Na vistoria, o engenheiro de avaliações deverá observar as produções vegetais, descrever seu estado vegetativo e sanitário, seu estágio atual de desenvolvimento, produtividades esperadas e riscos de comercialização, adequação às condições da região e riscos climáticos. Esses elementos serão necessários nos casos de avaliação de culturas pela capitalização da renda, método também conhecido como valor econômico.

Em cada um dos itens a seguir, é apresentada uma situação hipotética relacionada ao assunto abordado no texto acima, seguida de uma assertiva a ser julgada.

Na avaliação de uma pastagem, o avaliador adota como método o custo de formação depreciado em função do seu estado de conservação, utilizando os coeficientes propostos no Manual de Obtenção de Terras do INCRA (ótimo = 1, bom = 0,8, regular = 0,60, precário = 0,40 e mau = 0,20). Na vistoria, o avaliador constata que 100 ha estão em estado vegetativo regular, estimando que pragas e cupins ocupam 10% da área. Outros 100 ha estão em estado precário, com perda de 30% da área em razão da ocorrência de cupins e outras pragas. O custo de formação na região do imóvel é de R$ 400,00 por hectare. Nessa situação, a avaliação para os 200 hectares de pastagem deve ser inferior a R$ 35.000,00.

  • C. Certo
  • E. Errado