Medicina Especialidade Dermatologia

Uma criança de 6 anos, portadora de eczema atópico, apresentava também história de prematuridade e internação em UTI após o nascimento, além de rinossinusite crônica, otites recorrentes e crises de traqueobronquite. O exame de fezes foi negativo para protozoários e helmintos. Os exames no sangue mostraram células em números absolutos e relativos dentro da faixa de normalidade. A IgE total mostrava-se apenas levemente aumentada para a faixa etária e as específicas não se apresentaram elevadas para quaisquer dos alimentos testados. A dieta de exclusão para laticínios, contudo, prescrita por um dermatologista, resultou não somente na melhora das lesões dermatológicas, mas também no desaparecimento dos sintomas respiratórios. Com relação ao exposto, podemos afirmar que:

  • A.

    houve apenas uma feliz coincidência entre a suspensão dos laticínios e as melhoras clínicas da criança.

  • B.

    os exames laboratoriais devem ter sido mal feitos ou trocados, posto que deveria haver aumento da IgE específica para a caseína, alfalactoalbumina ou betalactoglobulina

  • C.

    não existe qualquer evidência da relação entre o aumento dos níveis de IgE total ou específica para alimentos e o eczema atópico

  • D.

    as melhoras da criança se devem provavelmente, ao fato dela estar chegando aos 7 anos de idade

  • E.

    as melhoras clínicas da criança, após a exclusão dos laticínios, estão provavelmente associadas à existência de outras classes de imunoglobulinas específicas para alimentos que não foram testadas, mas provavelmente estariam elevadas no soro da criança