Ao se clonar um determinado gene num vetor de expressão, é comum digerir o sítio de clonagem desse vetor com duas enzimas de restrição diferentes, ao invés de somente uma. O inserto que será clonado também possui, nas suas extremidades, as seqüências dos sítios para as mesmas enzimas de restrição. Esse procedimento é realizado com o objetivo de:
  • A. aumentar o número de cópias do plasmídeo após a transfecção;
  • B. garantir que a cadeia a ser transcrita encontra-se no sentido correto;
  • C. facilitar a purificação da proteína recombinante após a expressão;
  • D. impedir a degradação do produto recombinante por nucleases sítio-específicas;
  • E. favorecer a localização do inserto próximo à região promotora do vetor.