Medicina Especialidade Clínica Geral

Joana, com 26 anos de idade, trabalha no serviço de higienização de um hospital público do Distrito Federal. Ela procurou o serviço médico de sua empresa para fazer uma atualização de sua carteira de vacinação. Nessa ocasião, o médico verificou que não havia comprovação de vacinação anterior, salvo há 16 anos, quando lhe foi aplicada a vacina contra a febre amarela.

Considerando o caso clínico apresentado e o calendário básico de vacinação proposto pelo Ministério da Saúde do Brasil, o médico deve prescrever

vacina contra difteria e tétano, com a orientação de fazer uso dessas vacinas a cada 10 anos, por toda a vida.

  • C. Certo
  • E. Errado