Leia o trecho a seguir. “...as políticas de gestão pública devem ser entendidas como instrumentos para apoiar a implementação das políticas finalísticas. A construção detalhada do instrumento escolhido vai depender dos objetivos e do ambiente que envolve a política setorial específica. Um exemplo, por sua relevância e transversalidade, é o plano de cargos e salários, um importante instrumento da política de pessoal. Este evidentemente será formulado a partir das necessidades específicas de gestão de pessoal de cada área da administração pública.” (Oliveira, 2012, p.64, com adaptações). Fonte: Oliveira, Ricardo de. Gestão Pública: democracia e eficiência: uma visão prática e política. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2012.

Considerando o trecho descrito anteriormente e com relação a um Plano de Cargos e Salários (PCS) em que o conceito de salário seja equivalente ao de vencimento, pode-se afirmar que:

  • A. PCS objetiva a manutenção dos salários dos servidores equiparados com os dos trabalhadores do setor privado.
  • B. PCS propicia um clima organizacional harmonioso, uma vez que os servidores se sentem motivados.
  • C. PCS dispensa a necessidade de treinamento e desenvolvimento dos servidores, uma vez que os cargos se encontram descritos.
  • D. PCS é um instrumento de gestão rígido, uma vez que os cargos são classificados, descritos e avaliados por um sistema de pontuação imutável.
  • E. PCS busca a manutenção do equilíbrio salarial interno, preservando a hierarquização dos cargos dentro da organização, e do equilíbrio salarial externo, no sentido de adequar os salários da organização frente ao mercado de trabalho.