• A. nos espetáculos de Loie Fuller, a luz assumiu protagonismo, ao passo que, para Artaud, a ação da luz devia realçar a supremacia e caráter único da palavra humana, encarnada pelo ator;
  • B. tanto Artaud quanto Fuller exploraram a iluminação elétrica no sentido de construir novas relações no espaço cênico, produzindo efeitos de fluidez e mobilidade, para a primeira, e agindo sobre a sensibilidade, para o segundo;
  • C. para Fuller, luz e vestuário compunham uma linguagem única, por sua função ornamental na composição do espetáculo, capturando a atenção do público por seus efeitos de ilusionismo;
  • D. tanto para Artaud quanto para Fuller o espaço cênico desempenhou o papel de espelho da natureza, no sentido da exploração dos ritmos físicos do movimento para produzir familiaridade no expectador e suscitar seu encantamento;
  • E. para Artaud, o efeito de aparelhos luminosos no espaço cenográfico implicava situar com mais realidade não apenas o local da ação dramática, distinguindo-o da plateia, como também a movimentação mais livre dos atores no palco.