O “Auto da Compadecida”, é uma peça teatral em forma de auto (gênero em que a moral é um elemento decisivo no destino dos personagens), em três atos, escrita em 1955 pelo autor brasileiro Ariano Suassuna. Em 1962, foi considerada pelo crítico Sábato Magaldi “o texto mais popular do moderno teatro brasileiro”. Em 1999, o “Auto da Compadecida” foi apresentado como uma minissérie e, em 2000, foi adaptado para o cinema. Em que consiste o enredo dessa obra?

  • A.

    Conta a história de dois personagens pelo sertão, amigos de infância. Ambos se juntam a um bando de jagunços por vingança a uma morte na família. Para isso,umdeles fazumpacto com o diabo.

  • B.

    Narra as aventuras de dois sertanejos, um deles pobre e mentiroso e seu amigo, um covarde, mas inocente e de bom coração, na luta pelo pão de cada dia. Depois de enganarem a todos na pequena cidade em que vivem, atraem a ira de um temido cangaceiro e, ao irem para o purgatório, negociam a redenção.

  • C.

    Consiste na luta de diversos tipos bem característicos, que estão em um lugar imaginário, por um lugar no céu. Cada personagem discute com o Diabo e com o Anjo para onde irá. No final, o principal personagem fica no cais, o que nos transmite a ideia de que era uma pessoa bastante simples e humilde, mas que havia pecado.

  • D.

    Conta a história de uma família de retirantes do sertão brasileiro condicionada à dura vida, diante de problemas como a seca, a pobreza e a fome e, dessa forma, a procurar meios de sobrevivência, tendo uma relação bem forte com o Brasil atual.

  • E.

    Consiste no itinerário do retirante nordestino, que parte do sertão paraibano em direção ao litoral, em busca de sobrevivência, devido à seca e às precárias, se não insustentáveis, condições de vida, para a esmagadora maioria da população. É dividido em duas partes: antes de chegar em Recife e depois. Antes de chegar chamamos de caminho ou fuga da morte; e depois em o presépio ou encontro da vida.