A Proposta de Plano Nacional de Reforma Agrária (PNRA) foi elaborada logo no início da Nova República. Contou com a ativa participação de conhecidos defensores da reforma agrária (Associação Brasileira de Reforma Agrária) e de dirigentes e assessores sindicais vinculados à Contag (Confederação Nacional dos Trabalhadores da Agricultura). O PNRA foi oficialmente lançado durante o IV Congresso Nacional dos Trabalhadores Rurais (maio de 1985). A alternativa que melhor resume os "avanços" do PNRA é:

  • A.

    a desapropriação por interesse social como último recurso; um novo programa de colonização, ênfase nos mecanismos tributários;

  • B.

    a desapropriação por interesse social de áreas para irrigação, a indenização negociada, programas de colonização complementados por assentamentos rurais;

  • C.

    a desapropriação por interesse social como principal instrumento de obtenção de terras; a indenização das terras desapropriadas com base no valor declarado para fins de cobrança do imposto territorial rural, um programa de assentamentos;

  • D.

    maior ênfase na colonização, regularização fundiária e mecanismos tributários;

  • E.

    desapropriação como penalização pelo desrespeito à função social da terra, maior presença de mecanismos tributários e assentamentos.