Em 29 de maio de 1913, estreou em Paris o balé A Sagração da Primavera, com música de Igor Stravinsky e coreografia de Vaslav Nijinsky, um marco vanguardista na história da música e da dança modernas, tendo sido retomado por coreógrafos importantes como Maurice Béjart, Pina Bausch e Martha Graham. A alternativa que identifica corretamente uma característica moderna da concepção de música e dança apresentada por Stravinsky e Nijinsky é:
  • A. o dodecafonismo da música de Stravinsky contrastava com a coreografia clássica de Nijinsky, compondo o ambiente de sonho e sensualidade característico de A Sagração da Primavera;
  • B. o código estético do balé, com seus movimentos estilizados, sapatilhas pontiagudas e figurinos esvoaçantes, foi explorado por Nijinsky para compor o enredo do sacrifício ritualístico de A Sagração da Primavera;
  • C. a preeminência da percussão sobre a melodia na música de Stravinsky forneceu a rítmica da criação coreográfica de Nijinsky, onde os bailarinos golpeavam os solos com os pés, explorando os movimentos contorcionistas do corpo;
  • D. a narrativa de A Sagração da Primavera inverte os papeis do balé clássico, ao privilegiar a figura masculina, coreografada para explorar o corpo lateralizado, criando a impressão de uma cena bidimensional;
  • E. Stravinsky consolida o cânone musical da correção rítmica e harmônica, aplicando-o aos procedimentos evolutivos típicos dos temas folclóricos russos.