“A maioria dos documentos oficiais modernos preservados em arquivos de custódia é valiosa, menos pela prova que oferecem da ação do governo, do que pela informação que apresentam sobre pessoas determinadas, situações, eventos, condições, problemas, coisas e propriedades que deram origem à competente ação” (SCHELLENBERG, Theodore Roosevelt. Arquivos Modernos: princípios e técnicas, 2.ª ed., Rio de Janeiro, FGV, 2002, p.199).

Sobre os valores informativos dos documentos, é correto afirmar que:

  • A. derivam somente da informação existente nos documentos oficiais sobre as próprias repartições.
  • B. as séries mais volumosas de documentos existentes nos arquivos nacionais foram recolhidas pela própria ação do governo, desconsiderando-se qualquer informação que pudessem conter sobre outros assuntos.
  • C. são a qualidade pela qual um documento evidencia a existência ou a veracidade de um fato.
  • D. na apreciação do valor informativo existente nos documentos oficiais, o arquivista leva em consideração apenas a origem dos documentos.
  • E. existem testes pelos quais se pode julgar os valores informativos dos documentos oficiais, a saber: verificação da unicidade, da forma e da importância dos documentos.