Administração Gestão de Pessoas

A delegação de poderes ou de autoridade ocorre até nas menores organizações. Quando o gerente da mercearia contrata um ajudante, inicialmente, delega-lhe uma série de tarefas de rotina, explicando-lhe, pormenorizadamente, o que deseja. À medida que aumenta o movimento da mercearia, repete-se este processo de delegação. No entanto, uma das principais dificuldades relacionadas com a autoridade é o não-reconhecimento das limitações, quer expressas ou subentendidas, que cercam quase toda delegação de poderes. Na maioria das vezes, o administrador simplesmente autoriza a realização de determinadas atividades, sem as definir com precisão ou sem se deter seriamente sobre a questão. Embora as idéias básicas sobre delegação sejam aparentemente simples, tem ocorrido com muita freqüência uma série de dificuldades, tais como: Por que delegar? A quem delegar, se não confio no meu pessoal? Como delegar, se continuo sendo o responsável em última instância? Assim sendo, a delegação de poderes refere-se ao processo pelo qual os gerentes:

I. Fixam metas a cumprir, lembrando que metas e objetivos precisam ser quantificáveis, caso contrário não passam de simples desejos.

II. Atribuem poderes aos seus subordinados, considerando que a cada autoridade delegada deve obrigatoriamente equivaler uma igual responsabilidade.

III. Explicitam objetivos não atingidos e apresentam um novo plano de ação, tendo em vista que o planejamento é sempre um instrumento reversível em função das contingências administrativas.

IV. Desempenham as tarefas de acordo com as conveniências que se apresentarem mais favoráveis, já que é mais razoável e seguro perguntar ao superior hierárquico.

V. Atribuem tarefas, autoridade e responsabilidade aos subordinados, lembrando que nunca se delega responsabilidade, uma vez que a toda autoridade equivale igual responsabilidade.

  • A.

    somente a proposição II.

  • B.

    somente a proposição IV.

  • C.

    somente as proposições II e V.

  • D.

    somente as proposições II e IV.

  • E.

    somente as proposições I, III.