As cooperativas de crédito podem adotar, na definição de suas estratégias de ação, diferentes lógicas, que influenciam seu impacto sobre a evolução de seus associados. Sobre essa questão, pode-se afirmar que:

  • A.

    a finalidade social de uma cooperativa de crédito depende essencialmente da lógica e da prática de atuação que adota;

  • B.

    as cooperativas de crédito têm um funcionamento diferenciado do adotado pelos sistemas tradicionais de crédito, porque possuem uma finalidade social;

  • C.

    as cooperativas de crédito que se preocupam com a recuperação dos recursos emprestados acabam abrindo mão de sua finalidade social;

  • D.

    adotar uma lógica de preocupação com a rentabilidade econômica (melhores garantias, melhores taxas para a cooperativa) é uma condição necessária, embora não suficiente, para o desempenho da finalidade social da cooperativa, pois propicia estabilidade econômica;

  • E.

    não se deve confundir finalidade social de uma cooperativa de crédito com busca de soluções para o equilíbrio social e territorial, pois estas dependem apenas do poder público.