Desenvolveu, ao lado de John Cage, a “coreografia por sorteio”, uma técnica na qual movimentos isolados ganhavam sequência, de tal modo que o movimento era esvaziado tanto quanto possível de qualquer narrativa e implicação emocional. O mesmo se passava com a música de Cage, com seus registros de sons, livres de juízo sobre o que era ou não “musical”. Desconectava-se, assim, a música da dança, de modo a priorizar o movimento e fazer da dança o objeto principal da coreografia.

O trecho acima caracteriza uma importante proposta coreográfica do século XX concebida por:
  • A. Merce Cunningham;
  • B. Martha Graham;
  • C. Twyla Tharp;
  • D. George Balanchine;
  • E. Isadora Duncan.