Biologia Metodologia Científica Práticas Laborais

A despeito do grande avanço nas técnicas imunológicas de diagnóstico ocorrido nas últimas décadas, o diagnóstico da malária continua sendo feito pela tradicional pesquisa do parasito no sangue periférico, seja pelo método da gota espessa ou pelo esfregaço sanguínea. Apesar de sua inquestionável vantagem, o diagnóstico parasitológico da malária pelo método da gota espessa é dependente dos seguintes fatores:

1. Habilidade técnica no preparo da lâmina, seu manuseio e coloração.

2. Qualidade ótica e iluminação do microscópio.

3. Competência e cuidado por parte do microscopista.

4. Capacidade de detecção de parasitemia igual ou superior a 10 a 20 parasitos por microlitro de sangue, quando 100 campos microscópicos são examinados por microscopista devidamente treinado.

São verdadeiras as afirmativas:

  • A.

    1, apenas

  • B.

    1 e 2, apenas.

  • C.

    1, 2 e 3, apenas.

  • D.

    2 e 3, apenas.

  • E.

    1, 2, 3 e 4.