A teoria das três idades da prática arquivística tem sido usada para a avaliação. Nela, os arquivos são divididos em:

  • A.

    correntes, históricos e morto;

  • B.

    históricos, intermediários e relativos;

  • C.

    correntes, intermediários e permanentes;

  • D.

    relativos, permanentes e morto;

  • E.

    históricos, relativos e permanentes.