Medicina Especialidade Clínica Geral

Texto para as questões 52 e 53

Um paciente de cinquenta e três anos de idade, portador de cirrose hepática de etiologia alcoólica, foi atendido em emergência hospitalar apresentando vômito de coloração escura e diarreia enegrecida e fétida — quadro clínico que se iniciou havia dois dias. Segundo a família, o paciente apresentou aumento do volume abdominal, dor difusa na região, diminuição do volume urinário, comportamento inadequado e grande dificuldade em despertar-se do sono. Ao exame físico, o paciente apresentou-se torporoso, descorado, taquipneico, febril, ictérico e acianótico, tendo sido observado, ainda, ginecomastia, hipotrofia muscular, ausência de pilificação, frequência cardíaca de 111 bpm e pressão arterial de 88 mmHg × 58 mmHg. Ao exame, observou-se que o abdômen estava globoso, distendido, sem sinais de irritação peritoneal e com sinal de piparote positivo, apresentando-se doloroso à palpação superficial. Constatou-se, ainda, macicez móvel, bem como fígado e baço não palpáveis e não percutíveis. Os exames laboratoriais apresentaram os seguintes resultados: hemoglobina = 8/dL; hematócrito = 26%; creatinina = 1,9 mg/dL; ureia = 74 mg/dL; potássio sérico = 5,9 mEq/L; e sódio sérico = 122 mEq/L.

Considerando-se o caso clínico acima, é correto afirmar que o provável mecanismo fisiopatológico que ocasionou a alteração do estado de consciência do paciente foi

  • A.

    o aumento dos níveis de mioinositol no cérebro.

  • B.

    o aumento da concentração de amônia.

  • C.

    a hipoatividade do sistema GABA (ácido gama-aminobutírico).

  • D.

    a deposição de zinco nos gânglios da base.

  • E.

    a deficiência de manganês.