Arquitetura

Em edifícios e ambientes de trabalho onde há a emissão de ruídos nocivos pode ocorrer a fadiga auditiva, que se manifesta como

  • A.

    um déficit na faixa de 100 a 10.000 Hz que se acentua e estende às freqüências mais baixas, mas principalmente às mais elevadas, provocando, então, um grave distúrbio.

  • B.

    uma elevação permanente do limiar de audição, predominando na faixa de meia a uma oitava acima do limite superior do ruído nocivo.

  • C.

    um déficit na faixa de 3.000 a 6.000 Hz que se acentua e estende às freqüências mais baixas, mas principalmente às mais elevadas, provocando, então, um grave distúrbio.

  • D.

    uma elevação temporária do limiar de audição, predominando na faixa de meia a uma oitava acima do limite superior do ruído nocivo.

  • E.

    uma elevação permanente do limiar de audição, que atinge o espectro da palavra (100 a 10.000 Hz).