos empresariais: compra e venda mercantil. Comissão. Representação comercial. Concessão comercial.
Franquia (franchising). Distribuição. Alienação fiduciária em garantia. Faturização (factoring). Arrendamento
mercantil (leasing). Cartão de crédito.
8. Contratos bancários: depósito bancário. Conta-corrente. Aplicação financeira. Mútuo bancário. Desconto.
Abertura de crédito. Crédito documentário.
9. Sistema Financeiro Nacional: Constituição. Competência de suas entidades integrantes. Instituições financeiras
públicas e privadas. Liquidação extrajudicial de instituições financeiras. Sistema Financeiro da Habitação.
10. Recuperação judicial, recuperação extrajudicial e a falência do empresário e da sociedade empresária.
11. Propriedade industrial. Noções gerais. Regime jurídico. Invenção. Desenho industrial. Modelo de utilidade.
Marca.
12. A relação de consumo no Direito do Espaço Virtual. Comércio eletrônico.
DIREITO ECONÔMICO E DE PROTEÇÃO AO CONSUMIDOR
1. Constituição Econômica Brasileira. Ordem constitucional econômica: princípios gerais da atividade econômica.
Tipologia dos sistemas econômicos.
2.
Ordem
jurídico
-
econômica.
3.
Conceito. Ordem econômica e
regime político.
4. Sujeitos econômicos.
5. Intervenção do Estado no domínio econômico. Liberalismo e intervencionismo. Modalidades de intervenção.
Intervenção no direito positivo brasileiro.
6. Lei Antitruste. Disciplina jurídica da concorrência empresarial. Princípios. Infrações contra a ordem econômica.
Concorrência ilícita e desleal. Repressão do poder econômico pelo Estado. Abuso do poder econômico. Práticas
desleais de comércio: dumping. Disciplina das medidas de salvaguarda.
7. Mercosul. Gatt. OMC. Instrumentos de defesa comercial.
8. Direito do Consumidor. Elementos integrantes da relação jurídica de consumo. Sujeitos: conceitos de
consumidor e de fornecedor. Objetos: conceito de produto e de serviço. Vínculo: conceito de oferta e de
mercado de consumo.
9. As principais atividades empresariais e sua relação com o regime jurídico das relações de consumo: os serviços
púbicos, a atividade bancária, a atividade securitária, a atividade imobiliária, a atividade do transportador aéreo,
os consórcios.
ANEXO II
NOÇÕES GERAIS DE DIREITO E FORMAÇÃO HUMANÍSTICA
A) SOCIOLOGIA DO DIREITO
1. Introdução à sociologia da administração judiciária. Aspectos gerenciais da atividade judiciária (administração e
economia). Gestão. Gestão de pessoas.
2. Relações sociais e relações jurídicas. Controle social e o Direito. Transformações sociais e o Direito.
3. Direito, Comunicação Social e opinião pública.
4. Conflitos sociais e mecanismos de resolução. Sistemas não judiciais de composição de litígios.
B) PSICOLOGIA JUDICIÁRIA
1. Psicologia e comunicação: relacionamento interpessoal, relacionamento do magistrado com a sociedade e a
mídia.
2. Problemas atuais da psicologia com reflexos no direito: assédio moral e assédio sexual.
3. Teoria do conflito e os mecanismos autocompositivos. Técnicas de negociação e mediação. Procedimentos,
posturas, condutas e mecanismos aptos a obter a solução conciliada dos conflitos.
4. O processo psicológico e a obtenção da verdade judicial. O comportamento de partes e testemunhas.
C) ÉTICA E ESTATUTO JURÍDICO DA MAGISTRATURA NACIONAL
1. Regime jurídico da magistratura nacional: carreiras, ingresso, promoções, remoções.
2. Direitos e deveres funcionais da magistratura.
3. Código de Ética da Magistratura Nacional.
4. Sistemas de controle interno do Poder Judiciário: Corregedorias, Ouvidorias, Conselhos Superiores e Conselho
Nacional de Justiça.
5. Responsabilidade administrativa, civil e criminal dos magistrados.
6. Administração judicial. Planejamento estratégico. Modernização da gestão.
D) FILOSOFIA DO DIREITO
1. O conceito de justiça. Sentido lato de Justiça, como valor universal. Sentido estrito de Justiça, como valor
jurídico-político. Divergências sobre o conteúdo do conceito.
2. O conceito de Direito. Equidade. Direito e Moral.
3. A interpretação do Direito. A superação dos métodos de interpretação mediante puro raciocínio lógico-dedutivo.
O método de interpretação pela lógica do razoável.
E) TEORIA GERAL DO DIREITO E DA
POLÍTICA
1.
Direito objetivo e direito subjetivo.
2. Fontes do Direito objetivo. Princípios gerais de Direito. Jurisprudência. Súmula Vinculante.
3. Eficácia da lei no tempo. Conflito de normas jurídicas no tempo e o Direito Brasileiro: Direito Penal, Direito
Civil, Direito Constitucional e Direito do Trabalho.
4. O conceito de Política. Política e Direito.
5. Ideologias.
6. A Declaração Universal dos Direitos Humanos (ONU)
Documento assinado eletronicamente por Tadaaqui Hirose, Presidente, em 27/03/2014, às 14:39, conforme
art. 1º, III, "b", da Lei 11.419/2006.
A autenticidade do documento pode ser conferida no site http://www.trf4.jus.br/trf4/processos/verifica.php
informando o código verificador 1875046 e o código CRC 8050F42A.
0003241-98.2014.4.04.8000 1875046v23