Medicina Especialidade Clínica Geral

Um paciente com sessenta e quatro anos de idade é tabagista e tem história de dislipidemia. Já teve infarto agudo do miocárdio aos cinquenta e sete anos de idade e foi indicado tratamento medicamentoso, porém não adere ao tratamento ou a mudanças no estilo de vida. Há alguns meses, vem se queixando de cansaço progressivo e inchaço nos pés. Houve agravamento recente do quadro, passando o paciente a apresentar dispneia aos pequenos esforços e ortopneia.

A respeito dessa situação, assinale a opção correta.

  • A.

    A melhor opção terapêutica é o tratamento com betabloqueadores, associados ao inibidor da enzima de conversão da angiotensina ou bloqueador do receptor da angiotensina. Há evidências de benefícios clínicos na mortalidade global, na morte por insuficiência cardíaca e na morte súbita, além de melhora dos sintomas e redução de novas internações.

  • B.

    Estudos recentes não demonstraram qualquer benefício com a dosagem do pepídeo natriurético do tipo B para o diagnóstico de congestão pulmonar e manejo da insuficiência cardíaca crônica.

  • C.

    A restrição de sal deve ser sempre recomendada, pois estudos clínicos demonstram a melhora da insuficiência cardíaca em todos os pacientes submetidos à restrição rigorosa de sódio da dieta (< 1 g/dia).

  • D.

    A utilização de hidralazina ou de nitrato deve ser considerada apenas se houver hipertensão descompensada e angina refratária, quando associadas à insuficiência cardíaca.

  • E.

    Os bloqueadores de canais de cálcio são medicações de primeira linha no tratamento da insuficiência cardíaca crônica de qualquer causa.