Medicina Especialidade Clínica Geral

Homem de 48 anos em tratamento psicoterápico por depressão, em medida de pressão arterial em uma consulta de rotina foi identificada pressão alta. Conta história de "bronquite" na infância e tabagismo de 1 maço/dia por 20 anos; no momento sem queixas respiratórias. Última espirometria há 6 meses com VEF 1 pré-broncodilatador = 58% do predito, VEF 1 pós-broncodilatador = 60% do predito, VEF1/CVF = 68%. Antecedentes: pai falecido aos 54 anos por problema cardíaco. Na primeira consulta apresentava PA = 150 × 100 mmHg, sem outras alterações a não ser sobrepeso (IMC = 26). Após 30 dias, apresenta-se com PA = 146 × 94 mmHg e trouxe os exames (sódio e potássio, creatinina, hemoglobina, glicemia, eletrocardiograma e radiografia torácica) normais. Além de orientações quanto à mudanças no estilo de vida e hábitos, deverá ser indicada a introdução de

  • A.

    alfa metildopa, 250 mg 4 vezes ao dia.

  • B.

    enalapril, 10 mg, dose única.

  • C.

    propranolol, 80 mg de 8/8 horas.

  • D.

    furosemida, 40 mg, pela manhã.

  • E.

    espironolactona, 25 mg, dose única.