Edital do Concurso Fundação Universidade Federal de Tocantins (UFT) 2005

Esfera: Federal

Visualizaçao do Edital do Concurso

DO EST
EDITAL Nº 029/2005
ABERTURA DE INSCRIÇÕES
CONCURSO PÚBLICO
A FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS/UFT, no uso de suas atribuições legais e tendo em vista a
autorização concedida pelo Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão e Ministério da Educação, por meio da Portaria
do MPOG nº 130, de 22 de junho de 2005 publicada no Diário Oficial da União em 23 de junho de 2005; Portarias do MEC:
nº 2.641, de 27 de julho de 2005 publicada no Diário Oficial da União em 28 de julho de 2005, nº 2.705, de 5 de agosto de
2005 publicada no Diário Oficial da União em 8 de agosto de 2005 e nº 2.761, de 16 de agosto de 2005 publicada no Diário
Oficial da União em 17 de agosto de 2005, torna pública a abertura de inscrições para a realização de concurso público para
provimento de vagas em cargos de Nível Intermediário e de Nível Superior, e reger-se-á de acordo com as Instruções
Especiais, que ficam fazendo parte integrante deste Edital.
1. O Concurso Público realizar-se-á sob a responsabilidade da Fundação Carlos Chagas, obedecidas as normas deste Edital.
2. O concurso público visa ao provimento de 358 (trezentas e cinqüenta e oito) vagas, sendo 277 para os cargos de nível intermediário e 81 para
os cargos de nível superior.
3. Os candidatos nomeados estarão subordinados ao Regime Jurídico dos Servidores Públicos Civis da União conforme a Lei nº 8.112/90.
4. A seleção para os cargos de que trata este Edital compreenderá o exame de conhecimentos mediante aplicação de provas objetivas, de
caráter habilitatório e classificatório.
5. O sumário das atividades dos cargos constam no Anexo I deste Edital.
6. O conteúdo programático consta no Anexo II deste Edital.
7. O pólo de classificação/cidades de realização das Provas Objetivas, os códigos de opção, os cargos, o total de vagas e vagas para portadores
de deficiência, constam no Anexo III deste Edital.
8. Os cargos, a escolaridade/pré-requisitos, a remuneração inicial e o valor da inscrição são os estabelecidos nas tabelas a seguir:
Nível Superior
- Valor da Inscrição: R$ 71,00 (setenta e um reais)
- Remuneração Inicial: R$ 1.267,85
CARGOS ESCOLARIDADE/PRÉ-REQUISITOS
Administrador
Diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação de nível superior em
Administração emitido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação, e registro no
conselho de classe correspondente.
Analista de Tecnologia da
Informação
Diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação de nível superior em um dos
seguintes cursos: Análise de Sistema, Ciências da Computação, Sistema de Informação ou
Processamento de Dados, emitido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação.
Arquiteto e Urbanista
Diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação de nível superior em
Arquitetura, emitido por instituição de ensino superior reconhecida pelo Ministério da Educação, e
registro no conselho de classe correspondente.
Assistente Social
Diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação de nível superior em Serviço
Social, emitido por instituição de ensino superior reconhecida pelo Ministério da Educação, e registro
no conselho de classe correspondente.
Bibliotecário-Documentalista
Diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação de nível superior em
Biblioteconomia, emitido por instituição de ensino superior reconhecida pelo Ministério da Educação, e
registro no conselho de classe correspondente.
Biólogo
Diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação de nível superior em Ciências
Biológicas, emitido por instituição de ensino superior reconhecida pelo Ministério da Educação, e
registro no conselho de Classe correspondente.
Contador
Diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação de nível superior em Ciências
Contábeis, emitido por instituição de ensino superior reconhecida pelo Ministério da Educação, e
registro no conselho de classe correspondente.
Enfermeiro
Diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação de nível superior em
Enfermagem, emitido por instituição de ensino superior reconhecida pelo Ministério da Educação, e
registro no conselho de classe correspondente.
Engenheiro Agrônomo
Diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação de nível superior em
Agronomia ou Engenharia Agronômica, emitido por instituição de ensino superior reconhecida pelo
Ministério da Educação, e registro no conselho de classe correspondente.
Engenheiro Civil
Diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação de nível superior em
Engenharia Civil, emitido por instituição de ensino superior reconhecida pelo Ministério da Educação, e
registro no Conselho de classe correspondente.
I
I
N
N
S
S
T
T
R
R
U
U
Ç
Ç
Õ
Õ
E
E
S
S
E
E
S
S
P
P
E
E
C
C
I
I
A
A
I
I
S
S
I. DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES
R
E
P
Ú
B
L
I
C
A
F
E
D
E
R
A
T
I
V
A
D
O
B
R
A
S
I
L
1
5
d
e
N
o
v
e
m
b
r
o
d
e
1
8
8
9
FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO
TOCANTINS – UFT
Fundação
Carlos Chagas
2
CARGOS ESCOLARIDADE/PRÉ-REQUISITOS
Jornalista
Diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação em Comunicação Social, com
habilitação em Jornalismo, emitido por instituição de ensino superior reconhecida pelo Ministério da
Educação, e registro no Conselho de classe correspondente.
Médico Veterinário
Diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação de nível superior em Medicina
Veterinária emitido por Instituição de ensino superior reconhecida pelo Ministério da Educação, e
registro no conselho de classe correspondente.
Pedagogo
Diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação de nível superior em
Pedagogia, emitido por Instituição de ensino superior reconhecida pelo Ministério da Educação.
Programador Visual
Diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação em Programação Visual,
Publicidade e Propaganda, Informática, Comunicação Social, Computação Gráfica, Marketing e
Propaganda, Designer Gráfico, emitido por instituição de ensino superior reconhecida pelo Ministério
da Educação.
Químico
Diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação de nível superior em Química
(Bacharelado ou Licenciatura), emitido por instituição de ensino superior reconhecida pelo Ministério
da Educação.
Técnico em Assuntos
Educacionais
Diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação de nível superior nas
diferentes licenciaturas, economia e psicologia, emitido por instituição de ensino superior reconhecida
pelo Ministério da Educação, e registro no conselho de classe correspondente.
Tradutor e Intérprete (Inglês)
Diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação de nível superior em qualquer
área, emitido por instituição de ensino superior reconhecida pelo Ministério da Educação; Fluência em
Língua Inglesa, apresentando Certificado de Conclusão de Curso Avançado de Idioma da Língua
Inglesa.
Nível Intermediário – Ensino Médio – Antigo 2º Grau
- Valor da Inscrição: R$ 48,00 (quarenta e oito reais)
- Remuneração Inicial: R$ 1.093,66
CARGOS ESCOLARIDADE/PRÉ-REQUISITOS
Assistente em Administração
Certificado ou diploma, devidamente registrado, de conclusão de ensino médio ou equivalente, emitido
por instituição de ensino reconhecida conforme legislação específica.
Desenhista-Projetista
Certificado ou diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso técnico em edificações, emitido
por instituição de ensino reconhecida conforme legislação específica.
Técnico de Tecnologia da
Informação
Certificado ou diploma, devidamente registrado, de conclusão de ensino médio ou equivalente, emitido
por instituição de ensino reconhecida conforme legislação específica.
Técnico em Agropecuária
Certificado ou diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso técnico em agropecuária ou
equivalente, emitido por instituição de ensino reconhecida conforme legislação específica.
Técnico em Audiovisual
Certificado ou diploma, devidamente registrado, de conclusão de ensino médio ou equivalente, emitido
por instituição de ensino reconhecida conforme legislação específica.
Técnico em Contabilidade
Certificado ou diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso técnico em contabilidade,
emitido por instituição de ensino reconhecida conforme legislação específica.
Técnico em Eletroeletrônica
Certificado ou diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso técnico em eletroeletrônica ou
equivalente, emitido por instituição de ensino reconhecida conforme legislação específica.
Técnico em Laboratório
Certificado ou diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso técnico em laboratório ou de
ensino médio, acrescido de certificado de curso de aperfeiçoamento na área de, no mínimo, sessenta
horas reconhecida conforme legislação específica.
Técnico em Laboratório de
Fotografia
Certificado ou diploma, devidamente registrado, de conclusão de ensino médio ou equivalente, emitido
por instituição de ensino reconhecida conforme legislação específica.
Técnico em Telecomunicações
Certificado ou diploma, devidamente registrado, de conclusão de ensino médio ou equivalente, emitido
por instituição de ensino reconhecida conforme legislação específica.
1. O candidato deverá atender, cumulativamente, no ato da posse, aos
seguintes requisitos:
a) ter nacionalidade brasileira ou portuguesa e, em caso de
nacionalidade portuguesa, estar amparado pelo estatuto
de igualdade entre brasileiros e portugueses, com
reconhecimento de gozo de direitos políticos, nos termos
do parágrafo primeiro do artigo 12 da Constituição da
República;
b) estar em dia com as obrigações eleitorais;
c) estar em dia com as obrigações militares, no caso de
candidatos do sexo masculino;
d) possuir o nível de escolaridade/pré-requisitos exigidos para o
exercício dos cargos;
e) estar registrado no respectivo Conselho de Classe, bem
como estar inteiramente quite com as demais exigências
legais do órgão fiscalizador do exercício profissional,
quando for o caso;
f) ter idade mínima de dezoito anos completos;
g) ter aptidão física e mental para o exercício das atribuições do
cargo;
h) apresentar os documentos e os exames médicos que se
fizerem necessários;
i) ser aprovado no concurso público e classificado dentro do
número de vagas;
j) apresentar outros documentos que forem exigidos pelo Setor
de Recursos Humanos da UFT, responsável pelo processo de
nomeação.
1. Nível Intermediário: Classificação D; Vencimento 1; Capacitação I.
2. Nível Superior: Classificação E; Vencimento 1; Capacitação I.
1. A inscrição do candidato implicará o conhecimento e a tácita
aceitação das normas e condições estabelecidas neste Edital, em
relação às quais não poderá alegar desconhecimento.
1.1 Objetivando evitar ônus desnecessário, o candidato deverá
orientar-se no sentido de recolher o valor de inscrição somente
após tomar conhecimento de todos requisitos e condições
exigidas para o Concurso.
2. As inscrições ficarão abertas, através da Internet, de acordo com
o item 4 deste Capítulo, no período compreendido entre às
08h00min do dia 21/09/2005 e 20h30min do dia 05/10/2005
(horário de Brasília), e nas agências credenciadas da Empresa
Brasileira dos Correios e Telégrafos - ECT, a seguir
relacionadas, no período de 21/09 a 06/10/2005, no horário de
expediente:
AGÊNCIAS CREDENCIADAS DOS CORREIOS EM TOCANTINS
Araguaína
-AC Araguaína - Rua Ademar Vicente Ferreira,1314 - Centro
Arraias
- AC Arraias - Praça Cel. Joaquim S. Silva, 21 - Centro
Almas
- AC Almas - Av. São Sebastião, 3 - Centro
II. DOS REQUISITOS PARA INVESTIDURA NO CARGO
IV. DAS INSCRIÇÕES
III. DA CLASSE INGRESSO NA CARREIRA
3
Araguacema
- AC Araguacema - Av. Getulio Vargas, 380 - Centro
Colinas do Tocantins
- AC Colinas do Tocantins - Rua Sete de Setembro, s/n - Centro
Gurupi
- AC Gurupi - Rua Ministro Alfredo Nasser, 1090 – Centro
Lagoa Da Confusão
- AC Lagoa Da Confusão - Rua Firmino Lacerda, s/n - Centro
Miracema do Tocantins
- AC Miracema do Tocantins - Travessa Pedro Teixeira, 516 - Centro
Miranorte
- AC Miranorte - Av. Bernardo Sayão, 534 - Centro
Palmas
- AC Palmas - Av. JK Conjunto 01 Lt 38-A - Centro
Paraíso do Tocantins
- AC Paraíso do Tocantins - Rua Tapajós, 573 - Centro
Porto Nacional
- AC Porto Nacional - Praça do Centenário, 1944 - Centro
Sampaio
- AC Sampaio - Rua Manoel Matos, 280 - Centro
Tocantinópolis
- AC Tocantinópolis - Rua 21 de Abril, 323 - Centro
3. Para inscrever-se nas agências dos Correios credenciadas, o
candidato deverá, no período das inscrições:
3.1 apresentar-se nas agências dos Correios, relacionadas no item
2 deste Capítulo, e:
a) adquirir o Material de Inscrição contendo o Edital de Abertura
de Inscrições, Programas e Ficha de Inscrição, referente ao
Concurso Público, ao custo de R$ 2,00 (dois reais);
b) ler as informações relativas ao Concurso Público, preencher a
Ficha de Inscrição e assinar o requerimento;
c) apresentar-se munido de documento de identidade – são
considerados documentos de identidade: Carteiras e/ou Cédulas
de Identidade expedidas pelas Secretarias de Segurança, pelas
Forças Armadas, pelo Ministério das Relações Exteriores e pela
Polícia Militar; Identidade para Estrangeiros; Carteiras Profissionais
expedidas por Órgãos ou Conselhos de Classe que, por Lei
Federal, valem como documento de identidade como, por
exemplo, as Carteiras do CREA, OAB, CRC, CRM etc.; Carteira
de Trabalho e Previdência Social, bem como Carteira Nacional de
Habilitação (com fotografia na forma da Lei nº 9.503/97);
d) entregar a Ficha de Inscrição devidamente preenchida e
assinada, frente e verso;
e) pagar o valor de inscrição, correspondente ao cargo/escolaridade
que pretende se inscrever, de acordo com o estabelecido no item
8, do Capítulo I, deste Edital, a título de ressarcimento de
despesas com material e serviços:
3.1.1 A Ficha de Inscrição será retida pelos Correios após
sua autenticação.
3.2 No valor da inscrição estão incluídas as despesas dos Correios
relativas à inscrição.
3.3 O pagamento do valor da inscrição poderá ser efetuado em
dinheiro ou cheque do próprio candidato. Os pagamentos
efetuados em cheque somente serão considerados quitados
após a respectiva compensação.
3.3.1 Em caso de devolução do cheque, qualquer que seja
o motivo, considerar-se-á automaticamente sem efeito
a inscrição.
3.4 Será permitida a inscrição por procuração nas agências dos
Correios, mediante entrega do original da mesma,
acompanhada de cópia autenticada do documento de
identidade do candidato e apresentação da identidade do
procurador.
3.4.1 Deverá ser apresentada uma procuração para cada
candidato, que ficará retida.
3.4.2 Na procuração particular não há necessidade de
reconhecimento de firma.
3.5 O candidato ou seu procurador é responsável pelas
informações prestadas na Ficha de Inscrição, arcando o
candidato com as conseqüências advindas de eventuais erros
no preenchimento daquele documento.
4. Para inscrever-se via Internet, o candidato deverá acessar o
endereço eletrônico www.concursosfcc.com.br durante o período
das inscrições e, através dos links referentes ao Concurso Público,
efetuar sua inscrição, conforme os procedimentos estabelecidos
abaixo:
4.1 Ler e aceitar o Requerimento de Inscrição, preencher o
Formulário de Inscrição e transmitir os dados pela Internet.
4.2 Efetuar o pagamento da importância referente à inscrição, a
título de ressarcimento de despesas com material e serviços,
da Internet e bancárias, de acordo com as instruções
constantes no endereço eletrônico, até a data limite para
encerramento das inscrições, no valor correspondente à opção
de cargo, conforme estabelecido no item 8, do Capítulo I deste
Edital.
4.3 O candidato que realizar sua inscrição via Internet poderá
efetuar o pagamento do valor da inscrição por boleto bancário,
pagável em qualquer banco até o dia 06/10/2005.
4.3.1 O boleto bancário, disponível no endereço eletrônico
www.concursosfcc.com.br, deverá ser impresso para
o pagamento do valor da inscrição, após a conclusão
do preenchimento da ficha de solicitação de inscrição
on-line.
4.4 A partir de 13/10/2005, o candidato deverá conferir no
endereço eletrônico da Fundação Carlos Chagas se os dados
da inscrição efetuada pela Internet foram recebidos e o valor da
inscrição foi pago. Em caso negativo, o candidato deverá entrar
em contato com o Serviço de Atendimento ao Candidato – SAC
da Fundação Carlos Chagas, (0XX11) 3721-4888, de segunda
a sexta-feira, úteis, das 9 às 17 horas (horário de Brasília), para
verificar o ocorrido.
4.5 As inscrições efetuadas via Internet somente serão
confirmadas após a comprovação do pagamento do valor da
inscrição.
4.6 As solicitações de inscrição via Internet, cujos pagamentos
forem efetuados após a data de encerramento das inscrições,
06/10/2005, não serão aceitas.
4.7 O candidato inscrito via Internet não deverá enviar cópia do
documento de identidade, sendo de sua exclusiva responsabilidade
a informação dos dados cadastrais no ato de inscrição, sob as
penas da lei.
4.8 A Fundação Carlos Chagas e a Fundação Universidade
Federal do Tocantins não se responsabilizam por solicitações
de inscrições via Internet não recebidas por motivo de ordem
técnica dos computadores, falhas de comunicação,
congestionamento das linhas de comunicação, bem como
outros fatores de ordem técnica que impossibilitem a
transferência de dados.
4.9 O descumprimento das instruções para inscrição via Internet
implicará a não efetivação da inscrição.
5. Ao inscrever-se o candidato deverá indicar na Ficha de Inscrição
ou no Formulário de Inscrição via Internet, o Código da Opção de
Cargo/Pólo de Classificação/Cidade de Prova para o qual
pretende concorrer, conforme tabelas constantes no Anexo III
deste Edital, e da barra de opções do Formulário de Inscrição via
Internet.
5.1 O candidato que deixar de indicar na Ficha de Inscrição ou no
Formulário de Inscrição via Internet o Código da Opção de
Cargo/Pólo de Classificação/Cidade de Prova ou fizer
indicação de código inexistente, terá sua inscrição cancelada.
5.2 O candidato, ao optar pelo Pólo de Classificação, estará
indicando, automaticamente, a cidade de realização das
provas, conforme tabela constante no Anexo III deste Edital.
6. Ao inscrever-se no concurso, é recomendado ao candidato observar
atentamente as informações sobre a Prestação das Provas, Capítulo
VII, itens 1 e 2 uma vez que só poderá concorrer a um Cargo por
nível de escolaridade exigido.
6.1 O candidato que efetivar mais de uma inscrição por cargo de
mesmo nível de escolaridade terá a(s) primeira(s)
inscrição(ões) cancelada(s). Não sendo possível identificar a(s)
primeira(s) inscrição(ões) efetivada(s) todas serão canceladas.
7. O candidato que tiver interesse em concorrer com duas inscrições,
desde que observado o disposto no item 6 deste Capítulo, deverá,
obrigatoriamente, indicar a mesma cidade de prova para as duas
opções.
7.1 O candidato que efetuar duas inscrições e que não atender ao
disposto no item 7 terá as duas inscrições canceladas.
8. O candidato, ao optar pelo Cargo/Pólo de Classificação, concorda
prévia e expressamente com a nomeação para a cidade integrante
daquele Pólo.
9. As informações prestadas na Ficha de Inscrição/Formulário de
Inscrição via Internet serão de inteira responsabilidade do
candidato, reservando-se à Fundação Universidade Federal do
Tocantins e a Fundação Carlos Chagas o direito de excluir do
Concurso Público aquele que não preencher esse documento
oficial de forma completa, correta e legível e/ou fornecer dados
inverídicos ou falsos.
10. Efetivada a inscrição, não serão aceitos pedidos para alteração de
Opção de Cargo/Pólo de Classificação/Cidade de Prova, bem como
não haverá devolução da importância paga em hipótese alguma.
10.1 Não serão aceitos pedidos de isenção de pagamento do
valor da inscrição, seja qual for o motivo alegado.
11. A Fundação Universidade Federal do Tocantins e a Fundação Carlos
Chagas eximem-se das despesas com viagens e estada dos
candidatos para prestar as provas do Concurso.
12. Não serão aceitas inscrições por depósito em caixa eletrônico, via
postal, fac-símile (fax), transferência ou depósito em conta corrente,
DOC, ordem de pagamento, condicionais e/ou extemporâneas ou
por qualquer outra via que não as especificadas neste Edital.
12.1 É considerada inscrição extemporânea a que tem o pagamento
efetuado após as datas estabelecidas neste Edital.
13. É vedada a transferência do valor pago a título de taxa para
terceiros, assim como a transferência da inscrição para outrem.
14. Não serão aceitas as solicitações de inscrição que não atenderem
rigorosamente ao estabelecido neste Edital.
15. O candidato não portador de deficiência que necessitar de condição
especial para realização da prova deverá solicitá-la até o término das
inscrições, via Sedex ou Aviso de Recebimento (AR), à Fundação
Carlos Chagas (Núcleo de Execução de Projetos – Ref.:
Solicitação/Fundação Universidade Federal do Tocantins – Av. Prof.
Francisco Morato, 1565, Jardim Guedala – São Paulo – SP – CEP
05513-900).
15.1 O candidato que não o fizer até o término das inscrições seja
qual for o motivo alegado, poderá não ter a condição atendida.
15.2 O atendimento às condições solicitadas ficará sujeito à análise
de viabilidade e razoabilidade do pedido.
4
16. A candidata que tiver necessidade de amamentar, durante a realização
da Prova Objetiva, deverá levar um acompanhante que ficará em sala
reservada e que será responsável pela guarda da criança.
16.1 Não haverá compensação do tempo de amamentação no
tempo de duração de prova.
1. Em atenção ao Princípio da Razoabilidade, do total de vagas
destinadas aos cargos, 5% serão providos na forma do § 2º, do
artigo 5.º, da Lei n.º 8.112/90, publicada no Diário Oficial de 12 de
dezembro de 1990, e do Decreto Federal nº 3.298/99, publicado no
Diário Oficial de 21 de dezembro de 1999, que regulamenta a Lei nº
7.853/89, exceto o cargo para o qual só haja uma vaga.
2. Consideram-se pessoas portadoras de deficiência aquelas que se
enquadram nas categorias discriminadas no artigo 4º do Decreto
Federal nº 3.298/99 e suas alterações.
3. As pessoas portadoras de deficiência, resguardadas as condições
especiais previstas no Decreto Federal nº 3.298/99, particularmente
em seu art. 40, participarão do Concurso em igualdade de condições
com os demais candidatos, no que se refere ao conteúdo das
provas, à avaliação e aos critérios de aprovação, ao dia, horário e
local de aplicação das provas, e à nota mínima exigida para todos os
demais candidatos. Os benefícios previstos no referido artigo, §§ 1º e
2º, deverão ser requeridos por escrito, durante o período das
inscrições, via SEDEX, à Fundação Carlos Chagas.
4. O candidato deverá declarar, quando da inscrição, ser portador de
deficiência, especificando-a na Ficha/Formulário de Inscrição da
Internet e, no período das inscrições, deverá encaminhar via
SEDEX ou Aviso de Recebimento (AR), à Fundação Carlos Chagas
(A/C Núcleo de Execução de Projetos – Ref.: Laudo Médico -
Concurso Público da Fundação Universidade Federal do Tocantins
– Av. Professor Francisco Morato, 1565, Jardim Guedala – São
Paulo - SP – CEP 05513-900), os documentos a seguir:
a) Laudo Médico, original e expedido no prazo máximo de 90
(noventa) dias antes do término das inscrições, atestando a
espécie e o grau ou nível de deficiência, com expressa referência
ao código correspondente da Classificação Internacional de
Doença – CID, bem como a provável causa da deficiência,
inclusive para assegurar previsão de adaptação da sua prova,
informando, também, o seu nome, documento de identidade (RG),
número do CPF e opção de Cargo/Pólo de Classificação/Cidade
de Prova.
b) O candidato portador de deficiência visual, além do envio da
documentação indicada na letra “a” deste item, deverá solicitar,
por escrito, até o término das inscrições, a confecção de prova
especial em Braile ou Ampliada, especificando o tipo de
deficiência.
c) O candidato portador de deficiência que necessitar de tempo
adicional para realização das provas, além do envio da
documentação indicada na letra “a” deste item, deverá
encaminhar solicitação, por escrito, até o término das
inscrições, com justificativa acompanhada de parecer emitido
por especialista da área de sua deficiência.
4.1 Aos deficientes visuais (cegos) que solicitarem prova especial
em Braile, serão oferecidas provas nesse sistema e suas
respostas deverão ser transcritas também em Braile. Os
referidos candidatos deverão levar para esse fim, no dia da
aplicação da prova, reglete e punção podendo, ainda, utilizar-
se de soroban.
4.2 Aos deficientes visuais (amblíopes) que solicitarem prova
especial Ampliada, serão oferecidas provas nesse sistema,
com tamanho de letra correspondente a corpo 24.
4.3 Os candidatos que, dentro do prazo do período das inscrições,
não atenderem os dispositivos mencionados no:
Item 4 – letra “a” – Serão considerados como não
portadores de deficiência.
Item 4 – letra “b” – Não terão a prova especial preparada,
seja qual for o motivo alegado.
Item 4 – letra “c” – Não terão tempo adicional para
realização das provas, seja qual for o motivo alegado.
5. O candidato portador de deficiência que não realizar a inscrição
conforme instruções constantes neste Capítulo, não poderá impetrar
recurso em favor de sua situação.
6. O candidato que, no ato da inscrição, declarar-se portador de
deficiência, se classificado no concurso, figurará em lista
específica e também na listagem de classificação geral dos
candidatos ao cargo de sua opção e, posteriormente, se
convocado, deverá submeter-se à perícia médica promovida por
Junta Médica designada pela UFT para esse fim, que terá
decisão terminativa sobre a sua qualificação como portador de
deficiência ou não e sobre o grau de deficiência, com a
finalidade de verificar se a deficiência da qual é portador
realmente o habilita a concorrer às vagas reservadas para
candidatos em tais condições.
7. A análise dos aspectos relativos ao potencial de trabalho do
candidato portador de deficiência obedecerá ao disposto nos artigos
43 e 44 do Decreto nº 3.298/99.
8. Será eliminado da lista de deficientes o candidato cuja deficiência
assinalada, na ficha de inscrição, não se constate, devendo o mesmo
constar apenas na lista de classificação geral e do respectivo Pólo.
9. As vagas definidas que não forem providas por falta de candidatos
portadores de deficiência, por reprovação no concurso ou na perícia
médica serão preenchidas pelos demais candidatos, com estrita
observância à ordem classificatória.
10. A não observância, pelo candidato, de qualquer das disposições
deste Capítulo implicará a perda do direito a ser nomeado para as
vagas reservadas a deficientes.
11. O laudo médico apresentado terá validade somente para este
Concurso Público e não será devolvido.
12. Após a investidura do candidato, a deficiência não poderá ser
argüida para justificar a concessão de aposentadoria.
1. O Concurso constará das seguintes provas e respectivos pesos:
Para os cargos de Nível Superior: Administrador; Analista de
Tecnologia da Informação; Arquiteto e Urbanista; Assistente
Social; Bibliotecário-Documentalista; Biólogo; Contador;
Enfermeiro; Engenheiro Agrônomo; Engenheiro Civil;
Jornalista; Médico Veterinário; Pedagogo; Programador Visual;
Químico; Técnico em Assuntos Educacionais e Tradutor e
Intérprete (Inglês):
Conhecimentos Gerais (peso 1)
Conhecimentos Específicos (peso 2)
Para os cargos de Nível Intermediário: Assistente em
Administração; Desenhista-Projetista; Técnico de Tecnologia da
Informação; Técnico em Agropecuária; Técnico em Audiovisual;
Técnico em Contabilidade; Técnico em Eletroeletrônica;
Técnico em Laboratório; Técnico em Laboratório de Fotografia
e Técnico em Telecomunicações:
Conhecimentos Gerais (peso 1)
Conhecimentos Específicos (peso 1)
2. As provas de Conhecimentos Gerais e de Conhecimentos
Específicos constarão de questões objetivas de múltipla escolha e
versarão sobre assuntos do Sumário das Atividades dos Cargos e do
Conteúdo Programático constantes dos Anexos I e II,
respectivamente.
1. A aplicação das provas objetivas está prevista para o dia 13/11/2005,
para todos os cargos.
1.1 As Provas serão realizadas nas cidades de Araguaína (Pólo
de Classificação: Araguaína), Arraias (Pólo de
Classificação: Arraias), Gurupi (Pólo de Classificação:
Gurupi), Miracema do Tocantins (Pólo de Classificação:
Miracema do Tocantins), Palmas (Pólo de Classificação:
Palmas), Porto Nacional (Pólo de Classificação: Porto
Nacional) e Tocantinópolis (Pólo de Classificação:
Tocantinópolis) - Estado do Tocantins, conforme opção de
Cargo/Pólo de Classificação/Cidade de Prova indicada pelo
candidato, na Ficha de Inscrição ou no Formulário de
Inscrição via Internet.
1.2 A aplicação das provas na data prevista dependerá da
disponibilidade de locais adequados à realização das mesmas.
1.3 Caso o número de candidatos inscritos exceda à oferta de
lugares adequados existentes nos colégios localizados nas
cidades indicadas no subitem 1.1 deste Capítulo, a Fundação
Carlos Chagas reserva-se o direito de alocá-los em cidades
próximas às determinadas para aplicação das provas, não
assumindo, entretanto, qualquer responsabilidade quanto ao
transporte e alojamento desses candidatos.
1.4 Havendo alteração da data prevista, as provas poderão
ocorrer em sábados, domingos e feriados.
2. As Provas Objetivas para os cargos cuja escolaridade exigida é Nível
Superior e os cargos cuja escolaridade exigida é Nível Intermediário
serão aplicadas no mesmo dia, em períodos distintos.
3. A confirmação da data e as informações sobre horários e locais
serão divulgadas oportunamente através de Editais de
Convocação para Provas a serem publicados no Diário Oficial
da União e através de Cartões Informativos que serão
encaminhados aos candidatos por meio dos Correios. Para
tanto, é fundamental que o endereço constante na ficha de
inscrição esteja completo e correto, inclusive com indicação do
CEP.
3.1 Não serão postados Cartões Informativos de candidatos cujo
endereço na ficha de inscrição esteja ilegível e/ou incompleto
ou sem indicação do CEP.
3.2 A comunicação feita por intermédio dos Correios é
meramente informativa. O candidato deverá acompanhar
no Diário Oficial da União a publicação do Edital de
Convocação para realização das provas.
3.2.1 O envio de comunicação pessoal dirigida ao candidato,
ainda que extraviada ou por qualquer motivo não
recebida, não desobriga o candidato do dever de
consultar o Edital de Convocação para Provas.
3.3 O candidato que desejar receber as informações sobre local de
provas apenas por e-mail, deverá assinalar o campo
específico, na ficha de inscrição ou formulário de inscrição via
Internet e informar corretamente o endereço eletrônico.
4. O candidato que não receber o Cartão Informativo até o 3º (terceiro)
dia que antecede a aplicação das provas, deverá:
V. DAS INSCRIÇÕES PARA CANDIDATOS PORTADORES
DE DEFICIÊNCIA
VI. DAS PROVAS
VII. DA PRESTAÇÃO DAS PROVAS
5
a) entrar em contato com o Serviço de Atendimento ao Candidato –
SAC da Fundação Carlos Chagas, pelo telefone (0XX11) 3721-
4888, de segunda a sexta-feira, úteis, das 9 às 17 horas ou consultar
o site da Fundação Carlos Chagas: www.concursosfcc.com.br ou
b) dirigir-se à Fundação Universidade Federal do Tocantins, Av.
NS 15, ALCNO 14, Bloco IV, sala 06, Centro – Palmas – TO,
de segunda a sexta-feira, úteis, em horário comercial, para
verificar em listas afixadas, o horário e o local definidos para a
realização de sua prova ou consultar o site da Fundação
Universidade Federal do Tocantins: www.copese.uft.edu.br.
5. Ao candidato só será permitida a realização das provas na
respectiva data e no local constantes nas listas afixadas, no
Cartão Informativo, no site da Fundação Carlos Chagas e no
site da Fundação Universidade Federal do Tocantins.
6. Os eventuais erros de digitação verificados no Cartão Informativo
enviado ao candidato quanto a nome, número de documento de
identidade, sexo, data de nascimento, etc. deverão ser corrigidos
somente no dia das respectivas provas em formulário específico.
7. Caso haja inexatidão na informação relativa à opção de
Cargo/Pólo de Classificação/Cidade de Prova e/ou na condição
de portador de deficiência, o candidato deverá entrar em
contato com o Serviço de Atendimento ao Candidato – SAC da
Fundação Carlos Chagas, com, no mínimo, 48 (quarenta e oito)
horas de antecedência da data de realização da prova, pelo
telefone (0XX11) 3721-4888.
7.1 A alteração de opção de Cargo/Pólo de Classificação/Cidade
de Prova somente será processada na hipótese de o dado
expresso pelo candidato em sua Ficha de Inscrição ter sido
transcrito erroneamente para o Cartão Informativo, nas listas
afixadas e disponibilizado nos sites da Fundação Carlos
Chagas e da Fundação Universidade Federal do Tocantins.
7.2 Não será admitida troca de opção de Cargo/Pólo de
Classificação/Cidade de Prova.
7.3 O candidato que não entrar em contato com o SAC no prazo
mencionado deverá arcar, exclusivamente, com as
conseqüências advindas de sua omissão.
8. Somente será admitido à sala de provas o candidato que estiver
portando documento de identidade original que bem o identifique,
como: Carteiras e/ou Cédulas de Identidade expedidas pelas
Secretarias de Segurança, pelas Forças Armadas, pela Polícia
Militar, pelo Ministério das Relações Exteriores; Cédula de
Identidade para Estrangeiros; Cédulas de Identidade fornecidas por
Órgãos ou Conselhos de Classe que, por força de Lei Federal, valem
como documento de identidade, como por exemplo, as da OAB,
CREA, CRC etc.; Carteira de Trabalho e Previdência Social, bem
como Carteira Nacional de Habilitação (com fotografia na forma da
Lei nº 9.503/97).
8.1 Os documentos deverão estar em perfeitas condições, de forma
a permitir, com clareza, a identificação do candidato.
8.2 Caso o candidato esteja impossibilitado de apresentar, no dia de
realização das provas, documento de identidade original, por
motivo de perda, roubo ou furto, deverá ser apresentado
documento que ateste o registro da ocorrência em órgão policial,
expedido há, no máximo, 30 (trinta) dias, ocasião em que se
submetido à identificação especial, compreendendo coleta de
assinaturas e de impressão digital em formulário próprio.
9. Não haverá segunda chamada ou repetição de prova.
9.1 O candidato não poderá alegar desconhecimentos quaisquer
sobre a realização da prova como justificativa de sua ausência.
9.2 O não comparecimento às provas, qualquer que seja o motivo,
caracterizará desistência do candidato e resultará em sua
eliminação no Concurso Público.
10. A Fundação Carlos Chagas, objetivando garantir a lisura e a
idoneidade do Concurso Público – o que é de interesse público
e, em especial, dos próprios candidatos – bem como sua
autenticidade, solicitará aos candidatos, quando da aplicação
das provas, a autenticação digital das Folhas de Respostas
personalizadas. Na hipótese de o candidato não autenticá-la
digitalmente, deverá registrar sua assinatura, em campo
específico, por três vezes.
11. Nas Provas Objetivas, o candidato deverá assinalar as respostas na
Folha de Respostas Personalizada, que será o único documento
válido para a correção da prova. O preenchimento da Folha de
Respostas será de inteira responsabilidade do candidato que deverá
proceder em conformidade com as instruções específicas contidas
na capa do Caderno de Questões, também personalizado. Em
hipótese alguma haverá substituição da Folha de Respostas por erro
do candidato.
11.1 Os prejuízos advindos de marcações feitas incorretamente na
Folha de Respostas serão de inteira responsabilidade do candidato.
12. O candidato deverá comparecer ao local designado munido de
caneta esferográfica de tinta preta, lápis preto nº 2 e borracha.
12.1 O candidato deverá preencher os alvéolos, na Folha de
Respostas, com caneta esferográfica de tinta preta ou reforçá-
los com grafite na cor preta, se necessário.
12.2 Não serão computadas questões não assinaladas ou que
contenham mais de uma resposta, emenda ou rasura, ainda
que legível.
12.3 Durante a realização das provas, não será permitida nenhuma
espécie de consulta ou comunicação entre os candidatos, nem
a utilização de livros, códigos, manuais, impressos ou quaisquer
anotações.
13. Motivará a eliminação do candidato do concurso público, sem
prejuízo das sanções penais cabíveis, a burla ou a tentativa de burla
a quaisquer das normas definidas neste Edital ou a outros relativos
ao Concurso, nos comunicados, nas Instruções ao Candidato ou nas
Instruções constantes da prova, bem como ao tratamento incorreto e
descortês a qualquer pessoa envolvida na aplicação das provas.
14. Será excluído do Concurso Público o candidato que:
a) apresentar-se após o horário estabelecido, inadmitindo-se
qualquer tolerância;
b) não comparecer à prova, seja qual for o motivo alegado;
c) não apresentar documento que bem o identifique;
d) ausentar-se da sala de provas sem o acompanhamento do fiscal;
e) ausentar-se do local de provas antes de decorrida uma hora do
início das provas;
f) for surpreendido em comunicação com outras pessoas ou
utilizando-se de livro, anotação, impresso não permitido ou
máquina calculadora ou similar;
g) estiver fazendo uso de qualquer tipo de aparelho eletrônico de
comunicação (bip, telefone celular, relógios digitais, walkman,
agenda eletrônica, notebook, palmtop, receptor, gravador ou
outros equipamentos similares), bem como protetores
auriculares;
h) fizer anotação de informações relativas às suas respostas no
comprovante de inscrição ou em qualquer outro meio, que não
o fornecido pela Fundação Carlos Chagas no dia da aplicação
das provas;
i) ausentar-se da sala de provas levando Folha de Respostas,
Caderno de Questões ou outros materiais não permitidos, sem
autorização;
j) estiver portando armas, mesmo que possua o respectivo porte;
k) lançar mão de meios ilícitos para a execução das provas;
l) não devolver integralmente o material recebido;
m) perturbar, de qualquer modo, a ordem dos trabalhos,
incorrendo em comportamento indevido.
14.1 O candidato que estiver portando equipamento eletrônico
como os indicados na alínea “G”, terá o aparelho desligado.
14.2 Os aparelhos eletrônicos deverão permanecer desligados até a
saída do candidato do colégio.
14.3 A Fundação Carlos Chagas não se responsabilizará por perda
ou extravio de documentos ou objetos ocorrido no local de
realização das provas, nem por danos neles causados.
15. O candidato, ao terminar a prova, entregará ao fiscal, juntamente
com a Folha de Respostas, o Caderno de Questões personalizado.
16. No dia da realização das provas, na hipótese de o nome do
candidato não constar nas listagens oficiais relativas aos locais de
prova estabelecidos no Edital de Convocação, a Fundação Carlos
Chagas procederá a inclusão do candidato, mediante a
apresentação do comprovante de inscrição autenticado pelos
Correios ou boleto bancário com comprovação de pagamento, com o
preenchimento de formulário específico.
16.1 A inclusão de que trata o item 16 será realizada de forma
condicional, e será analisada pela Fundação Carlos Chagas, na
fase do Julgamento das Provas Objetivas, com o intuito de se
verificar a pertinência da referida inscrição.
16.2 Constatada a improcedência da inscrição de que trata o item
16, a mesma será automaticamente cancelada sem direito à
reclamação, independentemente de qualquer formalidade,
considerados nulos todos os atos dela decorrentes.
17. Quando, após a prova, for constatado, por meio eletrônico,
estatístico, visual ou grafológico, ter o candidato utilizado processos
ilícitos, sua prova será anulada e ele será automaticamente
eliminado do concurso.
18. Em hipótese alguma será deferido o pedido de vista das provas, seja
qual for o motivo alegado.
19. Em hipótese nenhuma será realizada qualquer prova fora do local,
data e horário determinados.
20. Não haverá, por qualquer motivo, prorrogação do tempo previsto
para a aplicação das provas em virtude de afastamento do candidato
da sala de prova.
21. Por razões de ordem técnica, de segurança e de direitos autorais
adquiridos, a Fundação Carlos Chagas não fornecerá exemplares dos
Cadernos de Questões a candidatos ou a instituições de direito público
ou privado, mesmo após o encerramento do Concurso Público,
velando, desde o início do procedimento, pelo sigilo absoluto do
certame. As questões das Provas Objetivas e respectivas respostas
consideradas como certas serão divulgadas no endereço eletrônico
www.concursosfcc.com.br, em data a ser comunicada no dia da
aplicação das provas.
1. Para todos os cargos, as provas objetivas de Conhecimentos Gerais
e de Conhecimentos Específicos serão estatisticamente avaliadas,
de acordo com o desempenho do grupo a elas submetido.
2. Considera-se grupo o total de candidatos presentes às provas
objetivas de cada cargo.
3. Na avaliação de cada prova será utilizado o escore padronizado,
com média igual a 50 (cinqüenta) e desvio padrão igual a 10 (dez).
4. A nota do candidato resultará da diferença entre o seu escore
bruto e a média do grupo, dividida pelo desvio padrão da
distribuição, multiplicada por 10 (dez) e acrescida de 50
(cinqüenta).
VIII. DO JULGAMENTO DAS PROVAS OBJETIVAS
6
Fórmula utilizada:
s
XA
EP
?
=
x 10 + 50
EP = Escore padronizado
A = Número de acertos dos candidatos
X = Média de acertos do grupo
s = Desvio padrão
5. O total de pontos de cada candidato será igual à soma das notas
obtidas em cada uma das respectivas provas, multiplicadas pelos
pesos correspondentes.
6. As provas objetivas de Conhecimentos Gerais e de Conhecimentos
Específicos serão de caráter habilitatório e classificatório.
7. Para os cargos: Administrador; Analista de Tecnologia da
Informação; Arquiteto e Urbanista; Assistente Social;
Bibliotecário-Documentalista; Biólogo; Contador; Enfermeiro;
Engenheiro Agrônomo; Engenheiro Civil; Jornalista; Médico
Veterinário; Pedagogo; Programador Visual; Químico; Técnico
em Assuntos Educacionais e Tradutor e Intérprete (Inglês):
considerar-se-á habilitado o candidato que obtiver total de pontos
igual ou superior a 150 (cento e cinqüenta).
8. Para os cargos: Assistente em Administração; Desenhista-
Projetista; Técnico de Tecnologia da Informação; Técnico em
Agropecuária; Técnico em Audiovisual; Técnico em
Contabilidade; Técnico em Eletroeletrônica; Técnico em
Laboratório; Técnico em Laboratório de Fotografia e Técnico
em Telecomunicações: considerar-se-á habilitado o candidato que
obtiver total de pontos igual ou superior a 100 (cem).
9. Da publicação no Diário Oficial da União constarão apenas os
candidatos habilitados.
1. Para todos os cargos a nota final dos candidatos será igual ao total de
pontos obtido nas Provas Objetivas, obedecidos os critérios
estabelecidos no Capítulo VIII deste Edital.
2. Os candidatos habilitados serão classificados em ordem decrescente
da nota final, em listas de classificação para cada cargo e pólo de
classificação.
3. Na hipótese de igualdade de nota final terá preferência, após a
observância do Parágrafo Único do art. 27 da Lei 10.471/03 (Lei do
Idoso), sucessivamente, o candidato que:
obtiver maior nota na prova objetiva de Conhecimentos
Específicos;
maior número de acertos em Português;
tiver maior idade.
1. Será admitido recurso quanto:
a) à aplicação das provas;
b) às questões das provas e gabaritos preliminares;
c) ao resultado das provas.
2. O prazo para interposição de recurso será de 2 (dois) dias úteis após
a concretização do evento que lhes disser respeito (aplicação das
provas, formulação das questões das provas, divulgação de
gabaritos preliminares e divulgação do resultado das provas), tendo
como termo inicial o 1º dia útil subseqüente à data do evento a ser
recorrido.
3. Admitir-se-á um único recurso por candidato, para cada evento
referido no item 1, deste Capítulo, devidamente fundamentado,
sendo desconsiderado recurso de igual teor.
4. Os recursos deverão ser remetidos através dos Correios, por
SEDEX, à Fundação Carlos Chagas (Serviço de Atendimento ao
Candidato - SAC - Ref.: Recurso/Fundação Universidade Federal do
Tocantins, Av. Professor Francisco Morato, 1565 – Jardim Guedala,
São Paulo – SP, CEP 05513-900).
4.1 O recurso interposto fora do respectivo prazo não será aceito,
sendo considerada, para tanto, a data da postagem.
4.2 Não serão aceitos os recursos interpostos em prazo destinado
a evento diverso do questionado.
5. Os candidatos deverão enviar o recurso em três vias (original e duas
cópias). Os recursos deverão ser digitados ou datilografados. Cada
questão ou item deverá ser apresentado em folha separada,
identificada conforme modelo a seguir.
Modelo de Identificação de Recurso
Concurso: FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS
Candidato: ____________________________________________
Nº do Documento de Identidade: __________________________
Nº de Inscrição: ________________________________________
Cargo:________________________________________________
Pólo de Classificação:____________________________________
Tipo de Gabarito:__________(apenas para recursos sobre o item 1, “b”)
Nº da Questão da prova:_______( apenas para recurso sobre o item 1, “b”)
Fundamentação e argumentação lógica:
Data: ______/_______/______
Assinatura:______________________________________________
6. Não serão aceitos recursos interpostos por fac-símile (fax), telex,
Internet, telegrama ou outro meio que não seja o especificado neste
Edital.
7. A Banca Examinadora constitui última instância para recurso, sendo
soberana em suas decisões, razão pela qual não caberão recursos
adicionais.
8. Os recursos interpostos em desacordo com as especificações
contidas neste Capítulo não serão avaliados.
9. O(s) ponto(s) relativo(s) à(s) questão(ões) eventualmente anulada(s)
será(ão) atribuído(s) a todos os candidatos presentes à prova,
independentemente de formulação de recurso.
10. O gabarito divulgado poderá ser alterado, em função dos recursos
impetrados e as provas serão corrigidas de acordo com o gabarito
oficial definitivo.
11. Na ocorrência do disposto nos itens 9 e 10, poderá haver,
eventualmente, alteração da classificação inicial obtida para uma
classificação superior ou inferior ou, ainda, poderá ocorrer a
desclassificação do candidato que não obtiver a nota mínima exigida
para a prova.
12. As decisões dos recursos serão dadas a conhecer, coletivamente, e
apenas quanto aos pedidos que forem deferidos.
1. A inscrição do candidato implicará o conhecimento das presentes
instruções e a tácita aceitação das condições do Concurso, tais
como se acham estabelecidas no Edital e nas normas legais
pertinentes, bem como em eventuais aditamentos e instruções
específicas para a realização do certame, acerca das quais não
poderá alegar desconhecimento.
2. A legislação com vigência após a data de publicação do Edital nº
29/2005, bem como as alterações em dispositivos constitucionais,
legais e normativos a ela posteriores não serão objeto de avaliação
nas provas do Concurso.
3. Todos os cálculos descritos neste Edital serão realizados com duas
casas decimais, arredondando-se para cima sempre que a terceira
casa decimal for maior ou igual a cinco.
4. O Concurso Público terá validade de 2 (dois) anos, a contar da data
da publicação da homologação do resultado final, podendo ser
prorrogado por igual período, a critério da Fundação Universidade
Federal do Tocantins.
5. Após a homologação do Concurso, a Fundação Universidade
Federal do Tocantins, no momento do recebimento dos documentos
para a nomeação, deverá afixar no Cartão de Autenticidade Digital –
CAD, uma foto 3x4 do candidato e, na seqüência, colher sua
assinatura e proceder à autenticação digital no cartão.
6. É de inteira responsabilidade do candidato acompanhar a publicação
de todos os atos, editais e comunicados referentes a este concurso
público no Diário Oficial da União, os quais também serão afixados
nos quadros de avisos da Fundação Universidade Federal do
Tocantins e no site: www.copese.uft.edu.br.
7. Serão publicados no Diário Oficial da União apenas os resultados
dos candidatos que lograrem classificação no Concurso.
8. Não haverá justificativa para o não-cumprimento dos prazos
determinados, nem serão aceitos documentos após as datas
estabelecidas.
9. Não serão fornecidos atestados, declarações, certificados ou certidões
relativos à habilitação, classificação, ou nota de candidatos, valendo para
tal fim a publicação do resultado final e homologação em órgão de
divulgação oficial.
10. Os casos em que houver omissão ou forem duvidosos serão
resolvidos pela Fundação Universidade Federal do Tocantins e pela
Fundação Carlos Chagas, no que a cada um couber.
11. A qualquer tempo poder-se-á anular a inscrição, prova ou tornar sem
efeito a nomeação do candidato, desde que verificadas falsidades ou
inexatidões de declarações ou informações prestadas pelo candidato
ou irregularidades na inscrição, nas provas ou nos documentos.
12. Em caso de alteração dos dados pessoais (nome, endereço, telefone
para contato) constantes na Ficha/Formulário de Inscrição, o
candidato deverá dirigir-se:
12.1 à sala de coordenação do local em que estiver prestando
provas e solicitar a correção;
12.2 após a realização das provas, à Fundação Universidade
Federal do Tocantins (Comissão Permanente de Seleção -
COPESE, sito à Av. NS 15, ALCNO 14, Bloco IV, sala 06,
Centro, Palmas - TO - CEP 77001-970), para atualizar os
dados.
13. É de responsabilidade do candidato manter seu endereço e telefone
atualizados para viabilizar os contatos necessários, sob pena de
quando for nomeado, perder o prazo para tomar posse, caso não
seja localizado.
13.1 O candidato aprovado deverá manter seu endereço atualizado
até que se expire o prazo de validade do Concurso.
14. A Fundação Universidade Federal do Tocantins e a Fundação Carlos
Chagas não se responsabilizam por eventuais prejuízos ao
candidato decorrentes de:
a) endereço não atualizado;
b) endereço de difícil acesso;
c) correspondência devolvida pela ECT por razões diversas de
fornecimento e/ou endereço errado do candidato;
d) correspondência recebida por terceiros.
15. A aprovação no concurso público gera, para o candidato, apenas a
expectativa de direito à nomeação. Durante o período de validade do
XI. DAS DISPOSIÇÕES FINAIS
IX. DA CLASSIFICAÇÃO DOS CANDIDATOS
X. DOS RECURSOS
7
concurso, a UFT reserva-se o direito de proceder às nomeações em
número que atenda ao interesse e às necessidades do serviço, de
acordo com a disponibilidade orçamentária e até o número de vagas
existente.
16. O edital de resultado final do concurso público contemplará a
classificação de candidatos até duas vezes o número de vagas
oferecidas para cada cargo/pólo de classificação, nos termos da
Portaria MP 540, de 6 de novembro de 2002.
17. Havendo desistência de candidatos convocados para a
nomeação ou vagas sem candidatos classificados ou
cargos/cidades em que não houver candidatos classificados, a
UFT procederá, durante o prazo de validade do concurso, a
tantas convocações quantas forem necessárias para o
provimento das vagas oferecidas neste Edital, seguindo
rigorosamente a ordem de classificação estabelecida no Edital
de homologação.
18. Os candidatos habilitados e classificados conforme o número de
vagas existentes serão nomeados de acordo com a opção de Pólo
de Classificação. Para os locais cujas vagas não forem preenchidas,
a UFT poderá convocar candidatos habilitados e classificados,
obedecendo a ordem geral de classificação do respectivo cargo,
conforme disposto no Capítulo IX deste Edital.
19. Após a Nomeação o candidato terá 30 dias para se apresentar com
toda a documentação exigida para sua posse, conforme Art. 13, § 1°,
da lei 8.112/90.
20. A jornada de trabalho será de quarenta horas semanais, salvo
quando a lei estabelecer duração diversa, podendo ser cumprida nos
horários diurno e noturno (a critério da UFT).
21. As despesas com a documentação, exames médicos ou quaisquer
outros gastos decorrentes com a participação de candidatos ao
concurso, correrão por conta dos candidatos.
22. A posse nos cargos fica condicionada à aprovação em inspeção
médica a ser realizada pela UFT e ao atendimento das condições
constitucionais e legais. Para a posse, serão exigidos todos os
documentos declarados pelo candidato no ato de inscrição, que
comprovem o preenchimento dos requisitos previstos no Capítulo II
deste edital. Exigir-se-á, também, declaração de bens e valores e de
não ter vínculo empregatício com o serviço público, salvo dentro do
permissivo constitucional, com a opção de vencimentos, se couber.
22. Os itens deste Edital poderão sofrer eventuais alterações,
atualizações ou acréscimos enquanto não consumada a providência
ou evento que lhes disser respeito, até a data da convocação dos
candidatos para as provas correspondentes, circunstância que será
mencionada em Edital ou aviso a ser publicado.
SUMÁRIO DAS ATIVIDADES
NÍVEL SUPERIOR
ADMINISTRADOR
Atividade de nível superior relacionada ao planejamento, coordenação,
supervisão, orientação e execução de tarefas envolvendo a elaboração de
informações, relatórios, estudos, projetos e pareceres de natureza
administrativa, fundamentados em legislação, pesquisa efetuadas e/ou normas
técnicas, bem como assistência em atividades inerentes à sua área de
atuação. Planejar e organizar os serviços técnico-administrativos e a utilização
de recursos humanos, materiais e financeiros; propor princípios e normas;
colaborar na produtividade, na eficiência e na eficácia dos serviços da unidade.
Executar outras tarefas da mesma natureza e grau de complexidade.
ANALISTA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO
Atividade de nível superior, de natureza técnica, relacionada ao
planejamento e desenvolvimento de sistemas relativos à área de
informática, bem como à elaboração de manuais e programas, entre
outros. Executar outras tarefas da mesma natureza e grau de
complexidade.
ARQUITETO E URBANISTA
Atividade de nível superior relacionada ao planejamento, elaboração de
projetos e especificações, envolvendo tarefas de orientação e
acompanhamento de trabalhos relativos a construções, reformas, vistorias
e perícias, observando normas técnicas e dispositivos oficiais. Supervisão,
coordenação, estudos e execução em maior grau de complexidade
referentes à construção e fiscalização de obras. Executar outras tarefas da
mesma natureza e grau de complexidade.
ASSISTENTE SOCIAL
Atividade de nível superior, de natureza técnica, relacionada à atuação no
âmbito do Serviço Social. Elaboração, coordenação, execução e avaliação
de programas e projetos na área do Serviço Social. Executar outras
tarefas da mesma natureza e grau de complexidade.
BIBLIOTECÁRIO-DOCUMENTALISTA
Atividade de nível superior, de natureza técnica, relacionada à captação,
armazenamento, conservação e divulgação do acervo bibliográfico, à
recuperação de informações e ao atendimento ao usuário, bem como à
atualização, preservação e divulgação da documentação técnica e histórica.
Supervisão, coordenação, programação ou execução especializada, em
grau de maior complexidade, referentes a trabalhos de pesquisa, estudo e
registro bibliográfico de documentos e informações culturalmente relevantes.
Executar outras tarefas da mesma natureza e grau de complexidade.
BIÓLOGO
Atividade de nível superior, de natureza técnica, relacionada à
organização, controle e manutenção de equipamentos e materiais dos
laboratórios de Biologia, bem como assistência em atividades inerentes à
sua área de atuação, observando normas técnicas e dispositivos oficiais.
Operação de equipamentos relacionados às atividades desempenhadas.
Executar outras tarefas da mesma natureza e grau de complexidade.
CONTADOR
Atividade de nível superior relacionada ao planejamento, organização
e execução das atividades de contabilidade, verificando contas,
emitindo relatórios e pareceres, conforme a legislação específica,
para apurar os elementos necessários à elaboração orçamentária e
ao controle da situação patrimonial e financeira, bem como
assistência em atividades inerentes à sua área de atuação. Executar
outras tarefas da mesma natureza e grau de complexidade.
ENFERMEIRO
Atividade de nível superior relacionada ao planejamento, elaboração,
organização, coordenação, execução e avaliação de programas e projetos
no âmbito da Enfermagem, bem como àquelas afetas às tarefas de apoio
ao tratamento médico e odontológico, entre outras, observando normas
técnicas e dispositivos oficiais. Executar outras tarefas da mesma natureza
e grau de complexidade.
ENGENHEIRO AGRÔNOMO
Atividade de nível superior relacionada ao planejamento, elaboração,
organização, execução, coordenação de atividades de pesquisa relativas à
área, bem como apoio didático e manutenção de Estação Experimental,
observando normas técnicas e legislação. Executar outras tarefas da
mesma natureza e grau de complexidade.
ENGENHEIRO CIVIL
Atividade de nível superior, relacionada ao planejamento, coordenação,
supervisão, orientação e execução de tarefas envolvendo obras e serviços
técnicos de engenharia e desenvolvimento de projetos, bem como aos
serviços de manutenção e reparos nas edificações, observando normas
técnicas, dispositivos oficiais e consultando os relatórios e planilhas de
gastos, além de assistência em atividades inerentes à sua área de
atuação. Executar outras tarefas da mesma natureza e grau de
complexidade.
JORNALISTA
Atividade de nível superior, relacionada ao planejamento, coordenação,
supervisão, orientação e execução de tarefas envolvendo projetos de
assessoria de comunicação, imprensa e entrevistas individuais e coletivas;
projetos jornalísticos especiais como revistas, jornais impressos e
eletrônicos; peças promocionais internas e externas, além de assistência
em atividades inerentes à sua área de atuação. Executar outras tarefas da
mesma natureza e grau de complexidade.
MÉDICO VETERINÁRIO
Atividade de nível superior, de natureza técnica, relacionada à prevenção
e tratamento de animais, envolvendo planejamento e execução de
programas; supervisão de manutenção e manejo de equipamentos, bem
como assistência em atividades inerentes à sua área de atuação,
observando normas técnicas e dispositivos oficiais. Executar outras tarefas
da mesma natureza e grau de complexidade.
PEDAGOGO
Atividade de nível superior relacionada ao planejamento, coordenação,
supervisão, orientação e execução de tarefas envolvendo a elaboração de
informações, relatórios, estudos, projetos e pareceres de natureza
administrativo-pedagógica, fundamentados em legislação dos sistemas de
educação básica e superior, pesquisas efetuadas e afins, bem como
assistência em atividades inerentes à sua área de atuação. Executar
outras tarefas da mesma natureza e grau de complexidade.
PROGRAMADOR VISUAL
Atividade de nível superior, de natureza técnica, relacionada ao
planejamento e desenvolvimento de atividades pertinentes à comunicação
visual, criação e execução de projetos para mídia digital e impressa, entre
outros, observando normas técnicas e dispositivos oficiais. Executar outras
tarefas da mesma natureza e grau de complexidade.
QUÍMICO
Atividade de nível superior, de natureza técnica, relacionada à
organização, controle e manutenção de equipamentos e materiais de
laboratórios; executar análises químicas, preparação de amostras,
soluções e materiais, bem como assistência em atividades inerentes à sua
área de atuação, observando normas técnicas e dispositivos oficiais;
elaborar pareceres, laudos e atestados, no âmbito das respectivas
atribuições; realizar estudos de viabilidade técnica e técnico-econômico
relacionados com a atividade de químico; operação de equipamentos
relacionados às atividades desempenhadas; executar outras tarefas da
mesma natureza e grau de complexidade.
TÉCNICO EM ASSUNTOS EDUCACIONAIS
Atividade de nível superior relacionada ao planejamento, coordenação,
supervisão, orientação e execução de tarefas envolvendo a elaboração de
informações, relatórios, estudos, pesquisas, projetos e pareceres de
natureza especializada, em grau de maior complexidade, fundamentados
em legislação dos sistemas de educação básica e superior, pesquisas
efetuadas e afins, bem como assistência em atividades inerentes à sua
área de atuação. Executar outras tarefas da mesma natureza e grau de
complexidade.
TRADUTOR E INTÉRPRETE (INGLÊS)
Atividade de nível superior, de natureza técnica, relacionada ao
planejamento e desenvolvimento de atividades pertinentes à
elaboração e revisão de textos em língua portuguesa e/ou língua
inglesa, bem como atividades de tradução simultânea, oral e/ou
escrita, observando normas técnicas e dispositivos oficiais. Executar
outras tarefas da mesma natureza e grau de complexidade.
ANEXO I
8
NÍVEL INTERMEDIÁRIO
ASSISTENTE EM ADMINISTRAÇÃO
Atividade de nível intermediário, sob supervisão, relacionada à execução
de tarefas de apoio administrativo, envolvendo redação de expedientes
simples e/ou padronizados; elaboração de gráficos, mapas e tabelas;
movimentação, guarda e arquivamento de expedientes de natureza
variada; informações ao público. Utilizar sistemas informatizados; operar
editores de textos, planilhas eletrônicas, gerenciador de banco de dados e
outros softwares disponíveis; preparar as tarefas de digitação de acordo
com as instruções específicas; manter o controle de documentos diversos.
Executar outras tarefas da mesma natureza e grau de complexidade.
DESENHISTA-PROJETISTA
Atividade de nível intermediário, de natureza técnica, relacionada ao
planejamento e desenvolvimento de atividades pertinentes à área,
observando normas técnicas e dispositivos oficiais. Auxiliar na
elaboração de projetos de engenharia, bem como elaborar desenhos
técnicos de arquitetura, urbanismo, instalações elétricas, mecânicas
e similares. Utilizar softwares apropriados para a execução das
tarefas. Executar outras tarefas da mesma natureza e grau de
complexidade.
TÉCNICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO
Atividade de nível intermediário, de natureza técnica, sob supervisão,
relacionada a tarefas de desenvolvimento, testes, codificação e
manutenção de programas e sistemas, suporte técnico junto aos usuários,
pesquisas para atualização de programas, sistemas e ferramentas, bem
como administração de sistemas informatizados. Executar outras tarefas
da mesma natureza e grau de complexidade.
TÉCNICO EM AGROPECUÁRIA
Atividade de nível intermediário, de natureza técnica, sob supervisão,
observando normas técnicas e dispositivos legais, relacionada à
condução de culturas anuais, semiperenes e perenes; implantação e
condução de olerícolas; manutenção de máquinas agrícolas;
execução e condução de sistemas de irrigação; manutenção de
barragens; auxiliar as atividades de pesquisa agropecuária e
extensão rural e implantação e condução de unidades
demonstrativas. Executar tarefas de caráter técnico relativas à
programação, assistência técnica e controle dos trabalhos
agropecuários, para auxiliar os especialistas de nível superior.
Executar outras tarefas da mesma natureza e grau de complexidade.
TÉCNICO EM AUDIOVISUAL
Atividade de nível intermediário, de natureza técnica, relacionada ao
planejamento e desenvolvimento de atividades pertinentes à área,
observando normas técnicas e dispositivos oficiais. Manutenção de
equipamentos de áudio, iluminação e câmeras de TV; filmagem, produção
e edição em vídeo; produção e edição de material radiofônico. Montar e
projetar filmes cinematográficos, manejar equipamentos audiovisuais
utilizados nas diversas atividades didáticas, pesquisa e extensão, bem
como operar equipamentos eletrônicos para gravação em fita ou fios
magnéticos, filmes ou discos virgens. Executar outras tarefas da mesma
natureza e grau de complexidade.
TÉCNICO EM CONTABILIDADE
Atividade de nível intermediário, sob supervisão, observando normas
técnicas e dispositivos oficiais, relacionada à execução de tarefas com a
finalidade de favorecer o adequado acompanhamento da situação
patrimonial e financeira da organização, envolvendo elaboração
orçamentária; cálculos; verificação de contas, bem como fornecimento de
subsídios para elaboração de relatórios e pareceres. Organizar os serviços
de contabilidade em geral, organizar os documentos e métodos de
escrituração nos sistemas mecanizados e automatizados, para fazer
cumprir as exigências legais e administrativas. Utilizar sistemas
informatizados; operar editores de textos, planilhas eletrônicas,
gerenciador de banco de dados e outros softwares disponíveis; preparar
as tarefas de digitação de acordo com as instruções específicas; manter o
controle de documentos diversos. Executar outras tarefas da mesma
natureza e grau de complexidade.
TÉCNICO EM ELETROELETRÔNICA
Atividade de nível intermediário, de natureza técnica, sob supervisão,
relacionada ao planejamento, projeto, produção, avaliação, manutenção,
testes, aperfeiçoamento e controle de instalações, aparelhos, circuitos e
equipamentos, orientando-se por plantas, esquemas, instruções, utilizando
instrumentos e equipamentos apropriados, observando normas técnicas e
dispositivos oficiais. Executar outras tarefas da mesma natureza e grau de
complexidade.
TÉCNICO EM LABORATÓRIO
Atividade de nível intermediário, de natureza técnica, sob supervisão,
relacionada à execução de atividades pertinentes à área, observando
normas técnicas e dispositivos oficiais. Operação e manejo de
equipamentos eletrônicos de laboratório. Preparação de materiais de
laboratório. Executar outras tarefas da mesma natureza e grau de
complexidade.
TÉCNICO EM LABORATÓRIO DE FOTOGRAFIA
Atividade de nível intermediário, de natureza técnica, sob supervisão,
observando normas técnicas e dispositivos oficiais, relacionada à
execução de atividades pertinentes à área. Preparação, operação, manejo
e manutenção de equipamentos de fotografia, e materiais diversos
referentes à adequação das condições técnicas para fotografia com
qualidade. Desenvolve todas as atividades inerentes à laboratoragem de
materiais foto-sensíveis, como formulações químicas, preparo e diluição
de banhos para o processo de revelação, além do controle e
provisionamento de filmes, de papéis fotográficos, de materiais óticos e de
produtos químicos. Elaboração, processamento e controle do cromatismo
em ampliações fotográficas, com noções em digitalização de imagens.
Executar outras tarefas da mesma natureza e grau de complexidade.
TÉCNICO EM TELECOMUNICAÇÕES
Atividade de nível intermediário, de natureza técnica, observando
normas técnicas e dispositivos oficiais, relacionada à coordenação,
supervisão e execução de tarefas envolvendo vistorias, instalações e
desmontagem de aparelhos elétricos e de telecomunicações;
configuração e montagem de redes de computadores; execução de
tarefas com cabeamento estruturado e uso de dispositivos de rede,
tais como hubs, switch, roteadores etc. Executar outras tarefas da
mesma natureza e grau de complexidade.
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
Observações: Considerar-se-á a legislação vigente até a data da
publicação do Edital nº 29/2005.
CONHECIMENTOS GERAIS
PORTUGUÊS
Para todos os cargos:
Ortografia oficial. Acentuação gráfica. Flexão nominal e verbal. Pronomes:
emprego, formas de tratamento e colocação. Emprego de tempos e modos
verbais. Vozes do verbo. Concordância nominal e verbal. Regência
nominal e verbal. Ocorrência de crase. Pontuação. Redação (confronto e
reconhecimento de frases corretas e incorretas). Intelecção de texto.
ATUALIDADES E NOÇÕES DE LEGISLAÇÃO
Para todos os cargos:
Tópicos atuais, em relação à esfera brasileira, tais como: política;
economia; sociedade; educação; tecnologia; energia; relações
internacionais; desenvolvimento sustentável, segurança no trabalho.
Economia e história do Estado de Tocantins. Lei nº 8.112, de 11/12/1990,
e alterações posteriores (Regime Jurídico dos Servidores Públicos).
NOÇÕES DE INFORMÁTICA
Para todos os cargos, EXCETO para ANALISTA DE TECNOLOGIA DA
INFORMAÇÃO e TÉCNICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO:
Sistema Operacional Windows XP. Sistema Operacional LINUX. Microsoft
Office: Word 2002, Excel 2002 e Power Point 2002. OpenOffice: Calc
(Planilha), Write (Documento de Texto) e Impress (Apresentação).
Conceitos e tecnologias relacionados à Internet e a correio eletrônico.
Internet Explorer e Mozilla FireFox 6.
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS
ADMINISTRADOR
Dinâmica das organizações: A Organização como um sistema social.
Cultura organizacional. Motivação e liderança. Comunicação. Processo
decisório. Descentralização. Delegação. Processo Grupal nas
Organizações: Comunicação interpessoal e intergrupal. Trabalho em
equipe. Planejamento Organizacional: planejamento estratégico, tático e
operacional. Processos de licitação e contratos – Lei nº 8.666/1993 e
alterações posteriores. Fundamentos da Qualidade Total. Legislação
Profissional, ética, organismos de classe.
ANALISTA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO
DFD (Diagrama de Fluxo de Dados). Projeto lógico e físico. Modelagem de
dados: DER (Diagrama Entidade Relacionamento). Especificação de
requisitos. Dicionários de dados. Ferramenta case. Conceitos de análise
orientada a objeto. Banco de dados relacional. Tecnologias WEB: HTML, PHP.
Hardware: identificação de periféricos e placas, montagem e identificação de
problemas. Redes: TCP/IP (endereçamento e roteamento de pacotes),
Protocolo IP, Cabos, Hub, Switcher, roteamento IP, proxy, DNS, NAT. Linux:
Comandos, Programação Shell e servidores em geral. Inglês técnico.
ARQUITETO E URBANISTA
Projetos: elementos gráficos necessários à execução de uma edificação:
arquitetônico; estrutural; instalações elétricas; instalações hidrossanitárias;
prevenção contra incêndio; ventilação/exaustão; ar-condicionado;
telefonia. Fundações de edifícios: Tipos. Edificações: concepção estrutural
adequada ao projeto arquitetônico; paredes e vedações; revestimentos;
acabamentos; impermeabilizações. Licitação e Contratos Administrativos:
relativos às obras e serviços de engenharia; licitação de obras;
contratação e fiscalização de serviços - Lei n.º 8.666/93 e alterações
posteriores; análise de contratos para execução de obras; vistoria e
elaboração de laudos e pareceres. Legislação Profissional do Arquiteto.
Custo de uma obra: Composição de preços; Quantificação dos Serviços;
Orçamentos; Cronograma físico. Uso e ocupação do solo: Conhecimento e
conceituação da terminologia empregada em Legislação Urbanística;
Zoneamento; Zonas e características de uso; Parcelamento do Solo:
loteamentos, desmembramento e desdobro; Índices: Taxa de ocupação;
Coeficientes de aproveitamento. Códigos de Edificações: Tipos de
Edificações; Insolação, Iluminação e Ventilação; Circulação vertical e
horizontal. Segurança nas edificações: Auto de verificação de segurança;
Sistemas de proteção aos usuários: Alarme; Emergência; Detecção;
Brigadas; Locais de reuniões. Autocad 2000: manipulação de arquivos,
configuração do ambiente de desenho; sistemas de coordenadas; recurso
de visualização; criação e edição de objetos;
propriedade dos objetos;
criação de textos e cotas; utilização de blocos e referências externas;
comandos utilitários; layouts; plotagem e impressão. Ética, organismos de
classe.
ANEXO II
9
ASSISTENTE SOCIAL
Os processos de trabalho: questão social, políticas públicas, dinâmica
institucional. Instrumentos e técnicas de intervenção, abordagem individual,
coletiva, em redes e com famílias. Importância e significado do terceiro setor e
o trabalho comunitário; o terceiro setor e a questão social; crítica ao padrão
emergente de intervenção social. Modelos Gerenciais na organização do
trabalho e políticas sociais. Elaboração, coordenação, execução e avaliação
de programas e projetos na área de Serviço Social. Lei nº 8.742, de 7 de
dezembro de 1993 – LOAS – Lei Orgânica da Assistência Social, que
regulamenta os artigos 203 e 204 da Constituição Federal e define os
princípios doutrinários e organizativos da Política Pública de Assistência
Social. Legislação Profissional, ética, organismos de classe.
BIBLIOTECÁRIO-DOCUMENTALISTA
Processos de licitação e contratos – Lei nº 8.666/1993 e alterações
posteriores. Fundamentos das Ciências da Informação. Pesquisa:
conceitos. Metodologia da pesquisa científica. Pesquisa bibliográfica.
Ciência da Informação: contexto na sociedade atual. Informação:
conceitos e tipologias. Biblioteconomia, Arquivologia e Museologia:
conceitos básicos. Bibliotecário: legislação, formação e mercado de
trabalho. O Moderno Profissional da Informação. Ética profissional.
Documentação e Ciência da Informação: histórico e conceituação.
Organização e administração de bibliotecas. Formação e desenvolvimento
de coleções. Processos técnicos: catalogação, classificação e indexação.
Fontes de informação: gerais e especializadas. Serviços aos usuários.
Automação de processos e serviços. Desenvolvimento em base de dados
e tratamento de informação. Artigos 218 e 219 da Constituição Brasileira.
Organização institucional e dinâmica do Sistema de Ciência e Tecnologia
no Brasil. Gestão de Ciência e Tecnologia. Critérios, mecanismos e
procedimentos de fomento à Ciência e Tecnologia.
BIÓLOGO
Legislação Profissional, ética. Processos de licitação e contratos – Lei nº
8.666/1993 e alterações posteriores. Ecologia ambiental – noções de
ecologia, envolvendo os conceitos de ecossistema, cadeia e teia
alimentar, relação entre seres vivos, sucessão ecológica e poluição
ambiental. Efeitos biológicos da poluição. Laboratório: equipamentos,
materiais, reagentes, meios de cultura e soluções. Organização e controle
de estoques de reagentes e equipamentos de laboratório de ensino de
Biologia. Normas de assepsia. Amostragem. Biossegurança. Elaboração
de documentação técnica rotineira: pareceres, laudos e atestados; e de
registros legais.
CONTADOR
Conceitos, objetivos e finalidades da contabilidade. Patrimônio:
componentes, equação fundamental do patrimônio, situação líquida,
representação gráfica. Atos e fatos administrativos: conceitos, fatos
permutativos, modificativos e mistos. Contas: conceitos, contas de débitos,
contas de créditos e saldos. Plano de contas: conceitos, elenco de contas,
função e funcionamento das contas. Escrituração: conceitos, lançamentos
contábeis, elementos essenciais, fórmulas de lançamentos, livros de
escrituração, métodos e processos. Contabilização de operações
contábeis diversas: juros, descontos, tributos, aluguéis, variação
monetária/cambial, folha de pagamento, compras, vendas e provisões,
depreciações e baixa de bens. Análise e conciliações contábeis: conceitos,
composição de contas, análise de contas, conciliação bancária. Balancete
de verificação: conceitos, modelos e técnicas de elaboração. Balanço
patrimonial: conceitos, objetivo, composição. Demonstração de resultado
de exercício: conceito, objetivo, composição. Noções de matemática
financeira. Noções de finanças. Conceitos básicos de orçamento.
Aspectos introdutórios dos princípios de tributos e seus impactos nas
operações das empresas; e legislação específica à área. Processos de
licitação e contratos – Lei nº 8.666/1993 e alterações posteriores.
Legislação Profissional, ética, organismos de classe.
ENFERMEIRO
Fundamentos e exercício da enfermagem: Lei do exercício profissional;
Código de Ética. Epidemiologia e enfermagem. Estatística e enfermagem.
Teorias em enfermagem. Concepções teórico-práticas da assistência de
enfermagem. Administração dos serviços de enfermagem: Políticas
públicas em saúde e sua evolução histórica. Lei orgânica de saúde a partir
da Constituição Federal de 1988. Processo social de mudança das
práticas sanitárias no SUS e na enfermagem. Administração de materiais e
enfermagem. Normas, rotinas e manuais – elaboração e utilização na
enfermagem. Teorias administrativas e enfermagem. Organização dos
serviços de enfermagem. Estrutura e funcionamento dos serviços de
enfermagem. Planejamento na administração e na assistência de
enfermagem em ambulatórios. Enfermagem em equipe –
dimensionamento dos recursos humanos. Enfermagem, enfermeiro,
tomada de decisão na administração da assistência e do serviço. Normas
do Ministério da Saúde para atuação: programa nacional de imunizações,
programa da mulher, programa da criança, programa do adolescente,
programa do idoso, programa DST e AIDS, programa de hanseníase,
programa de pneumologia
sanitária, programa de hipertensão, programa
de diabético. Processo de enfermagem – teoria e prática. Consulta de
enfermagem. Participação do enfermeiro na CIPA. Emergências clínico-
cirúrgicas e a
assistência de enfermagem. Primeiros socorros na empresa.
Assistência integral por meio do trabalho em equipes: de enfermagem,
multiprofissional e interdisciplinar. Planejamento do ensino ao cliente com
vistas ao auto-cuidado: promoção e prevenção da saúde.
ENGENHEIRO AGRÔNOMO
Administração agrícola. Organização e operação das atividades agrícolas.
Planejamento e desenvolvimento das atividades agrícolas. Edafologia.
Gênese, morfologia e classificação de solos. Capacidade de uso e
conservação de solos. Fertilidade de solos, fertilizantes e corretivos.
Microbiologia de solos. Fitotecnia e ecologia agrícola. Agrometeorologia.
Recursos naturais renováveis. Grandes culturas anuais e perenes.
Horticultura. Fruticultura. Silvicultura. Parques e jardins. Desenvolvimento
agrícola sustentado. Sistemas agrossilvopastoris. Tecnologia de
sementes. Fitossanidade. Fitopatologia. Entomologia agrícola. Ciência de
plantas daninhas. Manejo integrado de doenças, pragas e plantas
daninhas. Mecanização agrícola. Máquinas e implementos agrícolas.
Implementos para tração animal. Manejo da água. Hidrologia e hidráulica
aplicadas à agricultura. Irrigação e drenagem para fins agrícolas.
Geoprocessamento. Geoposicionamento. Cartografia. Construções e
energia rural. Construções rurais e suas instalações complementares.
Fontes de energia nas atividades agropecuárias. Economia e crédito rural.
Extensão rural. Zootecnia. Agrostologia. Produção animal. Nutrição animal.
Tecnologia de alimentos. Transformação de alimentos. Conservação de
alimentos. Secagem, beneficiamento e armazenamento de sementes e
grãos. Topografia – levantamentos planialtimétricos. Pragas de
importância econômica das principais culturas do Estado de Tocantins.
Agrotóxicos: Tecnologia de aplicação. Uso correto e seguro de agrotóxico.
Receituário Agronômico. Destinação final de embalagens vazias de
agrotóxicos. Equipamentos de Proteção Individual para o uso de
agrotóxicos. Toxicologia, classificação e tipos de agrotóxicos. Processos
de licitação e contratos – Lei nº 8.666/1993 e alterações posteriores.
Legislação Profissional, ética, organismos de classe.
ENGENHEIRO CIVIL
Topografia: Dados técnicos para o projeto: levantamento planialtimétrico:
poligonais; levantamento altimétrico: perfis, curvas de nível. Projetos:
elementos gráficos necessários à execução de uma edificação:
arquitetônico; estrutural; instalações elétricas; instalações hidráulicas;
outros projetos complementares. Fundações de edifícios: sondagens de
reconhecimento do subsolo: tipos e apresentações; tipos de solo:
características e classificação geral; tipos de fundações. Muros de arrimos:
tipos e cálculo. Edificações: concepção estrutural adequada ao projeto
arquitetônico; cargas atuantes; carregamento; tecnologia do concreto;
lançamento e cura do concreto; formas e desformas; paredes e vedações:
revestimentos; acabamentos; impermeabilização; pavimentação;
cobertura. Uso e ocupação do solo: conhecimento e conceituação da
terminologia empregada em Legislação Urbanística; parcelamento do solo:
desmembramento e desdobro; índices: taxa de ocupação, coeficiente de
aproveitamento. Conforto ambiental. Edificações. Metodologia e avaliação
de custos: custo limite do retorno, da viabilidade e dos recursos
disponíveis; custo estimado, custo calculado; preço unitário; preço global.
Especificações técnicas para os projetos: metodologia dos materiais e dos
serviços; critérios para comparação de preço; critérios e medição de obras
para obras em geral; cronograma físico-financeiro dos projetos e da obra.
Legislação complementar: Licitações e contratos relativos às obras e
serviços de engenharia: Lei nº 8.666/1993 e alterações posteriores.
Gerenciamento de obras: Metodologia e procedimentos. Legislação
Profissional, ética, organismos de classe.
JORNALISTA
Teoria da comunicação: A questão da imparcialidade e da objetividade;
Ética; Papel social da Comunicação; Comunicação, conceitos,
paradigmas, principais teorias; Novas tecnologias e a globalização da
informação; Massificação versus segmentação dos Públicos; Interatividade
na comunicação; História da imprensa, do rádio e da televisão no Brasil;
Legislação em comunicação social: lei de imprensa; Código de Ética do
Jornalista, regulamentação da profissão de jornalista; Código Brasileiro de
Telecomunicações; Código de Ética da Radiodifusão; Políticas da
Comunicação: Regulamentação versus desregulamentação: tendências
nacionais e internacionais; Comunicação Pública; Opinião Pública:
pesquisa, estudo e análise em busca de canais de interação com cada
público específico; Gêneros de redação: definição e elaboração da notícia,
reportagem, entrevista, editorial, crônica, coluna, pauta, informativo,
comunicado, carta, release, relatório, anúncio e briefing em texto e
imagem; Técnicas de redação jornalística: lead, sub-lead e pirâmide
invertida; Critérios de seleção, redação e edição; Processo gráfico:
conceito de editoração, preparação de originais; Projeto gráfico: tipologia -
caracteres e medidas, justificação, mancha gráfica e margens.
Diagramação e retrancagem: composição, impressão. Planejamento
editorial: ilustrações, cores, técnicas de impressão, redação do texto,
visual da publicação. Fundamentos da Comunicação Integrada.
MÉDICO VETERINÁRIO
Anatomia, fisiologia e patologia dos animais domésticos (animais destinados à
indústria). Defesa Animal: diagnóstico, prevenção e controle. Doenças de
notificação obrigatória. Conhecimentos básicos de epidemiologia; análise de
risco; bioestatística. Desenvolvimento de programas sanitários. Clínica médico-
veterinária. Inspeção industrial e sanitária de produtos de origem animal: boas
práticas de fabricação e análise de perigos e pontos críticos de controle
(APPCC). Métodos de amostragem e análise. Produtos de origem animal.
Produtos para alimentação animal. Farmacologia Veterinária: Classificação;
Mecanismos de ação; Resíduos de medicamentos veterinários em produtos
de origem animal. Análises em produtos de origem animal e de alimentos para
animais. Análises físico-químicas: Análise centesimal; Cromatografia líquida de
alta eficiência para análise de corantes e vitaminas em leite; Absorção
atômica. Análises microbiológicas. Noções de biossegurança. Zoonoses e
higiene de alimentos. Doenças transmitidas por animais e por produtos de
origem animal. Identidade e qualidade de produtos de origem animal.
Legislação federal - Defesa Sanitária Animal. Inspeção de produtos de origem
animal. Alimentos para animais. Produtos veterinários. Programas sanitários
básicos. Vigilância sanitária nacional e internacional. Transmissão da
informação genética. Melhoramento genético. Zootecnia. Agrostologia.
Produção animal. Nutrição animal. Legislação ambiental. Análise patológica.
Técnicas de necropsia e exames de laboratório necessários na determinação
da causa mortis de um animal abatido. Legislação Profissional, ética,
organismos de classe.
10
PEDAGOGO
Fundamentos da educação: A relação educação e sociedade: dimensões
filosófica, sociocultural e pedagógica; Bases legais da educação nacional: LDB
(Lei n.º 9.394/96) e parâmetros curriculares nacionais; Desenvolvimento
histórico das concepções pedagógicas. O papel político-pedagógico e a
organicidade do ensinar, aprender e pesquisar. O processo de planejamento:
concepção, importância, dimensões e níveis. Projeto político-pedagógico:
concepção, princípios e eixos norteadores. A gestão educacional decorrente
da concepção do projeto político-pedagógico. Planejamento participativo:
concepção, construção, acompanhamento e avaliação. O currículo e a
construção do conhecimento. O processo de ensino-aprendizagem. Bases
psicológicas da aprendizagem. Planejamento de ensino em seus elementos
constitutivos: objetivos e conteúdos de ensino; métodos e técnicas e a
multimídia educativa; avaliação educacional. Metodologia de projetos: um
caminho entre a teoria e a prática. Interdisciplinaridade e globalização do
conhecimento. Educação continuada dos profissionais da escola. O Estado,
educação e sistema educacional. Legislação, financiamento e estrutura
organizacional de sistemas de ensino na educação básica e superior.
Legislação Profissional, ética.
PROGRAMADOR VISUAL
História do Design. Editoração eletrônica (tratamento de imagens e
fechamento de arquivos digitais-finalização). Teoria das cores. Qualidade
de impressão (análise de provas de impressão). Noções de fotografia.
Noções de geometria. Noções de ilustração. Noções de produção gráfica
(tipos de papéis, formatos e acabamentos e processos de impressão).
Conhecimento de tipografia (história e aplicação). Softwares específicos:
Page Maker; Photoshop; Corel Draw; Ilustrator; Dreamweaver; Flash.
Conceitos de Identidade Corporativa. Noções de programação em html.
Noções de arquitetura de sites. Noções de usabilidade. Noções de
Webdesign. Noções de animação (WEB).
QUÍMICO
Química geral e inorgânica. Classificação dos materiais. Técnicas de
separação: decantação, filtração e destilação. Tabela periódica e a
química dos elementos. Ligações químicas. Funções químicas (ácidos,
bases, sais e óxidos). Gases. Propriedades dos sólidos. Estequiometria.
Soluções e propriedades coligativas. Equilíbrio químico. Reações de
óxido-redução. Eletroquímica. Cinética química. Colóides. Radioatividade.
Química orgânica. Alcanos, alquenos, alquinos, compostos aromáticos,
compostos halogenados, álcoois, fenóis, éteres, aldeídos, cetonas, ácidos
carboxílicos e seus derivados e compostos nitrogenados: nomenclatura,
propriedades e reações. Técnicas de extração. Polímeros sintéticos e
naturais. Química analítica. Erros e tratamentos estatísticos de dados
analíticos. Gravimetria. Fundamentos da análise titulométrica. Titulometria
de neutralização. Complexometria com EDTA. Titulometria de oxi-redução.
Métodos de Espectroscopia de absorção: ultra-violeta, visível e infra-
vermelho. Fosforescência e fluorescência. Espectroscopia de absorção
atômica. Métodos potenciométricos. Cromatografias líquida e gasosa.
Métodos cromatográficos. Coulometria. Polarografia e técnicas correlatas.
Espectometria de massa. Ressonância magnética nuclear. Físico-química.
Termodinâmica. Trabalho e calor. Primeira e segunda leis da
termodinâmica. Gases perfeitos. Ciclos termodinâmicos. Espontaneidade
das reações. Elaboração de documentação técnica rotineira: pareceres,
laudos e atestados; e de registros legais. Análises químicas de água,
esgotos e solo. Noções básicas de segurança em laboratório. Estocagem
de reagentes químicos. Técnicas básicas de laboratório. Lavagem e
esterilização de vidraria e de outros materiais. Preparação de amostras e
de materiais. Preparo de soluções. Volumetria. Potenciometria.
Espectrofotometria. Fotometria. Colorimetria. Legislação Profissional,
ética.
TÉCNICO EM ASSUNTOS EDUCACIONAIS
Fundamentos da educação. Relação educação e sociedade: dimensões
filosófica, sociocultural e pedagógica. Bases legais da educação nacional:
Constituição da República, LDB (Lei n.º 9.394/1996) e Parâmetros Curriculares
Nacionais. Desenvolvimento histórico das concepções pedagógicas. Pesquisa
participante como instrumento de inovação e de avaliação do ensinar e
aprender. Papel político-pedagógico e organicidade do ensinar, aprender e
pesquisar. Função sociocultural da escola. Escola: comunidade escolar e
contextos institucional e sociocultural. Processo de planejamento: concepção,
importância, dimensões e níveis. Projeto político-pedagógico da escola:
concepção, princípios e eixos norteadores. Gestão educacional decorrente da
concepção do projeto político-pedagógico. Planejamento participativo:
concepção, construção, acompanhamento e avaliação. Currículo e construção
do conhecimento. Processo de ensino-aprendizagem. Bases psicológicas da
aprendizagem. Planejamento de ensino em seus elementos constitutivos:
objetivos e conteúdos de ensino; métodos e técnicas; multimídia educativa e
avaliação educacional. Metodologia de projetos: um caminho entre a teoria e a
prática. Interdisciplinaridade e globalização do conhecimento. Metodologia e
Técnicas de Pesquisa. Legislação do Ensino Superior Brasileiro. Ética.
TRADUTOR E INTÉRPRETE (INGLÊS)
Tradução literal ou livre de textos em Português/Inglês e/ou vice-versa.
Gramática diferencial do Português/inglês. Teoria da Comunicação aplicada à
Tradução. Conhecimentos de Inglês Técnico. Tradução simultânea oral e ou
escrita. Legislação profissional. Ética.
ASSISTENTE EM ADMINISTRAÇÃO
Redação de expedientes. Noções de relações humanas. Noções de
arquivamento e procedimentos administrativos. Relações Públicas. Noções de
administração financeira, de recursos humanos e de material. Processos de
licitação e contratos – Lei nº 8.666/1993 e alterações posteriores.
DESENHISTA PROJETISTA
Desenho geométrico: fundamentos de construções geométricas e suas
aplicações. Geometria descritiva: noções gerais, o sistema de
representação pelo processo das projeções ortogonais múltiplas.
Conceitos fundamentais e tratamentos convencionais de representação
gráfica. Normas de desenho técnico. Normas brasileiras de desenho
técnico. Legendas, sinais convencionais. Formato de papel, dimensões e
margens. O processo de representação em vistas ortogonais; vistas
auxiliares primárias e secundárias; cortes e secções - dimensionamento
dos desenhos. Desenho não projetivo: fluxogramas, gráficos, diagramas.
Desenho arquitetônico: plantas, cortes, elevações e detalhes.
Representação de elementos topográficos. Escala e convenções.
Desenho mecânico, desenho de estruturas, desenho hidráulico, desenho
elétrico. Softwares: Auto Cad, Corel Draw.
TÉCNICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO
Levantamento de dados. DFD (Diagrama de Fluxo de Dados). Projeto
lógico e físico. Modelagem de dados: DER (Diagrama Entidade
Relacionamento). Especificação de requisitos. Dicionários de dados.
Ferramenta case. Conceitos de análise orientada a objeto. Banco de
dados Relacional (DB2).Tecnologias WEB: HTML, PHP. Hardware:
montagem e identificação de periféricos e placas, detecção de
problemas. Redes: TCP/IP (endereçamento e roteamento de pacotes),
Protocolo IP, Cabos, Hub, Switcher, roteamento IP, proxy, DNS, NAT.
Linux e Windows: Comandos, Programação Shell, Domínio e serviços
para web em geral.
TÉCNICO EM AGROPECUÁRIA
Cultivo; manejo; produção e beneficiamento de grãos e sementes;
melhoramento (noções de biotecnologia vegetal); colheita; Adubação;
condução dos pomares; colheita e armazenagem. Manejo de viveiros;
principais espécies do Estado de Tocantins, características, utilização e
manejo. Principais classes de defensivos, utilização, cuidados no manuseio e
proteção ao meio ambiente; principais pragas das culturas e seu controle;
principais doenças das plantas e seu controle; relações entre patógenos e
plantas. Manejo e controle de invasoras. Máquinas e implementos agrícolas;
operação de máquinas e implementos agrícolas; manutenção e conservação
de máquinas e implementos; óleos lubrificantes e graxas. Princípios gerais de
anatomia e exterior de bovinos, ovinos, suínos, eqüinos e aves; raças de
bovinos de corte, bovinos de leite, ovinos, suínos e eqüinos; Prevenção de
doenças. Animais ruminantes. Animais não ruminantes. Alimentos volumosos
e sua utilização. Alimentos concentrados e sua utilização. Forrageiras.
Silagens. Vitaminas e minerais. Manejo de matrizes. Incubação. Ovoscopia.
Caracteres qualitativos e quantitativos. Princípios mendelianos. Seleção.
Cruzamento. Cria. Recria. Terminação. Gestação. Lactação. Cria.
Crescimento.Terminação. Postura. Programa de luz. Apicultura.
TÉCNICO EM AUDIOVISUAL
Noções de manutenção de equipamentos de áudio, iluminação e
câmeras de TV. Filmagem, produção e edição em vídeo. Produção e
edição de material radiofônico. Noções de Áudio e Acústica: faixas
de freqüência, radiofreqüência, medidas de intensidade sonora,
desempenho de som, tratamento acústico. Microfones: tipos de
microfone. Mesas de som: funções, equalizador, multiefeitos,
amplificadores de potência, caixas acústicas, gravação. Reprodução
digital e analógico: K7, CD, DVD, DAT, ADAT. Montagem de
equipamentos e diferentes tipos de cabo. Noções do sinal de vídeo:
resolução de imagem, campo, frame, sincronia, sinal monocromático e
colorido, padrão PAL-M e NTSC; câmeras de vídeo: principais
funções, foco, zoom, iris, ajustes, camcorder. Gravação e reprodução
de vídeo e áudio: gravações em interiores e exteriores. Conceito de
iluminação: fundamentos da cor, fontes naturais e artificiais;
temperatura, filtros de correção. Tipos de luminárias: lâmpada, luz e
contra luz. Iluminação em interiores e exteriores. Conceitos de
consumo de energia: potência, amperagem, voltagem, medidas.
Instalação e uso de equipamentos audiovisuais: retroprojetor,
projetores de slides, projetor de vídeo, multimídia, data-show.
TÉCNICO EM CONTABILIDADE
Conceitos, objetivos e finalidades da contabilidade. Patrimônio:
componentes, equação fundamental do patrimônio, situação líquida,
representação gráfica. Atos e fatos administrativos: conceitos, fatos
permutativos, modificativos e mistos. Contas: conceitos, contas de débitos,
contas de créditos e saldos. Plano de contas: conceitos, elenco de contas,
função e funcionamento das contas. Escrituração: conceitos, lançamentos
contábeis, elementos essenciais, fórmulas de lançamentos, livros de
escrituração, métodos e processos. Contabilização de operações
contábeis diversas: juros, descontos, tributos, aluguéis, variação
monetária/cambial, folha de pagamento, compras, vendas e provisões,
depreciações e baixa de bens. Análise e conciliações contábeis: conceitos,
composição de contas, análise de contas, conciliação bancária. Balancete
de verificação: conceitos, modelos e técnicas de elaboração. Balanço
patrimonial: conceitos, objetivo, composição. Demonstração de resultado
de exercício: conceito, objetivo, composição. Noções de matemática
financeira. Noções de finanças. Conceitos básicos de orçamento.
Aspectos introdutórios dos princípios de tributos e seus impactos nas
operações das empresas. Legislação profissional. Ética.
TÉCNICO EM ELETROELETRÔNICA
Conceitos de Eletricidade: tensão; corrente; resistência; potência;
Leis de Ohm; Leis de Kirchhoff. Instrumentos de medidas elétricas:
multímetro; wattímetro e osciloscópio. Instalações elétricas
residenciais e prediais: técnicas, esquemas, ferramentas e
dispositivos. Instalação de computadores e seus periféricos. Circuitos
de fontes de alimentação.
TÉCNICO EM LABORATÓRIO
Noções básicas de segurança no laboratório: Estocagem de reagentes
químicos; Riscos de incêndios em solventes inflamáveis; Misturas
explosivas; Reagentes perigosos pela toxidade e (ou) reatividade; Noções
de primeiros socorros. Técnicas básicas de laboratório: Lavagem e
esterilização de vidraria e de outros materiais; Preparação de amostras e
11
de materiais; Preparo de soluções; Volumetria; Gravimetria;
Potenciometria; Espectrofotometria; Fotometria; Colorimetria;
Cromatografias líquida e gasosa; Espectrometria de massa; Manejo de
animais de laboratório. Métodos de separação: Filtração; Montagens
típicas de aparelhos para destilação. Sistemas de aquecimento e
refrigeração: Secagem de substâncias; Uso e conservação de
aparelhagem comum de um laboratório; Medidas de peso e de volume.
Eliminação de resíduos químicos. Preparação de material de Laboratório
para análises microbiológicas: descontaminação, lavagens,
acondicionamento, esterilização. Legislação profissional. Ética.
TÉCNICO EM LABORATÓRIO DE FOTOGRAFIA
Conhecimentos gerais de química fotográfica; elementos alcalinos e
ácidos; analogias entre a produção da imagem e a laboratoragem;
exposição de luz (diafragma e velocidade de obturação) e o efeito de
Schwartchild; tipos de reveladores; tipos de papel fotográfico; banhos de
viragem; técnicas de ampliação fotográfica; processamento de revelação
em negativo e positivo; controle cromático na revelação de negativo;
estrutura granular; sensitometria; densitometria; aplicação de filtros na
ampliação fotográfica; elementos básicos em laboratório digital. Ética.
TÉCNICO EM TELECOMUNICAÇÕES
Conceitos de Eletricidade: tensão; corrente; resistência; potência;
Leis de Ohm; Leis de Kirchhoff. Instrumentos de medidas elétricas:
multímetro; wattímetro e osciloscópio. Instalação de computadores e
seus periféricos. Instalações telefônicas: técnicas, esquemas,
ferramentas e dispositivos. Instalação de redes de computadores:
técnicas, esquemas, ferramentas e dispositivos.
PÓLO DE CLASSIFICAÇÃO/CIDADES DE REALIZAÇÃO DAS PROVAS OBJETIVAS, CÓDIGOS DE OPÇÃO, CARGOS, TOTAL DE VAGAS E
VAGAS PARA PORTADORES DE DEFICIÊNCIA
NÍVEL SUPERIOR
PÓLO DE
CLASSIFICAÇÃO E
CIDADE DE
REALIZAÇÃO DAS
PROVAS OBJETIVAS
CÓDIGOS DE
OPÇÃO
CARGO
N° DE VAGAS DE
AMPLA
CONCORRÊNCIA
N° DE VAGAS
RESERVADAS PARA
PORTADORES DE
DEFICIÊNCIA
N° TOTAL DE
VAGAS
SAD1 Administrador 1 1
2
SBC1 Bibliotecário-Documentalista 1 -
1
SMV1 Médico Veterinário 1 1
2
SPE1 Pedagogo 1 -
1
Araguaína
SAE1 Técnico em Assuntos Educacionais 1 1 2
SBC2 Bibliotecário-Documentalista 1 -
1
Arraias
SAE2 Técnico em Assuntos Educacionais 1 1 2
SAD3 Administrador 1 -
1
SBC3 Bibliotecário-Documentalista 1 -
1
SAG3 Engenheiro Agrônomo 1 1
2
Gurupi
SAE3 Técnico em Assuntos Educacionais 1 -
1
SAD4 Administrador 1 -
1
SBC4 Bibliotecário-Documentalista 1 -
1
Miracema do Tocantins
SPE4 Pedagogo 1 -
1
SAD5 Administrador 8 1
9
SAI5 Analista de Tecnologia da Informação 2 1
3
SUB5 Arquiteto e Urbanista 1 1
2
SSO5 Assistente Social 1 -
1
SBC5 Bibliotecário-Documentalista 1 1
2
SBI5 Biólogo 1 -
1
SCT5 Contador 3 1
4
SEF5 Enfermeiro 1 1
2
SEC5 Engenheiro Civil 1 1
2
SJO5 Jornalista 3 1
4
SPE5 Pedagogo 4 1
5
SPV5 Programador Visual 1 1
2
SQU5 Químico 1 1
2
SAE5 Técnico em Assuntos Educacionais 10 1 11
Palmas
SIT5 Tradutor e Intérprete (Inglês) 1 -
1
SAD6 Administrador 1 1 2
SBC6 Bibliotecário-Documentalista 1 - 1
SBI6 Biólogo 2 1 3
SPE6 Pedagogo 1 - 1
Porto Nacional
SAE6 Técnico em Assuntos Educacionais 1 1
2
SBC7 Bibliotecário-Documentalista 1 - 1
Tocantinópolis
SAE7 Técnico em Assuntos Educacionais 1 - 1
T O T A L 61 20
81
ANEXO III
12
NÍVEL INTERMEDIÁRIO (ENSINO MÉDIO – ANTIGO 2º GRAU)
PÓLO DE
CLASSIFICAÇÃO E
CIDADE DE
REALIZAÇÃO DAS
PROVAS OBJETIVAS
CÓDIGOS DE
OPÇÃO
CARGO
N° DE VAGAS DE
AMPLA
CONCORRÊNCIA
N° DE VAGAS
RESERVADAS PARA
PORTADORES DE
DEFICIÊNCIA
N° TOTAL DE
VAGAS
MAA1 Assistente em Administração 34 2 36
MTG1 Técnico em Agropecuária 3 1 4
MTC1 Técnico em Contabilidade 1 - 1
MTB1 Técnico em Laboratório 7 1 8
Araguaína
MTE1 Técnico em Eletroeletrônica 1 - 1
Arraias MAA2 Assistente em Administração 17 1 18
MAA3 Assistente em Administração 12 1 13
MTG3 Técnico em Agropecuária 5 1 6
Gurupi
MTB3 Técnico em Laboratório 4 1 5
Miracema do Tocantins MAA4 Assistente em Administração 14 1 15
MAA5 Assistente em Administração 91 5 96
MDP5 Desenhista-Projetista 1 1 2
MTT5 Técnico de Tecnologia da Informação 4 1 5
MTG5 Técnico em Agropecuária 1 - 1
MTV5 Técnico em Audiovisual 2 1 3
MTC5 Técnico em Contabilidade 3 1 4
MTE5 Técnico em Eletroeletrônica 1 1 2
MTB5 Técnico em Laboratório 6 1 7
MTF5 Técnico em Laboratório de Fotografia 1 - 1
Palmas
MTM5 Técnico em Telecomunicações 1 1 2
MAA6 Assistente em Administração 27 2 29
MTG6 Técnico em Agropecuária 1 - 1
MTC6 Técnico em Contabilidade 1 - 1
Porto Nacional
MTB6 Técnico em Laboratório 1 - 1
Tocantinópolis MAA7 Assistente em Administração 14 1 15
T O T A L 253 24 277
DATAS EVENTOS
21/09/2005 Abertura das Inscrições.
05/10/2005 Encerramento das Inscrições via Internet.
06/10/2005 Encerramento das Inscrições nas Agências dos Correios
13/11/2005 Data prevista para aplicação das Provas Objetivas
Os candidatos que indicarem, no campo específico da ficha de inscrição, um endereço eletrônico para contato, poderão receber
informações sobre local de realização das provas e resultados por e-mail.
AS INFORMAÇÕES RELATIVAS AO CONCURSO PÚBLICO PODEM SER OBTIDAS VIA INTERNET NO ENDEREÇO: www.concursosfcc.com.br
O EST
CRONOGRAMA
R
E
P
Ú
B
L
I
C
A
F
E
D
E
R
A
T
I
V
A
D
O
B
R
A
S
I
L
1
5
d
e
N
o
v
e
m
b
r
o
d
e
1
8
8
9
FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO
TOCANTINS - UFT
Fundação
Carlos Chagas