Novas abordagens da indexação automática tornam cada vez mais tênue a fronteira entre ciência da informação e inteligência artificial. Abordagens estas, outrora exclusivas da filosofia (ontologia), da linguística (semântica, semiótica), ou da matemática, da física e da estatística (matrizes, vetores, clusters, infometria), abrem, expandem e consolidam novos espaços para a ciência da informação em benefício de todos, ou melhor, de todos os que não querem continuar adormecidos pela saudade de uma realidade que não existe mais. Em outra ordem de ideias, cabe lembrar a abordagem da linguística computacional, para análise automática de textos completos. Com o auxílio do computador, esta realiza uma análise sintática e semântica das sentenças para estudar as estruturas e o significado da linguagem do texto, no processo de indexação automática. A análise sintática identifica a função da palavra na sentença, ou seja, sua classe gramatical, assim como a relação entre as palavras da sentença. Diante disso, é CORRETO afirmar que a
  • A. análise semântica ajuda a estabelecer relações de classe entre termos, associando-os a um determinado conceito. No modelo clássico da gramática transformacional, trata-se de identificar a estrutura profunda de uma sentença, mediante transformações adequadas das estruturas superficiais das diversas sentenças que possuem o mesmo significado.
  • B. análise sintática estabelece relações de classe entre termos, associando-os a um determinado conceito. No modelo clássico da gramática transformacional, trata-se de identificar a estrutura profunda de uma sentença, mediante transformações adequadas das estruturas superficiais das diversas sentenças que possuem significados diferentes.
  • C. análise sintática e a semântica não estabelecem relações de classe entre termos associados a um determinado conceito. No modelo clássico da gramática transformacional, trata-se apenas de identificar a estrutura de uma sentença, mediante transformações adequadas das estruturas superficiais das diversas sentenças que possuem significados diferentes.
  • D. análise lexical ajuda a estabelecer relações de classe entre termos, associando-os a um determinado conceito. No modelo clássico da gramática transformacional, trata-se de identificar a estrutura profunda de uma sentença, mediante transformações adequadas nas estruturas superficiais das diversas sentenças que possuem significados diferentes.
  • E. análise morfológica estabelece relações de classe entre termos, associando-os a um determinado conceito. No modelo clássico da gramática transformacional, trata-se de identificar a estrutura profunda de uma sentença, mediante transformações adequadas das estruturas superficiais das diversas sentenças que possuem o mesmo significado.