Medicina Especialidade Clínica Geral

Texto para as questões de 46 e 47

Uma senhora, com sessenta e três anos de idade, com história pregressa de hipertensão arterial, procurou o serviço de emergência e relatou dor torácica anterior intensa, de início súbito, com sensação de algo sendo rasgado no interior de seu tórax, irradiada para ambos os membros superiores. No exame físico, apresentou pressão arterial de 180 mmHg × 85 mmHg no membro superior direito e de 210 mmHg × 110 mmHg no membro superior esquerdo, frequência cardíaca de 120 bpm, consciente, orientada, sem sinais neurológicos de lateralização. O exame cardiovascular mostrou ritmo cardíaco regular em três tempos, à custa de 4.ª bulha, sem sopros. Pulsos arteriais carotídeos, braquiais e radiais direitos diminuídos de amplitude (+/+4) em relação aos pulsos contralaterais. Sem outras anormalidades. A radiografia de tórax mostrou importante alargamento do mediastino na projeção póstero-anterior. No eletrocardiograma convencional, apresentou taquicardia sinusal (125 spm), desvio do eixo do complexo QRS para a esquerda, sinais de sobrecarga ventricular esquerda com alterações difusas e secundárias da repolarização ventricular (padrão de strain). As dosagens de marcadores de necrose miocárdica estavam dentro dos limites da normalidade. Dosagem de D-dímero acima da faixa de normalidade.

Com base nas informações clínico-laboratoriais apresentadas no quadro clínico em tela, é correto afirmar que o principal diagnóstico é de

  • A.

    cardiopatia hipertensiva descompensada.

  • B.

    dissecção aguda da aorta.

  • C.

    tromboembolismo pulmonar.

  • D.

    infarto do miocárdio sem supradesnivelamento do segmento ST.

  • E.

    síndrome de Tietze.