Ciência da Computação Software Engenharia de Software

Em relação à análise de requisitos funcionais e nãofuncionais, é correto afirmar:

  • A. Dependendo da fase de projeto, a análise dos requisitos funcionais e não-funcionais recebe o mesmo nível de tratamento, em função da necessidade de se definir o que é para fazer, qual produto gerar (requisito não-funcional) e qual a forma, conteúdo, comportamento e atributos deve conter o produto (requisito funcional).
  • B. Os requisitos funcionais e não-funcionais têm tratamento diferenciado em cada fase de projeto. Primeiro, é necessário definir o que é para fazer, qual produto gerar (requisito não-funcional); segundo, qual forma, conteúdo, comportamento e atributos deve conter o produto (requisito funcional). Isto quer dizer que somente se consegue definir atributos ou características de qualidade à medida que se tenha a definição do produto.
  • C. Na fase de estudo preliminar ou estudos de projeto, a validação dos requisitos depende do processo de qualificação das informações de origem, funcionalidade e relacionamento de dependências dos requisitos e do processo de qualificação de exigências pelos stakeholders. Nesta fase os requisitos não-funcionais são documentados e priorizados para serem utilizados na fase de implantação.
  • D. A fase de modelo físico deve agregar aos requisitos funcionais os requisitos não-funcionais obtidos nas várias oportunidades de captura de informações, tratá-los em termos de prioridade, precedência e relacionamentos entre si, com ênfase em como o software deve funcionar.
  • E. Na fase de modelo lógico, são detalhados os eventos e visões dos processos, identificados os papéis e responsabilidades dos stakeholders. Esta fase deve agregar aos requisitos funcionais os requisitos nãofuncionais obtidos nas várias oportunidades de captura de informações, tratá-los em termos de prioridade, precedência e relacionamentos entre si