Evitar que informações caiam em mãos erradas já é uma prática de milhares de anos. Júlio César, antigo Imperador de Roma, já usava essa técnica, quando queria enviar mensagens aos seus generais. O objetivo era evitar que suas ordens caíssem em mãos inimigas e, assim, suas táticas e missões não seriam descobertas. A técnica que César usava era deslocar as letras do alfabeto para frente, como, por exemplo, em três casas. Assim, a letra A seria D, B seria E e, assim, sucessivamente. Atualmente, existem vários algoritmos de criptografia, fundamental para que as comunicações ocorram com segurança, principalmente quando se refere às transações bancárias. Essas operações devem ser muito seguras. Existem duas formas de criptografia: simétrica (emissor e receptor usam uma mesma chave para encriptação e decriptação) e assimétrica (emissor e receptor usam chaves diferentes). Os algoritmos também são classificados em simétricos e assimétricos. São considerados algoritmos simétricos:
  • A. CaAst / Aritmética modular.
  • B. DES (Data Encryption Standard) / Elgamal.
  • C. AES (Advanced Encryption Standard) / DES Triplo.
  • D. Blowfish / RSA (Rodal Rivest, Adi Shamir e Leonard Adleman).
  • E. IDEA (International Data Encryption Algorithm) / DH (Diffie]Helman).