As técnicas de inseminação artificial para animais em geral lançam mão de sêmen congelado. A criopreservação do sêmen utiliza uma solução que geralmente contém uma fonte de energia (açúcar), uma fonte de proteína (clara de ovo ou leite), um crioprotetor (glicerol), eletrólitos da solução tampão e antibióticos. A suspensão do sêmen nessa solução é então armazenada em nitrogênio líquido, a -196 oC. A função do crioprotetor é:
  • A. impedir a desnaturação do DNA dos espermatozóides durante o congelamento;
  • B. manter o pH da solução tampão dentro da faixa de 7,0 a 7,4;
  • C. impedir a formação de cristais de água nos espermatozóides;
  • D. inibir a reação prematura de capacitação dos espermatozóides;
  • E. inibir a ação das nucleases que degradam o DNA dos espermatozóides.