No momento em que a Administração adota, em uma área como a da Educação, políticas de responsabilização sem a necessária correspondência com práticas democráticas de avaliação, pode acabar por tomar como premissa:

  • A. o reconhecimento da eficácia dos métodos pedagógicos utilizados;
  • B. a denúncia a respeito de práticas de manipulação de resultados de alunos em avaliações em massa;
  • C. o elogio ao bom uso da autonomia profissional de professores;
  • D. a descaracterização do sistema enquanto instrumento para a legitimação de um regime participativo e crítico;
  • E. a confiança nas relações de ensino/aprendizagem, para além de resultados obtidos em testes estandardizados.