De acordo com Martins etalii (1998), uma avaliação é uma bússola de excelente qualidade para o professor se orientar. Ela é um diagnóstico dos alunos, do professor e do assunto tratado. É ponto de chegada e de partida; é meio, começo, fim e reinício.

As autoras relacionam, na avaliação em Arte, uma série de “pontos de chegada”, dentro de cada linguagem específica, a partir de três campos conceituais que subsidiam o trabalho em arte. Esses campos conceituais foram denominados como:

  • A. criação/produção; percepção/análise; conhecimento da produção artístico-estética
  • B. conteúdo/habilidade; objetivo/competência; destreza no uso de instrumentos
  • C. objetivo geral/específi co; comportamento/atitude; identificação dos estilos estéticos
  • D. leitura/fruição; aprimoramento/aprofundamento; julgamento da qualidade artística
  • E. história/contexto; produto/resultado; evolução do gosto estético