Medicina Especialidade Cardiologia

Texto VII, para responder às questões 37 e 38.

Josefa, 48 anos de idade, procurou atendimento médico ambulatorial com relato de que, há 20 dias, apresentou 4 episódios de dor retroesternal, em aperto, com irradiação para o ombro esquerdo, em repouso, com duração de 5 a 10 minutos, e que ocorreram no final da madrugada (por volta das 5 horas da manhã). Relata tabagismo leve (cerca de 5 cigarros ao dia, por 10 anos). Nega outras doenças e uso de medicações regularmente, bem como de drogas ilícitas. O exame físico mostrou: pressão arterial de 118 mmHg × 70 mmHg, frequência cardíaca de 65 bpm, ausculta cardíaca e pulmonar sem anormalidades. O eletrocardiograma de repouso mostrou: ritmo sinusal, frequência ventricular média de 62 spm, eixo elétrico médio do complexo QRS = +30º, dentro dos limites da normalidade para a idade. Para fins de investigação, a paciente foi submetida a exame de eletrocardiografia dinâmica de 24 horas (sistema Holter), do qual a tira de ritmo apresentada a seguir foi extraída. Resta reforçar que, nesse momento, a paciente anotou ter tido a dor retroesternal no diário.

Com relação à condição clínica apresentada no texto, assinale a alternativa correta.

  • A.

    Não há nenhuma evidência de relação entre alterações na função autonômica cardíaca e os achados eletrocardiográficos observados na tira de eletrocardiograma mostrada na figura.

  • B.

    O uso de álcool e anfetaminas previne a ocorrência de eventos eletrocardiográficos como o observado na figura.

  • C.

    Para confirmação da principal hipótese diagnóstica, nesse caso, é obrigatória a realização de testes provocativos de isquemia, por meio do uso de ergonovina ou hiperventilação pulmonar, por exemplo.

  • D.

    Geralmente, pacientes com essa condição clínica não apresentam fatores de risco coronariano clássicos, com exceção do hábito tabágico.

  • E.

    Apesar de ser capaz de demonstrar, com alta prevalência, as alterações típicas associadas a essa afecção cardíaca, o teste ergométrico não deve ser realizado na paciente, pelo elevado risco de morte súbita relacionado com esse tipo de exame em tal condição clínica.