Medicina Especialidade Clínica Geral

Uma senhora, com quarenta e dois anos de idade, foi atendida na sala de emergência com diagnóstico de hipertensão arterial crônica mal controlada, cefaleia intensa, confusão mental e importante sonolência. No exame clínico, a paciente mostrou-se desorientada no tempo e no espaço, sonolenta, eupneica, acianótica, com pressão arterial de 240 mmHg × 125 mmHg e frequência cardíaca de 98 bpm. O exame neurológico apresentou ausência de sinais de lateralização, de irritação meníngea, reflexos superficiais e profundos presentes e simétricos e pupilas isocóricas e fotorreagentes. Foi realizado o exame do fundo de olho. Durante a avaliação médica, a paciente apresentou um episódio de convulsão focal, de curtíssima duração. O principal diagnóstico foi de encefalopatia hipertensiva.

Acerca dessa condição clínica, assinale a opção correta.

  • A.

    Como a convulsão focal não é uma manifestação observada nessa doença, deve-se considerar o diagnóstico alternativo de acidente vascular cerebral isquêmico.

  • B.

    No exame de fundo de olho, a presença de exsudatos difusos e bilaterais sem outras alterações, são os achados mais característicos dessa condição clínica e praticamente selam o diagnóstico.

  • C.

    O tratamento básico dessa condição deve ser realizado de forma imediata, por meio de nitroprussiato de sódio.

  • D.

    Trata-se de uma urgência hipertensiva, que deve ser imediatamente controlada.

  • E.

    Essa condição tem como base etiopatogênica uma maciça hemorragia intracerebral.