Medicina Especialidade Clínica Geral

Um paciente de 34 anos é acompanhado na Unidade Básica de Saúde da Família com hipertensão arterial sistêmica há 2 anos. É sabidamente um paciente com baixa adesão às recomendações e prescrições e há um mês está sem anti-hipertensivo. Na consulta atual queixa-se de emagrecimento, adinamia e está com cefaléia constante há mais de 24h que não melhora com analgésicos. Seu exame físico: PA= 200/130 mmHg, FC= 65 bpm, B2 hiperfonética em foco aórtico. Fundoscopia com edema de papila bilateral, com focos hemorrágicos retinianos e exsudatos algodonosos.

Qual a melhor conduta neste caso?

  • A.

    Orientar o paciente para fazer uso regular da medicação anti-hipertensiva e programar acompanhamento domiciliar da pressão arterial pelo enfermeiro da unidade.

  • B.

    Encaminhar o paciente para internação no intuito de controlar a pressão.

  • C.

    Prescrever medicação anti-hipertensiva sublingual e programar seguimento ambulatorial mais freqüente.

  • D.

    Manter o paciente em observação por 8h na unidade após uso de medicação anti-hipertensiva sublingual, retornando a prescrição das medicações antihipertensivas.

  • E.

    Prescrever medicação anti-hipertensiva sublingual e solicitar avaliação do oftalmologista.