“No Brasil, uma sociedade extremamente dançante, a música e a dança fazem parte de nosso dia-a-dia e estão intrinsecamente associadas” (Strazzacappa, 2001, p.47).

Se o Brasil vende e revende a imagem de um país que dança, por que nas escolas o ensino é tão incipiente? Percebe-se uma contradição, a dança apenas reproduz modelos tecnicistas, e ainda não se legitimou no contexto escolar como possibilidade para formação humana. Nesse processo de formação a dança na escola hoje deve:

  • A. favorecer o aprendizado de conteúdos específicos da dança de forma crítica, consciente, transformadora e de elementos essenciais à educação do ser social.
  • B. possibilitar o aprendizado específico dos conteúdos e selecionar os mais aptos para um ensino de dança de forma atraente para os jovens e presente na mídia.
  • C. propiciar momentos de recreação e lazer, bem como de descontração dos estudantes visando à prevenção do stress presente na rotina massante das escolas.
  • D. apresentar os conteúdos específicos de dança levando em conta avaliação de pré-requisitos visando ao desenvolvimento da coordenação motora, flexibilidade e ritmo