Arquitetura

As estações de tratamento de águas presentes nos sistemas de esgotos urbanos são instalações destinadas a eliminar os elementos poluidores, permitindo que essas águas sejam lançadas nos corpos receptores finais em condições adequadas. Dependendo da capacidade do corpo d’água receptor e da carga de poluição a ser lançada, são necessários diversos processos de tratamento das águas residuárias, a fim de evitar, tanto quanto possível, os efeitos da poluição. Sobre as diversas fases dos sistemas de tratamento convencional das águas residuárias, o tratamento

  • A.

    secundário destina-se à remoção de sólidos grosseiros, detritos, minerais, materiais flutuantes, óleo e graxas, como procedimento que se segue ao tratamento primário.

  • B.

    secundário destina-se a situações especiais em que haja necessidade de um grau de tratamento excepcionalmente elevado, como complementação do tratamento primário.

  • C.

    terciário destina-se a situações em que haja um grau de depuração compatível com a capacidade autodepurativa do corpo d’água receptor, ou em casos em que os efluentes não sejam elevados.

  • D.

    primário destina-se à remoção de impurezas sedimentáveis de grande parte dos sólidos em suspensão e à redução de cerca de 30 a 40% da demanda bioquímica de oxigênio.

  • E.

    preliminar é adotado para os casos em que é necessária a remoção de nutrientes dos efluentes finais, para evitar a proliferação de algas no corpo receptor.