Analistas de mercado apontam a elevada relação dívida/PIB como a principal razão para o alto nível de juros atuais. No entanto, a relação dívida/PIB é muito mais alta em países como a Itália, Bélgica e Grécia, mas, isto não afeta significativamente o nível dos juros nestes países. Explica-se esse aparente paradoxo pelo fato de

  • a.

    terem acesso a empréstimos subsidiados do Banco Central Europeu.

  • b.

    o elevado nível de endividamento destes países ser compensado pelo grande superávit na balança comercial.

  • c.

    o alto nível de endividamento ser um fenômeno conjuntural resultante de investimentos elevados em obras de infra-estrutura estimuladas pela entrada desses países na União Européia.

  • d.

    o alto nível de endividamento desses países ser compensado pelas baixas taxas de inflação que desestimulam a elevação da taxa de juros.

  • e.

    o perfil alongado do endividamento e o baixo risco de default, permitem o pagamento de juros préfixados em níveis relativamente baixos.