Nos últimos trinta anos, os índios no Brasil deixaram de ser uma categoria social em extinção, meras vítimas dos impactos inevitáveis do desenvolvimento, para alcançar a condição de importantes parceiros potenciais do chamado desenvolvimento sustentável. Neste contexto, o antropólogo Beto Ricardo do Instituto Socioambiental sustenta que um dos grandes desafios para as sociedades indígenas consiste em:
  • A. conquistar o apoio efetivo de agências do Governo, especialmente da FUNAI para suprir as necessidades crescentes das aldeias.
  • B. a possibilidade das associações indígenas traduzirem sua crescente expressividade político-institucional em autonomia econômica para as populações que se encarregam de representar.
  • C. atrair empresas nacionais e internacionais para explorar os recursos energéticos e as riquezas mineiras nas Terras Indígenas para ocuparem a força de trabalho nas aldeias.
  • D. encontrar patronos que instrumentalizem as aldeias e, principalmente, forneçam recursos energéticos e distribuam alimentos regularmente.
  • E. a possibilidade das associações indígenas terem assento permanente no Congresso Nacional.