Para Luigi Pareyson, em seu livro Problemas da Estética: ler significa executar, e executar significa fazer com que a obra viva de sua própria vida, torná-la presente na plenitude da sua realidade sensível e espiritual. Pareyson distingue três aspectos da execução: a decifração, a mediação e a realização. Este último aspecto exige que o leitor de uma obra de arte:

  • a.

    faça uma releitura, se apropriando deste modo do que a obra lhe diz.

  • b.

    reconstrua, internamente, a realidade viva da obra, fazendo-a viver segundo aquela vida que o espectador ou o ouvinte considerem que lhe seja própria.

  • c.

    recrie a obra, não como cópia, mas como a expressão pessoal do que a própria obra lhe provoca.

  • d.

    reflita sobre o contexto social, cultural e histórico de quando a obra foi produzida.

  • e.

    responda o que sabe sobre a vida do artista.