Sabe-se que o mundo real é muito complexo e povoado de relações funcionais entre diversas partes. Uma das estratégias para buscar entender as complexas relações entre essas partes e mapear a realidade é usar modelos. Particularmente para o estudo de sistemas, as simplificações de um modelo propiciam melhores condições de compreender e explorar os vínculos das partes no mundo real. Hoje, a gerência e os tomadores de decisão recorrem a modelos para melhor entender os acontecimentos de suas organizações e para melhorarem seus processos decisórios. Neste cenário, admitindo a existência de tipos de modelos para representar a realidade sistêmica de uma organização, não é comum encontramos em uso modelos do tipo:

  • A. narrativos.
  • B. esquemáticos.
  • C. dinâmicos.
  • D. matemáticos.
  • E. físicos.