Ao decidir abrir uma subsidiária em outro país, ou adquirir outras empresas, um executivo pode estar motivado apenas pelo próprio interesse de ampliar o tamanho de sua empresa e o volume de recursos sob seu controle, contrariando os interesses dos acionistas de maximizar o valor das ações e a lucratividade. Esse evento, descrito na teoria de custos de transação como oportunismo gerencial, pode ser definido como:
  • A. manipulação de assimetrias de informação para apropriação de fluxo de lucros;
  • B. uso de recursos da organização em projetos desnecessários;
  • C. apropriação ilegal de fluxo de caixa em projetos particulares;
  • D. divergência na escolha racional entre principal e agente;
  • E. conflito entre indivíduos decorrente da racionalidade limitada.