Administração Gestão de Pessoas Liderança

Hospitais e clínicas são instituições com estrutura pública ou particular com inalidade também de ensino e pesquisa; os serviços são pessoais, porque não existe a enfermidade, existe o enfermo; a autoridade médica é maior que a administrativa; o pessoal que trabalha é heterogêneo e de nível universitário; nunca se encerra o serviço, deve-se contar com pessoal para trabalhar 24 horas; é de difícil medição e interpretação, pois não dá para medir quanta saúde se tem obtido, mas quantas cirurgias e quantas consultas; e muitas unidades trabalham provocando déicit econômico, mas não podem ser desativadas. Na organização hospitalar existe uma constante renovação na área técnica/ médica. Porém, na área administrativa, o mesmo não ocorre com tanta frequência, o que provoca a acomodação do administrador em busca de mudanças das rotinas de trabalho. Para se exercer a função de gestor hospitalar, é correto dizer que é necessário:
  • A. Saber articular as equipes para contornar os problemas; renovar projetos de tecnologia com proissionais que possam acompanhar as inovações, nos preceitos da legislação vigente; promover o pessoal para trabalhar com melhores remunerações. E cabe ao diretor dar o exemplo de dedicação ao serviço. O diretor deve ser um negociador, de forma que os proissionais pensem no hospital como uma instituição durável, que deve dar lucros por muitas gerações e ser um multiplicador e acelerador de vantagens sociais e econômicas.
  • B. Saber ordenar as pessoas para não se esquivarem das responsabilidades; atuar nos programas de concorrência dos proissionais para garantir os recursos, pois sem recursos o hospital irá fechar; promover a competição interna com o pessoal para o trabalho render mais que as capacidades individuais. E cabe ao diretor dar o exemplo de submissão ao trabalho. O diretor deve ser um ágil trabalhador, de forma que os proissionais pensem nele como referência no hospital e uma personalidade estável, que deve se manter muitas gerações e ser um multiplicador e acelerador de benefícios sociais e econômicos para a equipe.
  • C. Saber coordenar as complexas atribuições das equipes multidisciplinares em suas atividades; renovar o pessoal com a frequência necessária para acompanhar a inovação tecnológica, pois sem renovação o hospital irá declinar e morrer; promover a motivação do pessoal para trabalhar sem os recursos necessários. E cabe ao diretor dar o exemplo de dedicação ao serviço. O diretor deve ser rápido em detectar os desvios dos objetivos, de forma que os proissionais pensem no hospital como uma instituição sustentável, que deve durar muitas gestões e ser um multiplicador e acelerador de benefícios pessoais e econô
  • D. Saber coordenar as atividades para se atingir os objetivos; promover programas de capacitação dos proissionais para acompanhar as inovações, pois sem renovação o hospital irá declinar e morrer; promover a motivação do pessoal para trabalhar com entusiasmo. E cabe ao diretor dar o exemplo de dedicação ao serviço. O diretor deve ser um hábil negociador, de forma que os proissionais pensem no hospital como uma instituição estável, que deve durar muitas gerações e ser um multiplicador e acelerador de benefícios sociais e econômicos.
  • E. Saber completar as atividades para se atingir os objetivos; atuar em programas de capacitação para renovar os proissionais com as inovações, pois sem inovação o hospital irá icar no passado; promover a movimentação do pessoal para trabalhar em qualquer setor do hospital com entusiasmo. E cabe ao diretor dar o exemplo dessa dedicação ao serviço. O diretor deve ser um hábil trabalhador, de forma que os proissionais pensem nele como uma referência na instituição, estável, mantendo-se por muitas gestões e sendo um multiplicador e acelerador de benefícios sociais e administrativos.