No que concerne à reforma da função pública, em diversos países há um discurso no qual se enfatiza a necessidade de motivar os funcionários, transformar a sua cultura, promover as suas qualificações, promover a liderança e procurar o envolvimento e o comprometimento dos funcionários com os serviços públicos. Simultaneamente, algumas iniciativas de reforma da função pública caracterizaram-se por um ataque ao estatuto dos funcionários no que diz respeito à segurança de emprego e à remuneração. Ao mesmo tempo em que se diz que os funcionários públicos representam um valor importante da Administração Pública, se faz o downsizing (Araújo, 2004, p. 6).

O trecho citado aponta algumas contradições que ocorrem, dentre outros fatores, devido ao fato de a Nova Administração Pública:

  • A. estimular o comprometimento em troca de maior segurança no emprego;
  • B. importar valores oriundos do setor privado para o setor público;
  • C. aumentar os gastos com pessoal na Administração Pública;
  • D. rejeitar contratações de funcionários fora do Regime Jurídico Único;
  • E. incorporar gratificações por tempo de serviço aos funcionários públicos federais.