Em medicina, o uso de "DNA micro-arrays", tem encontrado um grande potencial na área de diagnósticos. Nessa técnica, seqüências específicas de DNA são imobilizadas em pequenos fragmentos de sílica, que atuam então como matrizes sólidas para hibridação com RNA extraído das amostras de interesse sendo marcado com fluoróforos. Na prática, mistura-se as populações de RNA das células normais (marcado com o fluoróforo 1) com o RNA das células tumorais (marcado com o fluoróforo 2) e essa mistura é então hibridada com o DNA presente nos micro-arrays. Os resultados revelam:
  • A. a presença de mutações no RNA das células tumorais;
  • B. o grau de replicação de genes específicos das células tumorais;
  • C. a ocorrência de defeitos de tradução nas células tumorais;
  • D. o nível de expressão de determinados genes das células tumorais;
  • E. a integridade dos RNA de transferência (tRNA) das células tumorais.