Medicina Especialidade Clínica Geral

Um paciente de 30 anos de idade relatou, durante a consulta médica, ter apresentado, nos seis meses anteriores à consulta, mais de quinze episódios mensais de cefaleia holocraniana, bilateral, em aperto, de intensidade leve a moderada, não-pulsátil. Relatou, ainda, que os sintomas não apresentavam piora nem o impediam de realizar suas atividades físicas rotineiras. A duração da cefaléia, segundo ele, era de trinta a sessenta minutos. Além disso, havia melhora com o uso de analgésicos comuns (dipirona, por exemplo). O paciente negou outras doenças, assim como o uso regular de medicações, exceto analgésicos comuns. O exame físico mostrou bom estado geral, pressão arterial = 110 mmHg × 75 mmHg e frequência cardíaca = 60 bpm. Ao exame segmentar (inclusive o neurológico), não foram observadas anormalidades.

Considerando o caso clínico acima, julgue os itens subsecutivos.

Os ataques agudos de cefaleia desse paciente devem ser inicialmente tratados com oxigênioterapia inalatória (8 L/min), associada a sumatriptano ou ergotamina.

  • C. Certo
  • E. Errado