A finalidade da identificação humana individual, área da medicina legal e da criminalística, é fornecer provas para auxiliar o julgador. Esse tipo de identificação é utilizado em inúmeros casos, como, por exemplo, disputas cíveis de filiação, identificação de criminosos e(ou) vítimas, localização de pessoas desaparecidas e confronto entre vestígios de vários delitos. Sua origem é remota na história, porém suas bases iniciais constam do trabalho pioneiro de Bertillon, em que o autor utilizava características consideradas fixas, desde a idade adulta até a morte, como o sexo, características morfológicas e sinais particulares, como cicatrizes, tatuagens etc.

Tendo o texto acima como referência inicial, julgue os próximos itens, relativos à identificação humana individual.

A genitália externa, característica morfológica mais utilizada para atribuir o sexo legal ao indivíduo, define-se no final da oitava semana do desenvolvimento fetal.
  • C. Certo
  • E. Errado