Medicina Especialidade Clínica Geral

Um homem de 23 anos de idade, auxiliar de carpintaria, procurou assistência médica relatando estar com uma mancha dormente (que, segundo ele, não ardia, não coçava e não doía) surgida havia 4 meses e que não apresenta alteração quando exposta à luz do sol. Ele negou haver familiares seus com doenças de pele. O exame físico nele realizado mostrou pressão arterial de 120 mmHg × 75 mmHg. Ao exame dermatológico, verificou-se pele íntegra em quase toda a extensão do tegumento, exceto por presença de uma mancha hipocrômica localizada na face posterior e lateral da mão esquerda, com limites imprecisos. O homem informou não sentir dor, apenas leve formigamento no local. O exame de sensibilidade da lesão revelou hipoestesia térmica, dolorosa e tátil. Observaram-se, ainda, discreta madarose em ambos os supercílios e leve infiltração dos pavilhões auriculares. Foi constatado espessamento não doloroso e bilateral dos nervos ulnares à palpação dos nervos periféricos.

Com base no caso clínico acima, julgue os itens que se seguem.

Das informações clínicas mencionadas conclui-se que se deva iniciar o tratamento do paciente administrando-lhe rifampicina, pirazinamina e isoniazida.

  • C. Certo
  • E. Errado