Administração Administração da Produção

A indústria CargaFerro fabrica e comercializa vagões de trens para transporte de cargas, e está com problemas em seu chão-de-fábrica. Depois de mudanças em algumas estações de produção, quase todos os operários alocados na linha de montagem dos eixos dos vagões vêm se queixando de enxaqueca, dormência nos quadris e fortes dores na parte superior do braço direito. A direção da CargaFerro conduziu um estudo de tempos e movimentos na linha de montagem de eixos, e os responsáveis pelo monitoramento verificaram que o novo processo de montagem exige que, em cada estação de trabalho, os operários realizem repetidas vezes por minuto um movimento complexo e exaustivo: com o braço direito, eles devem alcançar uma pesada alavanca disposta a dois metros de altura do chão e puxá-la com força para baixo, para depois, num esforço contínuo, usar imediatamente o joelho direito para pressionar um dispositivo à sua frente, de modo a fazer avançar a esteira rolante. Depois de algumas semanas seguindo o novo processo de montagem, os trabalhadores estão altamente estressados, e alguns deles andam consumindo fortes analgésicos, sem receita médica. Imagine que você faz parte da equipe de profissionais responsáveis por solucionar esse problema. Escolha a alternativa que traz a melhor recomendação para que a CargaFerro possa retomar a produtividade do setor afetado e resguardar a mão-de-obra alocada na linha de montagem:

  • A.

  • B.

    professar solidariedade imediata para com os trabalhadores afetados, hospitalizar prontamente a equipe da linha de montagem em acordo com os preceitos iatrogênicos mais avançados, cuidar dos operários mais ergonômicos e satisfazer todas as demandas da equipe no que tange a afetos, custeio e apoio espiritual;

  • C.

    convocar uma coletiva de imprensa para eximir publicamente a empresa de sua responsabilidade, organizar um duradouro campeonato de futebol entre times de operários, pressionar o sindicato por solução rápida para o problema e substituir a força de trabalho humana na linha de montagem dos eixos por um conjunto de robôs;

  • D.

    dar férias coletivas para os operários da fábrica, demitir o engenheiro responsável pela programação da produção e recontratar a mão-de-obra ergonômica a partir de novas específicações para o cargo de montador de eixos, de forma a propiciar somente a admissão de homens canhotos, musculosos e com mais de um metro e noventa de altura;

  • E.

    indenizar os operários afetados pelo problema, colocálos em um programa de recuperação de viciados, implementar um vantajoso programa de demissões voluntárias para que os revoltosos possam pedir as contas e retomar a produção, porém dessa vez com a adoção de dez minutos de ginástica laboral antes da jornada de trabalho.