Medicina Especialidade Cardiologia

Texto para as questões 42 e 43

 

João, com 36 anos de idade, foi levado ao pronto-socorro cardiológico por apresentar palpitações taquicárdicas iniciadas cerca de 3 horas antes do atendimento e que se associaram a síncope. Esses sintomas surgiram após longo período de grande ingestão de bebidas alcoólicas destiladas. Não há relato de doenças cardiovasculares prévias. O exame físico, realizado na sala de emergência, mostrou paciente alcoolizado, com hálito etílico, sonolento, com discreta cianose e perfusão capilar lenta nas extremidades, pressão arterial de 70 mmHg × 45 mmHg, freqüência cardíaca de 150 bpm. A ausculta cardíaca mostrou ritmo cardíaco taquicárdico, regular, em 2 tempos, bulhas normofonéticas, sem sopros, pulsos periféricos filiformes. Ausculta pulmonar e exame abdominal sem anormalidades. Após a avaliação clínica inicial, foi instalado um monitor cardíaco e obtida uma tira de ritmo — derivação D2, na velocidade do papel de 25 mm/s e calibração de 1 cm = 1 mV —, mostrada abaixo.

O diagnóstico mais provável da arritmia cardíaca mostrada no traçado eletrocardiográfico apresentado na situação hipotética é

  • A. taquicardia ventricular monomórfica.
  • B. taquicardia ventricular helicoidal (torsades des pointes).
  • C. flutter atrial.
  • D. taquicardia atrial multifocal.
  • E.

    taquicardia supraventricular paroxística por reentrada nodal.