NAS QUESTÕES NUMERADAS DE 16 A 40, ASSINALE A ÚNICA ALTERNATIVA QUE RESPONDE CORRETAMENTE AO ENUNCIADO.

De acordo com Da Matta (1989), a partir do momento em que a antropologia, no limiar do século XX, começou a abandonar a postura evolucionista, ficou patente a importância do trabalho de campo, ou pesquisa de campo como o modo característico de coleta de dados para reflexão teórica. Identifique abaixo a tese capaz de expressar a dimensão da pesquisa de campo para a antropologia social:

  • A.

    A base do trabalho de campo, como técnica de pesquisa antropológica, se constitui em um modo de buscar novos dados sem nenhuma intermediação de outras consciências, sejam elas as dos cronistas, dos viajantes, dos historiadores ou dos missionários que andavam antes pela mesma região estudada. É, portanto, um contato direto do estudioso com o seu objeto de investigação.

  • B.

    A base do trabalho de campo consiste no levantamento de fontes que já estudaram o objeto investigado, oferecendo, ao estudioso, uma série de impressões e análises precisas que serão largamente utilizadas nas interpretações apreendidas pelo estudioso em relação ao seu objeto de estudo.

  • C.

    Considera-se a base do trabalho de campo a obrigatoriedade do uso de informantes que, após contatos sistemáticos com o objeto em estudo, repassam tais observações ao estudioso que, por sua vez, terá a árdua tarefa de transformar tais dados em teoria.

  • D.

    Na prática da pesquisa de campo, o uso freqüente de outras fontes, além dos informantes, é algo imprescindível, sobretudo porque é através de tais dados que o estudioso passa a conhecer seu objeto de estudo. Neste caso, aliando tais dados às teorias, consegue, ele próprio, escrever uma etnografia acerca do fenômeno investigado.